A construção do Terceiro Templo e sua ligação com o Anticristo

Levitas já foram escolhidos e se preparam para Terceiro Templo


Autor David Reagan
Tradução: Wilma Rejane

A Bíblia claramente ensina que um novo templo - O Terceiro Templo - será construído no futuro. O primeiro templo foi o que Salomão construiu, destruído em 586 a.C. O Segundo Templo (516 a.C a 70 d.C) foi construído depois que os judeus voltaram do cativeiro babilônico. A plataforma em que se sentou foi grandemente expandida e embelezada pelo rei Herodes, assim como o próprio templo, mas como os sacrifícios nunca foram interrompidos durante esta renovação e expansão, o novo templo ainda era considerado o Segundo Templo.

 O Terceiro Templo existirá durante a Grande Tribulação. Daniel refere-se a este templo quando diz que "o príncipe que há de vir" (o Anticristo) entrará nele e parará os sacrifícios no meio da Tribulação (Daniel 9:27). O apóstolo Paulo menciona isso quando declara que o "homem da iniquidade" profanará o templo entrando nele e se declarando Deus (2 Tessalonicenses 2: 3-4). O Terceiro Templo também é mencionado no livro de Apocalipse quando João é instruído a medi-lo - uma maneira simbólica de dizer-lhe para avaliar sua condição espiritual (Apocalipse 11: 1-2). Isso levanta a questão de quando exatamente o templo será reconstruído?

A Bíblia não revela a resposta a esta pergunta. Tudo o que diz com certeza é que o templo estará em existência quando o Anticristo se revelar (2 Tessalonicenses 2: 3-4), e isso estará no meio da Tribulação (Daniel 9:27). Uma vez que este será apenas três anos e meio na Tribulação, muitos concluíram que o templo provavelmente será reconstruído antes da Tribulação começa, porque como um edifício tão magnífico poderia ser construído em tão curto período de tempo?

Olhai para os lírios de Deus



 João Cruzué

Uma das coisas mais belas da minha terra, o lugar onde passei a adolescência, é lírio vermelho. Não é um vermelho qualquer, mas uma cor parecida com o fogo. E para não me esquecer de lá, trouxe alguns tubérculos há muitos anos e os plantei no quintal de casa, em São Paulo. Da primeira  vez fiquei esperando pelo inverno, o tempo de suas flores. Coincidentemente a vida do cristão que anda em sinceridade com Deus também é bem parecida com as flores desse lírio.

Lírios são clássicos da natureza, cantados em muitas poesias e até mesmo o próprio Senhor Jesus Cristo recitou: Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam. E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Os lírios vermelhos que plantei no meu quintal, nasceram, cresceram, ficaram verdinhos mas não floriram.

Na terra das Gerais, no vale do Rio Caratinga o período da seca começa no mês de junho e vai até meados de outubro. Isto coincide com o inverno. E quando os pastos perdem todo o verde e chão se mostra seco de verdade, as hastes do lírio vermelho surgem do chão endurecido e cumprimentam a natureza vizinha com aquela cor vermelho-fogo surpreendente.

O Deus que transformou minha vida



Wilma Rejane

Hoje trago o testemunho de  Jéssica. Considero que sua história  é semelhante a de muitos jovens, no sentido de relação com o pecado e abandono da fé, também, pelo  fato de que Jéssica é filha de uma mãe que demonstra uma sincera e firme fé em Cristo. Quantos filhos não estão caminhando pelos mesmos caminhos de Jéssica e quantas mães são desafiadas a permanecer crendo e orando, apesar das circunstâncias desanimadoras?

Outro aspecto do vídeo que chama  atenção, é o fato de que a mãe, sendo de uma denominação cristã, não se opôs a escolha da filha por frequentar denominação distinta da sua. Este detalhe, tem sido motivo de muitas desavenças familiares: são maridos, esposas, filhos que contendem diariamente por diferenças doutrinárias. Irmãos, lembremos que a salvação é individual e que Jesus Cristo não é de uma denominação específica, não é um sistema doutrinário estático, não é um pacote comercial, Jesus é uma Pessoa, Ele é A Salvação. (João 14:6)

Não jogue fora sua confiança em Deus



Manfred Paul


“A minha alma descansa somente em Deus; dele vem a minha salvação” (Salmo 62.1). 


