Integridade segundo a Bíblia



Wilma Rejane

Integridade é uma palavra usada com frequência como adjetivo para pessoas consideradas merecedoras de tal virtude. Alguém honesto, verdadeiro, digno, confiável. Importante é ressaltar que existe um padrão Bíblico sobre integridade, um padrão que se diferencia do conceito comumente aceito. Para compreendermos melhor o sentido da palavra utilizo o  exemplo que  encontra-se no livro de Jó:

"Havia um homem na terra de UZ, cujo nome era Jó; e este homem era sincero (íntegro), reto e temente a Deus; e desviava-se do mal" Jó 1:1

Sincero = eilikrines; Strong 1506. Literalmente, testado pela luz do sol. A ideia é a de julgar algo através da luz do sol para expor quaisquer imperfeições. A palavra descrevia metais que misturavam substâncias e líquidos desconhecidos. No Novo Testamento é usado em sentido ético e moral; isento de falsidades, íntegro, puro  e sem motivos escondidos. Integridade, portanto, passa pela via da moralidade, da inteireza de caráter, da perfeição das ações. Denota alguém que não é oscilante, dúbio, inconstante, mas inteiro em seu agir. E essa inteireza implica em "ser um com Deus". 

Oposto de íntegro

Na epístola de Tiago vamos encontrar a descrição de um caráter oposto ao íntegro. 

Tiago 1:8: "O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos"

 A palavra grega traduzida para inconstante é: dipsuchos = dupla alma". Dipsuchos significa alma instável, que balança entre uma e outra coisa. O inconstante age como se sua moral fosse repartida entre dois territórios: certo e errado, bem e mau. Parece improvável que alguém possua dupla alma, mas a alma em Tiago tem a ver com mente, caráter, sentido. Um exemplo Bíblico desse coração dobre pode ser encontrado no adultério de Davi com Betseba.  Davi possuía um coração segundo o coração de Deus (Atos 13;22), mas em determinada altura da vida, Davi agiu com coração dobre, oscilou de tal modo que ordenou a morte de um homem justo por desejar sobremodo sua esposa. A integridade se foi, a inteireza de coração, a verdade, já não era um com Deus. A Bíblia nos revela que o arrependimento traz de volta a integridade. Davi se arrependeu profundamente e uniu seu coração ao de Deus novamente.  Fica a lição para todos nós de que a integridade precisa ser mantida pela constante comunhão com Deus. È por isso que o significado Bíblico para integridade não existe fora desse contexto de “ser um com Deus”. 

Abraão e a Parábola da Videira





Wilma Rejane

Quando Abraão tinha noventa e nove anos, o Senhor Deus apareceu para ele e disse: Eu sou o Deus todo poderoso. Viva uma vida de comunhão comigo e seja obediente a mim em tudo” Gênesis 17:1.

Comunhão. Qual seria o significado dessa palavra? 

No idioma grego comunhão é Koinonia (uma referência muito presente no Evangelho) e se traduz em: compartilhamento, uniformidade, associação, parceria, sociedade, companheirismo, intimidade, união (Strong 2842)

Abraão viveu em comunhão com Deus ou seja: “  Ele se aproximou, fez uma parceria, se tornou íntimo, companheiro, unido, próximo de Deus”, por isso, vamos ler lá na epístola de Tiago: “...E Abraão foi chamado amigo de Deus” (Tg 2:23)

Podemos olhar para Abraão e pensar que Deus o escolheu para ser seu amigo e por esta razão não houve nenhuma dificuldade para tal. Não é verdade. A condição humana de Abraão era de fraqueza, fragilidade. Um homem comum com lacunas sentimentais, um anseio latente por ser pai e limitado quanto a capacidade de realizar esse anseio. E não apenas isso, Abraão falha em alguns momentos de sua caminhada com Deus. O diferencial existente no homem Abraão era: ele tinha fé. Vivia por meio da fé, a comunhão com Deus era sua força, pois por meio dela era transformado.

