4 atitudes da Mulher Cananéia que são lições de superação





Wallace Sousa

A Bíblia contém diversas passagens que não são fáceis de entender, e isso não é novidade para quem se dispõe a lê-la de forma constante e contínua. Algumas passagens, penso eu, são mais difíceis de interpretar simplesmente porque são constrangedoras demais ou porque vão de encontro à forma como queríamos que fosse e, por isso, não aceitamos aquilo que está bem claro diante de nós.

Talvez esse seja o caso da passagem a seguir, que, durante muitos anos, me foi uma pedra de tropeço, justamente porque eu não queria admitir que a passagem estava certa e eu, errado. Quantos textos bíblicos temos desprezado simplesmente por que eles não dizem o que queremos ouvir, ou por que nos dizem o que NÃO queremos ouvir? Vamos meditar um pouco sobre essa passagem que reflete bem isso, de ser inconveniente e constrangedora para uma fé que ignora a vontade soberana do Senhor.

Saindo daquele lugar, Jesus retirou-se para a região de Tiro e de Sidom. Uma mulher cananéia, natural dali, veio a ele, gritando: “Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Minha filha está endemoninhada e está sofrendo muito”. Mas Jesus não lhe respondeu palavra. Então seus discípulos se aproximaram dele e pediram: “Manda-a embora, pois vem gritando atrás de nós”. Ele respondeu: “Eu fui enviado apenas às ovelhas perdidas de Israel”. A mulher veio, adorou-o de joelhos e disse: “Senhor, ajuda-me! ” Ele respondeu: “Não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos”. Disse ela, porém: “Sim, Senhor, mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos”. Jesus respondeu: “Mulher, grande é a sua fé! Seja conforme você deseja”. E naquele mesmo instante a sua filha foi curada. Mateus 15. 21 a 28

A princípio, podemos dizer que essa mulher nos ensina 4 lições para hoje, mesmo sendo seu relato distante de nós quase 2 milênios. Confira:

A virtude da Paciência




João Cruzué

É muito fácil falar "acalme-se, tenha paciência", principalmente quando o aconselhador não está no lugar do aflito. Gostaria de deixar, aqui, algumas palavras singelas de reflexão em Lucas 12:22, quando Jesus Cristo começou a ensinar assim: "Não estejais apreensivos pela vossa vida..."

Em suas palavras Ele disse que a solicitude de resolver certas coisas, não será o meio para se chegar à solução. Jesus falou do cuidado com as aves que não semeiam e nem segam, e concluiu que uma alma, tem mais valor para Deus que as aves do céu.

O problema começa em nossa mente. Começamos a pensar negativamente e às vezes nos desesperamos. Mas, Deus não quer assim. Pare! Observe o que você estiver pensando. Jesus quis dizer que o SENHOR está no controle. Estava no controle quando Jairo foi desesperado até ele, por causa da filha de 12 anos, à beira da morte.

Estava no controle, quando Lázaro já estava morto no sepulcro há três dias. Estava no controle, quando viu aquele cocho, doente há 38 anos, esperando o movimento das águas do tanque. Estava no controle, quando a viúva de Naim seguiu no cortejo fúnebre do seu único filho, morto.

Significado de trevas em Isaías 50



Wilma Rejane

Quem há entre vós que tema ao Senhor e ouça a voz do seu servo? Quando andar em trevas, e não tiver luz nenhuma, confie no nome do Senhor, e firme-se sobre o seu Deus.Eis que todos vós, que acendeis fogo, e vos cingis com faíscas, andai entre as labaredas do vosso fogo, e entre as faíscas, que acendestes. Isto vos sobrevirá da minha mão, e em tormentos jazereis. Isaías 50:10,11


Tenho certeza de que Deus habita conosco quer estejamos em plena luz ou em densas trevas. Consideremos "trevas" no verso de Isaías, situações de adversidades que chegam de repente ou que se arrastam por longos períodos (doenças, deficiências físicas, situação financeira, entre outros). Enfim, situações que não foram provocadas por pecados voluntários como adultérios, vícios, mentiras, roubo e outros casos cujas consequências provocam sofrimentos.

Está em trevas pode indicar um estado emocional de desânimo, falta de perspectiva, tristeza ou até mesmo depressão. É um lugar onde há solidão e escuridão. E a palavra de Deus pronunciada por Isaías chega como uma certeza renovadora, restauradora: " Deus está presente, Ele fala nos dias de trevas, somos capazes de ouvir Sua voz?". A certeza da presença de Deus conosco gera um diferencial que da força para viver.