Nossa vida não está pendurada em um fio de seda. Nossas circunstâncias não são o resultado de coincidências sem sentido. Mesmo que as dificuldades cresçam à sua frente como se fossem uma Cordilheira dos Andes, apesar disso você não foi abandonado pelo Senhor Jesus. Descanse diante Dele e confie, e sua alma ficará em paz. Você poderá perceber que o Senhor é o seu auxílio. Não, suas orações não afundaram em algum lugar na areia. Elas estão guardadas diante da face Daquele que o ama! A sua espera não é em vão. Seus anseios não são sem esperança. Suas lágrimas não estão esquecidas por Deus. O seu Deus nunca se atrasa. Suas orações estão sendo processadas nas oficinas do Mestre, pois certamente o atendimento virá acompanhado do selo da misericórdia do Senhor. Por isso: não jogue fora sua confiança! É possível que o seu marido ainda não seja salvo. Oh, há quanto tempo você tem orado por ele. Não, o seu clamor não é inútil! Descanse e continue confiando no tempo de Deus!

É possível que o movimento de sua empresa neste ano regrediu assustadoramente. Você está preocupado em conseguir atender aos compromissos. Descanse e continue confiando no seu “administrador celestial”. Seus medos não se confirmarão. Conte com a intervenção misericordiosa de Deus! É possível que você, em sua posição de liderança, esteja continuamente sobrecarregado e que a correria diária fez com que você chegasse ao limite de sua saúde. Sua alma agora necessita de uma pausa para respirar na paz de Deus! Sua situação deve resultar em bem-estar e não em catástrofe.

É possível que você tenha passado por experiências difíceis em seu local de trabalho nestes últimos meses. Você foi intimidado pelos seus colegas e eles, traiçoeiramente, falaram mal de você ao seu chefe. Agora você está aí, amargurado e abatido. Seus nervos estão muito afetados. Descanse e continue confiando em seu Deus.

Talvez você exerça alguma responsabilidade em uma igreja – como ancião ou diácono, como colaborador no ministério infantil ou de jovens. Você observa que há poucos frutos para o Senhor, apesar dos grandes esforços investidos. Você sofre porque é considerado muito limitado, porque proclama a Palavra de Deus da maneira como está escrita. Estamos numa época em que se prefere ouvir aquilo que agrada e que faz cócegas nos ouvidos. Descanse diante do Senhor! A sua fidelidade será recompensada. A sua obra está nas mãos de Deus.

Sansão em lições para pais e filhos



Wilma Rejane


A história sobre vida e ministério de Sansão  comove profundamente, o desfecho trágico de um homem que nasceu sob uma grande promessa de Deus para a nação de Israel, muito nos ensina. As circunstâncias de seu nascimento são sobrenaturais, sua mãe, recebe o anúncio do nascimento de Sansão através de um anjo de Deus, pois, este ascende ao céu de modo espetacular (Juízes 13:19,20). E devido a profecia sobre Sansão, havia uma expectativa de que sua vida fosse, de fato, cheia de glamour: força inigualável, eleito para governar, amado pelos pais, belo à vista. Contudo, vemos Sansão lutar constantemente contra suas paixões, até, por fim,  ser vencido por elas. Sansão, apesar de toda força, é o protótipo de um homem, humano por demasia, e Deus, através da vida de Sansão, revela Sua graça e misericórdia infinita.

Apesar das críticas sobre seu temperamento e comportamento, Sansão é listado na galeria de fé de Hebreus 11 como um homem vitorioso, cheio de fé e bravura (Hebreus 11:32,34). O que isso quer dizer? Que devemos ceder as paixões, pois, Deus nos perdoará sempre? Não, a lição que vejo na vida de Sansão é um convite ao arrependimento constante, é um alerta sobre não brincar com o pecado sob o pretexto de ser um escolhido, ter um ministério ou  ter fé. Sansão caiu tantas vezes e insistiu em caminhar pelos mesmos lugares, chegou o momento em que o Espírito do Senhor já não o acompanhava (Juízes 16:20). Quanta angústia e pavor deve ter sentido Sansão! Mas, na sarjeta da vida ele teve um reencontro com Deus, em plena festa ao deus fenício Dagom, Sansão fez sua última oração, derrotando mais homens naquele dia do que em todo seu ministério passado!

