Analisando o chamado de Abraão por uma nova ótica




Israel Institute
Of Biblical Studies
Blog Parceiro do Tenda na Rocha
Autoria: Julia Blum

«Ora disse o Senhor a Abrão:

Sai da tua terra,

Da tua parentela
E da casa de teu pai,
E vai para a terra que te mostrarei.
De ti farei uma grande nação;
E te abençoarei
E te engrandecerei o nome;
Se tu uma bênção.
Abençoarei os que te abençoarem,
E amaldiçoarei os que te amaldiçoarem;
Em ti serão benditas todas as famílias da terra”». [1]


Vocês já tentaram localizar um objeto no GPS ou em qualquer outro dispositivo de navegação? Vocês veem um ponto vermelho piscando na telinha. Normalmente, vocês estão interessados na «street view» (vista da rua), mas também podem fazer zoom (aumentar ou diminuir) da vista da rua da vista da cidade, da vista do estado, da vista nacional e, finalmente, da vista do mundo. Vocês ainda verão o mesmo ponto vermelho intermitente, mas agora está situado no mapa de uma cidade, um país ou no mapa do mundo inteiro. Algo semelhante está acontecendo aqui. Ao lermos os três primeiros versículos deste capítulo, podemos observar Deus se afastando da casa onde mora uma determinada família. À medida que ele se afasta, vemos os descendentes desta única família se tornarem uma grande nação, e então vemos toda a vista do mundo, onde esta família alcançou todas as famílias da terra.
O versículo 1 começa com um homem e uma família: é como se pudéssemos ver esse homem em particular, Abraão, parado em uma rua particular de Harã, ao lado de uma casa particular —a casa de seu paiAbraão viveu aqui por muitos anos, mas agora é ordenado a partir: «Ora o Senhor disse a Abrão: “Saia da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, e vai para a terra que te mostrarei».
No contexto dessa terra diferente, completamente desconhecida, o próximo versículo se aproxima do nível nacional. De repente, vemos a família de Abraão transformada em «uma grande nação» com um «grande nome». A bênção de Deus é prometida a essa nação, e a própria nação é prometida como uma bênção. Este é o segundo passo no plano de salvação de Deus: «de ti farei uma grande nação; e te abençoarei, e te engrandecerei o nome».
E então, finalmente, o zoom de Deus se move para uma vista de mundo e vemos o mesmo ponto vermelho, agora piscando num mapa do mundo inteiro. O mesmo homem que vimos na «street view» (vista da rua), nas ruas estreitas de Harã, e depois na «vista nacional» como o pai de uma grande nação, agora vemos na «vista do mundo», quando Abraão se torna o pai de muitas nações.
«Abençoarei os que te abençoarem,

e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem;

em ti serão benditas todas as famílias da terra».

Lições práticas em Isaías 51:1




Wilma Rejane


Ouvi-me vós que seguis a justiça, que buscais ao Senhor; olhai para a rocha de onde fostes cortados e para a caverna do poço de onde fostes cavados. Isaías 51:1

Esse verso me atraiu de modo especial: por ser enigmático, conter imagens familiares, contudo, incompreensíveis à primeira vista. Por tais características, a passagem exige um estudo mais aprofundado sem o qual seria inviável sua aplicação.

O verso foi escrito na época em que Israel encontrava-se no cativeiro Babilônico e o profeta, como porta voz de Deus convoca: " ouçam, olhem!". Ouçam o que Deus diz, Ele quer dirigir vossos olhares e ouvidos. O apelo é dirigido a uma nação oprimida, devastada, com sede de justiça e de livramento de Deus.

Isaías 51:1 é uma passagem Messiânica, futurista, mas também uma diacronia, ou seja: válida através do tempo, não estática. Israel estando em cativeiro, não deveria se deixar abalar pela situação de opressão. Havia perspectiva de libertação, uma libertação física e também espiritual e o caminho para tal libertação teria inicio com uma mudança de mentalidade.

