segunda-feira, 21 de abril de 2014

Uma conversa sobre sexo e adolescentes




De Tim Stafford
Tradução: João Cruzué

É difícil esperar. Naturalmente, muitas pessoas não querem nem tentar. Mas mesmo para aquelas que querem abster-se do sexo até o casamento, é duro. Por que o sexo é tão atrativo? Por que pensamos tanto a respeito dele? Por que é tão difícil evitá-lo?

Ligado desde o nascimento.

Imagine uma casa em construção. Enquanto as paredes ainda estão no esqueleto, com a brisa soprando um cheiro fresco do madeiramento, os eletrecistas chegam para instalar uma rede de fios. Mais tarde, quando as paredes já estão sólidas, rebocadas com massa fina e totalmente pintadas, os fios elétricos ficam bem escondidos.

Um dia, quando a casa estiver pronta para morar, a companhia de eletricidade vem e executa a ligação com a rede da rua. Você não percebe nenhuma mudança. Os fios continuam escondidos. Mas, de repente você pode fazer coisas que não poderia fazer antes. Você pode ligar e ouvir seu som no último volume, cuidar do trabalho doméstico depois que escurece, assistir seu programa de TV favorito.

Sua sexualidade é algo parecido. Biologicamente, seu potencial foi ligado desde o nascimento. Você tem os órgãos apropriados. Tem um mix de hormônios masculinos e femininos. E disse Deus que isso é bom.

Na puberdade, os fios são ligados na corrente elétrica. Subitamente a sexualidade torna-se potencialmente ativa. Machos e fêmeas são partículas que se atraem mutuamente. Isto também é bom. Foi Deus quem fez você assim, e é assim que você é.

Quando a força é ligada, você começa a sentir que a beleza do sexo oposto é algo mais do que para ser apenas admirada. Se você é um garoto, vai querer uma garota só para você. Se você é uma garota, você também vai querer um "gato". Isto é um impulso forte, emocionante e até mesmo um pouco assustador.

Biologicamente você quer tocar, segurar as mãos, beijar, e por fim fazer amor. Psicologicamente você também quer tocar: para explorar uma personalidade totalmente diferente da sua, para amar e ser amado, para expor seus pensamentos e seus medos, para revelar sua intimidade e não se envergonhar.

sábado, 19 de abril de 2014

O Maná escondido e a pedra branca

Ele te sustentou no deserto - Dt 8:3



Wilma Rejane

"Aquele que tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer, darei a comer do maná escondido. Além disso, vou dar-lhe uma pedra branca com um novo nome escrito, conhecido apenas por aquele que o recebe."  Apocalipse 2:17 -


O que é isto? Exclamaram os Israelitas no deserto quando viram  pães caindo do céu, como chuva. Quando o orvalho evaporava, após cada madrugada, lá estavam os manás cobrindo o solo. Miúdos como sementes de coentro,  semelhantes ao bdélio um tipo de goma-resina que imita a planta mirra e  lembra pequenas pérolas,o sabor era de bolo de mel ou azeite. 

Por quarenta anos, enquanto peregrinou no deserto, a nação de Israel foi suprida de forma milagrosa pelo maná enviado do céu. E Jesus revela a João (Apocalipse 2:17) que este maná está escondido, porém disponível aos que confessam Seu senhorio. Estes poderão comer do maná e ainda receber uma pedra branca. Convêm assim, conhecermos não apenas a forma literal do Maná (que significa "o que é isto?" em hebraico), mas também explorarmos a revelação Divina que Deus transmitiu para as antigas e novas gerações. 


O Maná na arca

No livro de êxodo, Deus orienta Moisés a guardar o Maná na arca da Aliança: 

"Esta é a palavra que o Senhor tem mandado: Encherás um ômer dele e guardá-lo-ás para as vossas gerações, para que vejam o pão que vos tenho dado a comer neste deserto, quando eu vos tirei da terra do Egito. Disse também Moisés a Arão: Toma um vaso, e põe nele um ômer cheio de maná, e coloca-o diante do Senhor, para guardá-lo para as vossas gerações." Êxodo 16:32-33.