Não, Sansão não foi vingativo, o que aconteceu foi que o chamado, a missão, a submissão a Deus estavam latentes em Sansão. O Espírito Santo do Senhor, voltou a habitá-lo, de outro modo, não teria força alguma para completar sua última missão. Este homem, então, nos ensina a não se acomodar com a queda, a encontrar o caminho de volta. Este homem, nos ensina que Deus é longânime em perdoar e aguarda o retorno de seus filhos. Nos ensina também que mesmos perdoados, sofreremos as consequências das escolhas erradas; Sansão sofreu a vergonha e a humilhação de seus inimigos, foi depurado como pelo fogo, até enfim reconhecer que era um forte homem fraco. Como diz o verso de Isaías: 

Por amor do meu nome retardo a minha ira, e por causa do meu louvor me contenho para contigo, para que eu não te extermine. Eis que te purifiquei, mas não como a prata; provei-te na fornalha da aflição. Isaías 48:9,10.


Quando tudo parecer perdido...




Todos nós, algum dia, já nos deparamos com situações diante das quais nos sentimos absolutamente impotentes; nada podíamos fazer, nenhuma palavra podia ser dita, nenhum gesto nosso faria qualquer diferença, nossas experiências para nada valeriam. Nessas horas, só nos restou uma constatação, uma certeza: Só Deus para nos ajudar! Ele é o único bálsamo capaz de trazer alívio para a nossa mais profunda dor. O Senhor conhece a nossa alma e sabe dos nossos limites. Ele nos conhece tal como somos. Só Ele pode invadir os segredos do nosso ser.

Há momentos tão difíceis que, se Deus não nos tomar pela mão, ficaremos prostrados. Da mesma forma, se Ele não tocar nosso coração, ninguém conseguirá consolar-nos. Se a força dele não nos erguer do caos, ficaremos cambaleando, tal qual um bêbado, com passos trôpegos pelos corredores da vida. O Senhor é a esperança que nos mantém vivos, e a Sua força é a razão de seguirmos vivendo, apesar das tempestades.

Depender do Altíssimo não é sinal de fraqueza, mas o testemunho de fortaleza interior. O homem só é grande quando se reconhece carente do Senhor. Crescemos quando estamos nos braços do Pai.

Onde está minha esperança?




Wilma Rejane

" Pois eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra " Jó 19:25

O livro de Jó traz um dado curioso, a palavra esperança aparece mais do que em qualquer outro livro da Bíblia. Quais seriam as esperanças de um homem arrasado por um turbilhão de acontecimentos catastróficos? Morte dos filhos, perda dos bens e da saúde. Solidão e dor. Como olhar para um futuro próspero, com o presente destruído? Jó fora consolado por sua esperança, uma expectativa cultivada por ele mesmo, porque ninguém mais foi capaz de lhe proporcionar tal consolo.

Jó tinha convicção de que apesar dos dias de luto, e da incompreensão do sofrimento que lhe sobreveio, Deus poderia mudar sua sorte. Assim, ele apela para o tribunal Divino, quer ouvir de Deus uma sentença de libertação da dor, e mesmo quando fala na morte mantém a esperança na misericórdia Divina. Ele retira forças da dor e declara que a morte não o vencerá, sua esperança se cumprirá.

Os ecos do mundo

Jó: “Onde está a minha esperança? Quem poderá ver alguma esperança para mim? (17:15).


Por que Deus permite a crise em nossa vida?



 "Faze-me saber os teus caminhos Senhor; ensina-me as tuas veredas.
Guia-me na tua verdade e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação;
por ti estou esperando todo dia" Salmo 25: 4-5.



João Cruzué 

Um fato é inegável. Nós cristãos não estamos livres da crise nem da depressão. Elas podem atingir a todos - crentes e descrentes - sem distinções. Já tenho escrito algumas vezes sobre isso, porque eu estive lá. Foram 11 longos anos de desemprego onde o pão de cada dia para minha casa foi diminuindo, diminuindo, até quase secar. Apesar ser graduado, falar duas línguas, ter trabalhado com estrangeiros por mais de 10 anos, quando a porta se fechou, alguém jogou a chave fora e eu fiquei sozinho. Então, o conteúdo deste texto não vai ser técnico. Não vou dissertar sobre "n" passos para vencer a depressão. Vou apenas dar meu testemunho de como passei por ela e que lição tirei dessa experiência muito difícil. Quero  para compartilhar isso com você - que agora está lendo este texto e precisa de uma palavra de Deus.

