quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Meus livros entre os mais vendidos e esgotados!



Wilma Rejane

O livro foi lançado na Primavera de 2013 e colocado à venda nas livrarias virtuais do Brasil e do exterior através da Editora Dracaena. E a primeira edição está absolutamente esgotada! A Primavera de Sara reconta a história de Sara e de Abraão, a trajetória de fé e lutas deste casal e o modo maravilhoso como Deus se revelou e relacionou com eles.  Foi impactante descobrir as revelações de Deus contidas na promessa de que Isaac nasceria na Primavera . E creio que da mesma forma que essa mensagem falou fortemente ao meu coração,  continuará falando aos corações dos leitores do livro. Agradeço por essa segunda publicação ser também um sucesso, para glória de Deus!


http://www.livrariacultura.com.br/p/a-primavera-de-sara-42133453


Em 2015, se Deus me permitir, publico mais um livro estilo ficção chamado "Sinais em Maaloula". Digo: enredo e personagens são obra de ficção, mas os lugares citados no livro são todos reais. Maaloula é uma pequena cidade próxima de Damasco, cuja língua oficial é o aramaico. O nome Maaloula


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Acredite, Não é o Fim. É um Novo Caminho.






"Levanta-te e come, porque o caminho te será sobremodo longo" I Rs 19:7



Wilma Rejane

Não é o fim do caminho, ainda que você esteja olhando para todos os lados sem enxergar o chão,mas um abismo bem a frente, sem forças e sem ânimo. O natural nessas horas é entregar-se as circunstâncias tornando-se derrotado; o sobrenatural é olhar para o alto e perceber que não está só, é dar meia volta nesse penhasco e considerar o recomeço. Não é trilhar um caminho de volta, é caminhar sobre um novo fundamento que Deus colocou ali especialmente para você.

O profeta Elias estava em uma situação difícil, chegou a pedir a morte, Deus porém lhe diz: “Levanta-te e come, porque o caminho te será sobremodo longo” I Rs 19:7. Quero te animar a perceber o caos com os olhos criadores do Pai. No começo a terra “era sem forma e vazia” Gn 1:2 e isso bastou para que Ele formasse o Paraíso. Elias estava tão deprimido que o horizonte sobre ele era uma negra cortina, mas Deus diz: “Não é o fim, você precisa reagir, se fortalecer e prosseguir porque tens muita vida pela frente.”

É estranho que seja necessário chegarmos ao extremo da tristeza para descobrirmos quem somos e o quanto Deus nos ama. É maravilhoso saber que as revelações sobre Deus se apresentam para o homem, quando este se reduz a total dependência, reconhecendo sua fraqueza e sua origem. É exatamente quando não se tem força alguma que surge a Verdadeira fonte de sustentação. É quando colocamos nossa confiança no Senhor que Ele estabelece conosco um relacionamento ímpar, fazendo-nos compreender o sentido de todas as coisas.


segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Maneiras inusitadas de economizar água





Wilma Rejane

A cidade de São Paulo convive hoje com o drama da crise hídrica. Os reservatórios de água que abastecem essa grande metrópole, estão atuando em níveis muito abaixo da capacidade real de reservas. É uma situação assustadora e que exige medidas tanto do governo quanto da população. E é mais urgente ainda quando imaginamos que todo o planeta corre o risco de enfrentar crises como essa. 

Sou do Nordeste e desde sempre a seca assombra por aqui. A situação é grave nos interiores dessa região do País, em compensação, nas capitais, nas metrópoles nordestinas, temos água em abundância. Esse fator, além de provocar êxodo para os centros urbanos, de certo modo, minimiza a crise. 

Agora, quando falamos em crise em São Paulo, parece surreal porque esse estado é referência em desenvolvimento para o Brasil, ele é a maior metrópole e de acordo com o senso 2014 do IBGE, abriga cerca de 19 milhões de habitantes! Que caos seria um lugar tão populoso como este, sem água!