Assim, aprendo que comunhão não é capacidade, habilidade, mérito. É um relacionamento que se torna possível quando o homem reconhece a impossibilidade de viver sem Deus. Essa questão de comunhão pode não parecer tão simples quando está aliada a outras questões como: mérito e predestinação:

Um novo olhar sobre a parábola do joio e do trigo




Wilma Rejane

Anos atrás escrevi um estudo sobre Joio e trigo , torno a fazer para acrescentar algumas coisas que as releituras desvelaram. Essa parábola está na sequência da Parábola do Semeador e antecedendo a do grão de mostarda. Assim, no Evangelho de Mateus, essas três parábolas podem ser lidas conjuntamente e acredito que não estão ordenadas de forma aleatória, mas proposital.

Na parábola do semeador Jesus é o que lança as sementes, estas germinarão e darão frutos de acordo com o tipo de solo: “ E quanto à semente que caiu em boa terra, esse é o caso daquele que ouve a palavra e a entende, e dá uma colheita de cem, sessenta e trinta por um". Mateus 13:23.

Já na parábola do Joio e do trigo, a ênfase está no fruto. Este sim é que define a qualidade da planta, da colheita e até do semeador:

Jesus lhes contou outra parábola, dizendo:

"O Reino dos céus é como um homem que semeou boa semente em seu campo.  Mas enquanto todos dormiam, veio o seu inimigo e semeou o joio no meio do trigo e se foi.   Quando o trigo brotou e formou espigas, o joio também apareceu.  Os servos do dono do campo dirigiram-se a ele e disseram: O senhor não semeou boa semente em seu campo? Então, de onde veio o joio? Um inimigo fez isso, respondeu ele. Os servos lhe perguntaram: O senhor quer que o tiremos?Ele respondeu: 'Não, porque, ao tirar o joio, vocês poderiam arrancar com ele o trigo.  Deixem que cresçam juntos até a colheita. Então direi aos encarregados da colheita: Juntem primeiro o joio e amarrem-no em feixes para ser queimado; depois juntem o trigo e guardem-no no meu celeiro'". Mateus 13:24-30.

A explicação da parábola, dada por Jesus:


O que semeia a boa semente é o Filho do homem;  o campo é o mundo; a boa semente são os filhos do reino; o o joio são os filhos do maligno;  o inimigo que o semeou é o Diabo; a ceifa é o fim do mundo, e os celeiros são os anjos.  Pois assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será no fim do mundo.  Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles ajuntarão do seu reino todos os que servem de tropeço, e os que praticam a iniquidade,  e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá choro e ranger de dentes.  Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça. Mateus 13: 37-43.

No campo e no mundo

Na lei romana existia a proibição de que inimigos de fazendeiros - como forma de boicote ou até mesmo vingança - semeassem joio (cizânia) nos campos de trigo. (Trench pag 72,73). A motivação para ação era ódio e inveja. E tal qual o caráter corrompido desse semeador de joio, era o fruto dessa planta, também chamada de cizânia e que se espalha com muita facilidade, em qualquer tipo de solo.

Joio e trigo crescendo no mesmo campo, têm suas raízes entrelaçadas. É praticamente impossível fazer uma colheita do joio no campo do trigo, sem haver prejuízos para safra e agricultor. Arrancou o joio, o trigo vem junto! Por isso, o mais prudente é deixar os dois crescerem juntos e quando os grãos despontarem, ai sim, faz-se a colheita.

Além do aspecto de entrelaçamento de raízes (joio e trigo) existe ainda a incrível semelhança entre as plantas: joio e trigo são idênticos, mas as diferenças se tornam visíveis quando crescem e despontam os frutos, ou grãos. Grãos de trigo são pesados, graúdos. Grãos (?) de joio nem são grãos, mas qualquer coisa que os imite e de forma muito inferior.