Sem rodeios. Deus permite que passemos alguns dias (ou anos) no vale da depressão porque tem um propósito especial em nossa vida. Para encontrar este caminho e conhecer este propósito nós temos um problema: nós mesmos. Somos por demais vaidosos. Nossa vontade costuma prevalecer sobre a vontade de Deus. Nossa oração é pouca. Nosso conforto, esplêndido. Nossos planos, humanos. Com tantos cuidados desta vida, perdemos o caminho da vontade de Deus - o SENHOR. 

E de repente, eu comecei a enviar currículos. Fiquei desempregado em 31.07.1992. O ano de 1992 se passou e nada de uma porta de emprego aberta. Veio 1993, continuei enviando currículos. Sem nada à vista, apesar de ser contador graduado, profissional competente para fazer balanços em português e inglês, lá fui eu para o sítio. Fui plantar tomates. Preços ruins, 800 km longe de casa. Longe da família, uma senhora luta. Não deu prejuízos, ganhei o suficiente para alguns meses. Veio 1994; refiz e enviei outros currículos. Nada!Se de um lado os ventos da luta financeira sopravam trazendo a secura do deserto, na vida espiritual as coisas não estavam no mesmo plano. Comecei a dirigir minha primeira congregação, cooperando com o saudoso pastor Luiz Vicente Branco. Foram 67 meses cuidando da congregação da Assembleia de Deus do Parque Santo Antonio. Sim, sessenta e sete, porque eu não sairia com "66". A Igreja não percebia tanto a luta que passávamos, pois os cultos eram muito bons. As festas de Círculo de Oração e de grupo de Crianças, maravilhosas.

Em 1995, meus pais nos emprestaram uma quantia para o início de um comércio. A recessão pós-Collor estava só começando e não sabíamos. Prejuízo de 30 mil reais. Nossa filha mais velha, estava em colégio particular. Tiramos. Nossos móveis de quarto, sala e cozinha, todos velhos, nós deixamos. Nossa linha de telefone fixo, que valia na época R$5.200,00, nós a vendemos para pagar dívidas. Nosso carrinho velho, um Chevette Hatch ano 80, sem licenciamento desde 1992. Bebia um litro de óleo por semana. Em 1996, durante cinco meses do ano não tínhamos como fazer compras no supermercado. Foi neste ano que, certo dia, voltei para casa com meio kilo de café. Eu orei, dei graças, e aprendi o valor das pequenas coisas.

12 passos em direção ao extraordinário!




 Wallace Sousa


No dia subsequente dirigia-se Jesus para uma cidade chamada Naim, e iam com ele seus discípulos e uma grande multidão. Ao aproximar-se ele da porta da cidade, eis que levavam para fora um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e vinha com ela muita gente da cidade. Logo que o Senhor a viu, compadeceu-se dela, e disse-lhe: Não chores. Chegando-se, tocou o esquife e, parando os que o conduziam, disse: Moço, eu te mando, levanta-te. Aquele que havia estado morto, sentou-se e começou a falar; e Jesus o entregou à mãe dele. Todos ficaram cheios de medo, e glorificaram a Deus, dizendo: Um grande profeta levantou-se entre nós, e: Deus visitou ao seu povo. Lucas 7:11-16

Quando Jesus entra em cena, sempre acontece algo extraordinário

Se você chegou até aqui porque precisa do agir de Deus em sua vida, quero agradecer por sua visita e pedir que me acompanhe por algumas linhas para que exploremos e descubramos juntos como, quando e porque Jesus faz coisas extraordinárias na vida de certas pessoas. Quem sabe, uma dessas pessoas pode ser você. Quer experimentar o extraordinário de Deus? Vem comigo! Neste simples post vou citar 12 motivos para você não entregar os pontos ainda, não desistir de lutar e seguir em frente. Espero que, ao final da leitura, você possa dizer a si mesmo que valeu a pena ler este singelo artigo. Caso queira, gostaria de ouvir sua experiência e saber o que sentiu ao ler estas palavras. Se puder – e se tiver gostado, claro – peço que compartilhe o post com seus amigos, ok? Se não quiser, não vai acontecer nada de mal pra você ou seus parentes, não se preocupe: eu também odeio essas correntes de emails… risos

