Os poréns sobre o comentário de adotar um bandido.




” Não se pode fazer uma nítida divisão dos homens em bons ou maus. Infelizmente a nossa curta visão não permite avistar um germe do mal naqueles que são chamados de bons, e um germe de bem, naqueles que são chamados de maus. Basta tratar o delinquente, antes que uma fera, como um homem, para descobrir nele a vaga chamazinha de pavio fumegante, que a pena, ao invés de apagar, deveria reavivar. ” Jurista italiano Francesco Carnelutti


Wilma Rejane


Diante da reação em frenesi, da maioria de brasileiros, inclusive que se confessam cristãos, a favor do comentário da âncora do SBT Raquel Sheherazade, achei por bem me posicionar a respeito do assunto, já tão comentado na mídia. A jornalista foi prudente em seus argumentos, ao utilizar o direito da legítima defesa em um Estado falido que não garante em nenhuma das instâncias a segurança dos cidadãos. Uma causa, por mais absurda e incoerente que seja, quando é amparada por argumentos legais, torna-se válida. É válido dizer que falta governo e reina impunidade,  que a Comissão de Direitos humanos não é bem vista no Brasil, porque é ativista de causas que ferem a dignidade do cidadão que trabalha duro e honesto. Porque Direitos Humanos no Brasil, muitas vezes, defende o opressor e não o oprimido. Legitima defesa é válido e legal.

Porém,

É irresponsável o incentivo para que se faça justiça com as próprias mãos. Quem é mais marginal na história o que mata porque é mau ou o que mata por se julgar bom? O que amarra o bandido no poste e tortura ou o que pode fazer justiça e se omite? Ambos são criminosos e por isso que a Sheherazade agora é considerada justiceira, redentora dos cidadãos brasileiros. Porque fala contra os que se omitem, os criminosos de terno e gravata que silenciam quando deveriam acionar as leis de execução penal. Sou brasileira, e como não sentir a dor das mazelas sociais que nos afligem dia após dia? Sou professora da rede pública de ensino, convivo diariamente com escolas sucateadas e remuneração injusta. No Brasil, as verbas que se destinam a um presidiário, são muito maiores do que o investimento na educação de cada aluno.

Custo individual por cada presidiário no Brasil: cerca de 2.700.00 por mês
Custo individual de um aluno do ensino médio, em escola pública: cerca de 1.200 reais por mês.



Míseras verbas para educação e altos investimentos em um sistema prisional falido! Claro que o resultado só poderia ser desastroso. Nem precisa ser economista, especialista, para concluir que o País precisa de mudanças urgentes. E quer queiramos ou não já adotamos bandidos, porque as verbas de investimento no sistema penitenciário também saem de nossos bolsos. Diante de tanta impunidade e descaso, é de se esperar que o comentário feito por Sheherazade, tome a proporção que tomou. Não estamos acostumados a ver pessoas públicas falarem a verdade e contrariar as esquerdas, direitas e tortas ideologias que dominam a nação. É de se esperar que o grito não ouvido, saia assim vingado pela jornalista que defende um modo cruel de justiça com as próprias mãos.

Porém,

É também preocupante perceber que os que acreditam em amor e milagres, sejam nesse contexto, chamados de hipócritas, por não concordarem com a Sheherazade, que por sinal confessa a fé cristã e é defendida por cristãos, a todo custo. É estarrecedor ouvir o grito da multidão pedindo para linchar bandido, quando aos olhos de Deus, bandido, marginal, pode ser qualquer homem ímpio,  não necessariamente o fichado em delegacia, tão sujo “quanto pau de galinheiro” (usando as palavras de Sheheraze).  Não posso concordar com tudo que tenho visto e lido sobre o assunto. O mundo nos obriga a esquecer o amor, os “marginaizinhos” devem morrer, porque matam. Mas Jesus morreu por estes também, sim Ele foi crucificado como um destes “marginaizinhos” com apoio de uma multidão inconsequente e vingativa que clamava por justiça.

Ora,

A fala de uma famosa âncora da TV não significa mais para mim do que o próprio Jesus crucificado como marginal, entre marginais. Por sinal um dos marginais foi acolhido e salvo pelo Mestre dos Mestres. Eu me envergonho de um cristianismo que não transmite o que Jesus transmite. Me recuso a ovacionar quem quer que seja se este alguém desacredita no poder do amor. Me recuso a entregar meu coração ao ódio, a desesperança e a vingança. Podem me chamar de hipócrita, mas é nisso que creio, porque foi isso que Jesus me ensinou.