Diariamente recebemos milhares de acessos vindos de São Paulo. Por anos consecutivos São Paulo se mantêm na liderança em números de acessos do blog. Depois vem: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Brasília, Goiânia, Paraná e Rio Grande do Sul.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O cálice escolhido



Wilma Rejane

“E Ele lhes cumpriu o seu desejo, mas enviou magreza às suas almas” Sl 106:15

Quarenta anos caminhando pelo deserto na companhia de Deus. De dia uma coluna de nuvem os guiava pelo caminho, de noite uma coluna de fogo para os iluminar. Dia e noite Deus com eles. Todos tinham um destino geográfico e espiritual  a alcançar: os territórios da promessa Divina, da aliança entre Deus e seu povo. Não apenas isso, os Israelitas precisavam aprender a fazer escolhas, discernir entre bem e mal. Voz de Deus e voz de homem. Oportunidades de prosperar e ciladas dos inimigos. 

Parece improvável que diante de tantas provas de amor e proteção Divina, sinais e maravilhas, os israelitas ainda optassem por caminhos errados, escolhas desastrosas. Porém, acontecia. E por muitas vezes as escolhas erradas do povo geraram más consequências no individual e no coletivo.

Homens pensam e escolhem o tempo inteiro, assim é que se constrói (ou destrói) a vida.  Escolher é separar um entre muitos, e para cada um que se separa segue-se um conjunto de outros.

O filósofo Kant disse que nossas escolhas não apenas definem o que somos, mas o que os outros podem vir a ser. Nossas escolhas formam uma reação em cadeia. O mundo vive essa reação onde a soma das escolhas dos habitantes do planeta terra o torna um lugar melhor ou pior de se morar. É óbvio que a vida é feita de escolhas, as fazemos naturalmente, não é mesmo? O problema que persiste em nós, é o mesmo que persistiu com os israelitas no deserto há muito mais de três mil anos atrás: “fazemos escolhas, mas estamos prontos para lidar com as consequências do que escolhemos?”

Há coisas que desejamos demasiadamente, colocamos nossa força e coração para alcançar, mas sequer medimos os resultados: “E Ele lhes cumpriu o seu desejo, mas enviou magreza às suas almas” Sl 106:15. A magreza chegou quando os Israelitas escolheram um deus mudo e cego em forma de bezerro, em detrimento de um Deus vivo , amoroso e poderosos que lhes guiava pelo caminho. A magreza chegou para Davi, homem segundo o coração de Deus, que escolheu o pecado do adultério, não resistindo a tentação e encanto de Betseba. A magreza chegou para Sansão quando deu ouvidos a Dalila e a magreza chega sempre quando escolhemos o que não agrada a Deus.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Cartas de Deus para você




De C.S Lewis
Tradução:
Wilma Rejane

Como um pequeno peixe nadando no vasto oceano da história e se sentindo insignificante no grande esquema da vida? Por favor, considere esse confortante artigo que fala sobre quem somos. Todo mundo tem um papel no plano de Deus. Sua vida e seu destino não são acidentes. Aqui são apenas algumas das coisas que Deus está escrevendo para a sua vida:

1- Nossa vida mostra a graça de Deus

Um relacionamento real com Jesus Cristo significa um renascimento. Significa uma percepção de que somos pecadores e um precisamos de um Salvador. Isso significa que concordamos que há algo errado conosco e que Jesus é a solução. Quando  aceitamos Jesus como Salvador, Ele nos transforma, muda a maneira de olhar as coisas, e tão importante: Ele muda a forma como agimos. Isso é um testemunho da graça transformadora de Deus. Em outras palavras, nossa vida é uma evidência da graça de Deus. Se não for para servir a esse elevado propósito, a vida não tem sentido.

2-A jornada de nossa vida lembra outros do poder de Deus

A igreja nunca foi destinada a ser um museu de santos e pessoas perfeitas, ela é um hospital onde as pessoas vão quando estão doentes. Estamos todos sofrendo desta doença chamada pecado. Assim como com muitas doenças, o pecado leva à morte. Uma vez transformados e renascidos em Jesus, estando sendo tratados na igreja, através do poder da graça de Deus, lembremos as pessoas ao nosso redor da capacidade de Deus de transformar  pessoas caídas em novas criaturas.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Licões de superação com a mulher cananeia



