O que você faria se encontrasse a mais linda e verdadeira carta de amor, escrita para você?





 Wilma Rejane

São três histórias sobre cartas de amor. Uma foi escrita em 1934 e encontrada recentemente, a destinatária nunca chegou a ler o conteúdo. A outra carta foi encontrada em Abril de 2013, na Espanha e data de aproximadamente 300 anos, acredita-se que foi lida e escondida por ser um caso de amor proibido. A terceira carta é a mais antiga, ela foi escrita para você, espero que leia todo o artigo e conheça a história das três cartas, especialmente da que é destinada a você.


A história da primeira carta:

Uma misteriosa carta de amor enviada em 1934 foi encontrada em Durham, na Carolina do Norte (EUA), 76 anos depois de ser postada no correio de Salem, na Virgínia (EUA). Intacta, a mensagem destinada a Margaret Davey foi achada pelo diretor de operações da Universidade de Duke. Mike Trogdon ficou intrigado e foi à caça do destinatário.

Dentro do envelope havia um cartão desenhado com corações, uma girafa e a mensagem: "na corrida pelo meu amor, você ganhou por um pescoço longo. Então seja meu querido". Ao final, a remetente se identificava como Joyce.



Ao pesquisar nos arquivos da universidade, Trogdon descobriu que Margaret Davey se formou em enfermaria no ano de 1935 e se casou com um soldado da Segunda Guerra Mundial.

Quando o diretor foi até a casa de Margaret, foi informado de que ela morreu em janeiro deste ano, aos 96 anos.Dois meses antes da descoberta da mensagem.

Ao mostrar a mensagem para os filhos da enfermeira, outra revelação: a remetente estava viva e era uma sobrinha distante de Margaret.

Joyce está com 82 anos e se emocionou ao rever sua declaração de amor para a tia. "Ela era a minha preferida", disse a senhora.

A história da segunda carta em vídeo:




Terceira carta, a mais antiga:" Morri por amor a ti e revivi pelo mesmo motivo"

Há uma tragédia silenciosa em nossas casas, a necessidade de mudanças é urgente!

Brincadeira ao ar livre


Dr. Luís Rajos Marcos
Médico Psiquiatra

Há uma tragédia silenciosa que está se desenvolvendo hoje em nossas casas e diz respeito às nossas joias mais preciosas: nossos filhos. Nossos filhos estão em um estado emocional devastador! Nos últimos 15 anos, os pesquisadores nos deram estatísticas cada vez mais alarmantes sobre um aumento agudo e constante da doença mental da infância que agora está atingindo proporções epidêmicas.

As estatísticas:

1 em cada 5 criança tem problemas de saúde mental
Um aumento de 43% no TDAH foi observado
Um aumento de 37% na depressão adolescente foi observado
Um aumento de 200% na taxa de suicídio foi observado em crianças de 10 a 14 anos

O que está acontecendo e o que estamos fazendo de errado?

As crianças de hoje estão sendo estimuladas e superdimensionadas com objetos materiais, mas são privadas dos conceitos básicos de uma infância saudável, tais como:
  • Pais emocionalmente disponíveis
  • Limites claramente definidos
  • Responsabilidades
  • Nutrição equilibrada e sono adequado
  • Movimento em geral, mas especialmente ao ar livre.
  • Jogo criativo, interação social, oportunidades de jogo não estruturadas e espaços para o tédio.

Em contraste, nos últimos anos as crianças foram preenchidas com:
  • Pais digitalmente distraídos
  • Pais indulgentes e permissivos que deixam que as crianças “governarem o mundo” e sem quem estabeleça as regras
  • Um sentido de direito, de obter tudo sem merecê-lo ou ser responsável por obtê-lo.
  • sono inadequado e nutrição desequilibrada
  • Um estilo de vida sedentário
  • Estimulação sem fim, armas tecnológicas, gratificação instantânea e ausência de momentos chatos.
O que fazer?

Qual o motivo do joio crescer junto com o trigo?

Joio (cizânia) e trigo


Wilma Rejane

Anos atrás escrevi um estudo sobre Joio e trigo , torno a fazer para acrescentar algumas coisas que as releituras desvelaram. Essa parábola está na sequência da Parábola do Semeador e antecedendo a do grão de mostarda. Assim, no Evangelho de Mateus, essas três parábolas podem ser lidas conjuntamente e acredito que não estão ordenadas de forma aleatória, mas proposital.