O Semeador e as sementes

O trigo expressa o caráter de seu Semeador: Jesus.Tem o objetivo de povoar o campo com sementes que alimentam e trazem vida. O trigo é o homem revestido de Cristo, operando de acordo com o propósito para o qual foi criado:  “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança;  E criou Deus o homem à sua imagem: E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra,  E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra...E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom” Gn 1:26-31.

Trigo é a igreja, são os filhos de Deus. Estes estão sob os cuidados atentos do dono do campo e nenhuma semente, nenhum molho, será desperdiçado. E assim como o trigo, crescido, se curva em direção a terra, por conta do peso dos grãos, assim são os que servem ao Senhor Jesus: frutificando, crescendo e ainda que diminuam pela servidão e humildade, permanecem grandes. É curioso porque se não houvesse o joio crescendo no meio do trigo essas diferenças poderiam até enganar mais facilmente. 

A âncora do cristão na pós-modernidade

Cristo na Tempestade - Pintura de Rembrandt

Por: João Cruzué

O desencanto da sociedade com a religião e depois com a ciência é a principal característica da pós-modernidade. E não parou por aí. No rastro destes dois pilares seguiu-se a política, a justiça e a imprensa.  Assim como na época do Renascimento, um espírito de inconformismo e insatisfação paira sobre tudo e todos,  até mesmo sobre a própria pós-modernidade.

Posso comparar esta época com a situação enfrentada por alguns pescadores no Mar da Galileia, há dois milênios, onde a a fúria do mar e a força do vento, que pareciam incontroláveis, se acalmaram pelo som das palavras de um homem.

Quero começar com a  Operação Lava-Jato, um dos agentes da pós-modernidade no Brasil. Ela desnudou e vem  desnudando com fotos, vídeos e gravações a forma centenária de como o poder do dinheiro vem comprando a consciência dos políticos no Brasil - aos MILHARES. desencanto. A forma como o Ministério Público tratou dos acordos de delação levou o Judiciário a aplicar penas brandas a grandes larápios do dinheiro público. Transparência e desencanto como os agentes da Lava-Jato.

A Igreja Evangélica, minha casa, também enfrenta os efeitos da pós-modernidade. A forma com que algumas denominações "arrecadam" os recursos do bolso dos fiéis é uma ofensa à prudência paulina dos capítulos 8 e 9 da II Carta aos Coríntios. Desde quando o Apóstolo Paulo, em nossos dias, ira tomar os dízimos e ofertas do povo de Deus para comprar uma rede de TV para transmitir novelas, filmes e programas indecentes? De que livro da Bíblia Sagrada veio a inspiração para Igrejas fundarem partidos políticos seculares? Com que autoridade um Pastor Presidente pode aparecer em um culto de Santa Ceia para apresentar pastores ou familiares a pré-candidatos a cargos de representação política? Não deviam eles anunciar nestas ocasiões e lugares um plano nacional de evangelização ou um novo campo de atuação missionária? Transparência e desencanto.

A Ciência que "deveria" soterrar a religião, empacou no sequenciamento do DNA humano. Depois de "sequenciado" trouxe mais dúvidas que certezas. O câncer ainda não tem cura, a AIDS ainda não tem cura. A tuberculose nunca esteve matando tanto. E no Brasil a febre amarela e o sarampo estão de volta. A Ciência não deveria ser ter a solução para toda espécie de males? E o que dizer da comunicação na era digital? É só olhar na hora do rush dentro dos trens e dos metrôs e principalmente em suas escadas: zumbis abstraídos com seus smartphones. Houve um recrudescimento da comunicação. As pessoas estão perdendo a sociabilidade, principalmente dentro dos lares. Ninguém tem mais paciência para conversar com ninguém. No meio cristão, é uma dificuldade reunir a família para orar na hora do almoço. Cada um está recolhido em seu espaço manuseando o seu celular. Não sabemos ainda aonde isso vai dar. Estamos cheios de problemas e comendo mal, perdoe-me a indiscrição: comendo porcaria. Uma quantidade enorme de substâncias químicas na carne, nos vegetais, na água, nos produtos enlatados. Nunca tivemos tanta alergia. E as bulas de remédios, cada vez maiores. Na verdade, grande parte das descobertas científicas está sendo aplicada na produção de bens de uso e consumo humano. Faturamento. A sociedade esperava mais.

