O moinho de Jairo



Wilma Rejane


Medo  é  impotência humana diante de situações, é  ansiedade, insegurança. O medo nos torna pequenos, acuados, diante de gigantes. Mas esses gigantes nem sempre são reais, podem ser minúsculos como grãos que cabem nas palmas de nossas mãos ou embaixo de nossos pés, porque podem ser abatidos, removidos por meio da fé. Pensamos ser o medo próprio dos covardes, contudo, todos nós sentimos medo em determinados momentos e a coragem consiste não na ausência desse sentimento, mas na superação do medo.

Há ainda segredos reservados ao medo, ele tem suas faces escuras e talvez por isso carregue singularidades a serem desvendadas. Por exemplo: medo é cruel, raiz-de-fel, mas pode ser mel. É mel em seu lado bom, pois ter medo em certas ocasiões protege. O medo de cair em um abismo faz com que fiquemos bem longe dele. Medo de subir em um alto muro, evita a queda. Medo de ser atropelado mantêm a cautela ao atravessar uma rua movimentada.

Em várias situações na Bíblia, Jesus confortou pessoas atemorizadas  dizendo “Não temas”. Uma dessas pessoas chamava-se Jairo, judeu fervoroso e que estava com um “probleminha”: sua única filha de doze anos havia morrido. O velório estava em curso, sua casa estava repleta de pessoas lamentando, chorando, e Jairo então, naquele ambiente tão aterrorizante e triste, ouve falar de Jesus e saí em Sua procura.

Pensemos: Naquelas circunstâncias, Jairo deveria estar apavorado, com fobia, aterrorizado pelo medo de perder sua filha. O dicionário grego do Novo testamento  define medo como: Phobos  = fuga, terror, pavor, fobia. ( Strong 5401)

Um fato curioso a respeito do medo é que se ele é capaz de paralisar alguém deixando-o sem ação, ânimo, é também capaz de provocar mudança de atitude . Jairo havia chegado ao limite, a uma situação extrema que parecia não haver saída, mas ele se moveu e na direção certa. É tão memorável olhar para a atitude desse pai, temos tantas coisas para aprender com ele.

"E eis que chegou um homem de nome Jairo, que era príncipe da sinagoga; e, prostrando-se aos pés de Jesus, rogava-lhe que entrasse em sua casa; Porque tinha uma filha única, quase de doze anos, que estava à morte. E indo ele, apertava-o a multidão." Lucas 8:41-42


Jairo encontra Jesus e roga para que Ele vá até sua casa. A casa de Jairo estava lotada de pessoas convictas da morte de sua filha, a multidão aperta Jairo e quando ele enfim, consegue falar com Jesus, eis que Jesus sente um toque especial na orla de sua veste e para de falar com Jairo para ver quem havia lhe tocado. Era a mulher com fluxo de sangue que aparece na multidão no mesmo dia e hora que Jairo.

A mulher que tocou Jesus sofria há doze anos com fluxo de sangue e Jairo tinha uma filha de doze anos que estava morta. Duas histórias que se cruzam e que são totalmente transformadas pela fé no filho de Deus, no Cristo ressuscitado. Aleluia.

Pois bem, Jairo em desespero, querendo que Jesus resolvesse seu problema, precisou esperar Jesus concluir a conversa com a mulher do fluxo de sangue. Todos deveriam chamar aquela mulher dessa forma: “aquela, com fluxo de sangue”. Jesus cura e salva a mulher, enquanto isso, Jairo aguarda, vê Jesus abençoar outra pessoa, bem próxima dele, a multidão glorificando e ele lá... Aguardando. Alguém observa Jairo ali atordoado e tira suas conclusões de que foi um erro ele ter procurado Jesus:

“ Não incomodes o Mestre, tua filha já morreu, tá tudo acabado. “ Lucas 8:49

Tentam desanimá-lo. Ele poderia ter ido embora, ter pensado que Jesus desistiu dele, que não o ouviu, não se interessou por seu problema. Mas não. Jairo permanece, apesar de tantas coisas conspirando para sua derrota.

“Jesus, porém, ouvindo-o, respondeu-lhe, dizendo: Não temas; crê somente, e será salva.”Lucas 8:50

Pensaram que Jesus não tinha ouvido a oração de Jairo? Que Jesus tinha esquecido dele? Nada disso. “Jairo, não tenha medo, continue crendo porque sua filha será salva”. Jesus foi até a casa de Jairo e ressuscitou sua filha e todos se maravilharam com o ocorrido.

Aprendendo com Jairo:

Por pior que seja a situação:

  • Jesus está sempre disposto anos ouvir
  • Não deixemos o medo nos dominar
  •  Não percamos o ânimo
  • A voz da maioria é vencida pelo poder da Palavra de Jesus
  • Tenhamos paciência, sabendo aguardar o agir de Deus
  •  Não invejemos ou lamentemos o milagre na vida de pessoas próximas.
  • Em alguns momentos pode parecer que Jesus não nos ouviu, não O abandonemos por isso,mas permaneçamos com Ele na certeza de que Ele conhece nossa causa e fará o melhor por nós.
  • Tentarão nos desanimar pela certeza das coisas visíveis.
  •  Deus é o que traz a existência as coisas invisíveis, por meio da fé.
  •  Quem disse que há impossibilidades para Deus?

O moinho de Jairo:

Há um trecho da obra  de Miguel Cervantes que ilustra bem o que o medo pode causar: a fim de proteger a donzela por quem estava apaixonado, Dom Quixote se atira em um moinho de vento, acreditando tratar-se de um monstro de garras destruidoras. Cervantes repreende a atitude medrosa do apaixonado dizendo:

"Cuide de vossa graça, pois aqueles ali não são gigantes, mas moinhos de vento, e aquilo que pensais serem braços são as pás que, girando o vento, movem a mó."

Foi no pior momento da vida de Jairo que sua fé aflorou,  e ele superando todos os obstáculos, apoiou-se em Jesus Cristo que venceu “os gigantes” que o assombravam. A situação está difícil? É hora de colocar a fé em ação. A fé foi o moinho que concedeu direção e realização na vida de Jairo. Uma fé racional que o ajudou a não perder o controle de si, a agir de modo prudente e paciente, mesmo em uma situação tão agravante.

Isaías 41:10 nos encoraja: “não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça”


Deus o abençoe.

Um comentário:

Celso Silva disse...

Louvado seja Deus!!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...