Jesus Super Star?

Imagino o Mestre exercendo seu ministério andando nas ruas das cidades na atualidade. Pedro impressionado com a arquitetura dos prédios modernos exclamando: "Mestre, olha, que pedras e que edifícios! E Jesus respondendo: Vês? Não ficará pedra sobre pedra que não seja derribada"(Mc 13:1,2).

Imagino Jesus rejeitando os apelos da mídia: "Compre! Beba! Use!", imagino Jesus andando calmamente sem esbarrar nas pessoas, correr para alcançar o ônibus ou metrô, enfim, resistindo ao ritmo frenético que impõem as cidades, principalmente metrópoles.

Sei, Cristo vive em mim! Anda nas ruas e exerce seu ministério através da igreja, mas, não é disso que falo. Falo de Jesus encarnado vindo e vivendo como homem, exatamente como há milênios atrás. Sei que isso não será mais possível porque a sua próxima vinda será como Rei, Noivo a buscar sua Igreja. Ora, vem Senhor Jesus!

Contudo, não é proibido pensar, então, deixe-me pensar mais um pouco. Imagino Jesus levantando pessoas: doentes, solitários, atormentados. São mendigos, endividados, "pobres ricos", pessoas "caídas" em todos os sentidos.

Imagino Jesus escolhendo lugares estratégicos para pregar: praças, favelas, invasões, leprosários, prostíbulos, embaixo de pontes, estações de ônibus, metrô e também em igrejas. Quantas igrejas Jesus teria para ir! Imagino Jesus chegando de mansinho em cada uma, sentando e observando tudo. Com certeza a oportunidade de Ele falar surgiria e aí, todos pasmariam com tamanha simplicidade e profundidade da pregação.

Sei que tal como fez no passado faria agora: Sinais e maravilhas, mas, tenho absoluta certeza que se recusaria a ser um Super Star. Sim, Ele usaria a TV, o rádio, a Internet, Celular... A tecnologia lhe seria muito útil. Faria sucesso? Inevitável. Como não? Embora alguns ainda resistissem em o seguir, contudo, não sairiam imunes à sua mensagem: "Porventura não ardia em nós o nosso coração, quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as escrituras?" (Lc 24:32)

Ah, como desejaria ver Jesus na TV. Embora, tenha certeza que Ele se recusaria a ser um Super Star. O programa de Jesus seria de alcance mundial (o Pai assim o faria), sua pregação, seria tal qual a dos evangelhos: Arrependimento, salvação, a cruz e seu imprescindível significado, o amor a Deus e ao próximo. Multidões? Certamente, mas Ele se recusaria a ser um Super Star.

Como tocariam em suas vestes se andasse em carro blindado? Como o ungiriam com nardo puro derramando-lhe sobre a cabeça se estivesse cercado de seguranças?

Como lavaria os pés dos apóstolos sendo inatingível? Estando acostumado a todos ajoelharem-se perante Ele? Como apareceria no tanque de Betesda se todos lhe pediriam um autógrafo? Lugares assim não seriam para Ele, só palcos, onde Ele pudesse tocar quem quisesse, porém, nunca ser tocado.

Como Super Star, não seria crucificado, o povo escolheria Barrabás, e aí, estaríamos perdidos para sempre, condenados ao fogo eterno.


Pensando bem, não quero nem pensar em Jesus Superstar.

"Sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens e, achado na forma de homem humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz" Fp 2:6,7,8.

Obrigada, muito obrigada Senhor Jesus.

Citações:Almeida, J.F, Bíblia Sagrada, Ed.SBTB,corrigida e revisada1994,1995-Sp.

2 comentários:

Falando com Deus disse...

Muito lindo esse texto, realmente eu prefiro como foi mesmo... Talvez eu me excederia em minhas exageradas demonstrações de fã... Com Jesus Super Star... seria macaca de auditório mesmo! rsrs
Deus a abençoe!!!
Geisa

Faculdade de Teologia disse...

Parabens muito bom seu Post!!!!Que Deus continue lhe usando!!!!
Abs!
Faculdade Teológica

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...