Os filhos de Deus e os filhos dos homens na época de Noé



Autor:Julia Blum
Instituto Bíblico de Israel
Parceiro do Tenda na Rocha
Tradução: Wilma Rejane


Se perguntarmos a algum cristão hoje: " Por que existe pecado no mundo?", a maioria, certamente responderia: "por causa da Queda de Adão". No entanto, nem sempre foi assim. “Se você perguntasse a um judeu que viveu no período do Segundo Templo, a resposta seria dramaticamente diferente. Sim, a entrada do pecado no bom mundo de Deus teria ocorrido no Éden, mas o testemunho unânime do judaísmo do Segundo Templo é que os Sentinelas (ou vigilantes) seriam os culpados pela proliferação do mal na Terra. [1]

Para entender quem eram esses Vigilantes, vamos ler o polêmico começo do capítulo 6 do livro de Gênesis, mesmo que esses versículos ainda pertençam formalmente à primeira porção da Torá, os discutiremos aqui, desde a história de Noé e a imagem de Noé no Novo Testamento, para que essa história seja compreendida mais corretamente. Poucas passagens da Bíblia levantam tantas perguntas quanto esses versículos:

... os filhos de Deus viram as filhas dos homens, que eram lindas; e eles tomaram para si mulheres de todos os que escolheram ... Havia gigantes na terra naqueles dias, e também depois, quando os filhos de Deus vieram para as filhas dos homens e eles lhes deram filhos ...

Durante séculos, as pessoas debatem se a expressão “filhos de Deus” se refere a anjos ou homens, e quem eram esses nefilins / gigantes. Muitos estudiosos respeitados comentaram sobre esse tópico ao longo dos anos, e a identidade dos nefilins e dos filhos de Deus ainda está sendo debatida hoje. A interpretação sobrenatural de Gênesis 6: 1-4 não é muito popular no cristianismo moderno ou no judaísmo moderno, no entanto, esse não era o caso no judaísmo do Segundo Templo: de acordo com seu entendimento, os Vigias ou "os filhos de Deus" eram claramente seres angelicais.

O judaísmo do Segundo Templo viu nesses versículos não apenas a história de uma rebelião sobrenatural, mas de uma das passagens centrais na teologia bíblica e na compreensão do plano de Deus na história. O Livro dos Observadores (primeira parte do livro de Enoque) descreve a revolta dos Observadores celestes, que levou ao mal na Terra. Os Observadores produzem gigantes na terra por sua união com mulheres humanas, e esses gigantes não são apenas moralmente maus, mas também espiritualmente destrutivos. Como os escritores do Novo Testamento pertenciam ao judaísmo do Segundo Templo, esse entendimento dos Observadores era responsável pela propagação do mal na Terra,  2 Pedro. 2: 4 , 5 ; Judas.1: 6 ).

Seja salvo desta geração perversa

Jacó em: Não há vitórias sem lutas




Wallace Sousa


" E Jacó ficou sozinho. Então veio um homem que se pôs a lutar com ele até o amanhecer. Quando o homem viu que não poderia dominá-lo, tocou na articulação da coxa de Jacó, de forma que lhe deslocou a coxa, enquanto lutavam. Então o homem disse: Deixe-me ir, pois o dia já desponta. Mas Jacó lhe respondeu: Não te deixarei ir, a não ser que me abençoes. O homem lhe perguntou: Qual é o seu nome? Jacó, respondeu ele. Então disse o homem: Seu nome não será mais Jacó, mas sim Israel, porque você lutou com Deus e com homens e venceu“. (grifos acrescidos) Gênesis 32:24-28

Quem diria que uma leitura despretensiosa em uma reunião de oração comum, em mais um dia de trabalho normal, pudesse gerar uma lição tão complexa? Você já percebeu que, às vezes, é por meio das coisas mais comuns que podemos tirar grandes lições? Éramos apenas duas pessoas naquela reunião, claro, sem contar o Senhor, que disse que onde estivessem 2 ou 3 reunidos em Seu nome, ali Ele estaria também (risos). As coisas que aprendi naquele dia quero compartilhar com você, caro leitor.

