Deus é abrigo nas tempestades

Na tormenta e na tempestade


Wilma Rejane



“O Senhor tem o seu caminho na tormenta e na tempestade” Naum 1:3.

Tempestade e tormentas têm significados idênticos, ambos representam um estado de confusão na atmosfera com ventos fortes, chuvas, raios, trovões, acontecendo ao mesmo tempo ou de forma simultânea. Você sabia que todos os dias acontecem mais de 40 mil tempestades na terra? A cada segundo, em algum lugar do planeta, regiões estão sendo afetadas com descargas de raios e outros eventos típicos desses fenômenos atmosféricos.

Tempestades e tormentas também acontecem em nossas vidas, e Deus nos aperfeiçoa nesses caminhos.  É verdade, podemos sair feridos, incompletos, abatidos pela violência do combate, contudo por pior que seja a situação, por mais que nos sintamos fracos e sozinhos, não estaremos abandonados. Deus tem Seus própositos nas tormentas e tempestades. 


Nenhum de nós está a salvo da tempestade, ela não avisa quando vai chegar e mesmo que seja possível prevê-la, nunca se sabe sua direção e intensidade. O aspecto linear da história é: “ todos procuram abrigo e salvação nas  tempestades”.  É uma reação  natural presente nos humanos e também nos animais. Você já enfrentou alguma tempestade natural? Tempestade espiritual? Nesse exato momento elas estão  acontecendo  em todos os lugares da terra. Isso pode nos  servir de consolo, mas o que irá determinar nosso livramento é : Como nos comportamos em meio a tormenta? 

Deus é Refúgio e Fortaleza nas tempestades 


Fortalezas, eram estruturas arquitetônicas idealizadas para defensivas de guerra, guardavam armas e tinham lugares secretos como refúgio. Projetadas justamente para assegurar a vida dos soldados em tempos difíceis. Profeta Isaías diz que Deus é como essas fortalezas: "O Senhor é Refúgio e esconderijo contra tempestade” Is 4:6. Ele é o Socorro que não cessa, É Escudo perfeito que se debruça sobre Seus filhos para aquecê-los em meio ao vento frio e forte. 

Daniel não morreu na cova dos leões. Sadraque, Mesaque e Abednego não foram queimados na fornalha ardente. Abraão não foi vencido na caminhada pelo deserto, antes viveu para ver as promessas. O barco que levava os doze apóstolos não naufragou quando foi açoitado pelas águas e fortes ventos.  A tempestade alcançou Jô, mas não pode detê-lo, antes o Senhor o fez renascer mais forte. E você pergunta? E João o Batista, não morreu decapitado? E Paulo não foi aprisionado? E os cristãos que são mortos por perseguição? A Palavra diz que nem a morte, nem a vida pode nos separar de Jesus (Rm 8: 38)

A Força no vale

Deus está conosco nas montanhas e também nos vales. Ele não nos abandona quando chegam as dificuldades. Lembre-se sempre do Salmo 23:4: "Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam" Lembre-se de enfatizar a parte "a" do versículo. Winston Churchill disse: "Se você está atravessando o inferno, continue indo e recitando".

Davi no vale das sombras, me traz a memória um outro verso Bíblico: "Mas Deus garante; não nos dará provação maior do que podemos suportar" 1Co 10.13.

Davi poderia ter murmurado e lamentado enquanto esteve no vale, poderia ter desanimado, desistido, retroagido, mas não. Ele usou a geografia do vale a seu favor: a caverna para formar um exército e as pedrinhas para encher fundas a derrubar gigantes. Profeta Jeremias, também muito nos ensina sobre tormentas e tempestades; porque viveu em tempo de grande angústia: Israel estava a caminho de um cativeiro, oprimida pelos inimigos. Ele olha para toda situação e declara:

Ó Senhor, fortaleza minha e Refúgio meu no dia da angústia” Jr 16:19.

Força (Strong 05797), vem do verbo “azaz” (em grego) ser firme e constante. Em hebraico: “Uzi-u-Ma’uzi”, significa: O Senhor é a força da minha vida, minha fortaleza, poder e segurança.




Quando passa a tempestade

Há um provérbio que diz: "depois da tempestade vem a bonaça". Mas Deus é a nossa bonaça em meio a tempestade. Ele é a força nos vales e em toda geografia de altos e baixos.

E se você tiver paciência, gostaria que desse uma olhada nesse vídeo. Ele me foi enviado por uma leitora do blog por nome Karem Feitosa, no artigo "O júbilo pelas correntes do Sul". As correntes foram citadas em um Salmo de Davi, como o refrigério, o consolo de Deus em meio ao deserto. Após a seca no Neguev as correntes surgem, misteriosamente banhando todo o solo, florescendo as sementes que foram cultivadas na seca, quando não se via água, a não ser de lágrimas. 





Oração: Deus Pai. Os acontecimentos da vida podem atordoar-nos às vezes, tropeçamos e caimos à medida que tentamos nos  recuperar. Cremos que o Senhor vai manter-nos em Sua fortaleza  e levando-nos a dar o passo certo a seguir. Obrigado, em nome de Jesus. Amen.  

4 comentários:

Lucilene Batista de Brito Shirota disse...

A paz Wilma. Muito bom seu post e Deus falou grandemente comigo pois estou passando por mais um vale, por mais uma tempestade e tenho andado muito triste, desanimada e este texto me deu novo ânimo. Que Deus continue te usando, fique na paz do Senhor!

Presbítero Maurício disse...

caríssima, permita-me uma descontração: No parágrafo onde se diz "Força (Strong 05797), vem do verbo “azaz” (em grego) ser firme e constante. Em hebraico: “Uzi-u-Ma’uzi”, significa: O Senhor é a força da minha vida, minha fortaleza, poder e segurança", pode soar "use o mouse".desculpe-me pela brincadeira. Parabéns pelo post! Nosso Deus é realmente, o Deus das tempestades.

Wilma Rejane disse...


A paz Lucilene,

A Palavra de Deus não volta vazia e sempre encontra lugar em corações ávidos por consolo.

Passamos pelo vale, mas ele haverá de passar dando lugar as torrentes e brotar de sementes.

Deus a abençoe, amada.

Wilma Rejane disse...


Olá Presbítero Maurício!

É veró, não tinha percebido a semelhança!

Mas sorrir faz bem rsrsrsr

Obrigada,

Deus o abençoe.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...