domingo, 30 de agosto de 2015

A janela 10/40 do Brasil

Qilombolas no Piauí - Foto de Regina Santos



Wilma Rejane


Olá queridos leitores,

Hoje vos trago uma postagem sobre o Estado em que moro: Piauí. Em um vídeo produzido pelo missionário Juliano Son é possível se ter um panorama do que acontece por aqui. O interior de Betânia (que aparece no vídeo) é um lugar muito pobre, de maioria quilombola. Lhes afirmo que a situação em outros interiores não é tão diferente, infelizmente a seca e a negligência de políticas públicas maltratam essas regiões.  Aliado a tudo isso existe a idolatria crônica; figuramos como o Estado menos evangelizado do País. Na capital, Teresina, temos um crescimento acelerado do setor imobiliário e um acrescimo de pessoas com alto poder aquisitivo oriundos do serviço público (Municipal, Estadual e Federal). Porém, e espiritualmente falando, interior e capital carecem de orações constantes.

Como educadora , convivo diariamente com centenas de jovens, cujos históricos familiares são desanimadores. É inquietante conhecer de perto as consequências de vidas distantes do Evangelho de Cristo e fazer tão pouco. Contudo, sei que esse pouco será significante se dirigido por Deus.

No último Sábado pela manhã, tive a oportunidade de conversar com algumas dezenas de pais de alunos e um caso que me chamou àtenção foi de um aluno que estava faltoso ultimamente. Sua avó me disse que ele fora preso por furto e depois da soltura, sentiu vergonha de ir às aulas . Me permitam aqui acrescentar mais um caso: o do skatista Mateus. 

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Ah, esses constrangedores anti-heróis da Bíblia...



Wallace Sousa

“Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós” 2 Coríntios 4.7.

Quando pensamos nos personagens bíblicos, geralmente só nos lembramos daqueles mais ousados e de seus grandes feitos. Dificilmente nos vêm à mente suas falhas, insucessos ou rebeldias. Acredito que, se alguns de nós fôssemos elevados à categoria de editores bíblicos, muitas passagens comprometedoras seriam apagadas, reescritas ou mesmo censuradas! Eu, por exemplo, tentaria “editar” (suprimir) alguns fatos constrangedores da vida de Davi, tais como o adultério, o homicídio e o polêmico recenseamento.

Meu herói Davi não combina com aquilo lá. Deve ter sido um engano, só pode! Quem derrotou um gigante de mais de 3 metros não sucumbiria a tais atrocidades (será que foi por causa disso que Michelangelo fez uma estátua de Davi de mais de 4 metros?). Mas por que mesmo Deus ficou tão irado? Por causa do recenseamento? Ah, hoje isso é tão comum. Aliás, já estamos esperando o próximo pra saber quanto é o novo percentual de evangélicos na população, para estufarmos o peito de orgulho. Por que o aumento no número de evangélicos não é seguido por uma sociedade melhor? Será porque estamos crescendo ou apenas inchando? Jesus não falou acerca de termos cuidado com fermento em um de seus discursos, ou estaria eu enganado?

Biografias defeituosas

Você já leu a biografia de alguém? Sabe que existem as autorizadas, aquelas que o biografado deu seu aval ao biógrafo, as não-autorizadas, que foram feitas à revelia do biografado, e as autobiografias, aquelas em que a pessoa do biografado e do biógrafo se confundem, ou se mesclam, ou se combinam, ou algo parecido com isso? Geralmente, na maioria das biografias, exalta-se o biografado, seus feitos, seu caráter, etc, etc, etc. Se há algum defeito, não é mencionado, falhas são convenientemente suprimidas, insucessos esquecidos, porque afinal, é uma biografia. E biografias devem ser assim, porque (quase) todas são assim. A não ser que sejam escritas sem autorização, e ainda mais por um desafeto. Mas uma combinação dessas é muito rara, e sua vendagem, muito provável, lamentável. Logo alguém diz que é inveja, dor-de-cotovelo, difamação ou coisa parecida.


domingo, 23 de agosto de 2015

À sombra de Tuas asas



Wilma Rejane

Salmo 57:1:" Tem misericórdia de mim, ó Deus, tem misericórdia de mim, porque a minha alma confia em ti; e à sombra das tuas asas me abrigo, até que passem as calamidades."

