Não desista de viver



O Senhor Jesus ama você
O perdão ao Filho Pródigo
.O SENHOR JESUS AMA VOCÊ
João Cruzué


É possível ser rico, ter tudo e ao mesmo tempo não ter nada. Nada além de um vazio na alma e um desejo estranho de morrer. Várias causas podem levar a esta situação, mas não vou escrever aqui um tratado sobre causas de desespero, pelo contrário, vou ser curto e objetivo: Pode estar sobrando dinheiro, mas está faltando Deus na sua vida. O único lugar onde se pode achar a PAZ verdadeira é ao lado de Jesus Cristo, o filho do Deus Vivo.

No livro do Profeta Isaías, há uma referência especial  sobre  Jesus, que diz assim:  "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz."

Este Príncipe da Paz é Jesus Cristo. Filho de um Deus riquíssimo, que nasceu em uma manjedoura junto com os animais na cidade de Belém, Palestina/Israel. Ele veio a este mundo para reconciliar os pecadores, os maus, os desesperados com o Pai Eterno, o Deus YAVEH, também conhecido como EL SHADAI, ELOHIN, JEOVÁ, o Deus de Israel.

Para vencer o desespero e receber a paz, só há um caminho. No Evangelho segundo São João está escrito: Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por Mim. Quem afirmou isso foi Jesus Cristo. Não importa o tamanho dos erros e maldades que você já fez, se buscar o perdão e o socorro em Jesus Cristo, Ele vai ouvir as suas palavras e lhe trazer a paz de espírito.

O sono de Tiago, Pedro e João no Getsêmani



Wilma Rejane

Naquele dia os portões da cidade de Jerusalém não se fecharam, era Páscoa e normalmente a cidade recebia muitos visitantes. Jesus e os onze apóstolos passaram pelos largos portões, atravessaram o vale de Cedrom e se acomodaram em um jardim de oliveiras chamado Getsêmani. Ele costumava se reunir ali com os discípulos, também sozinho, em oração. Era noite, fria e tenebrosa.  Jesus pressentia seu flagelo e uma necessidade inadiável de orar. Oito dos apóstolos ficaram pelo caminho, nas proximidades do jardim.Tiago, João e Pedro acompanharam o Mestre sentando-se a apenas alguns metros de distância.

Disse-lhes então: “A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem comigo. Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e orou: Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres. Então, voltou aos seus discípulos e os encontrou dormindo. Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora? perguntou ele a Pedro. Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca.” Mateus 26:38-41

Naquela noite, enquanto Jesus orava expelindo sangue por todos os poros, seus apóstolos dormiam. Eles não suportaram o cansaço físico, tão pouco consideraram a urgência do momento. Seus espíritos se acomodaram ao que a mente lhes oferecia. Queriam repouso. Apesar da dramática situação de Jesus, em nenhum momento nos é dito que Pedro, Tiago e João se assustaram com a cena incomum, se compadeceram, inquiriram Jesus sobre o fato de estar ensanguentado.

Os apóstolos dormiram. Enquanto isso; Jesus transpirou sangue, orou por três vezes e foi auxiliado por anjos (Lucas 22:39 – 46). Eles não viram, foram abatidos pelo desânimo. Não imaginavam Jesus capturado e morto. Não compreendiam o emblema vivido por Jesus naquele jardim: sua intensa aflição e tristeza.

Esse episódio que antecede a crucificação, nos ensina sobre muitas coisas e é abundante a literatura que trata do valor da oração a partir da aflição de Jesus no Getsêmani.  Aqui, contudo, destaco a reação dos apóstolos Pedro, Tiago e João, como companheiros de Jesus naquele momento tão decisivo em que a angústia da morte O cercava.

Seis lições extraídas da multiplicação dos pães e peixes



Wilma Rejane

“E, regressando os apóstolos, contaram-lhe tudo o que tinham feito. E, tomando-os consigo, retirou-se para um lugar deserto de uma cidade chamada Betsaida. E, sabendo-o a multidão, o seguiu; e ele os recebeu, e falava-lhes do reino de Deus, e sarava os que necessitavam de cura. E já o dia começava a declinar; então, chegando-se a ele os doze, disseram-lhe: Despede a multidão, para que, indo aos lugares e aldeias em redor, se agasalhem, e achem o que comer; porque aqui estamos em lugar deserto. Mas ele lhes disse: Dai-lhes vós de comer.