Quanto à imprensa, jornal, rádio e TV, é 99% tendenciosa. Mostra a informação sob o ângulo que lhe convém. Muitos jornalistas falam aquilo que a audiência quer ouvir e escamoteiam a verdade. A transparência completa  é algo que ainda precisa ser incorporado ao processo de informação dos fatos à sociedade brasileira na era das páginas eletrônicas.  Gilberto Mendonça Teles (2010), registrou um fato interessante ao notar que os dicionários nem sempre reservaram um verbete especial para o termo transparência [1]. Para defini-lo com a profundidade exigida,  buscou auxílio no Dicionário dos Sinônimos - Poético e de Epítetos da Língua Portuguesa de Roquete & Fonseca (1848). Lá,  encontrou o seguinte:
A água é clara, quando nenhuma substância a turva; é diáfana, quando permite a passagem dos raios de luz, mas só é transparente quando permite a visão completa dos objetos que nela estão contidos.
Diante desses conceitos, não é possível dizer que há transparência em todos os fatos noticiados pela imprensa devido à manipulação.

O Judiciário brasileiro, principalmente o que está instalado nas grandes capitais, é a esfera de poder no Brasil que, segundo a grande imprensa, recebe remuneração, benefícios e aposentadoria acima dos limites impostos pela própria Lei. Transparência e desencanto.

Depois de ter se desencantado com tudo e com todos, chegou a vez da própria pós-modernidade. Sua visão crítica expôs a nudez de todas as áreas. A sociedade, sob está ótica,  passou a observar as mazelas e idiossincrasias de religiosos, cientistas,  políticos, juízes e jornalistas. O resultado disso é um comportamento individualista e consumista. O novo fica velho em menos de um ano. A descartabilidade de tudo.  A pós-modernidade é um pensamento que mostrou o cisco no olho das instituições sociais, sem dar nenhuma referência em troca. As instituições coletivas tiveram suas vidraças quebradas mas o indivíduo está se desgarrando e ficando solitário. Desagregação social.

E o cristão dentro da Igreja, diante de tudo isso, não está imune à fúria do mar e a força contrária do vento. A palavra de Deus ainda é o nosso referencial e a nossa âncora em meio à tempestade.  Entre tantos outros textos, citarei este, um dos meus preferidos: primeira Carta de São João, 2,  assim está escrito:
15 Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 
16 Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. 
17 E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.
18 Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora.
19 Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós.
20 E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo.
21 Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade.

 O mundo passa, mas a Palavra de Deus permanece. Em meio às tempestades de quaisquer eras eu continuo ancorado nestes belos versos do Salmo 46:
DEUS é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.  Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo. Deus está no meio dela; não se abalará.

SP 03/1/18.







Perspectivas Cristãs para 2018


(Ator Robert Powell)

Por: João Cruzué
.
O mundo está se tornando a cada ano um lugar mais perigoso para se viver. De acordo com as profecias de Jesus, feitas no Monte das Oliveiras, escritas no Evangelho segundo São Marcos, 13.3-23, haverá guerras e rumores de guerras. Pestes, fome e terremotos e muitos falsos cristos e falsos profetas especialistas em enganos religiosos. Por outro lado, Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Quem anda na presença de Deus não está nem um pouco preocupado, porque foi o mesmo Jesus que disse: "Eis que estou convosco todos os dias".

Em nossos dias, há uma real ameaça de uma gerra nuclear vinda da Coreia de Norte é uma. De um lado está um doido inseguro querendo mostrar um poder que não possui. De outro, um aprendiz de presidente está tentando falar mais grosso, acossado por um escândalo eleitoral que a cada dia chega mais perto da Casa Branca. A combinação destas situações tira a paz do mundo e pode  perturbar enormemente a economia do planeta.