Na época do profeta Jeremias, quando Israel sofreu o cativeiro Babilônico,em aproximadamente 580 a. C, a arca da Aliança foi retirada da terra, e não mais pôde ser vista por ninguém. 

"Quando vocês aumentarem e se multiplicarem na sua terra naqueles dias, declara o Senhor, não dirão mais: 'A arca da aliança do Senhor'. Não pensarão mais nisso nem se lembrarão dela; não sentirão sua falta nem se fará outra arca." Jeremias 3:16

O escritor de Hebreus relata com precisão a presença do maná na arca da aliança:

"Mas depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o santo dos santos,Que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança."Hebreus 9:3-4

E por fim, João, como prisioneiro na ilha de Patmos, recebe de Deus a revelação sobre o verdadeiro destino da Arca da aliança:

quarta-feira, 16 de abril de 2014

A Erosão da alma



Maurício Zagari

Um câncer começa com uma única célula defeituosa. Um vírus microscópico é capaz de tirar uma vida. Cupins menores do que uma unha conseguem destruir toda uma casa. Uma pitada de veneno mata. Um punhado de grãos de cocaína são suficientes para causar uma overdose letal. Bactérias ínfimas provocam estragos monstruosos. Tudo isso são exemplos de que não é preciso algo ser grande para gerar enormes danos. Em nossa vida espiritual não é diferente: muitas vezes são os “pequenos pecados” que acabam nos conduzindo a grandes quedas – isto é, justamente os pecados que não consideramos muito problemáticos é que poderão acabar nos afastando de Deus.

Uma onda do mar não destrói uma rocha. Na verdade, parece ter pouco efeito sobre ela. Mas ponha uma onda, após outra, após outra. Adicione tempo. Em alguns séculos você terá um buraco naquele pedaço de granito sólido e aparentemente impenetrável. É o processo chamado erosão. Nossa alma também pode ser vítima da erosão do pecado.

A Bíblia nos alerta para sempre vigiarmos, em oração. E de fato fazemos isso. Tomamos precauções contra muitos pecados e até que nós saímos bem. Evitamos andar nos becos escuros das grandes tentações, pois sabemos que ali há transgressões aguardando por nós atrás de cada poste. Mas nos expomos em plena luz do dia aos “pequenos pecados”.


segunda-feira, 14 de abril de 2014

O farol e a vida




E mais um devocional sobre farol


Os faróis foram criados com a finalidade de orientar os navegantes sobre direção, caminho seguro. São norteadores de que os marujos estão a se aproximar da terra firme, do destino almejado. Antigamente os faróis eram abastecidos com azeites de oliveira ou de baleia, assim podiam ficar acessos durante a noite. Atualmente, possuem eletricidade própria e avançados sistemas de sonorização que avisam sobre perigos de nevoeiro.

Com o intuito de enganar embarcações e atraí-las para zonas de perigo, surgem os afundadores. O que representam? São criadores de falsos faróis que conduzem as embarcações para o fundo do mar e as saqueiam, abandonando-as em destroços.


Faróis sempre me encantaram: A singularidade, a maneira solitária em que se destacam em meio às muitas águas, a utilidade e beleza das luzes que refletem nas águas, como se estrelas passeassem nas ondas. Faróis alegram embarcações, viajantes atribulados, navegantes cansados. Faróis de verdade, são como luz nas trevas, emanam esperança, certeza de novos horizontes, terra firme...   Seguir leitura

sábado, 12 de abril de 2014

Detalhes sobre a criação do homem: da queda a redenção



Wilma Rejane


Não sei precisar quantas foram as vezes que já li o relato da criação do universo, e a cada nova leitura, sou renovada na fé e na certeza de que vivemos sob o olhar sábio e misericordioso de um Deus que planejou o homem para lhe conceder louvores e glórias. Onde quer que estejamos somos observados e não há dia ou noite, altura ou profundidade que escape a ação Divina:

“No principio criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia, e havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” Gênesis 1:1-2.

Criou = bara (Strong 01254) = Formar, modelar, esculpir, recortar.