E eles disseram: Não temos senão cinco pães e dois peixes, salvo se nós próprios formos comprar comida para todo este povo. Porquanto estavam ali quase cinco mil homens. Disse, então, aos seus discípulos: Fazei-os assentar, em ranchos de cinquenta em cinquenta. E assim o fizeram, fazendo-os assentar a todos. E, tomando os cinco pães e os dois peixes, e olhando para o céu, abençoou-os, e partiu-os, e deu-os aos seus discípulos para os porém diante da multidão. E comeram todos, e saciaram-se; e levantaram, do que lhes sobejou, doze alcofas de pedaços.” Lucas 9:10-17

Elaborei outros estudos sobre a primeira multiplicação de pães e peixes, porém, desta vez, abordarei detalhes não explorados anteriormente. Pretendo aqui examinar o milagre sob o ângulo : “o que Jesus nos ensina sobre economia?” Para alguns é um contraste falar em fé, milagres e economia ao mesmo tempo, afinal mercados e capitais são coisas bem terrenas e materiais. Ora, gerenciar bem os recursos terrenos é uma questão de mordomia termo absolutamente Bíblico.

Mordomia:  Manejo responsável dos recursos do reino de Deus que foram confiados a uma pessoa ou a um grupo.

Existem muitas passagens Bíblicas sobre mordomia, para simplificar o estudo, escolhi apenas uma:

“ E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo. Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele, Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar. “Lucas 14:27-30

O discípulo  na passagem acima é alguém que planeja, alicerça, edifica e realiza sem desperdícios. É alguém que arca com as consequências das renúncias feitas com base na fé em Cristo.  As ações revelam mordomia, pois, não são aleatórias e irresponsáveis.

Relação entre a Páscoa e o milagre da multiplicação


Wilma Rejane

Alguma vez ao ler o milagre da multiplicação dos pães e peixes você relacionou-o com a entrada dos israelitas na terra prometida? Se ainda não fez essa conexão entre Antigo e Novo Testamento convido-o a ler o artigo e se aprofundar um pouco mais no estudo da Palavra. É simplesmente maravilhoso constatar a perfeição das Escrituras e a grandeza escondida nos detalhes.  

No livro de Josué, capitulo 5, encontraremos subsídios para compreendermos melhor o que foi descrito pelos evangelistas: Mateus, Marcos, Lucas e João sobre a multiplicação. Tomaremos por base o Evangelho de João.

João 6: 1 a 14:

“Depois disto partiu Jesus para o outro lado do mar da Galileia, que é o de Tiberíades. E grande multidão o seguia, porque via os sinais que operava sobre os enfermos. E Jesus subiu ao monte, e assentou-se ali com os seus discípulos. E a páscoa, a festa dos judeus, estava próxima. Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pão, para estes comerem? Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que havia de fazer. Filipe respondeu-lhe: Duzentos dinheiros de pão não lhes bastarão, para que cada um deles tome um pouco. E um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe: Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas que é isto para tantos? E disse Jesus: Mandai assentar os homens. E havia muita relva naquele lugar. Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil.

O que dizem os rabinos de Israel: 5 profecias que se cumpriram em 2018 e 5 profecias aguardadas para 2019

Instituto do Templo em Israel


Por: Wilma Rejane

Obs: como cristã, creio em Jesus Cristo como Senhor e Salvador (João 3:16). Creio que Ele é O Messias profetizado na Bíblia, desde o Gênesis até João Batista. Creio que Jesus Cristo se fez carne e habitou entre nós (João 1:1), que Ele vive, pois ressuscitou dentre os mortos, foi elevado ao céu e voltará para resgatar sua Igreja (Atos 1;9-11).

Republico o artigo a seguir, traduzido do inglês, por considerar importante os sinais vindos de Israel para norteamento do cenário que antecede a segunda vinda de nosso Senhor Jesus. Sabendo que o "Messias" por muitos aguardado é na verdade o Anti-Cristo.

 A fonte do artigo é: https://www.breakingisraelnews.com/


“Louvai ao Senhor, invocai o seu nome, fazei conhecidas as suas obras entre os povos." 1 Crônicas 16:8.

Rabinos e especialistas confirmam que estamos vivendo em tempos proféticos precedendo o Messias.