Israel deveria manter na memória sua origem e progresso; de um povo que surgiu a partir de uma promessa feita a Abraão. Abraão era uma pedra bruta no sentido de ser homem falho e cheio de limitações, separado de sua família e origem aprendendo a viver pela fé em sua caminhada rumo à terra prometida de Canaã.  Israel, portanto, aqui é a designação provável de rocha no sentido de que Deus criou, cortou, moldou, multiplicou e edificou. Nenhum dos cativos deveria esquecer de que era também rocha separada, uma parte micro que dava sentido ao macro.

Em foco futurista e Messiânico, Israel deveria contemplar o amanhã com todas as prerrogativas de que Deus cumpriria as promessas feitas através de seus profetas. Chegaria o tempo da restauração completa, pois o Messias viria como resposta a todo e qualquer cativeiro, Ele era a Libertação. Que linda e poderosa mensagem! 

Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. Confiai no Senhor perpetuamente; porque o Senhor Deus é uma rocha eterna. Isaías 26:3,4

O namoro de Isaque e Rebeca



João Cruzué

Quando o assunto é a escolha de alguém para amar e ser amado uma vida inteira, a prudência é mais importante que a paixão. A Bíblia Sagrada tem boas experiências para o jovem cristão de assuntos que envolvem escolhas boas e más. Com Isaque e Rebeca, escolhemos uma boa experiência digna de reflexão e aprendizagem. É uma história bíblica real vamos conhecer e analisar. No final dela, há algumas palavras de aconselhamento que escrevi pensando em você.

Há um versículo em Provérbios 19; 14 onde está escrito: A casa e a fazenda são herança dos pais, mas do Senhor vem a mulher (ou o homem) prudente.

Isaque estava com 40 anos. Sara, sua mãe, já tinha morrido. Abraão - o pai - tomou a decisão de arranjar uma esposa para o filho. Chamou seu servo de maior confiança - Eliezer - e deu-lhe uma grande responsabilidade: buscar uma noiva para Isaque.

Abraão orou assim na partida de Eliezer: "Ó Senhor Deus dos céus que me tomou da casa de meu pai e da terra da minha parentela, que me falou e que me jurou dizendo: A tua semente darei esta terra e ele enviará o seu anjo adiante da tua face, para que tome mulher."

E Eliezer levantou-se e partiu para a Mesopotâmia, para a cidade de Naor, com uma caravana de 10 camelos. Depois de muitos dias, chegou lá e fez ajoelhar seus camelos fora da cidade, junto ao poço. Inseguro quanto ao resultado da viagem começou uma oração: "Ó Senhor Deus de meu senhor Abraão, dá-me hoje um bom encontro e faze beneficência ao meu senhor Abraão. Eis que estou de pé junto a este poço onde as filhas dos varões da cidade vêm tirar água. Seja, pois, que a donzela que eu pedir: Abaixa agora o teu cântaro para que eu beba; se ela disser bebe e também darei de beber aos teus camelos, esta seja a que designaste ao teu servo Isaque. E que eu conheça nisto que fizeste beneficência ao meu senhor."


O mito do casal perfeito


E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Gênesis 1:27

ken-and-barbie
Pura fantasia… nem se iluda. 


Wallace Sousa 

Dias atrás fiquei sabendo que um  casal conhecido meu, casado há pouco tempo, já havia se separado.  Fiquei chocado com a notícia, porque eles pareciam se dar muito bem, e formavam um casal, à primeira vista, “perfeito”. Claro, uso o “perfeito” como indicativo de que vemos algo que julgamos combinar bastante. 