Um exército de homens armados cercava a caverna de Adulão, lugares estratégicos de Mizpá e Judá a fim de capturar Davi. O ódio e a inveja de Saul provocava toda esta situação de calamidade. E é nesse contexto que o Salmo 57 é criado, como um uma oração de socorro na providência Divina. À sombra das asas de Deus era o ùnico lugar, o mais seguro lugar, inacessível para os inimigos e absolutamente disponível para o Davi aflito e confiante. Deus,portanto, é invocado em oração, como um pássaro cuidadoso e amoroso abrigando seu filhote embaixo de Suas asas.

Em vários outros lugares da Bíblia a fraternal imagem do Pai Pássaro é invocada para transmitir a atuação de Deus em relação aos homens. No livro do profeta Sofonias, por exemplo, as asas de Deus estão estendidas sobre o remanescente humilde de Israel:


quarta-feira, 19 de agosto de 2015

A incontestável Presença Invisível

Ester desmaia na presença de Assuero
Arte de Julia Margaret Cameron

Wilma Rejane

Quem sabe se não foi para um momento como este que você chegou à posição de rainha? Ester 4:14

O livro de Ester é um bálsamo para alma, contemplar a inevitável presença de Deus e Seu agir através de situações aparentemente simples é intensificar a fé, Amá-Lo por todo o invisível mundo que nos cerca. O nome de Deus não é citado em Ester, mas costumo dizer que é na ausência que certas presenças se tornam mais percebíveis, eis um caso. Toda a história é marcada pela providência Divina que faz com que uma linda orfã chegue ao palácio real e ascenda ao cargo de rainha, salvando os judeus da morte e ainda proporcionando ao primo Mardoqueu um cargo de elevada confiança na corte de Assuero.

Assuero foi um rei persa, durante 20 anos governou 127 províncias desde a Índia até a Etiópia, sucedendo Dario I em 485 a.C. Seu nome verdadeiro era Xerxes ou Artaxexes, “Assuero” era um título que significava “Rei  venerável”. Logo no primeiro capitulo de Ester, Assuero é citado em uma grande festa de cento e oitenta dias  ofertada aos governadores das províncias. Após esses dias, viriam mais sete dias de festa com a participação popular dos moradores de Susã. Um acontecimento importante e de grande repercussão. Porém, a rainha Vasti, constrange o rei e dá um remate trágico ao evento, quando se recusa a atender o chamado para fazer corte aos convidados.

Assim, temos no livro de Ester um paradoxo: O desprezo e punição dados a uma rainha (Vasti) que recusa se apresentar perante o rei e a exaltação de uma jovem órfã (Ester) que devota sua vida a presença do rei. Magnífico em todo o contexto é a presença de Mardoqueu, primo de Ester. Ele a inscreve em um concurso de beleza para escolher a rainha substituta de Vasti e com plena certeza da vitória da prima, ele frequenta dia e noite às portas do palácio em vigilância e constante oração . Mardoqueu era convicto da providência Divina trabalhando em favor de seu povo e de toda nação, através do acesso de Ester ao palácio.

Ester foi um nome colocado por Mardoqueu, significando ”estrela”, ele sabia que ela tinha brilho e havia nascido para iluminar, era bela de presença e de coração. O nome verdadeiro de Ester, era “Hadassa” ou murta, uma planta vistosa, mas com espinhos. Não era assim que Mardoqueu a via. Aqui temos uma linda lição de amor revelada na educação familiar, Mardoqueu investiu em Ester acreditando em sua capacidade e sabedoria, acreditando que a vida de Ester poderia ser transformada pelo cumprir da missão que Deus reservara para ela. Sem pai, sem mãe, contudo acolhida por um primo que temia a Deus e tinha uma vida de obediência e oração.

