Sobre águias e abutres






Por: João Cruzué


A primeira alma que "ganhei" para Cristo, chamava-se Dona Bela. Era uma negra, talvez viúva, com quase uma dezena de filhos. Morava na rua abaixo de nossa casa, no Jardim São Luís, em São Paulo. Lembro-me que possuía muitos cachorros e muitas inimizades com a vizinhança. Como era uma rua aonde passavam muitas crianças de volta da escola, não é necessário dizer que a cachorrada estava sempre correndo atrás de alguém, incentivada pelos filhos de Dona Bela.

Aconteceu assim: morrera um filho adolescente de Dona Bela; eu, um novo convertido, desejei falar-lhe do amor de Cristo naquela oportunidade. Não me lembro do que falara-lhe, mas sei que fiz o grande convite à fé, e ela aceitou Jesus levantando sua mão. Disso não me esqueço, como também que chorou, e do beijo que deu-me no rosto, em agradecimento.

Dona Bela e suas filhas mais velhas passaram a freqüentar a mesma igreja que eu.

Entretanto, a minha alegria não durou muito. O pastor, um presbítero recem-saído das Assembléia de Deus, sempre muito sábio; contudo, não sei o porquê, maltratou a Dona Bela no culto - acho que ele percebera que ela bebia um pouco e acutilou-a indireta e abertamente.

Eu chorei quando vi a rudeza dele com Dona Bela.

Foi a primeira vez que decepcionei-me na igreja. Afastei-me por algum tempo, mas voltei logo e mais alegre do que antes. Daí veio o batismo com o Espírito Santo, e quase toda mocidade o recebera ao mesmo tempo. Eram só alegrias. Depois vieram de novo as perseguições , acusações, os mal-entendidos e o convite para ser um obreiro na casa de Deus.

Aceitei. Um mês depois recusei o cargo.

Com apenas um ano de fé, achava que era muito novo. E, ao participar de certa reunião onde uma irmã acusava o maestro do coral de se insinuar para ela ( era um mal-entendido ) aquilo foi uma coisa insuportável para mim. Como poderia acontecer uma coisa daquelas dentro da Igreja do Senhor? Devolvi o cargo de cooperador, e sofri as conseqüências da "vara", a língua do pastor - o mesmo que "mexera" com Dona Bela.


Muitos anos já se passaram. Três décadas. Da Dona Bela, nunca mais ouvi falar. Mas, as decepções, acusações, desprezos, mal-entendidos, pisões, cotoveladas continuaram. Anos mais tarde, quando tive a oportunidade de cuidar de uma, experimentei na pele, como pastor, que isso faz parte de toda igreja. Não deveria, mas o aperfeiçoamento dos santos depende da distância de onde eles se encontram até Cristo. Quem tiver ouvidos, à medida que a palavra apropriada é dita, nos momentos certos, vai se convertendo e se santificando por ela.

Muitos irmãos da época de minha juventude eram melhores e mais crentes que eu. Mas tenho visitado alguns deles - desviados. Creio, que a causa de minha conversão e permanência sejam as orações de alguém que anonimamente olhou, se compadeceu e passou a orar insistentemente por mim.

Sei que assim é, pois também oro, há muitos anos, por um pai de família da minha rua que há muito se embriaga, cuja única companhia são outros bêbados, que sempre vejo fazendo "vaquinhas" para comprar outra garrafa de "pinga". A família desse moço se tornou crente, da igreja adventista. Ele tem um filho adolescente, que ao cair da noite, vai a procura do pai para trazê-lo, pela mão, para casa. Meu vizinho, no momento tem sido um alcoólatra ínutil, mas o Senhor Jesus veio mesmo para dar relevância aos sem valor.

Tenho certeza, que Jesus vai ouvir minhas orações, e a de outros mais, e ainda contarei aqui, em alegres palavras, a salvação desse vizinho. Alguém orou por mim. Alguém além de orar chorou por mim. Estou tentando retribuir com o mesmo amor.

