quarta-feira, 19 de agosto de 2009

A Cidade de Petra e Os Descendentes de Edom




A cidade de Petra, na Jordânia, é conhecida como "Pátria dos Nebateus". Mas, quem são os Nebateus? A história, afirma que os Nebateus é um povo descendente dos Edomitas (de Edom, irmão de Jacó):

Descendentes de Edom:
"Os edomitas desapareceram no pós-exílio. Depois do V ou IV século, sua região foi ocupada pelos comerciantes Nabateus: um grupo que vivia no deserto sem uma identidade muito definida. Na Bíblia, os Nabateus são identificados com os Nebayot, tribo árabe que segundo Gn 25,13; 28,9 e 36,3 descendia do filho primogênito de Ismael.

"Esaú, tomou suas mulheres das filhas de Canaã: Ada, filha de Elom, heteu; Oolibama, filha de Ana, filha de Zibeão, heveu e Basemate, filha de Ismael, irmã de Nebaiote" (v.2). Aqui, a mais antiga relação entre Edomitas e Nebateus.

O Reino Nabateu
Os Nabateus aparecem pela primeira vez na história ao redor de Petra, onde foram combatidos pelo rei sírio Antígono, que em 312 a.C. sucedeu a Alexandro Magno. Ainda que suas origens não estejam ainda suficientemente esclarecidas, sabemos que os Nabateus eram nômades e condutores de caravanas, tornando-se o povo de comerciantes mais importante do norte da Arábia. Eles dominaram os caminhos de caravanas entre o Golfo Pérsico e o Mar Vermelho. Souberam tirar proveito da sua localização, cobrando impostos e oferecendo serviços de segurança e proteção contra os assaltantes. O curioso é que eles mesmos foram considerados uma tribo de salteadores que vivia do saque das caravanas que passavam pela região. Essa foi a opinião de Deodoro Sículo, que em 50 a.C. escreveu sobre os Nabateus pela primeira vez, em suas crônicas sobre o fim do império persa.


O Castelo do Graal que Indiana Jones encontra no filme "Indiana Jones e a última cruzada" é na realidade uma das muitas construções esculpidas na rocha, na cidade de Petra, localizada entre o Mar Morto e o Golfo de Ácaba. No deserto da Jordânia.


Petra, devia sua prosperidade à sua posição estratégica no caminho das rotas das caravanas, entre a Arábia, o Mar Vermelho e o Mar Mediterrâneo. Além disso, ela era bem protegida em uma fenda profunda, onde a água era abundante.

Foi a abertura das rotas marítimas na época romana que deu o golpe de graça a Petra e aos Nabateus. Ocupada pelos romanos, conquistada pelos árabes e depois pelos Cruzados, ela foi completamente esquecida até sua redescoberta em 1812 por um viajante suíço, Johann Ludwig Burckhardt. Petra é famosa principalmente pelos seus monumentos escavados na rocha e que apresentam fachadas de tipo helenístico (como o célebre Khazneh).

O sítio de Petra foi inscrito na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 6 de dezembro de 1985.É considerada, a segunda maravilha do mundo, perdendo a primeira posição para as muralhas da China.


O Portal de Ed Deir - Mais tarde chamado de mosteiro, porque aí se recolheram alguns eremitas após o século IV d.C. quando a cidade foi incorporada ao Império Bizantino Mede 46m de largura por 42m de altura. Diz uma lenda que uma urna no alto do templo, continha riquezas, e vários caçadores de tesouros tentaram derrubá-la a tiros, deixando-a crivada de balas.


Por:Wilma Rejane
Fontes:Jblog
skyscrapercity.com
geocities.com
metodista.br

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...