O profeta e o corvo



Wilma Rejane

I Reis 17:6 “E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã; como também pão e carne à noite; e bebia do ribeiro.”

Essa passagem Bíblica é sempre citada quando queremos nos referir ao suprimento chegando até nós de modo imprevisível. Seria Deus santo, utilizando instrumentos impuros, para socorrer um de seus filhos. Foi assim com profeta Elias quando deprimido e fugindo de perseguições se escondeu junto ao ribeiro de Querite. Os corvos lhe levavam pão e carne de manhã e de noite. Elias estava em estado de isolamento, mas Deus era Sua companhia diária e uma prova disso, era o corvo.

O corvo é um animal necrófago, listado entre os imundos (Levítico 11:15). Apesar desta característica repugnante, observemos que a carne levada a Elias era saudável. Ou seja, o corvo não havia colhido aquele alimento em uma lixeira ou algo parecido. Deus direcionou aquele animal para  colher em um lugar que ele não tinha costume de ir. Não apenas Elias saiu da rotina, mas o corvo também! Significa que Deus muda todo um contexto de coisas a fim de cumprir seus designos.

Isaías 43:13 “Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá?”

Há um detalhe curioso sobre os corvos que pouco é citado. Este animal é o único capaz de prever as intenções de outras criaturas. Ou seja, o corvo reage de modo muito semelhante aos homens e é guardião fiel  dos alimentos sob seus cuidados. Baseando-se nesse fator, podemos dizer que a provisão chegou até Elias, não através de um animal imundo, mas de um animal altamente capaz de guardar o pão e a carne para não deixar o profeta passar fome. Assim, temos:


  • Deus mudando o contexto natural das coisas para agir de modo sobrenatural.
  • Deus, utilizando dons inerentes como mensageiros de Sua vontade.
  • Deus amparando um servo de modo único que somente Ele poderia fazer.
  • Um homem no deserto, em estado de isolamento, sendo restaurado pelo amor, misericórdia e poder de um Deus surpreendente.


Interessante é perceber que no mesmo capítulo de I Reis 17, quando fala da provisão do corvo, há também a provisão da viúva pobre. Em qual dessas fontes de alimento eu e você nos apoiaríamos? Penso que seria bem difícil para alguém sem fé acreditar que elementos tão frágeis e estranhos pudessem saciar a fome e/ ou servir de bênção Divina, não é mesmo? Mas Elias era um homem que temia a Deus,  buscava Sua face. A força não estava em Elias, tão pouco nos recursos físicos, estava em Deus.

Salmo 105:4 - Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente.

O corvo e a viúva pobre nos ensinam que mesmo na pior das situações não devemos nos desesperar. É possível que a tristeza nos alcance, assim como alcançou a Elias, mas Deus estará diariamente restaurando nossas forças, porque Ele é fiel. Assim como o corvo guardou aquele alimento em segurança, Deus em segurança nos mantêm. A maior alegria em servir a Deus, para mim, é justamente o fato de saber Quem é Deus. Apesar de indecifrável, Sua essência, revelada em Cristo Jesus nos concede segurança. Uma segurança que não é possível encontrar em qualquer outro lugar, pois ela não é física, mas espiritual.

O Deus de toda glória, de toda honra, sabe quem somos e conhece todas as nossas necessidades. Por isso, ao olharmos para a escassez desse mundo, dos recursos, dos relacionamentos e até mesmo da Igreja. Não desanimemos. Deus está a trabalhar e a agir acima de todo contexto natural a fim de guardar para si um povo que ama.

Deus o abençoe.

6 comentários:

AhoraéChegada AhoraéChegada disse...

Belo Post amigo!!!
Excelente trabalho amigo!
http://ahoraechegada.blogspot.com.br/
Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.
João 14:27

Mente Virtual disse...

Belo texto!! Que O Altíssimo continue te abençoando!!

janainadesigner disse...

Bom dia Wilma,

Meu marido morreu no dia 8 de novembro de 2015 e desde então caminho em confusão, entrei para o seleto grupo de viúvas e meu filho no de órfãos, a fé que me acompanha desde que nasci desapareceu, experimento desde então ausência de vontade de congregar me sinto abandonada por Deus, não acredito mais na esperança de dias melhores, de uma certa forma vejo que a graça que alcança alguns não pertence a outros somos pobres jogados ao passar dos dias um após o outro e desisti de entender os caminhos que Deus usa, leio suas publicações buscando algum sentido para viver, tenho passado meus dias agradescendo a Deus por passar o mais rápido o tempo, e assim abreviar meu sofrimento. Morrer faz parte da vida mas passar pela perda é muito doloroso.
Janaina

Claudia disse...

Irmã Janaína, não menosprezando sua dor, mas o mal acontece aos ruins e aos bons. Estamos neste mundo e nele há sofrimentos. Verdade não entendermos os desígnios de Deus.
Essa semana um casal conhecido, vindo de uma viagem, num acidente de carro, perderam sua filhinha de apenas 8 anos. Pode imaginar a dor dessa mãe?
Exponha seus sentimentos para aquele que pode te dar a paz. Garanto que Ele te dará o conforto.
Fique na paz!

Wilma Rejane disse...


Boa noite, Janaína...

Amada irmã, admiro sua coragem e consciência em admitir a fraqueza, dor e desilusão. Estes sentimentos nunca são bem-vindos, pois, o que todos almejamos é a concretização da felicidade. Essa felicidade parece ter deixado de existir para você quando se tornou viúva.

Sabe Janaína, você se sentir abandonada por Deus não implica em que de fato esteja. Seus sentimentos podem mudar seu comportamento, mas jamais mudará a realidade de que: Deus te ama e quer o seu bem. Penso que sua fé não morreu, não enfraqueceu, ela está abafada pelos ecos do passado...

Não tenho o direito de dizer que estás errada, mas tenho o dever de dizer: você pode sair dessa situação, precisa sair. Peça forças a Deus, ainda que não sinta vontade de orar e congregar, ore e congregue, aos poucos irá se sentir mais forte e as perspectivas de futuro ressurgirão como o sol da manhã.

O profeta e o corvo fala disso: Deus agindo em meio as desilusões humanas. Foi na fraqueza do profeta que Deus revelou Sua graça e poder que assim seja para ti, amada do Senhor.

Amém.

Fernanda S M disse...

Bom dia Janaína. A dor do luto é muito profunda, mas não precisa ser enraizada, Deus te dá liberdade para chorar, brigar, reclamar, questionar os porquês, no entanto, Ele deseja que vc passe por esta situação confiando que Ele tem o controle de tudo.

Quando estamos com a nossa vida alicerçada em Sua Palavra, não há dor que nos separe dEle. Por isso, confie, enxugue as suas lágrimas, Deus sabe de todas as coisas.

Não pense que sua história terminou...ela ainda está sendo escrita e de forma surpreendente.

Seu filho precisa de vc, mostre para Ele que a história dele também continua. Mas, esteja certa que diante dessa situação ele pode crescer frustrado ou vencedor, por isso depende de vc também ajudá-lo, pense nisso. Pois, se ele vir que sua mãe confia nos cuidados de Deus e o encoraja a prosseguir, ele crescerá com muito mais vontade de viver. A vida segue aqui embaixo! Levante a cabeça e hora de sair da caverna...Vc vai vencer, porque Deus nunca a desamparará! Creia nisso...

Um dia sua história será motivo para ajudar outras viúvas...Vc deseja isso? Então vá em frente e deixe Deus fazer a obra em sua vida. Um grande beijo! Conte com minhas orações!!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...