Wallace Sousa

" Saindo daquele lugar, Jesus retirou-se para a região de Tiro e de Sidom. Uma mulher cananeia, natural dali, veio a ele, gritando: “Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Minha filha está endemoninhada e está sofrendo muito”. Mas Jesus não lhe respondeu palavra. Então seus discípulos se aproximaram dele e pediram: “Manda-a embora, pois vem gritando atrás de nós”. Ele respondeu: “Eu fui enviado apenas às ovelhas perdidas de Israel”. A mulher veio, adorou-o de joelhos e disse: “Senhor, ajuda-me! ” Ele respondeu: “Não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos”. Disse ela, porém: “Sim, Senhor, mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos”. Jesus respondeu: “Mulher, grande é a sua fé! Seja conforme você deseja”. E naquele mesmo instante a sua filha foi curada." Mateus 15. 21 a 28

A princípio, podemos dizer que essa mulher nos ensina 4 lições para hoje, mesmo sendo seu relato distante de nós quase 2 milênios. Confira:

1. A superação da tragédia familiar

Muitas pessoas vivem dramas familiares hoje em dia. Na casa daquela mulher sem nome desenrolava-se uma tragédia familiar, à qual ela era obrigada, todos os dias, a assistir impotente. Esse, talvez, seja seu caso, de ter que conviver com um problema insolúvel em seu lar. Pense na angústia que aquela mulher sofria, ao ver sua criança, a quem carregou por longos nove meses, e a quem amava, sofrendo de um mal que ela não compreendia e, pior, não podia resolver.

Todavia, ela nos deixou uma lição de superação, difícil de ser copiada, mas fácil de ser compreendida: ela, a despeito do tamanho do problema enfrentado, não ficou choramingando pelos cantos e lamentando sia [falta de] sorte. Não, ela saiu de seu lugar de [des]conforto, de seu comodismo e foi em busca de auxílio. Se você está passando por problemas semelhantes, pare de se lamentar e vá em busca de quem pode ajudá-lo. Batei e abrir-se-vos-á.

2. A superação do silêncio de Deus

Existem algumas coisas na vida cristã que são difíceis de engolir, deglutir. Entre essas, o silêncio de Deus é uma das mais espinhosas… somente quem tem uma fé alicerçada na Rocha pode suportar o desconcertante silêncio divino. Aquela mulher fez um clamor desesperado ao Senhor, de quem havia a fama de que Ele curava a todos que se chegavam a Ele. E sabe o que ela ouviu? Esse foi o problema, ela não ouviu nada.


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Liberdade de expressão e Charlie Hebdo

Jovem francesa em protesto pelo massacre no Charlie Hebdo: "Liberté".



Wilma Rejane

A França e o mundo ainda estão perplexos pelo atentado ocorrido em 7 de Janeiro no jornal Charlie Hebdo. Após matar 12 jornalistas, ainda na França, as armas dispararam contra judeus no mercado público de Hyper Cacher. Diante dessa barbárie, surgem os debates que procuram compreender o homem sob diversos aspectos. 

Na sociologia dizemos que o selvagem não é bem o homem das cavernas de tempos remotos que se deslumbrava com o fogo e a evolução dos inventos. O selvagem é qualquer um, que mesmo vivendo na "civilização", perde o controle de si estando sob ataque. E daí vem o espanto: Como pode homens agirem como feras? E sob o aspecto aqui destacado (Charlie Hebdo) podemos estender as interrogações: Quem são as feras dessa barbárie? Quem puxou o gatilho primeiro?.

O silêncio dos mortos reascende debates antigos e sempre atuais sobre liberdade de expressão, religião e Estado. Esse silêncio violento grita por respostas. Respostas que talvez nunca aconteçam porque o inesperado está à porta da civilização. A medida de bem e mal é como uma balança desequilibrada pela desigualdade e o coração do homem é um universo bem maior que a via láctea. A história humana é repleta de tragédias que não se justificam e sempre surpreendem pela atrocidade.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Trazendo à memória o Deus da esperança




Wilma Rejane


“ Todos os meus concidadãos sabem que você é mulher virtuosa.” Rute 3:11

Rute era uma estrangeira entre os judeus. Uma moabita, viúva e pobre. Alguém que vinha passando por dificuldades financeiras e sentimentais. Rute não tinha emprego e  apesar de jovem, escolhera passar o restante de seus dias ao lado da sogra Noemi também viúva e enlutada de filhos. Rute é um grande exemplo do amor, bondade e poder de Deus. Ela é portadora de uma Boa Nova chamada: restauração. Em uma perspectiva meramente humana esta mulher seria considerada fracassada.