Jacó, também conhecido por Israel, é um dos personagens mais intrigantes, singulares e ricos (material e psicologicamente falando) das Escrituras. Na verdade, o livro de Gênesis é todo ele um livro de uma tal riqueza literária que é até difícil apontar a história mais bonita ou interessante dentre as que são ali descritas. Um livro digno de abrir o rol da coletânea sagrada, inspirador, cativante e, por vezes, arrebatador (Enoque que o diga…). Cheio de histórias tristes, alegres, emocionantes e surpreendentes. Não é à toa que, mesmo tendo-o lido mais de dez vezes, ainda descubro coisas novas em suas páginas.

Jacó, um dos 3 patriarcas, ao lado de Isaque (seu pai) e Abraão (seu avô), é um dos personagens centrais da segunda metade do livro, e foi de uma pequena parte da vida desse homem de personalidade tão complexa que extraí as lições a seguir. Por favor, me acompanhe nesta fascinante e surpreendente jornada.

1. Solidão: inimigo invisível, porém implacável e cruel

Se nunca se sentiu sozinho, não se iluda, isso vai acontecer, mais cedo ou mais tarde. Como eu só fui casar quando já estava quase vencendo meu prazo de validade (oh! My God! risos) e, durante muito tempo, morei longe de meus familiares, a solidão se tornou quase uma coceira: quando era muita incomodava, mas quando era pouca, até gostava… oh, vida cruel. Sabe o que era mais chato na solidão? Eram aqueles momentos de desânimo e depressão justamente quando não havia ninguém por perto a quem recorrer.

Com Jacó foi assim: quando ele se viu sozinho, a maior luta de vida teve início. Talvez esteja acontecendo com você, justo agora, que chegou até aqui por acaso (ou não!) e não sabe a quem pedir ajuda. Todavia, neste momento, esfrie a cabeça e tenha em mente que esta pode ser a luta de sua vida e, vencendo-a, tudo mudará e sua história será contada de forma diferente a partir de então. Será isso possível? Sim. Foi com Jacó. Pode ser com você também, por que não?

Parecia ser o último fio de esperança...





Wilma Rejane

Pela fé caíram os muros de Jericó, sendo rodeados durante sete dias. Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias.” Hebreus 11:30,31.

Jericó Situava-se em uma posição estratégica para o controle das vias de acesso que subiam do baixo Jordão até as montanhas da Judeia. Era uma das cidade-estados de Canaã com boa terra, água em abundância e muitas vinhas. Conquistar Jericó era uma das missões de Josué e ele o fez sob orientação Divina: o alto muro que circundava a cidade cai por terra após sete dias de vigília, quando o povo e os sacerdotes israelitas rodearam a cidade. Deus, miraculosamente derruba as muralhas fortificadas, abrindo caminho para Israel despojar a cidade.

Nesse cenário de conquista surge uma personagem gentia chamada Raabe, uma prostituta,  descrita em idioma original como “ Zônah”. A casa ou hospedaria de Raabe situava-se em cima do muro da cidade, com  vista privilegiada e uma ampla janela que lhe permitia conhecer a movimentação local. Os espiões de israel foram até Raabe buscar informações importantes, especialmente porque da janela de Raabe avistava-se os portões da cidade: quem entrava, saía, os horários de calmaria e de maior movimentação. E Raabe considerou os espiões não como inimigos, mas como servos do Deus que tanto ouvira falar. Para Raabe, aqueles homens estavam em missão Divina e ela sentia-se privilegiada em poder ajudá-los. Em vez de entregar os espiões para as autoridades de Jericó, Raabe os esconde no teto plano de sua casa, debaixo das canas de linho.

Entre os meses de Março e Abril acontecia a colheita do linho em Canaã. O linho era colocado sobre o telhado para secar, após isso era usado para confecção de roupas finas. Raabe cobre os espiões com as canas de linho, depois faz com que desçam por uma corda, pela janela. Raabe era uma gentia, aliás, a primeira gentia a ser abrigada entre o povo da promessa. A cidade de Jericó foi destruída, incendiada, toda a população dizimada, aquele território ficou como um deserto, mas um remanescente foi salvo por causa da fé de Raabe. 

Fico imaginando o extenso muro de Jericó derrubado  e apenas uma ínfima parte dele, a que sustentava a casa de Raabe de pé, uma janela e um cordão cor escarlate pendurado. Não é maravilhoso saber que os anjos de Deus preservaram a casa de Raabe? Enquanto tudo desmoronava havia um lugar guardado por Deus que não fora abalado, em nome da fé de uma simples mulher , e, claro; da fidelidade de Deus.