Deus modelou a criação e Sua obra somente estará definitivamente concluída com a segunda vinda de Jesus Cristo sobre as nuvens, como Rei para encerrar as gerações de homens. O tempo da criação está descrito como sendo Sete dias, mas o tempo da restauração está em segredo com o Criador: “Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai.” Marcos 13:32.

A humanidade teve inicio com o primeiro Adão e se encerrará com o segundo e último Adão que é Cristo: “ Pois, da mesma forma que em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados.” I Cor. 15: 22 e outra vez se escreve: "O primeiro homem, Adão, tornou-se um ser vivente; o último Adão, espírito vivificante.” I corintios 15:45. Uma representou a queda da humanidade e o outro a Redenção.

E se Deus tem a conta do primeiro e do último, não teria por conta a mim e a você? Aquele vazio que existia no principio foi preenchido também por nós , cada pequeno espaço onde pisa nossos pés está sobre os cuidados de quem o criou. Detalhe: E Ele criou com a ordem de que teríamos condições de dominar, baseados inclusive na liberdade de pensamentos e escolhas.

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai.” Gênesis 1:26-28

Ao criar a natureza: animais, plantas, sol, lua, estrelas, vales,montanhas, oceanos, se lê: “E viu Deus que tudo era bom” Gênesis 1:25. Mas ao concluir a criação do homem e da mulher, se lê: “ Deus os abençoou”. Somos abençoados desde o principio, pelos lábios do próprio Criador. Nem mesmo a queda de Adão, o pecado alastrado para a especie humana, pôde cancelar ou anular essa benção.

O que se tornou maldita foi a terra: “ maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. ” Gênesis 3:17

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Será que Deus quer que eu ore por Tsuli?!



Wallace Sousa


Outro dia, não tão distante, já neste século XXI, estava eu, calmamente deitado em uma rede, confortavelmente armada debaixo de uns pés de árvore (nordestino chama árvore de “pé de árvore“, quando é genérico, mas tem também pé de goiaba, pé de manga, pé de jabuticaba, etc), desfrutando de uma agradável sombra em meio ao tempo cálido da manhã. Era no sítio dos meus sogros, no interior do Mato Grosso.

Estava lendo algo, acho que era um livro, só não me recordo se era de concursos, acho que sim. Então minha mente foi invadida pelo nome de uma pessoa que trabalhava no Ministério Portas Abertas, no Brasil, de quem sempre me chegavam mensagens sobre os cristãos perseguidos ao redor do mundo. Seu nome: Tsuli.

De início, tentei espantar aquele pensamento, tal como se tenta espantar uma abelha que fica zunindo perto de você, querendo pousar em sua roupa ou seu cabelo. Depois de várias tentativas fracassadas, como o pensamento continuava me rondando insistentemente, parei de ler o livro e pensei: “será que Deus quer que eu ore pelo Tsuli“? Queria.

Comecei a orar ao Senhor, e me vieram à mente cada coisa absurda, tais como pedir proteção de acidente de carro e bala perdida. Como já estava no embalo da oração, não parei para pensar se era absurdo ou não, só orei e confiei, encerrando a oração crendo que, apesar de ser algo, do ponto de vista humano, ridículo, a loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana.

Bom, daí eu resolvi fazer, dias depois, algo mais louco ainda: tentar enviar uma mensagem para o tal Tsuli que eu havia orado por ele, dias antes. E você acredita que ele me respondeu? Surpreso? E eu também não fiquei? Confira as surpresas, a começar que Tsuli não era ele, mas ela!

Ainda que o ipê não floresça...


Wilma Rejane


Moro em uma das cidades mais quentes do Brasil (Teresina) e todos os anos presencio a vegetação de meu jardim - e de outras áreas - definhar com as altas temperaturas e revigorar com a chegada da chuva. Ao olhar para essa mudança de tempo instituída por Deus, aprendo que na vida, também vivemos esses cursos: árvores ressequidas e despidas pela queda de folhas, em apenas alguns dias de inverno ressurgindo  com a beleza de quem sorri pela felicidade de amar.

