O propósito de Deus para nossas vidas



Wilma Rejane

Qual o seu maior sonho? "viver para sempre na companhia das pessoas que amo". Esta seria uma resposta possível para aqueles que encontram sentido e felicidade nos relacionamentos familiares e sociais de modo geral. Nessa ânsia de eternizar relacionamentos, alguns passam a buscar desesperadamente maneiras de reencontrar quem já partiu do mundo dos vivos. O reencontro seria uma forma sublime de consolo. Constatar que o outro está bem, que não esqueceu de você, que não demonstrou mágoa ou falta de perdão e sobretudo que ainda é possível vê-lo; quando quiser. E que estará em sua  vida, como um anjo bom a te guardar e até guiar. 

Acontece, que o milagre da vida, já em seu começo prediz a morte.O choro do parto, por exemplo, é uma forma de celebrar o desapego,  de reclamar a passagem do confortável para o imprevisível. A cada dia o planeta se renova ( e se desgasta) entre certidões de nascimentos e óbitos. Mas Deus não nos fez para o caos, Ele planejou tudo de modo perfeito, no livro do profeta Isaías, está escrito: " Deus formou a terra, não para ser um caos, mas para ser habitada" Isaías 45:18.  O homem não está desamparado, nem só. As respostas para a complexidade da vida (e da morte) nos foram dadas, como um tesouro que precisa ser buscado. 

O que pretendo com esse artigo sobre vida e morte é fazer compreender que cada pessoa é um ser único com atributos peculiares, criado como um milagre para cumprir uma missão e também um propósito de Deus. Tanto a vida quanto a morte fazem parte desse propósito. Agora, a forma como lidamos com essas vertentes define nosso ser, ações e reações na vida. Muitas vezes, a inerente busca por respostas nos faz deparar com caminhos estranhos, alheios ao plano de salvação. Assumir doutrinas erradas nos conduz a depredação espiritual, é como pegar um atalho que irá desviar do Verdadeiro caminho. 

O propósito

Um exemplo Bíblico de pessoa cumpridora do propósito de Deus na terra é João Batista. Imaginemos, João não tinha poderes extraordinários, não ostentava títulos, não se permitia ser rotulado de profeta ( mesmo sendo um). João Batista levou uma vida simples, morava no deserto, comia gafanhoto e mel, provava do amargo e do doce. O amargo dos homens que o perseguiam e menosprezavam e do doce gozo em ser filho de Deus. Um homem tão parecido conosco que enfrentamos nossos desertos e ora provamos de amarguras e risos. João poderia ser considerado um infeliz, aos olhos de muitos, mas dentro dele, existia uma indescritível paz que o mundo não poderia compreender. João tinha a certeza da salvação e quando se vive com essa certeza, a morte não assombra.


 " Houve um homem, enviado de Deus, cujo nome era João" (Jo 1:6)


Imagine ainda  que assim como  Deus enviou João, enviou a mim e a você. Enviou as Marias, Sofias, Josés, Carmens, Saras, Ivones, Paulos e por ai vai. Deus enviou os pequeninos, com restrições físicas e mentais, com carências de visão, de mãos, de corações. Deus enviou os brancos, amarelos, negros, mulatos, índios, Deus enviou o homem a uma missão nessa terra . Os que mais sofrem podem ser vistos como infelizes nesse Reino, mas Deus não julga como julga o homem e se o inexplicável precisa ter sentido, o sentido pode ser o de que Deus é perfeito e justo, sem o aval do homem. Ele É. E no sermão da montanha, Jesus deixou evidente que a noção de bem e mal, feliz e infeliz, vista do ângulo humano, pode estar equivocada:


Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;
Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; 
Mateus 5:3-9



A missão

Quem era João? João era João. Ele mesmo. Filho de Isabel e Ananias. Não era reencarnação de Elias ,Elias não havia morrido, mas foi arrebatado aos céus, levado por Deus em um redemoinho (II Rs 2: 9-20). 

João não poderia ser Elias, mas ele tinha a virtude e o espírito de profecia de Elias: "E ele irá adiante dele no espírito e virtude de Elias" Lc 1:17. Significa que João teria dons iguais aos de Elias e função semelhante. Não se fala aqui de reencarnação, isso é algo que a Bíblia condena. Nós nascemos e morremos uma única vez e depois disso vem o juízo: "Aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo" Hebreus 9:27.

Amados, a vida, segundo o próprio Deus, é eterna e o que fazemos com nossa vida define em que lado da eternidade estaremos após encerrarmos nossa missão terrena. A salvação não está em nascer de novo, como uma outra pessoa, reencarnada. Não vemos exemplo algum na Palavra de Deus sobre reencarnação, o que existem são interpretações erradas gerando heresias e levando pessoas ao inferno. Deus deixou tudo escrito para que o homem examinasse. A Bíblia hoje está traduzida para todos os idiomas também em áudio, braile e não tem desculpas de que não se foi avisado, essa é a verdade. Amado, não seja enganado, busque a verdade, ela está ao alcance de todos, e se a porta da salvação é estreita, significa que poucos são os que se dispõem a fazê-lo. A porta larga é para onde se dirigem as multidões de pessoas sem conhecimento, mas seduzidas por uma mentira que soa agradável aos sentidos. Jesus é a porta, é o caminho estreito, mas nesse caminho estreito, há largueza de paz e alegria, há tranquilidade, em meio as lutas e dores, porque existe a certeza de que a vida eterna chegará enxugando as lágrimas:

"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e avida, ninguém vem ao Pai , a não ser por mim" João 14:6

Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram. Mateus 7:14

E você diz: Se a porta é estreita, porque tantos cristãos no mundo? A Bíblia diz que O Reino dos céus é como uma grande rede, repleta de peixes, e que ainda haverá de passar por triagem, alguns serão lançados fora, por não conhecerem a Jesus Cristo:

"Igualmente o reino dos céus é semelhante a uma rede lançada ao mar, e que apanha toda a qualidade de peixes E, estando cheia, a puxam para a praia; e, assentando-se, apanham para os cestos os bons; os ruins, porém, lançam fora. Assim será na consumação dos séculos: virão os anjos, e separarão os maus de entre os justos,E lançá-los ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes." Mateus 13:47-50

Se sofremos decepções com a igreja, com irmãos "cristãos", prossigamos conhecendo a Cristo Jesus, não desistamos desse caminho porque Ele será a nossa porta de acesso ao céu. Sabemos que os mistérios existem. Uma mãe, que tem quatro filhos deficientes, outro que ficou órfão, olhemos para o sermão da montanha, para Jesus, Ele é o que dá força ao cansado. As respostas estão na vida, estão na Palavra de Deus e a igreja, por vezes é omissa, sabemos disso, mas Deus jamais abandona quem quer que seja e não leva em conta os tempos de ignorância de quando a alma buscava por respostas em falsas portas.

João era João Batista e ninguém mais. Nós somos o que nos tornamos pela educação que nos foi dada, pelo contexto em que vivemos e pelo que cremos.


João morreu.

"Assim como a nuvem se desfaz e passa, assim aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir.  Nunca mais tornará à sua casa, nem o seu lugar jamais o conhecerá." Jó 7:9-10

João morreu decapitado por Herodes (Marcos 6: 19-29) com pouco mais de trinta anos. Jesus se entristeceu por sua morte, por alguns dias ficou recluso, saudoso, mas levantou-se para continuar a apregoar a salvação (não a reencarnação). Muitas vezes ao ler a passagem sobre a morte de João Batista surgem as interrogações: "por que Jesus não impediu a morte de João?", poderia ter sido evitado? Por que, por que? ". A resposta é simples, porém dolorosa, do ponto de vista existencial: a morte chegou para João e Jesus não impediu que chegasse porque João havia cumprido sua missão, havia seguido o propósito de Deus para ele, da melhor forma. João não havia caminhado por atalhos, antes seguiu o caminho da renúncia e da Salvação ofertados pela graça de Deus. João era um homem feliz e na morte, estaria seguro.

Nascer de novo

O novo nascimento como requisito para salvação, não é reencarnação, não é nascer no espirito de uma outra pessoa, mas deixar o Espírito de Deus habitar em seu espírito. E quando nos tornamos templo do Espírito Santo de Deus, tudo em nós e em nossas vidas também é transformado. 

"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;  Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus." João 1:12-13.

João era um homem com uma missão e sua missão havia acabado.  Qual é a nossa missão? O espírito de Deus está habitando em nós para certeza da vida eterna? João ficou conhecido como o maior, porque se fez menor para que Deus, através de sua vida, fosse exaltado

O fim não não foi o fim

Um homem que temia e obedecia a Deus e não se conformava com os padrões do mundo. Era humilde e não bajulador. É interessante que Deus tenha escolhido um homem que morava no deserto para ser proclamador de um novo Reino. O homem do deserto, encontrou a morte no palácio do rei Herodes. Isso pode nos dizer algo: Nos "pointes" das grandes e pequenas cidades, a morte espreita por suas vitimas. Nas portas largas, onde sedução, vícios, lascívia e orgulho competem, a vida se perde.João é um modelo que carecemos seguir. 

"Eu lhes digo que entre os que nasceram de mulher não há ninguém maior do que João; todavia, o menor no Reino de Deus é maior do que ele". Lucas 7:28

E nenhum homem é grande em si mesmo, somente aqueles que se fazem servos do reino de Deus, porque o padrão do mundo é contrário ao padrão celeste. Maiores não são os que se dão a honras, mas aqueles que as renunciam. Deus porém, exalta os que se humilham. Após a morte, segue-se o juízo. Não há mais o que se fazer pelos mortos. Eles não podem voltar, a única sessão espírita que acontece na Bíblia (Aqui) foi condenada por Deus que advertiu seriamente seu povo a não praticar tais coisas. 

Não nos enganemos, pois a vida com Jesus, é sim uma vida de lutas e decepções, mas também de vitórias, pela graça que nos é dada de conhecer os mistérios revelados por Verbo, feito carne. Uma vida por mais longa ou curta que seja não pode ser comparada a eternidade com Deus.

"E este é o testemunho: Deus nos deu a vida eterna, e essa vida está em seu Filho. Quem tem o Filho, tem a vida; quem não tem o Filho de Deus, não tem a vida. Escrevi estas coisas a vocês que creem no nome do Filho de Deus, para que saibam que têm a vida eterna." 1 João 5:11-13

Deus o abençoe

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...