Mas, infelizmente ou não, a realidade não é tão simples, as rosas têm espinhos nos caules que seguram as flores e também adubo nas raízes que as alimentam. Sim, meu caro, quem quer apreciar o perfume das rosas deve saber e estar disposto a conviver com os espinhos. E, de vez em quando, suportar o cheiro de estrume… risos

Minha esposa vive me falando isso: “quando eu disse que ia me casar, todo mundo me parabenizou, mas ninguém me avisou que marido também arrota depois do almoço e ronca de madrugada!” Então, né… pois é… só sei que é assim. Tá rindo de quê, você aí? (nossa, que vergonha… risos)


Destruindo os mitos do casal perfeito

Parece que todo mundo deseja que exista um casal perfeito, e fica procurando um até eleger aquele como sendo o exemplo de casal a se espelhar. E, geralmente, fazemos isso baseados na aparência, desprezando as experiências desagradáveis que já vimos antes. Não adianta querer se enganar: não existe O Casal Perfeito. Pode existir, sim, o casal feliz. Mas, perfeito, não.

Muitas vezes, elegemos como casal perfeito atores e atrizes de novelas ou filmes. Às vezes, por algum tempo, eles até se parecem com um casal perfeito. Até que a casa cai, até que as máscaras caem… ou até que nossas ilusões desmoronem. Quantos casais noveleiros já foram eleitos como perfeitos no Brasil? Vários. Quantos ainda permanecem de pé? Até onde eu sei, nenhum.

Judá e Tamar - Desvendando um dos mais estranhos capítulos da Bíblia



Marc Bertrand


O que esta história está fazendo na minha Bíblia ?! Essa é provavelmente a reação que você teve quando se deparou com a história de Judá e Tamar. Não será a última história que faz você fazer essa pergunta. Precisamos lembrar que a narrativa do Antigo Testamento não é "prescritiva", mas "descritiva". Nós não estamos ouvindo uma história que está nos dizendo como devemos agir, em vez disso, estamos ouvindo uma história nos dizendo sobre o que realmente aconteceu e revelando como Deus agiu em relação aos personagens da história. Às vezes, temos um relato detalhado da justiça ou misericórdia de Deus; às vezes temos a visão de longo prazo que requer capítulos inteiros antes que a imagem apareça. Tenha em mente, no entanto, que Deus é o herói da história da Bíblia. É a história de como Deus está redimindo para si um povo; livrando-os do seu pecado e santificando-os para si mesmo. O incrível é que Deus muitas vezes redime algumas pessoas muito miseráveis.

Judá é um daqueles infelizes. A história de Judá e Tamar em Gênesis 38 pode ser uma das histórias mais estranhas de toda a Sagrada Escritura. À primeira vista, é igualmente ofensivo e inescrutável, mas, numa inspeção mais minuciosa, produz muitos insights úteis sobre o caráter de Deus, a natureza do pecado e a esperança de nossa redenção. A história se desenrola em cenas ou etapas distintas:

Cena 1 - O Personagem de Judá em Exposição

Na cena 1, nos familiarizamos com o personagem principal, humanamente falando, nessa narrativa incomum. Judá é o quarto filho nascido de Lia, a esposa não amada de Jacó. O que ele aprendeu quando criança, antes que seu pai Jacó se convertesse no Jaboque? Ele tinha visto seu pai ser disputado entre suas esposas; ele viu sua mãe e sua irmã manipularem seu pai com sedução sexual. Judá cresce em uma família muito disfuncional.

Nos últimos 17 anos, ele viu seu meio-irmão José sendo o favorito de todos os seus irmãos. Tão grande é o seu desprezo por seu irmão que ele conspira com seus irmãos para matá-lo quando eles o veem no campo. É apenas a voz de seu irmão mais velho, Ruben que os impede, eles então o jogam em um  poço seco. Judá é um homem mau.

Olhando para os campos, ele viu um grupo de traficantes de escravos indo para o Egito, e assim ele o puxou para fora do poço e o vendeu por 20 siclos de prata. Claramente, Judá é um homem mau.

Então, para cobrir sua culpa, os irmãos matam uma cabra e mergulham o manto de José no sangue e o apresentam ao pai com a pergunta: Por favor, identifique o dono deste manto?Com essa mentira, um casaco de muitas cores coberto de sangue, Judá e seus irmãos partem o coração de seu pai. Eu não preciso dizer isso novamente, mas eu vou dizer: Judá é um homem mau.

