Ezequiel, o profeta solitário e suas visões de Deus



Parte II

Whitney Woollard
Traduzido e adaptado
Por; Wilma Rejane

Os  capítulos 1 a 3 do livro de Ezequiel são fundamentais para entender sua mensagem.Todos os enredos e tensões são introduzidos nesses capítulos e depois resolvidos nos capítulos restantes. Então, se você quer entender o homem e sua mensagem,  tem que compreender o que se passa com o profeta no inicio do livro.

O Sacerdote  que virou Profeta

Nós descobrimos no capítulo 1 que é  aniversário de 30 anos de Ezequiel. Mas não há festa. Qualquer causa para a celebração fora arrancada deste jovem sacerdote quando ele foi levado ao exílio durante o primeiro ataque babilônico. Cinco anos no exílio, encontramos-o sentado à margem de um canal de irrigação perto do campo de refugiados israelita, fora da Babilônia. É aqui no seu 30º aniversário, o ano em que ele teria sido convocado como sacerdote, que ele recebe sua comissão profética de Deus. Não é o tipo de chamado missionário romantizado que tendemos a imaginar. Não apenas ele não conseguirá cumprir seus deveres sacerdotais no templo (algo pelo qual teria esperado toda a sua vida), como terá que agir sendo porta-voz de Deus, advertindo Israel de seu destino iminente. Ele deve pregar o julgamento contra os exilados israelitas, prevendo a queda de Jerusalém e seu amado templo.

Isso era uma notícia devastadora para o  jovem profeta. O templo era o centro da vida religiosa de Israel e o lugar da presença divina. Como eles poderiam continuar como o povo de Deus se o templo fosse destruído ?! Para adicionar insulto à injúria, Deus diz a ele que as pessoas não escutariam sua mensagem porque seus corações estariam duros (eles são “duros de rosto”). Ele teria que pregar o julgamento contra seu próprio povo todos os dias, sabendo que ele não veria nenhum convertido - que deprimente. Somente uma visão tão gloriosa quanto a do próprio Deus sustentaria um sacerdote que se tornou profeta através de um chamado tão agonizante. E é exatamente isso que ele recebe.

Um vento tempestuoso se aproximando do norte

Quando Ezequiel se senta ao lado do canal Quebar, os céus se abrem e Ezequiel vê algo como uma violenta nuvem de tempestade se aproximando do norte, o lugar da presença divina e a cidade do grande rei (veja Salmos 48: 2). "Vento tempestuoso" em hebraico é ruakh se'arah, que significa "espírito". Isso lembra a atividade de Deus no relato da criação de Gênesis 1 onde a ruakh de Deus estava pairando sobre as águas. Imediatamente, Ezequiel percebe que isso não é uma nuvem comum. Na verdade, é uma tempestade tão extraordinária que ele procura  palavras para descrevê-la. Ele usa repetidamente "like", "semelhança" ou "como se fosse" para capturar o que está acontecendo.

Ele diz que é como “metal reluzente” (hebraico khashmai), um termo usado apenas por Ezequiel . A visão é tão terrivelmente gloriosa que ele usa palavras únicas para isso. Ele vê quatro criaturas estranhas com asas estendidas tocando um ao outro. As asas faziam um ruído tão alto quando se moviam que era como o som de águas impetuosas ou o rugido de um exército que se aproximava. Essas criaturas tinham uma semelhança humanitária, mas cada uma tinha quatro faces: o rosto de um humano, um leão, um boi e uma águia. Embora a imagem seja bastante bizarra para os leitores modernos, era comum na cultura oriental antiga combinar vários seres para formar divindades complexas. Assim, em parte, Ezequiel reconhece que algo sobrenatural está se aproximando.



Então ele vê quatro rodas para cada uma das criaturas vivas e quando elas se movem, elas podem ir em qualquer uma das suas quatro direções. De alguma forma, os quatro seres poderiam fazer o impossível - seguir em frente em qualquer direção sem nunca se virar. O ponto é que eles podem andar de um lado para outro em qualquer parte da terra; eles são totalmente móveis, o que significa que o que eles carregam também é móvel. Esse é o verdadeiro choque quando Ezequiel finalmente divide o que ele está vendo.

Sobre as cabeças das criaturas vivas é a semelhança de uma “extensão”. O termo hebraico é raqi'a, o mesmo termo que Moisés usou para descrever a expansão no relato da criação que separava o céu e a terra, aludindo a uma espécie de “céu”. e terra "  ocorrendo ali dentro da nuvem! E acima da extensão havia uma plataforma deslumbrante. Naquela plataforma estava um trono e, sentado naquele trono, havia uma criatura semelhante a humanos, resplandecente e envolta em fogo. Ezequiel descreve isso como a semelhança de um trono com aparência de safira. Outra alusão direta da Torá em Êxodo 24 quando Moisés e os anciãos sobem ao monte e contemplam a Deus em sua glória. 

Ezequiel está acumulando alusões do Antigo Testamento para dizer o que é que ele vê - a aparência da semelhança da glória do Senhor. Ele está vendo o kavod do Senhor! O termo hebraico kavod significa “pesado”. Pode ser usado metaforicamente como “isso é tão pesado”, significando peso ou relevância. Também pode ser usado para descrever a manifestação física do significado de alguém. A presença de alguém pode ser tão importante, tão radiante, tão significativa que a descreveríamos como seu kavod. É assim que é usado nas Escrituras Hebraicas. Foi o kavod de Deus que repousou sobre a arca da aliança e encheu o Santo dos Santos. Foi o kavod de Deus que apareceu no Sinai. E agora, em Ezequiel o seu kavod está indo para a Babilônia neste trono real, com rodas. O próprio Deus, em toda a sua glória radiante, acaba de chegar à Babilônia no “Deus Móvel”!

