Este seu deserto vai passar


Album: Depois do Culto

Letra,  música e intérprete: Samuel Mariano

Título da canção: VAI PASSAR

Vem surgindo mais um lindo dia
E essa dor insiste em ficar
Eu clamo e reclamo desta vida
Pois minha vida agora é viver a chorar
E aqui ajoelhado neste cantinho
Madrugada inteira a gemer.

Já estou sem argumentos pra pedir
Nem sei o que é que estou fazendo aqui
Parece até que Deus não quer me atender.

Mas a promessa é que vai passar
Eu sei que vai passar
Deserto não é pra toda vida
Deus vai mostrar uma saída
Mas tenha calma por que vai passar.

Mas a promessa é que vai passar
Eu sei que vai passar
Deserto não é pra toda vida
Deus vai mostrar uma saída
É só ter calma que vai, vai, vai passar.

(veja se isto aqui não se parece com você) Declamado:

E aí ajoelhado neste cantinho
Já faz algumas madrugadas
Que você não dorme... E fica a gemer
Tem horas que falta argumentos para você pedir.




(exclua as publicidade estranhas se aparecerem na reprodução do YouTube)


Agora, enquanto escuta a música, 
leia uma parte do meu 
testemunho.
Por João Cruzué
.
Se você me perguntasse porque eu copiaria a letra deste hino? Bem, minha resposta é porque ele mexe bastante com minhas emoções. E uma das razões por que comecei a escrever este blog, lá por volta de 2005, foi para contar a vitória que o Senhor Jesus me deu, depois de ter passado por 11 longos anos desempregado. 

Não me pergunte como foram, porque não mais me lembro dos detalhes, depois que o tempo do deserto passou. Uma coisa, porém, ficou e eu não consegui me esquecer: Do dia que consegui comprar um pacote de meio quilo de café no supermercado.  Quando cheguei em casa, eu chorei quando fui orar pela compra. Esta música, me faz lembrar disso. 

Quando o deserto estava quase no fim, eu estava plantando umas covas de bananeira maçã no sítio da minha mãe, e quando terminei de plantar aquelas 180 covas, choveu. Não uma chuva forte, mas uma "nublina", como se dizia na região do Vale do Rio Caratinga. De noite fui dormir ali pelas 20:00 e, antes de dormir, orei. 

Curiosamente, naquele exato momento que dobrei os joelhos, choveu de novo. Aí, eu fiz uma brincadeira na minha oração, e falei: Senhor, amanhã eu tenho que aguar aquelas 180 covas de bananeiras. Vou fazer isto alegre e satisfeito, mas se o Senhor quer mesmo molhar aquela terra, mande pelo menos uma chuva dez vezes mais forte. 

De madrugada, malhou aquele aguaceiro. Era começo de abril de 2003, mês que não costuma chover por ali. O barulho das águas nas telhas era forte e grossos cordões de água caiam da beirada das telhas lá na calçada de cimento do sobrado. Como eu estava dormindo na cobertura, tive sair depressa para o andar de baixo.

No outro dia, pela manhã, eu vi o barro da enxurrada que desceu pela estrada abaixo. Quando cheguei até as mudas de bananeiras, eu olhei e vi que Deus tinha respondido a minha  atrevida oração. E no momento que eu olhei as folhas de um  pequeno pé de banana, o Senhor Falou assim bem dentro de mim:

--Se Eu me preocupo com tão simples bananeiras, saiba que você vale muito mais que um pé de banana. Isto foi em abril, daí a três meses, Ele me abriu a porta do primeiro emprego, depois de 11 anos de deserto - 29 de julho de 1992 a 14 de julho de 2003. 

A partir de 2003, cada ano que passou, o Senhor foi aumentando a sua bênção.  De 2003 até dezembro de 2009 eu estive trabalhando na Prefeitura de São Paulo.

Ainda não sei porquê fui quebrado e moído durante 11 anos. Deus nunca me revelou, mas o deserto passou. Passou, porque Ele me conduziu todo dia pelo vale sombrio. 

Glória a Deus por meio quilo de café, e glória a Deus, hoje, pelo 6.º ano como servidor efetivo no Tribunal de Contas. 
O deserto foi muito duro, mas, graças ao Senhor, ele passou para mim, e também vai passar para você.

5 comentários:

Claudia disse...

Ô, meu irmão...
Que maravilha, que renovo n'alma.
Ler isso hoje, para mim, foi como se o próprio Deus estivesse me dizendo "esse deserto vai passar".
Espero firmemente este dia. Agradeço, imensamente, a Deus por suas vidas. Por este instrumento de ensino.
Por este testemunho. Não consigo parar de chorar e agradecer.
Em Deus está a minha esperança.
Obrigada!

Anônimo disse...

Meu irmão, você diz não saber o porquê de o Senhor ter-lhe "quebrado e moído", mas eu digo que através da sua vitória em Cristo em seu deserto posso ter esperança de que o meu deserto também passará. Eu preciso crer nisto. Que Deus continue abençoando ricamente você e sua família. Que Ele sustente e mantenha esse canal de bênçãos que são os textos aqui divulgados por você e pela irmã Rejane.

Wilma Rejane disse...



Irmão Cruzué,

Obrigada por compartilhar conosco seu testemunho de vida. Há profundidade em suas palavras, há unção, significa que também há intimidade e obediência no caminhar com Deus.

Deus seja louvado!

Priscila Grah disse...

Louvado seja Deus!!!

Certamente, irmão João Cruzué, um dos propósitos do teu deserto, é servir de testemunho para tantos hoje, nos encorajando a ter fé e esperança!

Glória a Deus por tua vida e pela vida da irmã Wilma que tanto nos ensinam!

Deus os abençoe e use ricamente para a Sua glória!

Carlos Rodrigues De Sousa disse...

Não sei nem o que dizer a não ser obrigado pela ajuda que Cristo Jesus nosso Senhor te abençoe sempre,paz

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...