Três regras que ajudarão a vencer a ansiedade



Wallace Sousa

"Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus." Filipenses 4:6,7

A ansiedade é uma das grandes vilãs deste século. Aliás, para ser mais preciso, já no séc. XX a ansiedade, juntamente com a depressão, era considerada um mal bem presente na vida das pessoas. Eu já fui muito ansioso, então posso dizer que sei como esse sentimento é desagradável e difícil de se lidar.

A despeito de muitas tentativas que fiz de lidar com isso e, pra variar, quebrei a cara, a melhor e mais eficaz forma que eu encontrei de lidar com a ansiedade foi através da meditação e da confiança na Palavra de Deus.

Esse versículo que abre o post foi o melhor remédio que encontrei quando passei por situações onde a ansiedade ultrapassava os limites e vencia todas as minhas resistências, a despeito de meus melhores esforços. Outro versículo que também foi muito importante nessa luta contra a ansiedade foi este aqui:

Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra. Salmos 46:10

Entretanto, deixe-me dizer-lhe algo: tal como um remédio que, para fazer efeito, ele deve ser tomado conforme a prescrição médica, ou seja: nas doses recomendadas, nos horários prescritos e durante o período determinado, a Palavra de Deus também precisa ser observada segundo os mesmos critérios.

Por isso, não basta apenas você ler e não crer, ler e não praticar, ler e não observar, assimilar e viver de acordo. Imagine comigo: e se o médico lhe prescrever algo, você ler e não comprar o remédio, ou comprar e não tomar, não fazer uso dele, o que vai acontecer? De quem será a culpa se você não ficar curado daquela enfermidade? Do médico ou sua?

Jesus e Pilatos em: o que é a verdade?



Wilma Rejane

Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? 

Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.

Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade? 

E, dizendo isto, tornou a ir ter com os judeus, e disse-lhes: Não acho nele crime algum.Mas vós tendes por costume que eu vos solte alguém pela páscoa. Quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus?Então todos tornaram a clamar, dizendo: Este não, mas Barrabás. E Barrabás era um salteador.

João 18:37-40


O que é a Verdade? A pergunta de Pôncio Pilatos dirigida a Jesus é a representação literal da busca pela essência de algo ou alguma coisa que está oculta e necessita ser desvelada. Jesus se refere à Verdade como algo único e universal, um valor intrínseco, próprio dos que lhe seguem. A verdade, assim, seria responsável por motivar um tipo de comportamento específico; o comportamento dos que ouvem a voz de Jesus. 

Pilatos parece não compreender e replica: " O que é a verdade?". Ora, há no diálogo, um desentendimento entre a Verdade apresentada por Jesus e a verdade buscada por Pilatos. Pilatos não entende a Verdade como uma Pessoa, no caso, a Pessoa de Jesus. Pilatos estava diante da Verdade, porém, persistia na busca como se estivesse alheio ao significado das palavras de Jesus. Notadamente, Pilatos não estava entre os que se mostravam sensíveis à voz de Jesus, pois, "ouvir" Jesus não é o mesmo que O escutar; é compreender, reconhecer, seguir, obedecer, enfim, amá-Lo. 

O natural e o sobrenatural na caverna de Elias

Banco de imagens Google
Wilma Rejane

E ali Elias entrou numa caverna e passou a noite; e eis que a palavra do Senhor veio a ele, e lhe disse: Que fazes aqui Elias?E ele disse: Tenho sido muito zeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei, e buscam a minha vida para ma tirarem.

E Deus lhe disse: Sai para fora, e põe-te neste monte perante o Senhor. E eis que passava o Senhor, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas diante do Senhor; porém o Senhor não estava no vento; e depois do vento um terremoto; também o Senhor não estava no terremoto;

E depois do terremoto um fogo; porém também o Senhor não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada.E sucedeu que, ouvindo-a Elias, envolveu o seu rosto na sua capa, e saiu para fora, e pôs-se à entrada da caverna; e eis que veio a ele uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias?