Ezequiel nunca mais será o mesmo! Christopher Wright perspicazmente escreve: “Nada será mais significativo para Ezequiel do que este encontro com o Deus vivo; toda a sua vida e mensagem serão mais intransigentemente centradas em Deus do que as de qualquer outro profeta ". Desta visão gloriosa, Ezequiel recebe seu chamado e comissão nos capítulos 2-3.para proclamar o julgamento sobre um povo rebelde para restaurar o kavod de Deus entre as nações. "

E vos darei um novo coração e derramarei um espírito novo dentro de cada um de vós; arrancarei de vós o coração de pedra e vos abençoarei com um coração de carne.Ezequiel 36:26

Qual é o Deus Móvel na Babilônia ?!

Babilônia era o inimigo de Israel. Era uma terra de pagãos, uma terra de impureza. Não é onde a presença divina habita. Todos sabem que o templo é a residência permanente do kavod de Deus, o lugar onde o céu encontra a terra no Santo dos Santos. E aquele templo estava no coração de Jerusalém, não da Babilônia. Mas cerca de quatorze meses após a penosa tarefa de Ezequiel como profeta, ele recebe outra visão que explicará todo o aspecto móvel de Deus na Babilônia.

No capítulo 8 Ezequiel é "transportado" para Jerusalém para fazer um tour virtual pelo templo. É uma experiência visionária como nenhuma outra. Ele vê os tipos de coisas acontecendo na morada de Deus em sua ausência. No pátio externo, há uma grande estátua de ídolos, e ele vê os anciãos de Israel adorando outros deuses tanto fora como dentro do templo. Ele vê todos os tipos de imagens ídolos gravadas nas paredes e testemunha as mulheres de Israel adorando um deus babilônico chamado Tamuz. Havia até mesmo homens no pátio interno de costas para o templo e seus rostos voltados para o leste adorando o sol. Idolatria e orações oferecidas a deidades animais, adoração ao sol e práticas cultuais estavam acontecendo no templo! Isso é como um marido fazendo sexo com várias pessoas na mesma cama que deveria ser reservada para a sagrada intimidade entre ele e sua esposa.

O comportamento lascivo e a idolatria flagrante tinham corrompido de tal maneira o espaço sagrado de Deus que ele não podia mais ficar por perto para tolerá-lo. Seu próprio povo estava empurrando-o para fora. 

Ezequiel 9: 3 vemos que “a glória do Deus de Israel subiu do querubim em que repousava para o limiar da casa”. O kavod de Deus está suspenso no ar em direção ao leste, enquanto executa o julgamento e se prepara para sua saída. Christopher Wright observa: “Ele estava saindo, mas não porque queria; antes, porque o seu próprio povo da aliança estava fazendo coisas que o afastarão do seu santuário ”. Em Ezequiel 11: 22-25, o kavod do Senhor se afasta "E a glória do Senhor subiu do meio da cidade e parou na montanha que fica no lado leste da cidade." A visão termina com um templo "vazio".

Mas observe como o Deus-móvel dirige-se para o leste, em direção a Babilônia! É aqui que percebemos porque o Deus móvel apareceu a Ezequiel no capítulo 1.A idolatria de Israel e a violação do pacto tornaram-se tão gritantes e ofensivas que Deus deixou seu templo. No entanto, ele não abandonou seu povo.  Ezequiel 11:16,é uma explicação de seus propósitos: ele enviou seu povo para o exílio, mas iria com eles e seria um santuário por algum tempo. Em outras palavras, a presença divina é um templo portátil que se exilou com seu povo. Ele não esqueceu e não esquecerá sua promessa de ser seu Deus. Ele viverá entre eles em Babilônia, preparando um remanescente para ser restaurado por meio de um novo pacto.

Ezequiel 11: 17-20, antecipa o tema da restauração e renovação através do Espírito, que é o foco da segunda metade de Ezequiel . É uma bela passagem pela qual vale a pena meditar, porque ela irá sustentá-lo através de muitas passagens de julgamento até a grande mudança no capítulo 34.

Por isso diz: Assim diz o Senhor Deus: Eu os congregarei dentre os povos, e os congregarei das terras em que foste espalhado, e eu te darei a terra de Israel. E quando eles chegarem lá, eles removerão todas as suas coisas detestáveis ​​e todas as suas abominações. E lhes darei um coração e um novo espírito que porei dentro deles. Eu removerei o coração de pedra da carne deles / delas e lhes dê um coração de carne, que eles podem caminhar em meus estatutos e guardam minhas regras e os obedecem. E eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. - Ezequiel 11: 17-20

Que esperança para os rompedores do pacto como Israel ... e como nós. Volte a este texto quantas vezes precisar durante a sua leitura na primeira metade de Ezequiel . São boas notícias em meio a muitas más notícias. 


*Whitney Woollard é escritora, palestrante e professora da Bíblia em Portland, OR. Ela possui mestrado em estudos bíblicos e teológicos do Seminário Ocidental e adora compartilhar sua paixão pela Bíblia com os outros. Você pode conferir seu trabalho em seu site, whitneywoollard.com

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...