No Brasil, a febre amarela voltou com força ao noticiário da TV. Esta semana, mais um parque foi fechado na Cidade de São Paulo,  diante do aparecimento de mais macacos mortos. Fico imaginando, se o mosquito da dengue, de repente, começar a espalhar o vírus da febre amarela, o sistema de saúde do país pode implodir.

Continuando no tema do Monte das Oliveiras, este mundo já foi abalado por vários terremotos. A Bíblia registra  no livro do profeta Amós (1.1) a ocorrência de um terremoto nos dias do Rei Uzias. O mesmo fato está registrado no capítulo 14.5 do livro do profeta Zacarias. 

Em 25 de maio de 1960, ocorreu no Chile o maior terremoto já registrado nos últimos tempos: 9,5 graus na escala Richter. O sismo produziu um maremoto tão grande que causou destruição do Alaska à Nova Zelândia; do México às Filipinas. Cerca de 15 horas depois do abalo, ondas enormes chegaram à costa do Japão deixando 500 mil desabrigados e 185 mortos a milhares de quilômetros de distância.

Há  quase 7 anos, em 11 de março de  2011, ocorreu o grande terremoto de Kobe.  a blogueira  e irmã em Cristo, Cíntia Kaneshigue registrou o que sentiu, quando morava no Japão com sua família no Japão:

As novas estações da vida e o ano novo

 

Jon Bloom

Deus não se contenta que apenas entendamos a ideia de que nada é impossível para o Senhor (Jeremias 32:17). Ele deseja que nós tenhamos a maravilhosa alegria de experimentar esta realidade. Mas o período, por vezes angustiante, entre sua promessa e sua provisão, pode nos levar para além da fronteira do que pensamos que podemos acreditar, assim como Ele fez com Abraão e Sara.

Esta conversa imaginativa ocorre pouco depois de Gênesis 17:22]

Abrão adentrou a tenda, com seus olhos ao chão e sua mente vagando a quilômetros de distância. Respirava ofegante. Sarai estava consertando um manto.  Ela o observava enquanto ele caminhava de um lado para o outro da tenda. Até que ele caiu sobre as almofadas suspirando.

“O Senhor falou com você de novo, não foi?”

Houve uma pausa.

“Sim.”

Costumava levar um tempo para que Abrão pudesse falar sobre esses encontros, então Sarai levantou para perto sua costura para que pudesse ver melhor. Outra lembrança do seu corpo envelhecido. Mas agora suas mãos estavam tremendo. Abaixou-as, então, de volta ao seu colo.

“O que o Senhor falou?”

“Ismael!” O nome atravessou Sarai como uma flecha. Ela então olhou pela aba da tenda e viu Agar entregar a seu filho suprimentos para carregar ao fogo para cozinhar. O menino tinha treze anos e começava a aparentar já como um homem. Ele era o deleite de seu pai, carne de sua carne. Mas não o deleite dela. O Senhor tinha prometido a Abrão uma descendência. Mas isto era uma profunda e desconcertante tristeza, pois Ele o tinha dado por Agar, sua própria criada. E tinha sido sua própria ideia.

“Sara”

Ela olhou para Abrão. Como ele acabara de lhe chamar?

“Sim, eu lhe chamei de Sara. O Senhor mudou seu nome.”

O Senhor falou dela? Seu coração acelerou como se fosse sair pela boca, repleto de esperança.

Três razões para não perder a esperança

Wilma Rejane

Como está sua vida hoje? Se a resposta for desanimadora, se situações fugiram ao seu controle a ponto de lhe causarem depressão, angústia e um pensamento fixo de que não vale a pena continuar vivendo, não se desespere. Aqui estão três razões que podem lhe ajudar a enxergar a situação de forma otimista e transformadora. 


1- As circunstâncias mudam.

