Liberdade Aos Cativos

 “Sara-me, Senhor, e sararei; salva-me, e serei salvo, porque tu és o meu louvor” Jr 17:14
.
A palavra sara neste versículo é derivada de yashua que traduz: Resgatar, livrar. È a descrição em uma só palavra, da resposta de Deus às necessidades humanas. Ele escolheu uma forma desse verbo para dar nome a Seu filho Yeshua, que significa: Ele salvará. Em Mateus 1:21, está escrito: “E dará a luz um filho e chamará o seu nome Yeshua, porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados. Ou seja: Yeshua veio para resgatar, salvar, abrir totalmente as portas do cativeiro! “ Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens” Ef. 4:8.

Cativeiro é lugar de tormento, onde há privação de liberdade. Ninguém deseja estar nessas condições e geralmente só se chega a esse estado sob pressão, pena. Nas cadeias do Brasil, nesse exato momento existem celas superlotadas, onde homens estão entregues as mais terríveis condições de vida: dormindo em pé, ou no chão frio, sem identidade ou vontade, representam números nos relatórios policiais, nas estatísticas sobre violência. Têm nome, família, quem sabe, sonhos, mas estão impossibilitados de viver dignamente por causa das escolhas que fizeram. O cativeiro terreno é resultado do espiritual.

“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim, contra os principados, contra as
 potestades, contra os príncipes das trevas desse século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” Ef 6:12.

Uma batalha espiritual disputa cada sopro de vida sob a face da terra. Não temos a capacidade de visualizar anjos e demônios ao redor e derredor dos homens, mas a Bíblia diz que é nesse campo de batalha que vivemos. O cativeiro espiritual é formado quando nos entregamos ao serviço do mal, vence o inferno e como recompensa, este servo é mantido refém do senhor carrasco que se regozija com o sofrimento e a infelicidade do prisioneiro. O reino das trevas é a tradução da destruição: “venha ao meu reino e te darei os meus grilhões”.  Tal qual a prisão terrena, a espiritual corrompe a identidade.

Isaías 44:22 Desfaço as tuas transgressões como a névoa e os teus pecados, como a nuvem; torna-te para mim, porque eu te remi.

Tornar para Deus é reconhecer que precisa de Sua presença para vencer o cativeiro. É a metanóia que no grego significa: Mudar de direção, arrepender-se, volta-se. É quando a identidade é resgatada e o prisioneiro ganha liberdade. Tudo se torna novo, é como alguém que vivia em uma cela suja, fria e escura recebendo liberdade. Os imensos portões de ferro são abertos e o réu é absorvido, saindo alegremente de novas vestes rumo à luz do dia.

Esse é o Reino do Yeshua Messiah, para isso Ele foi enviado: libertar os cativos. Ele é a bondade, o perdão, Aquele que anseia pelo arrependimento do prisioneiro e o aguarda de braços abertos para conduzi-lo no novo caminho. Esse é o Reino da vida que esconde tesouros e enche de felicidade o liberto.

"Se, pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" Jo 8:36.

Wilma Rejane.

Fonte:Biblia de Estudo Plenitude.

2 comentários:

Fratermaurício disse...

Caríssima irmã, Paz e Bem em Cristo!
Quero cumprimentá-la pelo post sublime e comunicar-lhe, que tomei a liberdade e postei-o também em meu blog. Saudações fraternas!

Wilma Rejane disse...

Paz e bem Fratermauricio !

Seu blog Flor de Farinha está uma benção! Para mim é uma honra ser republicada por lá.

Obrigada irmão por sua companhia de sempre. Que nosso amado Deus prolongue seus dias em saúde e paz.

Em Cristo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...