Na parábola do semeador Jesus é o que lança as sementes, estas germinarão e darão frutos de acordo com o tipo de solo: “ E quanto à semente que caiu em boa terra, esse é o caso daquele que ouve a palavra e a entende, e dá uma colheita de cem, sessenta e trinta por um". Mateus 13:23.

Já na parábola do Joio e do trigo a ênfase está no fruto. Este sim é que define a qualidade da planta, da colheita e até do semeador:

Jesus lhes contou outra parábola, dizendo:

"O Reino dos céus é como um homem que semeou boa semente em seu campo.  Mas enquanto todos dormiam, veio o seu inimigo e semeou o joio no meio do trigo e se foi.   Quando o trigo brotou e formou espigas, o joio também apareceu.  Os servos do dono do campo dirigiram-se a ele e disseram: O senhor não semeou boa semente em seu campo? Então, de onde veio o joio? Um inimigo fez isso, respondeu ele. Os servos lhe perguntaram: O senhor quer que o tiremos?Ele respondeu: 'Não, porque, ao tirar o joio, vocês poderiam arrancar com ele o trigo.  Deixem que cresçam juntos até a colheita. Então direi aos encarregados da colheita: Juntem primeiro o joio e amarrem-no em feixes para ser queimado; depois juntem o trigo e guardem-no no meu celeiro'". Mateus 13:24-30.

A explicação da parábola, dada por Jesus:

O que semeia a boa semente é o Filho do homem;  o campo é o mundo; a boa semente são os filhos do reino; o o joio são os filhos do maligno;  o inimigo que o semeou é o Diabo; a ceifa é o fim do mundo, e os celeiros são os anjos.  Pois assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será no fim do mundo.  Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles ajuntarão do seu reino todos os que servem de tropeço, e os que praticam a iniquidade,  e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá choro e ranger de dentes.  Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça. Mateus 13: 37-43.

No campo e no mundo

Na lei romana existia a proibição de que inimigos de fazendeiros - como forma de boicote ou até mesmo vingança - semeassem joio (cizânia) nos campos de trigo. (Trench pag 72,73). A motivação para ação era ódio e inveja. E tal qual o caráter corrompido desse semeador de joio era o fruto dessa planta, também chamada de cizânia e que se espalha com muita facilidade em qualquer tipo de solo.

Joio e trigo crescendo no mesmo campo têm suas raízes entrelaçadas. É praticamente impossível fazer uma colheita do joio no campo do trigo sem haver prejuízos para safra e agricultor. Arrancou o joio, o trigo vem junto! Por isso, o mais prudente é deixar os dois crescerem juntos e quando os grãos despontarem, ai sim, faz-se a colheita.

Além do aspecto de entrelaçamento de raízes (joio e trigo) existe ainda a incrível semelhança entre as plantas: joio e trigo são idênticos, mas as diferenças se tornam visíveis quando crescem e despontam os frutos, ou grãos. Grãos de trigo são pesados, graúdos. Grãos (?) de joio nem são grãos, mas qualquer coisa que os imite e de forma muito inferior.

O Semeador e as sementes

O trigo expressa o caráter de seu Semeador: Jesus.Tem o objetivo de povoar o campo com sementes que alimentam e trazem vida. O trigo é o homem revestido de Cristo, operando de acordo com o propósito para o qual foi criado:  “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança;  E criou Deus o homem à sua imagem: E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra,  E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra...E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom” Gn 1:26-31.

Trigo é a igreja, são os filhos de Deus. Estes estão sob os cuidados atentos do dono do campo e nenhuma semente, nenhum molho, será desperdiçado. E assim como o trigo crescido se curva em direção à terra, por conta do peso dos grãos, assim são os que servem ao Senhor Jesus: frutificando, crescendo e ainda que diminuam pela servidão e humildade, permanecerão grandes. 

A promessa de Deus para Abraão e o Karma do Hinduísmo



"Não foi o deus do karma que se revelou a Abraão, mas o Deus da Nova Aliança"


Wilma Rejane

Ora disse o Senhor a Abrão, sai da tua casa e da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que eu te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome, sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra” Gênesis 12:1,2,3.


A promessa de Deus para Abraão estava condicionada a uma caminhada de  aproximadamente 2.400 km no deserto, entre vales e montes, terra árida e fértil, fome e abundância. Aos 75 anos de idade, lá estava ele, partindo rumo a uma promessa, cheio de esperança, fé e disposição. Como um pai amoroso, Deus abençoa seu filho Abraão para que ele seja bem sucedido em tudo. Aproveito essa passagem Bíblica para fazer uma reflexão sobre as crenças pós morte que condicionam a felicidade a infinitos círculos : desencarnar, reencarnar.