Porém, apesar das tantas perdas de Rute, vale lembrar que ela permaneceu confiante no futuro pela fé em Deus. Ela não se intimidou em recomeçar uma nova etapa na vida a partir de coisas aparentemente pequenas. Decidiu respigar no campo de um homem muito rico e honrado chamado Boaz. Respigar, em época de colheita ( de cereais ou frutas) era um costume antigo estabelecido por lei (Deuteronômio 24: 19-22) para beneficiar pobres, viúvas,órfãos e estrangeiros.

A jovem Rute, ao respigar na colheita declarava pertencer a uma classe social necessitada. Mas não era só isso: ao respigar no campo de Boaz, Rute demonstrava não desanimar ou se intimidar com a situação desfavorável. E não é incrível que mesmo fazendo um trabalho temporário e desprestigiado socialmente, Deus tenha abençoado essa jovem a ponto de torná-la conhecida em todo Israel como uma grande mulher? Por que? Por causa do caráter e da fé. O comportamento de Rute chamava atenção. Seu segredo era uma vida de oração.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Namoro e casamento entre cristãos




Por: João Cruzué


A maneira mais fácil para um jovem cristão desviar-se do propósito inicial de Deus é se casando com a pessoa errada. Tenho recebido muitos e-mails de irmãos que têm dúvidas quanto ao namoro, como de outros que já se casaram fora do propósito de Deus e estão com a vida sentimental em pedaços. A Bíblia diz em Provérbios 18:22 que o crente que acha uma boa esposa, foi abençoado com o favor de Deus. Não fiz doutorado em assuntos sentimentais, todavia estou casado há 31 anos e as filhas que o Senhor presentou a minha esposa e a mim estão firmes na Igreja, nesse sentido, posso dizer que minha casa e eu servimos ao Senhor. Este artigo tem o propósito de ajudar jovens cristãos solteiros sobre algumas dúvidas sobre vida sentimental, e a maneira mais fácil, que vejo, é através de perguntas e respostas.

1. Para que serve o namoro?

O namoro serve para conhecer um pouco mais sobre o que cada um pensa, que perspectiva tem para os anos vindouros, o que está fazendo no momento (trabalho, estudos...), detalhes muito importantes para perceber de antemão um pouco de como a pessoa é. Isto é particularmente difícil, pois quando as pessoas engatam um namoro, na maioria das vezes, já está comprometida emocionalmente. E, assim, todos os defeitos de caráter, forma de pensar, perspectiva de vida já não podem ser analisados com a razão, isto é, de forma crítica.

2. Quando se deve iniciar um namoro cristão?

Eu creio que a prioridade de um adolescente/jovem nos dias atuais são os estudos. Quem casa, certamente, vai constituir uma família. Ter um filho, principalmente, para a mulher é uma tarefa mais pesada que de um homem. Explico: se ela estiver estudando, vai precisar interromper seus estudos. Se sua carreira demanda muita aplicação nestes estudos, pode ser que o tempo para cuidar do bebê influa na conclusão do curso.


quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

A picada do basilisco




Wilma Rejane

" Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. Pois ao final te morderá como a cobra e picará como o basilisco." (Provérbios 23: 31,32)

Os versos em questão falam sobre os efeitos nocivos da bebida alcoólica, correto? À primeira vista pode parecer que sim, mas em uma análise mais completa do capítulo 23 de provérbios, veremos que essa atrativa taça de vinho e a consequente ressaca diz respeito também a  prostituição.

Provérbios 23:

26 Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos se agradem dos meus caminhos.
27 Pois cova profunda é a prostituta, poço estreito, a alheia.
28 Ela, como salteador, se põe a espreitar e multiplica entre os homens os infiéis.
29 Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as rixas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos?
30 Para os que se demoram em beber vinho, para os que andam buscando bebida misturada.
31 Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente.
32 Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco.
33 Os teus olhos verão coisas esquisitas, e o teu coração falará perversidades.
34 Serás como o que se deita no meio do mar e como o que se deita no alto do mastro
35 e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando despertarei? Então, tornarei a beber.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...