Que Deus nos ajude.

9 comentários:

valber Rangel disse...


Wilma,

Você teve coragem de ir contra a multidão, mulher de Deus?!

Mas é isso, criamos nossos heróis e bandidos de acordo com a visão de bem e mau que temos.

O artigo me lembrou da passagem de Jesus sobre os mortos da torre de Siloé...

"E aqueles 18 que a torre de Siloé caindo matou, julgam vocês que eram mais culpados de pecados do que os demais habitantes de Jerusalém?" Lucas 12.

O marginal da reportagem merecia o sofrimento porque era culpado e os que o matassem estariam fazendo um favor, eram justos.

Paz.

Rodrigo Alves disse...

em nenhum momento ela incita a violência. o que ela deixa claro e que é compreensivo as pessoas tentarem fazer justiça com as próprias mãos dado ao estado de calamidade que vivemos e, as inversões de valores que somos submetidos a todo o tempo. Cristo tbm se revoltou quando entrou no templo e viu que tinha virado uma feira/comércio. O cristianismo é e sempre será uma forma de revolução, de mudança. Cristo foi a maior mudança que a humanidade já experimentou, glória a Deus por isso, mas existe uma grande diferença em ser taxado como bandido e, de ser realmente bandido.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Mateus 5:6
Gosto muito dos seus textos.
grande abraço.

Laíza Aguiar disse...

Bom dia,
Interessante você falar disso, porque ontem mesmo(12/02/2014) eu estava indignada com todos os meus líderes e achei melhor buscar a Deus por saber que estava em falta. Ao fazer isso, Deus me pediu pra escrever entre minhas anotações todas as minhas reclamações e assim fiz. Quando terminei senti com a mesma severidade das minhas reclamações Deus falar sobre as minhas "faltas" e que o tratamento é na minha vida e não na alheia, por isso não devia tentar corrigir NADA a meu modo. Em seguida Ele me mostrou que o erro que causava aquelas reclamações estava em mim e não em meus líderes.
Tudo isso me doeu muito, me envergonhou, mas mesmo com tudo isso ainda aprendi que "...com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós".
Excelente texto.
E agora mais do que nunca, não quero deixar o meu clamor por justiça me cegar ao ponto de "usurpar" o poder que só foi dado a Deus.

Wilma Rejane disse...


Oi Valber!

Não estou com a maioria, mas penso que também não estou sozinha.

Obrigada,

Paz, mano.

Wilma Rejane disse...



Oi Rodrigo, bom dia!

E a palavra de Deus diz que Cristo é a nossa justiça porque a humana é igual a trapos de imundície.

E a maior revolução feita por Jesus, foi na cruz, glória a Deus! Lá onde estava "o marginalzinho" que se arrependeu e foi salvo. A revolução do cristianismo foi feita á base de amor.

Se o comentário da Rachel não teve a intenção de incitar a violência, ele não cumpriu o objetivo de propagar paz,mano.

Os artigos e comentários que tenho lido pela internet são de ódio:

"bandido tem que morrer"

" Marginal merece tortura"

"É isso ai, justiça com as pŕoprias mãos"

E por isso resolvi também escrever sobre o tema.

Obrigada,

Deus o abençoe.

Wilma Rejane disse...



Amém Laíza.

Deus a abençoe. mana.
WR

valber Rangel disse...


E depois que Cristo se revoltou no templo de Jerusalém, expulsando os mercadores, fez um sermão dizendo:

É absolutamente compreensível o que eles fazem, vai e faze o mesmo. e de forma irônica concluiu:

"Adote um vendilhão".

Janine Morais disse...




Oi Wilma,

Não assisto o jornal do SBT, tomei conhecimento do fato através da internet e constatei que o povo gostou demais da opinião da Rachel. Mas tentar combater violência com mais violência não é solução em lugar nenhum do planeta!

A Bíblia diz para orarmos pela paz da cidade onde moramos, pelas autoridades também e pelos presos. Se não estamos satisfeitos com o governo, oremos também e cobremos a eles de forma ordeira.

O Rodrigo, que comentou aqui, falou certo ao dizer que Jesus teve seus momentos de revolta. Mas vamos ao significado da revolta, era para dizer que o templo deveria ser de oração e não de comércio.

Nós somos esse templo, estamos orando pela justiça, pelos governantes, pelos marginais, ou será que é mais fácil condená-los?

Só isso que queria dizer.

Abraço.

Wilma Rejane disse...



Obrigada por comentar Janine.

Deus a abençoe.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...