Felicidade não é moska nem carma

Há uma crença no hinduísmo de que o tempo é circular, morremos e renascemos em outro corpo para cumprirmos os carmas, ou seja as recompensas pelos atos praticados na vida anterior. O eu de cada pessoa é chamado de átman que em  comunhão  com Brâman espírito supremo, encontra a liberdade, esse ápice da alma recebe o nome de moska. Cada religião procura explicar o sentido da vida e da morte e os homens se entregam a ideologias religiosas na ânsia de encontrarem felicidade e salvação. O que não tem sentido algum para mim, torna-se motivo de viver para outros. Não compreendo uma vida em círculos, por caminhos fechados, desembocando sempre nos limites  do aprisionamento. O moska do hinduísmo está presente em infinitas ideologias que limitam os sonhos ao destino unicamente, a ação do eu e de sua relação com um deus que: apesar de dar novas oportunidades através da reencarnação, nunca perdoa verdadeiramente, de outra forma, para que carma?

Na doutrina espírita, acontece algo semelhante: os mortos têm domínio sobre os vivos, felicidade e salvação estão condicionados ao agir, ao desempenho nesse mundo presente. Quem for bom, reencarnará em outro corpo, recebendo recompensa pelos atos praticados em vidas passadas. O mal, tal qual o hinduísmo, viria em forma de Carma para disciplinar, moldar, cumprir o destino circular.


Cada Ser, uma vida eterna.

Hebreus 9:27 E como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo.

Não foi o deus do karma que se revelou a Abraão enviando-o a terra prometida, Ele não disse: Vai Abraão viverás muitas vezes e de muitas maneiras e se não der certo alcançares as bençãos agora, alcançaras em outra encarnação”. Não! Tudo o que Abraão tinha direito e até o que não tinha, recebeu em vida! As promessas feitas a ele  ecoam pela eternidade porque foram para gerações, como as estrelas do céu, os grãos de areia do universo! Não foi a morte quem herdou as realizações do que O Deus de Israel falou, foi a vida! Tudo quanto Deus prometeu, cumpriu. Não deixou dívida alguma para ser paga em outras encarnações, mesmo porque, Abraão viveria apenas uma vez e morreria para herdar a eternidade, plenitude da Promessa.

Nova Aliança: Passaporte para eternidade

A benção de Abraão, alcançaria todas as famílias da terra. Não seriam filhos  apenas os nascidos das entranhas de Sara e Abraão, mas os que vivessem pela fé em um único Deus, na Sua Palavra. Herdeiros, seriam os que vivem na terra com os olhos fixos no céu, na certeza de que há uma recompensa maior. Na certeza de que nesse mundo, adquirimos passaporte para o Reino dos céus. Na caminhada, entre os vales e montes - tal qual o percurso feito por Abraão – garantimos o bilhete de acesso ao Paraíso, em vida.

“Porque todos quantos fostes batizados em Cristo de Cristo vos revestistes. Nisto, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa”. (Gálatas 3:27-29).

Através de Cristo, pelo sangue da Nova Aliança, a benção de Abraão chega aos gentios. A todo o que crê e recebe essa promessa no coração, inicia uma nova caminhada rumo a Terra Prometida. Um lugar espiritual, reservado para àqueles que em vida abraçaram a oportunidade de salvação. Eis o grande mistério que desceu do céu para se revelar aos homens, em vida!

Viver não é portanto, andar em círculos, encarnando e desencarnando em uma saga infinita sem alcançar perdão, felicidade e vida eterna,  é caminhar em direção a tudo que se sonha, é contemplar as realização, é  se relacionar com Deus  na certeza de que ao fechar os olhos definitivamente: se viveu o que tinha para ser vivido e se morreu para viver no Paraíso.


Deus nos abençoe, com a benção de Abraão.

Meninas vestem rosa - Damares Alves - Meninos vestem azul


Por João Cruzué


Não importa o que a Ministra Damares Alves fale: a cultura sinistra sempre vai odiá-la. Políticos, jornalistas, comunistas, petistas e desavisados. Em uma imagem, vejo uma multidão de "Caco Antibes" seguindo atrás dela, gritando aquela frase asquerosa "CALA BOCA, DAMARES!".