1 Reis 19:9-13

Wilma Rejane

Elias na caverna do Monte Horebe tem sido uma mensagem poderosa para meu ser. Por dias e dias tenho refletido sobre isso e buscado conhecer de que forma aquele profeta foi impactado pela voz de Deus naquele lugar. Primeiramente, o fato de um homem de Deus, notadamente cheio de sabedoria e unção, estar escondido, solitário, já causa estranhamento. A  Caverna em Horebe era um  lugar sem horizonte, que se afunilava, sem saída para outras regiões. O lugar de entrada era o mesmo da saída, portanto, o olhar de Elias para fora, conduzia-o às mesmas lembranças que motivaram sua estadia na caverna: ameaças, perseguição. As boas lembranças sobre o cuidado, proteção e poder de Deus, eram como uma fumaça se esvaindo por meio do medo que naquele instante era forte como redemoinho.   

Antes de comentar detalhadamente sobre Elias na caverna no Horebe, se faz necessário relembrar um pouco de sua trajetória anterior ao momento de reclusão. Elias foi um profeta do reino do norte de Israel durante meados do século nono A.C. A menção inicial à sua pessoa se encontra em I Reis 17 quando ele prediz  uma grande seca no período de reinado de Acabe e sua esposa Jezabel. A Palavra diz que Acabe e Jezabel serviam ao ídolo Baal ( I Reis 16: 31,32). Baal era o principal ídolo dos cananeus e fenícios e simbolizava as forças produtivas da natureza; chuva, vento, ar, fogo, terra. No Egito, Baal ficou conhecido como deus da tempestade. Portanto, os adoradores de Baal acreditavam que ele estava no comando de toda a natureza e que a cada sete a face da terra era renovada por seu poder..

O profeta Elias, conhecedor da idolatria instalada em Israel, multiplicada no reinado de Acabe, torna-se porta voz de Deus para a nação, especialmente contra o culto a Baal. Como parte de sua mensagem, Elias enfatizava a seca, a fome, um grande período de escassez advindo do próprio Deus que rejeitava o culto a Baal. Deus, dessa forma, estava a dizer que Baal nada podia, não possuía qualquer domínio sobre a natureza. A nação deveria reconhecer a soberania de Deus e Seu domínio absoluto sobre a natureza. Como consequência por confrontar Baal, Elias é perseguido, jurado de morte. Ele era visto como alguém que desagradava Baal, provocava sua intemperança. Elias então marca um confronto direto com os 450 profetas de Baal no monte Carmelo. Lá Deus faz descer fogo do céu consumindo o holocausto ofertado por Elias e também os falsos profetas. 

Breve reflexão sobre mães e filhos





Wilma Rejane


Há milhares de anos nascia em Belém da Judeia: Jesus, o Messias Salvador. Filho de Deus, gerado pelo Espírito Santo no ventre de uma mãe, chamada Maria. Esse acontecimento marcou de forma definitiva a humanidade e revelou a excelência do dom materno. Maria ficou sendo a "theotokos" ou seja: Portadora de Deus, no sentido de que conduzia em seu ventre a revelação de Amor maior, as Boas Novas para humanidade. Toda mãe tem (ou deveria ter) o dom e a missão de ser essa portadora de Deus a conduzir os homens para o caminho do bem. 

E é a narrativa Bíblica que me inspira a acreditar que ser mãe é algo que transcende em espiritualidade, vai além do sangue, dos laços de parentesco. Como explicar o fato de mulheres adotarem crianças como filhos e amarem com a intensidade de quem os carregou no ventre? Mãe é alma geminada porque é uma com o filho para sentir o que se passa nele, como se nela fosse. Mães amam, apesar de tudo. Um amor altruísta que pensa mais na felicidade do outro do que na sua própria.

Há um provérbio Bíblico que diz: " a mulher sábia edifica sua casa, mas a tola derruba com as próprias mãos." Pv 14:1.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...