A figueira que falhou e o fruto que não falha



I Pedro 4:8: Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados

Wilma Rejane


Sem fé é impossível agradar a Deus, mas é possível ter fé e não ter amor? O apóstolo Paulo nos afirma que sim: “...e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria" I Cor 13:2. A fé nos faz alcançar o impossível, o amor nos faz fazer o impossível em nome da fé: amar os que nos odeiam e perdoar os “imperdoáveis”.  

Esse estágio de amar se torna real quando o Divino habita em nós.  Quando o que é  Perfeito habita no que é imperfeito, daí nasce a graça, abundante, cobrindo uma multidão de pecados. Somente ela, é capaz de produzir em nós os frutos do Espírito. Fruto não é para apodrecer na árvore, mas  servir de alimento aos famintos.

Meu esposo costuma dizer que não sabe se uma laranja é realmente gostosa até descascá-la. Algumas são grandes e vistosas, mas basta abri-las para descobrir que a aparência enganou. Será que isso acontece conosco? Foi por causa da falsidade da aparência que Jesus decretou morte a uma figueira.

Figueiras são muito comuns na Palestina onde se pode encontrar pelo menos três espécies da planta:


  • O figo precoce que amadurece no final de Junho
  • O figo de verão que amadurece em Agosto
  • O figo de inverno que é maior e mais escuro e também permanece na figueira por mais tempo, chegando a ser colhido, por vezes, na primavera.

Vale lembrar que em qualquer das espécies de  figueiras, o que aparece primeiro são os frutos e depois as folhas. Portanto, numa figueira com muitas folhas seria normal encontrar frutos.  Mas Jesus foi até aquela árvore de muitas folhas,vistosas, abundantes, porém, nada de frutos! A árvore ficava à beira de uma estrada movimentada e certamente já havia atraído e enganado muitos viajantes famintos. Aquela figueira era como alguém sem amor, de coração vazio.

O amor nunca falha.I Cor 13:8. Nós é que somos falhos, mas o amor de Deus quando habita em nós nos aperfeiçoa para amarmos. Porque recebemos do que é D'Ele. E vale dizer que esse amor não é apenas bom, mas  longânime e  prudente (Galátas 5:22). Ou seja, através D'Ele recebemos todos os suportes para agirmos em situações que envolvem ódio contra nós. Nosso coração não deve se amargurar e /ou pensar em revidar, mas deve se deixar regar por Deus, recebendo de Sua chuva, frutificando e não ficando estéril.

Oração; Senhor, nos dê força para amarmos os que nos odeiam. Para frutificarmos e alimentarmos os que têm fome.  Para reconhecermos que nessa vida tão cheia de ilusões e desafios, o melhor a fazer é confiar em Ti, é se fortalecer na fé e no amor é acreditar que És nosso Juiz e ajudador. Não deixe nossos corações amargurados, mas vem e fala conosco para que nos alegremos com Tua presença e Tua fidelidade. Perdoa-nos quando Te desagradamos e nos move a fazer a Tua vontade, sempre. Em nome de Jesus, amém.

Por falar em amor...O vídeo trata do amor entre pai e filho, vale refletir.

2 comentários:

Nana Ribeiro disse...

ola minha querida ..... fiquei ausente por um pouco da net ... mas sempre amoo o seu cantinho ..... e cada palavra .... fiz um novo blog se desejar me siga la ok bjus ....

Wilma Rejane disse...


Olá minha irmã Rô,

Entendo essa ausência, pois, eu também tenho experimentado um pouco disso por conta das muitas atribuições diárias. Mas, bom é saber que ausência nem sempre significa abandono ou esquecimento, não é mesmo?

Muito obrigada, querida. Receba meu fraterno abraço, em Nome de Jesus.

Deus a abençoe.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...