A porta e as provas  (Porque uma porta grande e eficaz se me abriu; e há muitos adversários.I Coríntios 16:9)

Escolhida entre mais de 400 candidatas ao reino, Ester havia ganho a confiança e o carinho dos serviçais do palácio. Ela ouvia atentamente os conselheiros a fim de aprender e crescer como ajudadora do rei. As virtudes de Ester iam além da beleza física, ela era sábia e humilde. Alguém que adentra em um ambiente de extrema competição e luxo, mas não se ensoberbece, continua sendo fiel ao primo Mardoqueu e a sua consciência de serva de Deus.:” Quando chegou a vez de Ester, filha de Abiail, tio de Mardoqueu, que a tinha adotado como filha, ela não pediu nada além daquilo que Hegai, oficial responsável pelo harém, sugeriu. Ester causava boa impressão a todos os que a viam.” Ester 2:15.


domingo, 16 de agosto de 2015

Ele não abandonou a fé...

Olhe através das frestas de luz desse cortiço escuro e apertado e enxergue o futuro no horizonte



Wilma Rejane

" Pois eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra " Jó 19:25

O livro de Jó traz um dado curioso, a palavra esperança aparece mais do que em qualquer outro livro da Bíblia. Quais seriam as esperanças de um homem arrasado por um turbilhão de acontecimentos catastróficos? Morte dos filhos, perda dos bens e da saúde. Solidão e dor. Como olhar para um futuro próspero, com o presente destruído? Jó fora consolado por sua esperança, uma expectativa cultivada por ele mesmo, porque ninguém mais foi capaz de lhe proporcionar tal consolo.

Jó tinha convicção de que apesar dos dias de luto, e da incompreensão do sofrimento que lhe sobreveio, Deus poderia mudar sua sorte. Assim, ele apela para o tribunal Divino, quer ouvir de Deus uma sentença de libertação da dor, e mesmo quando fala na morte mantém a esperança na misericórdia Divina. Ele retira forças da dor e declara que a morte não o vencerá, sua esperança se cumprirá.

Os ecos do mundo

Jó: “Onde está a minha esperança? Quem poderá ver alguma esperança para mim? (17:15).


sábado, 15 de agosto de 2015

Jesus restaurou meu casamento

Viviane e sua linda família



Por Wilma Rejane
Testemunho recebido via e-mail
Escrito e vivido por:

Viviane Morais,  36 anos, casada com o Rodrigo e mãe da Isabela(14anos) e Sophia (3 anos). De Guaxupé - MG.

No momento Deus tem me usado para ajudar outras pessoas que passam por situações difíceis no casamento, estão em processo de separação.Tenho observado cada detalhe do agir de Deus e ficado maravilhada com a sua perfeição.E senti que isso irá me preparar e me dar mais sabedoria para escrever um livro.

Cheguei a ficar separada por cinco meses , mas o que Jesus me deu o inimigo não roubou de mim (assim como o filho da sunamita) , ele tentou mas está derrotado pelo sangue de Jesus . E hoje eu posso declarar que eu e minha família servimos ao Senhor , porque eu ganhei o meu esposo para Jesus , glórias a Deus ... nossas filhas são bênçãos que também estão na casa do Pai . Deus não só me proporcionou a benção da família restaurada , mas Ele tem usado a minha família para trabalhar na obra Dele . E eu quero servir a esse Deus de todo coração em quanto eu tiver fôlego! Esse Deus é de vitória, Ele trabalha em favor daqueles que Nele espera e descansa, que põe Nele a sua confiança .