Meninas vestem rosa 
Red Carpet 2019

Meninos vestem azul
Red Carpet 2019

Por que meninos vestem azul e meninas vestem rosa? Não sei o contexto da frase da Ministra, mas acho que a moda é, antes de tudo, prática. 

Assim como não posso mudar o resultado de 2 + 2 mesmo que proteste, deve ser muito cansativo ficar respondendo se o bebê é menino ou menina quando seu macacãozinho é branco.

Já os crentes, são 30% da população brasileira, então, o tempo de papéis sociais secundários passou. Hoje, evangélicos estão  participando de todos os tecidos sociais, inclusive no cargo. Se democracia de verdade tem alternância de poder, e se todos são iguais perante a Lei, chegou a vez da Pastora Doutora Damares Alves.  

Esquisito seria, se toda sociedade a estivesse aplaudindo aplaudindo a Ministra.

Para quem discorda da frase da Ministra "meninos vestem azul e meninas vestem rosa", tenho boa sugestão:   pague o Datafolha para fazer estatística sobre a cor dos macacões de recém-nascidos.

Visão Bíblica sobre o medo



Wilma Rejane

Medo é impotência humana diante de situações, é ansiedade, insegurança. O medo nos torna pequenos, acuados, diante de gigantes. Mas esses gigantes nem sempre são reais, podem ser minúsculos como espinhos que cabem embaixo de nossos pés ou nas palmas de nossas mãos, mas machucam, ferem, sangram. Assim é o medo. Pensamos ser o medo próprio dos covardes, contudo todos nós sentimos medo em determinados momentos e a coragem consiste não na ausência desse sentimento, mas na superação do medo. Superar os medos, não sermos vencidos por eles, é próprio dos valentes.

Há ainda segredos reservados ao medo, ele tem suas faces escuras e talvez por isso carregue singularidades a serem desvendadas. Por exemplo: medo é cruel, raiz-de-fel, mas pode ser mel. É mel em seu lado bom, pois ter medo em certas ocasiões protege. O medo de cair em um abismo faz com que fiquemos bem longe dele. Medo de subir em um alto muro, evita a queda. Medo de ser atropelado mantêm a cautela ao atravessar uma rua movimentada. Medo de ir para o inferno pode aproximar do céu. Esse último exemplo pode parecer escandaloso, mas é verdadeiro, a Teologia do medo tem seus adeptos.

significados de medo na Bíblia

Ao pesquisar essas palavras na Bíblia encontrei :

I Coríntios 2:3 – estive convosco em fraqueza e em temor e em grande tremor.

Temor = Phobos (strong 5401) grego clássico diz que é fuga, terror, pavor. Dessa raiz vem a palavra ''fobia”.

Oseias 3:5; Depois tornarão os filhos de Israel, e buscarão ao Senhor seu Deus, e a Davi, seu rei; e temerão ao Senhor, e à sua bondade, no fim dos dias.

Temer = pachad (Strong 06342), estar assustado, tremer, se surpreender, estar admirado, maravilhado.

Isaías 8:13: Ao Senhor dos Exércitos, a ele santificai; e seja ele o vosso temor e seja ele o vosso assombro.

Temor = morah (Strong 04172) o mesmo que reverência, espanto, respeito.

Além dos idiomas grego e hebraico, a palavra tem suas variações em outros idiomas. No português encontramos os seguintes significados para medo: ansiedade, preocupação, covardia, inquietude. 

Medo no rebanho 

Medo é uma reação natural dos homens em relação a coisas terrenas e sobrenaturais. Quem nunca sentiu medo? O momento do medo é também o momento de colocarmos nossa fé em ação, pois esse sentimento é oposto da autoconfiança. Lembremos que em diversas ocasiões Jesus comentou com seus discípulos a respeito do medo:


Ezequiel, o profeta solitário e suas visões de Deus



Parte II

Whitney Woollard
Traduzido e adaptado
Por; Wilma Rejane

Os  capítulos 1 a 3 do livro de Ezequiel são fundamentais para entender sua mensagem.Todos os enredos e tensões são introduzidos nesses capítulos e depois resolvidos nos capítulos restantes. Então, se você quer entender o homem e sua mensagem,  tem que compreender o que se passa com o profeta no inicio do livro.