Há tempo para todo propósito debaixo do céu. Tempo de chorar e de rir, de plantar e de colher o que se plantou (Eclesiastes 3). O que você está vivendo hoje, por qualquer que seja o motivo, poderá ser convertido. Em algum lugar do futuro, você olhará para trás e respirará aliviado por não ter se desesperado e agido de modo a prejudicar sua vida e a de outras pessoas. Por isso: mantenha a calma . Ficar aflito só prejudicará, há um provérbio que diz: Para os aflitos todos os dias são maus, mas a alegria do coração é banquete contínuo (Pv 15:15). Aflição e preocupação são terrenos inférteis, onde gratidão não brota. Nesses estados a pessoa só lamenta e murmura, não consegue enxergar a beleza, as bênçãos que têm e que ainda poderá vir a ter.

Calma, essa dor vai passar, esse momento vai ficar para trás e você ainda poderá sorrir de felicidade com a restauração da vida. Há mais um versículo que quero deixar para você, ele foi pronunciado por alguém que parecia ter chegado ao fim da vida, seu nome era Jó e ele havia perdido filhos, bens e saúde. Sozinho e rodeado de julgamentos acusadores, por mais difícil que possa parecer ele conservou a esperança. Não deixe morrer sua esperança porque, como disse Jó: “Há esperança para a árvore, pois mesmo cortada, ainda se renovará e não cessarão os seus rebentos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e no chão morrer o seu tronco, ao cheiro das águas brotará” ( Jó 14:7-9). E Jó pode um dia olhar para o seu passado e dizer: venci, fiz bem em não me desesperar, Deus restaurou minha vida! O cheiro das águas é a ação do Espírito Santo em nossas vidas, Ele tudo renova!

2- Pessoas mudam

Esperar que os outros mudem para enfim sermos felizes é uma tarefa árdua. Precisamos ser felizes hoje, no presente e se isso depender: do modo como os outros nos tratam, das circunstâncias, então estaremos em apuros. Nossa forma de lidar com as circunstâncias mudará definitivamente nosso estado de espírito ou vice versa.



Ano Novo sob a perspectiva de Eclesiastes 3





Wilma Rejane


“O que é já foi, e o que há de ser também já foi, Deus fará renovar o que se passou” Eclesiastes 3:15

Há uma sucessão natural na vida, circunstâncias que são frutos de ações e reações intermináveis na rotina do tempo. Todas essas coisas obedecem a uma ordem estabelecida por Deus.  O futuro poderá ser uma reprodução do passado e esse passado já foi presente um dia e a mesma coisa se diz do futuro.  Deus criou esse tempo, para Ele eterno, para nós limitado a contagem de horas, dias,anos. Há leis que regulam a existência.

“O céu tem o direito de oferecer dias planos de luz e depois fazê-los desaparecer nas trevas da noite. O ano tem o direito de cobrir por um período a terra de flores e frutos, e depois torná-la irreconhecível enviando chuvas, secas e geadas. O mar tem o direito de um dia ser amável, apresentando uma superfície calma, e noutro agitar as ondas sublevadas pela tempestade” ( BOÉCIO pg.6).

Quem poderia mover toda essa roda do tempo no universo sem abalar ou eliminar a existência? Deus. Há uma perfeita harmonia no tempo em que se vive e até em que se morre. Não há acasos ou circunstâncias desconhecidas para Deus. Para nós humanos é que sempre há expectativas e tempos com boas e más surpresas. Insuficientes e frágeis quanto ao poder para alterar essa ordem natural, o que nos cabe é viver. E viver de modo a tornar nossa rotina um lugar de renovos.

Quando o calendário mudar para 2018

FELIZ 2018!



João Cruzué

Quando o calendário mudar, tome uma sábia atitude. Converse com o Senhor em oração e combine com Ele que você não vai mais "guardar" aquelas coisas velhas e ruins no seu coração. Não leve para o ano novo aquele lixo que está apodrecendo em algum canto de seu coração. Jogue tudo aquilo fora através do PERDÃO e deixe que alegria do Senhor entre sem barreiras em sua vida.