Com um mês e meio da separação, eu orava muito. É que eu estava afastada dos caminhos do Senhor, já havia voltado umas três vezes mas nunca ficava firme, sempre falava que daquela vez era para valer e depois desanimava.Foi dessa forma que Deus primeiro me resgatou, fui pela dor... ah como queria ter ido por amor! Mas Deus sabe de todas as coisas. Agradeço à Ele por isso. Então eu orava muito, mas não tinha aprendido a descansar minha confiança em Deus. Eu agia por mim mesma e era ansiosa, tola!


quarta-feira, 12 de agosto de 2015

O casamento e o cordão de três dobras




A Bíblia diz em Eclesiastes 4.9-12 que “melhor é serem dois do que um”, mas termina falando sobre o cordão de três dobras e revelando que é melhor serem três do que dois. Fica implícito que a conta de uma terceira dobra no cordão está mostrando que o “time” aumentou.

“Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade.” (Eclesiastes 4.12)

Salomão afirma que se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão. Isto mostra que um cordão dobrado oferece maior resistência. Porém, ao acrescentar-se uma terceira dobra, ele fica ainda mais resistente! Se há benefícios em ser dois, há muito mais em ser três!

Como já afirmamos, Salomão não fez esta afirmação direcionada exclusivamente ao casamento; ele fala de relacionamento de um modo geral. E, em qualquer relacionamento, a terceira dobra poderia ser mais uma pessoa. Porém, quando examinamos a revelação bíblica acerca do casamento, descobrimos que, no modelo divino, deve sempre haver a participação de uma terceira parte. E isto não fala da presença de algum filho e nem tampouco de um (abominável) triângulo amoroso! Fala da participação do Senhor no casamento.

A presença de Deus é a terceira dobra e deve ser cultivada na vida do casal. Adão e Eva não ficaram sozinhos no Éden, Deus estava diariamente com eles e, da mesma forma como idealizou com o primeiro casal, Ele quer participar do nosso casamento também!

Vemos esta questão do envolvimento de Deus na união matrimonial sob três diferentes perspectivas:

1. Deus como parte do compromisso do casal;

2. Deus como fonte de intervenção na vida do casal;

3. Deus como modelo e referência para o casal.

UMA DUPLA ALIANÇA

Como já afirmamos no primeiro capítulo, o casamento é uma aliança que os cônjuges firmam entre si e também com Deus. O Senhor, através do profeta Malaquias, referiu-se ao casamento como sendo uma aliança entre o homem e a sua mulher:

“Porque o Senhor foi testemunha da aliança entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira e a mulher da tua aliança”. (Malaquias 2.14)


terça-feira, 11 de agosto de 2015

Histórias de Verdade



Wilma Rejane

Minha netinha Sofia de três aninhos foi presenteada recentemente com um devocional infantil , a linguagem é para crianças maiores, mas quando leio faço as adaptações para a idade dela e ela tem gostado demais. À noite ela pega o devocional e diz: "vó, vamos ler histórias da Bíblia". Sofia também tem uma pequena Bíblia (que não é ilustrada) a qual lemos juntas, é muito interessante porque ela se interessa de verdade em saber o que está escrito mesmo não vendo figuras coloridas.

"Vó essa é a minha Bíblia"
-Sim Sofia, aqui está escrito assim: "Jesus ama Sofia, Ele ama também todas as crianças. Olha, aqui está a história de Jesus ajudando um homem que não podia enxergar! Era tudo escuro para o homem, ele tropeçava nas coisas, não podia dirigir carro, nem ler livros, aí Jesus chegou pertinho dele, tocou em seus olhos e o homem viu tudo, tudo, oh Jesus como o Senhor é bom! Já pensou Sofia, agora o homem vai poder ver as crianças lindas como você, vai passear sem tropeçar e fazer um monte de coisas que não fazia antes!"

Essa introdução com história pessoal entre mim e Sofia é para dizer que existem muitos meios de ensinarmos a Bíblia para crianças, mas infelizmente muitas crianças não têm o privilégio de possuir qualquer material Bíblico. A causa pode ser econômica, de crença familiar ou mesmo de desprezo, por entenderem (equivocadamente) que crianças não têm condições de assimilar a Palavra de Deus.

domingo, 9 de agosto de 2015

O ombro do Deus Pai




Wilma Rejane

" Atravessou Abrão a terra até Siquém..." Gn 12:6

Você pode sentir o tamanho da benção escondida nesse pequeno verso Bíblico?  Nunca ouvi qualquer pregação sobre essa passagem e acredito mesmo que ela não chama a atenção dos leitores. Não chamava minha atenção, até o dia em que um : "pare, escute, preste atenção" me sacudiu de tal forma que me vi agradecendo a Deus por todas as vezes em que Ele me permitiu "atravessar Siquém". 