Removendo a amargura do coração





É inevitável. As pessoas vão nos machucar. Até mesmo aquelas próximas a você. Na verdade, talvez especialmente aquelas próximas a você.Com cada ferida, há o potencial para despertar o monstro da amargura. Ele tem um sono leve. E ele é mais inteligente do que pensamos. Até uma pequena briga no relacionamento é suficiente para despertá-lo para a ação. Não devemos subestimá-lo.

Amargura: ferida causada tanto por ofensa real ou apenas aparente, que passa sem ser checada, e é permitida a continuar devido à falha de aplicação dos princípios bíblicos e meditação sobre a ofensa, resultando em ódio e ressentimento.

Amargura é a cura rápida da carne. Lidar biblicamente com o conflito e com as feridas se torna muito trabalhoso. Então, como um traficante espiritual, amargura oferece uma rápida sensação de “estar alto”. Mas, apesar de ela oferecer isso por um momento, ela te destrói com o tempo.

Com certeza, feridas reais ocorrem muito mais do que frequentemente por meio de atrocidades como abuso e atos criminosos. Nesses casos, a luta contra a amargura pode ser torturante. Até mesmo e especialmente nesses casos, Deus estende sua confortante e transformadora graça para a maior ferida da vida. (Gn 50:20)

Mas frequentemente, amargura se desliza e é semeada em milhares de momentos menores e em lutas na nossa vida habitual. Por essa razão, devemos estar em guarda. Cristão, temos que resistir a isso. E nos arrepender. A amargura é uma assassina.

Aqui estão algumas poucas maneiras que me ajudaram em minhas próprias batalhas contra a amargura:

1-Não subestime o poder da amargura

Me assusta quão facilmente a amargura invade o meu coração. E igualmente assustador é a quantidade de pessoas que em suas lutas da vida diária dizem: “Ah, eu não estou amargurado, eu só estou tendo um pouco de dificuldade”. Nenhum de nós está acima disso.

A perseverança de José do Egito




 Por: João Cruzué


Sei que milhares de textos há sobre José, o neto de Labão,  o jovem arameu que chegou ao Egito como escravo, depois de 12 anos deixou a escravidão para ser o segundo homem mais poderoso na terra dos faraós. Depois de muito tempo sem escrever, estou aqui de novo, para compartilhar esse pão de letrinhas sobre este grandioso personagem bíblico.

José não nasceu em Canaã. Ele e todos os irmãos eram arameus da Síria. Seu berço ficava  na região de Haran cujo nome  é dado a uma  cidade que existe por lá nos dias de hoje.

José, o filho preferido do pai, para chegar ao topo do monte da vitória, passou por um processo de refino de várias etapas. Debaixo de muitas aflições, ele foi amassado e prensado pelo menos cinco vezes.

1. Foi desprezado, odiado e vendido pelos irmãos;

2. Foi revendido como escravo para a família de um nobre egípcio;

3. Foi cobiçado pela mulher do dono e quase foi morto pela fúria de sua rejeição aos desejos dela;

4. Depois foi preso injustamente e esquecido por muitos anos no cárcere sob as mãos do capitão da guarda do faraó

5. Em todo esse tempo, Deus não lhe respondeu uma palavra. Mas, estava atento e cuidando do moço no silêncio.

Perseverar como uma mola

 Wallace Sousa

    Texto Bíblico: E agora, filhinhos, permanecei nele; para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança, e não sejamos confundidos por ele na sua vinda. 1 João 2:28

Talvez esse não seja o seu caso, mas uma das grandes dificuldades que praticamente todo homem enfrenta é perseverar.

Permanecer é perseverar, insistir quando tudo parece ir ao contrário do que esperamos e desejamos. Isso é tanto verdade que aqueles que perseveram destacam-se naturalmente dos demais.

Atualmente vemos uma epidemia de divórcios e casamentos fracassados em nossa sociedade e que alcança também a igreja. Hoje mesmo estive conversando com meu pastor sobre pessoas que não permanecem, seja fazendo ou pensando, da mesma forma de antes.

Evidentemente, isso não inclui mudanças para melhor e em consequência do aperfeiçoamento natural que se espera em nossa trajetória pessoal. Perseverar também está relacionado com resiliência que, originalmente, significava “propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica”.

Pense em uma mola submetida a uma pressão deformadora, seja comprimindo-a ou esticando-a. Mas, agora, resiliência também se aplica a nós, seres humanos, que pode ser entendida como a capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar a situações difíceis ou às mudanças, repentinas ou traumáticas.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...