O Sacerdote  que virou Profeta

Nós descobrimos no capítulo 1 que é  aniversário de 30 anos de Ezequiel. Mas não há festa. Qualquer causa para a celebração fora arrancada deste jovem sacerdote quando ele foi levado ao exílio durante o primeiro ataque babilônico. Cinco anos no exílio, encontramos-o sentado à margem de um canal de irrigação perto do campo de refugiados israelita, fora da Babilônia. É aqui no seu 30º aniversário, o ano em que ele teria sido convocado como sacerdote, que ele recebe sua comissão profética de Deus. Não é o tipo de chamado missionário romantizado que tendemos a imaginar. Não apenas ele não conseguirá cumprir seus deveres sacerdotais no templo (algo pelo qual teria esperado toda a sua vida), como terá que agir sendo porta-voz de Deus, advertindo Israel de seu destino iminente. Ele deve pregar o julgamento contra os exilados israelitas, prevendo a queda de Jerusalém e seu amado templo.

Isso era uma notícia devastadora para o  jovem profeta. O templo era o centro da vida religiosa de Israel e o lugar da presença divina. Como eles poderiam continuar como o povo de Deus se o templo fosse destruído ?! Para adicionar insulto à injúria, Deus diz a ele que as pessoas não escutariam sua mensagem porque seus corações estariam duros (eles são “duros de rosto”). Ele teria que pregar o julgamento contra seu próprio povo todos os dias, sabendo que ele não veria nenhum convertido - que deprimente. Somente uma visão tão gloriosa quanto a do próprio Deus sustentaria um sacerdote que se tornou profeta através de um chamado tão agonizante. E é exatamente isso que ele recebe.

Um vento tempestuoso se aproximando do norte

Quando Ezequiel se senta ao lado do canal Quebar, os céus se abrem e Ezequiel vê algo como uma violenta nuvem de tempestade se aproximando do norte, o lugar da presença divina e a cidade do grande rei (veja Salmos 48: 2). "Vento tempestuoso" em hebraico é ruakh se'arah, que significa "espírito". Isso lembra a atividade de Deus no relato da criação de Gênesis 1 onde a ruakh de Deus estava pairando sobre as águas. Imediatamente, Ezequiel percebe que isso não é uma nuvem comum. Na verdade, é uma tempestade tão extraordinária que ele procura  palavras para descrevê-la. Ele usa repetidamente "like", "semelhança" ou "como se fosse" para capturar o que está acontecendo.

Ele diz que é como “metal reluzente” (hebraico khashmai), um termo usado apenas por Ezequiel . A visão é tão terrivelmente gloriosa que ele usa palavras únicas para isso. Ele vê quatro criaturas estranhas com asas estendidas tocando um ao outro. As asas faziam um ruído tão alto quando se moviam que era como o som de águas impetuosas ou o rugido de um exército que se aproximava. Essas criaturas tinham uma semelhança humanitária, mas cada uma tinha quatro faces: o rosto de um humano, um leão, um boi e uma águia. Embora a imagem seja bastante bizarra para os leitores modernos, era comum na cultura oriental antiga combinar vários seres para formar divindades complexas. Assim, em parte, Ezequiel reconhece que algo sobrenatural está se aproximando.


Quem são e qual o significado das quatro criaturas do livro de Ezequiel?



Parte I do estudo

Por: Jonathan Lipnick
Do Instituto Bíblico de Israel
Parceiro do Tenda na Rocha

O livro de Ezequiel é o terceiro dos principais livros proféticos da Bíblia hebraica, seguindo os livros de Isaías e Jeremias. Ezequiel é uma figura única, ao contrário da maioria dos profetas,  ele entregou todos os seus oráculos fora da terra de Israel. Ele esteve ativo por aproximadamente 25 anos (593-571 a.C) como parte da comunidade dos Judahitas exilados na Babilônia. Embora ele não tenha sido testemunha de primeira mão, Ezequiel viveu até o maior desastre da história dos israelitas naquele tempo: a destruição total da cidade de Jerusalém em 586 a.C. Nós não sabemos nada sobre sua vida antes dos 30 anos quando ele recebeu sua primeira visão pelo rio Quebar no exílio babilônico. No ano de 593 a.C, ele recebeu sua primeira visão: a Visão da Carruagem, também chamada de Visão do Trono Divino. Esta é uma das passagens mais intrigantes da Bíblia e serviu de base para muitas tradições místicas sobre a aparição do trono de Deus, como a visão de João em Apocalipse 4 e a literatura merkavah medieval judaica. A teofania começa com este versículo:

