Nos portos da vida

Pouco a pouco, ainda que contra a nossa vontade, acostumamo-nos a conviver com os vendavais que ameaçam nossa vida. Na medida do possível, adaptamo-nos à fúria dos ventos contrários e também à força das águas turbulentas. Tudo não passa de uma necessidade de sobrevivência. Afinal, viver é o que realmente importa.

Nosso passado registra uma história de lutas, algumas profundamente dolorosas, diante das quais achávamos que não sobreviveríamos, tamanha era a desproporção entre a nossa força e as forças que se levantavam contra nós.

Eram como rios violentos, ventos destruidores e noites escuras, a fúria das pessoas que nos enganaram, dos poderes que nos oprimiram, das circunstâncias adversas. E apesar de tudo, aqui estamos nós. Passaram os ventos, o mar se acalmou, as águas foram acariciadas pela brisa da paz, e nós sobrevivemos. Afinal de contas, depois da tempestade vem sempre uma brisa que nos faz sonhar e continuar vivendo.

É possível que você esteja vivendo um tempo de tempestade, ou mesmo um verdadeiro furacão. Tudo parece estar dando errado. Quando ora, o céu fica em silêncio. Busca socorro nos amigos, e eles estão muito ocupados ou até sofrendo mais que você.  O sorriso foi substituído pela lágrima, e a alegria sufocada pela  dor. A fé ficou abalada e o desespero começou a dar sinais. Mais do que nunca, você precisa de serenidade, paciência, humildade e da certeza de que, depois da tempestade, sempre se descortinam diante de nós novos horizontes.

Não entre em pânico, não se desespere, não entregue os pontos, não proclame derrota e não antecipe o fim. Para quem tem fé, jamais é um tempo que não existe, pois, ao que crê, tudo é possível. É o que nos garante o Mestre, Jesus.

Em tempos de crises agudas, não devemos tomar decisões precipitadas, pois, desde que o mundo é mundo, a vida nos tem ensinado uma grande lição: tudo é passageiro, inclusive a nossa dor. Em meio a tempestades, o que mais importa é não perder o controle do barco, segurar firme os remos e descobrir, em meio às águas revoltas, o norte que nos levará a um porto seguro.

Quando a sua vida estiver ameaçada pelas tempestades, segure firme nas mãos do Senhor, pois Dele vem não somente a força que nos ampara, como também é Ele quem faz vir sobre nós uma brisa suave, com o perfume da vida, a beleza da paz e o encanto da esperança. Por isso mesmo, tudo se acalma quando vem a brisa. É só uma questão de tempo.

Primeira Igreja Batista em João Pessoa-PB


2 comentários:

Elaine Cândida disse...


Que palavra linda, essa do Pr. Fernandes, irmã Wilma!

E muito propícia, também.

Em toda a minha vida, sempre duvidei se suportaria todas as dores a que fui submetida desde sempre. É um rol de perdas, na verdade, das quais a mais recente (que, na verdade, não foi bem uma perda, porém, mais uma separação) é a mais desafiadora de todas e de tudo o que já vivi.

Só Deus e eu conhecemos o tamanho dessa dor, mas em cada instante sinto a brisa suave soprando, me dando refrigério e apontando a direção.

Esse texto faz parte dese mosaico consolador que o Eterno está compondo em meu coração despedaçado...

Com lágrimas nos olhos, meus sinceros agradecimentos pela sensibilidade em tê-lo compartilhado conosco.

Paz e Graça.

Wilma Rejane disse...


Paz e graça Elaine,


"E depois do fogo houve o murmúrio de uma brisa suave e o Senhor estava na brisa e falou com Elias..."1 Reis 19:12


Nas cavernas da vida, situações inesperadas, de dor e sofrimento, Deus nos vê e a brisa chega como refrigério e direção, de fato.

Que assim seja para você, amada do Senhor.

Abraço, fraterno.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...