Lembranças ruins - principalmente aquelas que nos trouxeram prejuízos, grandes e pequenos. Aprendi que quando elas são descartadas de nosso coração Deus pode trabalhar em nosso favor e nos abençoar com o dobro de tudo quanto nos levaram ou que nós mesmos perdemos. O maligno pode levar, mas Deus pode dar aquilo em dobro, em triplo, se pudermos perdoá-las e descartarmos as más lembranças. Fale para o Senhor Jesus que, neste inicio de ano, você perdoa de coração tais tranqueiras e vai jogá-las no lixo, onde é o lugar delas. Mágoas retidas são como portas sempre abertas para o diabo. Ele pode entrar por uma mágoa, uma raiz de amargura, e depois fecha as portas para as bênçãos de Deus. Como tenho alguma experiência nisso aconselho: jogue fora as mágoas que o diabo vai junto. Vamos fazer isso?


Coisas que entristecem o Espírito Santo - temos a liberdade de fazer tudo que quizermos, mas nem tudo nos convém fazer. Uma pessoa verdadeiramente cristã deve ouvir primeiro a voz do Espírito Santo. A nudez, não agrada a Ele; a prostituição, também não. A bebida alcoólica é um grande perigo. A medicina diz que alcoolismo não tem cura. Imagine um cristão atraído pelo marketing das bebidas. De pouco a pouco ele vai se aproximando do perigo. Ao ser fisgado, certamente correrá o risco de perder o nome e até a família. Um dos instrumentos malignos mais eficazes para destruir uma família é o alcool. Quem sabe se você tem uma tendência a ser alcoólatra e não sabe. Quando descobrir será tarde demais. Fuja da bebida. Álcool, nudez e prostituição: três coisas que entristecem o Espírito Santo.


Crônica sobre o Natal: o outro lado, onde não estou.

Foto:Marcel Gauteroth- que lugar é esse onde não estou?



Wilma Rejane

Vivemos um paradoxo nessa época do ano. Enquanto famílias se reúnem em ceia comendo e bebendo, muitas outras famílias não sabem o que é ser família porque estão separadas, desestruturadas. Muitas, não sabem o gosto que tem um peru bem temperado assado no forno, porque amargam desemprego e miséria. Enquanto famílias se reúnem alegres e bem vestidas, outras estão separadas pelo ódio, pelos desencontros da vida, com roupas usadas o ano inteiro,por falta de dinheiro. Para muitas famílias e anônimos, solitários, as festas de natal revelam um lado impiedoso e nada solidário da humanidade: quem se importa com quem não pode viver essa festa em todos os seus pormenores? Quem se importa com quem está dormindo na rua,sem cobertor e distante da luminosidade suntuosa das imensas árvores coloridas, aquecidas por luzes que piscam? 

Em muitas mesas haverá tanta comida que sobrará e o lixo se multiplicará nos toneis. Em paradoxo, outras tantas mesas estarão vazias de comida e de assentos, pois as pessoas estarão separadas, haverá fome de amor. Um paradoxo. Enquanto champanhes são abertos, lágrimas são disfarçadas, enxugadas em faces enrugadas, maquiadas. Tudo se torna mais grave do que antes porque no silêncio dos sinos, dos tinos, a dor aumenta. O outro lado das festas de natal pode ser cruel,tão cruel quanto a escuridão que pairava no céu naquela noite em Belém da Judeia,até que veio a estrela guiando os sábios para um Salvador. Era um menino, uma criança de dois anos que escapará da matança de um rei enfurecido. Mães choravam seus filhos, era luto em Ramá, mas o broto de esperança havia sido preservado: Jesus.O outro lado das festas modernas de natal também têm suas tragédias como a ocorrida em Ramá: choro,  dor,  luto, mas lembremos que foi em Ramá que se conservou o broto de Esperança.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...