Quando olhei, um vento tempestuoso saiu do norte: uma grande nuvem com brilho ao redor e fogo flamejando continuamente, e no meio do fogo, algo como âmbar reluzente. (Ezequiel 1: 4)

Tudo ainda é muito nebuloso neste momento. O vento, nuvem, fogo são característicos de outras aparições de Deus na Bíblia, por exemplo, a revelação no Monte Sinai (Êxodo 19: 16-20) bem como o Salmo 18. Ezequiel não pode ver a carruagem claramente ainda devido a todas as nuvens e a luz brilhante. Esta é uma razão pela qual este capítulo usa as palavras “algo parecido” (hebraico: demut) tantas vezes. Progressivamente, a visão se torna mais clara nos versos subsequentes. A primeira coisa que o profeta identifica através da neblina são quatro criaturas:

No meio disso, havia algo como quatro criaturas vivas. Essa era a aparência deles: eles eram de forma humana. (Ezequiel 1: 5)

Note que Ezequiel tem o cuidado de não rotular essas figuras sagradas como animais reais, apenas semelhanças de animais. Ele usa o termo “algo parecido” ou no rebuscado hebraico, que significa “semelhança” ou “aparência”. Essa palavra é usada dez vezes nesta visão. Em hebraico, os “quatro seres viventes” são arba chayot. A palavra chaya vem da raiz toיה “para viver”, que é também a fonte do nome hebraico חוה Chavah = Eva (Gênesis 3:20). Estes são parcialmente humanos, em parte animais, tendo muito em comum com ambos os serafins (Is 6: 2) e os querubins (1 Rs 6: 23-28) encarregados de guardar o Santo dos Santos dentro do Templo. Muitos estudiosos têm apontado que, como Ezequiel estava morando na Babilônia, sua visão poderia ser baseada em uma estátua chamada shedu ou lamassu. Esta é uma divindade protetora, muitas vezes descrita como uma fantástica criatura híbrida com cabeça de humano, corpo de boi ou leão e asas de pássaro. Arqueólogos descobriram muitos exemplos de tais estátuas como parte das portas do palácio de antigas cidades da Mesopotâmia, como Nínive, Persépolis e Khorsabad (Dur-Sharrukin).

Ezequiel prossegue descrevendo essas criaturas apavorantes em mais detalhes:

Biografia Atualizada de Billy Graham


99 anos
William Franklin Graham
07.11.1918  - 21.02.2018

Tradução: João Cruzué

“Meu objetivo de vida é ajudar as pessoas a encontrar uma relação pessoal com Deus, que creio, vir pelo conhecimento de Cristo." - Billy Graham.

O evangelista Billy Graham aceitou literalmente a Cristo quando Ele disse em Marcos 16:15, ide vós por todo o mundo pregar o Evangelho a toda criatura. O Pastor Graham pregou o Evangelho a mais pessoas em reuniões públicas que qualquer outro na história – cerca 210 milhões de pessoas em mais de 185 países e territórios, incluindo Missões Mundial e Global. Centenas de outros milhões mais foram alcançados pelos seus programas de televisão, vídeos, filmes, e internet.

Desde a cruzada de 1949, em Los Angeles, quando chamou a atenção das pessoas, Billy Graham levou centenas de milhares de indivíduos a tomar decisões pessoais de viver para Cristo - que é a força do seu ministério. Nascido em 07 de Novembro de 1918 em Charlotte na Carolina Norte a quatro dias do Armistício que terminou com a Primeira Guerra Mundial, Billy Graham criou-se em um sítio de gado leiteiro. Cresceu durante a grande depressão dos anos 30, por isso aprendeu o valor do trabalho duro na fazenda da família, mas lá, ele também encontrou tempo para passar muitas horas no celeiro lendo muitos livros assuntos variados.

No outono de 1934, com 16 anos de idade, Billy Graham fez um compromisso pessoal com Cristo pelo ministério de Mordecai Ham, um evangelista itinerante, que visitou Charlotte para uma série de reuniões de avivamento.

Foi Ordenado em 1939 por uma igreja da Convenção Batista do Sul, e recebeu uma formação sólida na Sagradas Escritura pelo Instituto Bíblico da Flórida ( Colégio Trinity da Flórida). Em 1943 ele se graduou na Faculdade Wheaton de Illinois e casou-se com sua colega de escola, Ruth McCue Bell, filha de um cirurgião missionário que tinha passado os 17 primeiros anos de sua vida na China.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...