Profeta Isaías descreve esse renovar humano também comparando-o com árvores: " A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do Senhor, para que ele seja glorificado." Isaías 61:3 


É graças ao amor que contemplamos o entrelaçar de céu e terra,  um  largo riso visível  em encontro com invisível universo da fé. Assim é o esplendor da natureza, ou melhor: do Senhor da natureza!  Parece sonho!  Lá estava um esqueleto de Ipê. Tristonho e sem vida, mas quando chega a sua estação, quantas flores!! Quem passa ao longe, vê a graça da cor.

"Enquanto a terra durar; sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite não cessarão” Gn 8:22.

Não há tristeza que dure para sempre, nem alegrias que não se renovem.  Espalhamos sementes que brotarão a seu tempo, tal qual o florir do Ipê. Esse dom  que se assemelha ao movimento dos astros; influenciando noites e dias, secas e enchentes - e outras vertentes – carregando consigo a esperança: De que sempre haverá um futuro onde possamos nos resguardar das tempestades e comemorar a superação das adversidades. Misericórdia sem fim brota no universo para você e para mim! É Deus no controle dos dias, derramando Sua graça, conservando o belo, enquanto a maldade persiste no caos.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

O que vou fazer amanhã?

João Cruzué

Esta mensagem foi escrita para você que está passando por grandes dificuldades e diante de tantas incertezas e más notícias parou e se perguntou: E agora, o que é que eu vou fazer amanhã?

Bom, eu também já me fiz várias vezes esta pergunta durante certo tempo de minha vida. Um tempo ruim que sempre acontece na vida de todas as pessoas - inclusive cristãs.

Se amanhã quando você se levantar, sentir-se a pior das pessoas e chegar ao ponto de desejar a morte, saiba que existe um propósito para suas aflições. Se você ainda não é um cristão, dobre seu joelho lá no seu quarto e peça ajuda  para Jesus. Converse sobre seus problemas como se estivesse diante do maior amigo que nunca teve. Ele vai lhe ajudar.

Se você já é um cristão e Jesus tem sido o Senhor da sua vida - creia. Creia que o que o Senhor está preparando você para receber grandes bênçãos que ainda não sabe. Quando se levantar pela manhã, triste e desesperançado, lembre-se desta palavra: E uma coisa faço, e é que me esquecendo das coisas que para trás ficam, e olhando para as que estão adiante de mim, prossigo para o alvo, pela soberana vocação de Deus - em Cristo Jesus.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Devocional sobre perdão: aliviando a carga.

O meu humor havia se tornado em sequidão de estio...Salmo 32


Wilma Rejane



Deus incluiu o perdão no plano de salvação, ele está no centro da vida cristã e homem algum poderia desfrutar da vida eterna, de uma esperança renovada, sem o perdão. Salach, é a palavra hebraica mais comumente usada para definir o perdão na Bíblia ( Strong 05545) a tradução significa: " aliviar alguém de uma carga". Salach sempre se refere ao perdão de Deus para com os homens: "É Ele quem perdoa todas as tuas iniquidades e sara todas as suas enfermidades" Sl 103:2. Jesus também usou Salach para dizer ao paralítico: "Homem, os teus pecados estão perdoados!" Lc 5:20.


Perdoar, portanto, é remover uma carga. Nenhum de nós gostaria de caminhar com uma pesada carga sobre os ombros, não fomos feitos para tal negócio e Jesus vem e faz uma proposta para que lancemos sobre Ele as cargas que nos impedem de caminhar. Contudo, para não ficarmos vazios, correndo riscos de acumular outras cargas, Ele sugere que usemos o Seu jugo:"Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque meu jugo é suave e meu fardo é leve.” Mateus 11:28-29.


Para compreendermos mais profundamente o sentido das palavras de Jesus, retornemos ao significado de jugo. Era uma peça de madeira usada para emparelhar dois ou mais animais da mesma espécie em trabalho no campo. Era proibido usar jugo desigual, ou seja, colocar sobre o mesmo jugo, animais de especie diferentes. Jesus usa a palavra “chestos” (strong 5543) para descrever Seu jugo, quer dizer: adequado, confortável, agradável: “E acontecerá, naquele dia, que a sua carga será tirada do teu ombro, e o seu jugo, do teu pescoço; e o jugo será despedaçado por causa da unção”.(Isaías 10.27)


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...