1. Amanhã é um novo dia (v. 11)

Como já disse no post Amanhã Deus vai mudar sua vida por completo, não importa o que você esteja passando hoje – e você pode estar em situação bem difícil -, ou o que aconteceu com você no passado, amanhã é um novo dia. Amanhã, Deus pode fazer algo de novo e extraordinário em sua vida. Os dias anteriores daquela mãe devem ter sido muito tristes, dias de desconsolo e desespero. Mas, no dia seguinte, Jesus foi ao encontro dela e fez algo surpreendente.

E se Jesus fizesse o mesmo em sua vida? Como será o seu amanhã? Eu não sei, talvez nem você saiba, mas Jesus, com certeza, sabe.

2. Jesus chegou mais perto (v. 12)

Muitas vezes, quando estamos em dificuldades, pensamos que estamos sozinhos. Nem sempre é ilusão, mas é o que vemos. É comum lembrarmos daquele ditado que os verdadeiros amigos se conhecem nos momentos de adversidade. Também é muito fácil cair na tentação de pensar que fomos abandonados e que, sozinhos, não vamos conseguir.

Mas, Jesus estava chegando perto daquela mulher desesperada, desconsolada. Se Ele chegou perto dela, quem sabe se Ele também não pode se aproximar de você nessa hora tão difícil, não é verdade? Eu me lembro que o governador do Mato Grosso, quando eu morava lá no interior – e sofri um bocado também –  resolveu empreender uma viagem por terra para conhecer a real situação de quem vivia naquela região. Os moradores se sentiram prestigiados, ouvidos e, algum tempo depois, algumas reivindicações foram atendidas.

A breve oração de Bartimeu



Wilma Rejane


Então, o cego se pôs a exclamar: “Jesus! Filho de Davi, tem misericórdia de mim!” Lucas 18:38

 Na antiguidade, Jericó era uma cidade da orla oriental de Gor, à distancia de 10 quilômetros do rio Jordão. Foi a primeira cidade conquistada pelos israelitas sob o comando de Josué .  Achava-se protegida por muralhas e portas de grande resistência (Js 2.5 e Nm 22:1). Foi em Jericó estabelecida uma escola de profetas, sendo visitada por Elias e Eliseu (2Rs 2.4-18). Atualmente,  Jericó é um montículo de três hectares chamado de Tell es-Sultão, localizado ao lado de abundante manancial conhecido como Fonte de Eliseu.

Jesus e os discípulos passavam por Jericó, quando de repente, ouvem o clamor: “Jesus, filho de Davi, tem compaixão de mim!”. Era o cego mendigo, que  toma conhecimento do que acontece na cidade, naquele dia, hora e local. Bartimeu. Filho de Timeu.Em aramaico: Bar-teymah, "filho da pobreza". Eis um homem estigmatizado pela miséria,  preconceito e toda sorte de infortúnios. Certamente, cresceu ouvindo as histórias sobre Jericó: de como Deus levou os israelitas a conquistá-la, das maravilhas operadas pelo Senhor dos Exércitos através das vidas de Elias e Eliseu. Bartimeu tinha fé e sua breve oração tocou o coração de Jesus. E é sobre a oração de Bartimeu, o que ela nos ensina, que comento hoje.

A oração de Bartimeu

Primeiramente, o que chama a atenção, é o fato de Bartimeu se dirigir a Jesus como "Filho de Davi". Essa pareceu ser uma atitude particular sua naquele momento. Não haviam pessoas gritando com Bartimeu, pelo contrário, sua voz se destacou na multidão ao ponto de tentarem calar sua oração, barrar sua fé, intimidá-lo, mas ele não desistiu, tinha convicção da identidade de Jesus.

Jesus está vivo e é tão real quanto o ar que respiramos. Ele ouve orações. Muitas vezes, pensamos, que para sermos atendidos por Jesus, temos que fazer longas orações. Temos ainda a impressão de que orar por muito tempo é sinônimo de espiritualidade, e assim, por não conseguirmos falar muito em oração, ficamos infelizes. A oração de Bartimeu não foi longa e sim fervorosa, intensa, verdadeira, sincera e cheia de fé na Pessoa de Jesus. 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...