Sobre Siquém:


Siquém está situada no vale estreito entre o monte Gerizim e o monte Ebal, aproximadamente 65 quilômetros ao norte de Jerusalém. Em hebraico Siquém significa "ombro", esse significado descreve muito bem o valor do lugar para os Israelitas na conquista da terra prometida e também nos oferece  razões de relacionar Siquém com "vale do crescimento espiritual, da obediência". Siquém, ombro de Deus.

Foi esse o lugar escolhido por Deus para Abraão iniciar sua caminhada, para Moisés declarar as bençãos e as maldições (Deuteronômio 27), onde Josué reuniu os Israelitas para convocá-los seguir a Deus (Josué 24), onde Jacó se fixou ao retornar a Mesopotâmia: "e foi ali que ele purificou sua casa dos deuses estranhos, enterrando todos os seus ídolos debaixo de um carvalho" (Gn 35.2,4). Por fim Siquém é o lugar onde José foi enterrado "Kever Yosef", túmulo de José. Em Outubro de 2000 os palestinos, em total desrespeito a palavra de Deus, destruíram o túmulo de José para construir uma mesquita.

Nossos passos em Siquém

A travessia para Siquém, foi o primeiro passo de Abraão com destino a terra prometida .  Ainda faltava muito chão para chegar ao destino final, mas ele se moveu, arriscou deixar para trás o lugar que nada mais poderia lhe oferecer e seguiu ao desconhecido, porém acompanhado dAquele que conhece todas as coisas. E  Deus com ele permitindo que seus pés caminhassem sem tropeçar, que seus camelos e servos gozassem de boa saúde e disposição para segui-lo.

Abraão deixou o conforto, para viver os conflitos e crescer na fé.

Você já parou para pensar a maravilhosa benção,  proteção e providência Divina que há em cada passo nosso? Em cada travessia?  Cada travessia é um favor, por menor que seja a distância. O primeiro passo é tão ou mais importante que o último. Se Abraão não tivesse "atravessado a terra até Siquém", não teria percorrido os mais de 2.400 km realizando todas as promessas de Deus para Ele.


sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Não é possível esconder a luz, nem a cruz...





Wallace Sousa

Esta mensagem foi confeccionada em setembro de 2009, para um pequeno grupo (eu e mais 2 irmãos) e depois para um boletim informativo de Os Gideões Internacionais do Brasil. Mas, esses dias, o Senhor me incomodou para resgatá-la e publicá-la.

Bem, eis a mensagem, e você vai decidir se fiz mal em deixá-la tanto tempo “esquecida” ou se ela deveria mesmo ficar esquecida, e não mereceria ser trazida a lume.

Carregar a cruz não é para qualquer um…

Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte. Mateus 7.7

Amados irmãos, paz do Senhor Jesus, nossa viva esperança, não apenas no presente como também no futuro.

Queridos, faz alguns meses que assisti a um filme interessante sobre a 2ª Guerra Mundial, travada entre o Japão e os Estados Unidos, numa pequena ilha do Pacífico chamada Iwo Jima, que significa “ilha de enxofre” ou “ilha vulcânica”. Nessa ilha foi travada uma feroz batalha que ceifou milhares de vidas de ambos os lados, cujas perdas não se podem justificar pelos resultados obtidos.

Todavia, o que me chamou a atenção foi uma palestra dada aos combatentes japoneses antes da batalha efetivamente começar, onde eram mostrados os alvos prioritários dos projéteis nipônicos: os soldados-médicos, que eram facilmente identificáveis porque carregavam uma cruz vermelha nas costas ou nos capacetes.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...