Muitos cristãos estão se escandalizando com o comportamento vergonhoso, avarento, ganancioso, exibicionista de muitos líderes cristãos da igreja evangélica brasileira. Jesus tem sido motivo de risadas entre o povo por causa do mau testemunho de alguns deles que estão seguindo o mesmo caminho da queda do diabo - a soberba!

Cada um dará conta de si mesmo a Deus.

Se me escandalizar e abandonar a fé por causa de um pastor avarento e hipócrita, o inferno será aumentado em mais um. Por isso, tenho que manter meu foco em Jesus e na sua comissão: Ide por todo mundo e pregai o Evangelho. Quem crer e for batizado, será salvo; quem não crer já está condenado. E os sinais da fé, seguirão aos que crêem.

E por se multiplicar a iniqüidade o amor de muitos esfriará!

Isso fala abertamente do pecado dentro da Igreja. Uns pecando e outros se escandalizando. A melhor solução para os dias de hoje é manter a presença do Espírito Santo em nossa vida. Ele é o espírito da alegria verdadeira. Um cristão somente pode ficar verdadeiramente alegre quando ele está dentro da vontade do Senhor. Ao estar no seu devido lugar, o Espírito Santo lhe transmite a alegria da presença de Deus. Por isso, a frieza, em nossa opinião, é fruto da teimosia de continuar focando o alvo errado e andando no caminho dos murmuradores.

Onde está Jesus no meio de tanta hipocrisia?

 
Ele continua salvando os bêbados, curando epilépticos (como eu fui), batizando com o Espírito Santo em todos lugares do mundo. As fotos dos cristãos chineses que publiquei com suas faces molhadas (fotos) pelas lágrimas da presença de Deus é uma visão muito mais edificante que o retrato de um pastor corrupto. Diz a Bíblia: "Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo e ele fugirá de vós". O diabo sempre procura nos enganar insinuando motivos sofismáticos".

Jesus está hoje na imprensa expondo a corrupção à luz; não importa se seja rabino, pastor, padre ou ateu - a luz da verdade sempre faz evaporar as aparências e revela a essência das coisas. Não há virtude fora de Cristo. Ele continua comissionando moços e moças a se tornarem médicos, como Ele; advogados de criminosos, com Ele.

Jesus está presente na vida dos missionários que morrem no Timor Leste.

Jesus Está nos hospitais guiando as mãos de médicos, enfermeiros e administradores. Está nas mãos calejadas do trabalhador honesto. Na boca dos mestres que alfabetizam. Operando o milagre da vida nas maternidades. Está no cárcere no meio dos grupos de oração para dar esperança de liberdade aos cativos. Está também nas igrejas dos que oram mais e não ficam murmurando.

Assim diz o Senhor, no apropriado texto de Apocalipse: "Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo suje-se ainda; e quem é justo faça justiça ainda; e quem é santo seja santificado ainda. E eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo para dar a cada um segundo a sua obra"

um abutre e sua perspectiva

Kevin Carter ganhou um prêmio "Pulitzer" por esta foto. E também suicidou-se por causa dela. Seu olhar de fotografo experiente dissera-lhe que estava diante de uma foto vencedora. Com ela, ele iria denunciar ao mundo pessoas morrendo de fome a menos de um quilômetro dos armazéms humanitários da ONU, nos campos de refugiados do Sudão. Poderia ter carregado a criança moribunda nos braços e levado até onde havia alimentos. Em lugar disso, correu para revelar a foto que lhe traria honras - e depois acusação à sua consciência! Ele via a criança com os mesmos olhos do abutre. Queria apenas levar vantagem.

Enquanto os olhos da águia, na foto lá em cima, focam no movimento das coisas vivas, os sentidos do abutre se aguçam pela carne dos mortos.

Leitor, sua alma é aquilo com que se ocupa em ver. Para guardar sua fé tome muito cuidado com sua visão. Seus olhos podem levá-lo para junto da vontade do Senhor ou pelo contrário, para ser um instrumento bem afiado a serviço do rancor do diabo.

Olhe como as águias!

2 comentários:

Missionária Sonia Minucelli disse...

Palavras para edificação!
Muito obrigada!
Deus te abençoe sempre!

Tânia disse...

Muito bom o texto e edificante.
Deus continue te usando para a Sua glória!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...