Em 2018 aconteceu  uma série de eventos e previsões sobre o fim dos tempos. Em janeiro, a neve caiu sobre o Saara - o deserto mais quente do mundo - em paralelo às profecias de Isaías. Em Maio, o presidente Trump transferiu a embaixada dos EUA para Jerusalém, muitos compararam o líder americano a Ciro, o rei persa que acabou com o exílio babilônico e abriu o caminho para o Segundo Templo em Jerusalém. Em Setembro, nasceu uma fêmea inteiramente vermelha (que morreu mais tarde, embora haja mais dois bezerros a serem verificados na próxima semana), a décima e última profetizada antes do Messias, permitindo a Israel tornar-se ritualmente pura e restabelecer o Serviço do Templo. Em Novembro, nações se reuniram em Israel para uma conferência interconfessional sobre o Monte do Templo. Durante todo o ano, Jerusalém viu um pico no turismo de entrada, quebrando todos os recordes de turistas, muitos cristãos. Nós chamamos isso de turismo. De fato, muitos eventos extraordinários sinalizam os tempos miraculosos em que vivemos. 

5 profecias bíblicas cumpridas em 2018

1-Trem de alta velocidade abre desenvolvimento previsto em Isaías

"O Senhor diz: Construa, construa uma estrada! Limpem uma estrada! Removam todos os obstáculos da estrada do meu povo!" Isaías 57:14

Em setembro de 2018, Yisrael Katz, ministro de transportes de Israel, anunciou a abertura das primeiras etapas do novo trem de alta velocidade para Jerusalém, dizendo: “estamos conectando e fortalecendo nossa capital, Jerusalém, e estamos nos conectando com a história de Jerusalém." Uma de suas paradas trará pessoas para o Muro das Lamentações a partir de diferentes locais da capital de Jerusalém. Esses desenvolvimentos em Jerusalém foram profetizados por Isaías ,e este foi certamente um ponto de grande realização em 2018, bem como cumprimento contínuo em 2019. Além disso, tais melhorias de infraestrutura, incluindo o novo aeroporto de Ramon que deve ser inaugurado no início de 2019, abre o caminho para futuras peregrinações a Jerusalém durante as festas anuais.

2-Guerra de Gog e Magog na Síria apoiada pelo Irã

"Eu vou virar você e colocar ganchos em suas mandíbulas, e levá-lo para fora com todo o seu exército, cavalos e cavaleiros, todos eles vestidos em esplendor, uma vasta assembléia, todos eles com escudos, empunhando espadas. Entre eles estarão Pérsia, Nubia e Put, todos com escudo e capacete; Ezequiel 38: 4-5

Irã, com sua encarnação moderna da Pérsia bíblica,é explicitamente identificado pelo profeta Ezequiel como inimigo de fim de dias de Israel. No início de 2018, Israel e Irã fizeram contato militar direto pela primeira vez sobre o espaço aéreo israelense, uma escalada de conflitos em uma região já volátil que aproxima os exércitos de várias nações. Rabinos e especialistas, incluindo o rabino Pinchas Winston e o rabino Yosef Berger, compararam esse confronto à guerra profetizada de Gog e Magog - a segunda parte de um processo de duas etapas para o retorno da presença divina a Israel - começando no norte (com a Rússia) , talvez) e no Irã. Como os líderes se perguntam o que fazer com o programa nuclear do Irã (assim como o apoio iraniano aos vizinhos israelenses do Hamas em Gaza e do Hezbollah no Líbano);

Coisas que o autismo me ensinou


Wilma Rejane


Anos atrás uma leitora me perguntou com certo tom de indignação: "Você escreve sobre fé e congregar como se tudo fosse bom e agradável, o que tem a dizer sobre autismo? Convivo diariamente com crianças autistas e sei das dificuldades dessas pessoas para viverem uma vida normal, a igreja fala pouco sobre isso e também não sabe como lidar com as crianças com esse problema". Na época (ano de 2012), respondi que tinha uma sobrinha autista e também alguns alunos, aquilo não era um problema tão distante para mim. Olhando para o passado percebo o quanto minha resposta, de fato, estava vazia de vivência e de engajamento na causa. Atualmente, falo com propriedade: sei o que é autismo, tenho uma neta com o Espectro Autista (TEA), é uma neta que cuido como filha, pois, temos uma ligação de amor muito profunda. 

Minha neta se chama Sabryna, tem quatro aninhos, mudou a rotina da família completamente e apesar de exigir muito de meu tempo, não me cansa porque cada sorriso e gesto seus são para mim um presente de Deus.  Sabryna me ensinou muitas coisas, o espaço aqui se torna modesto para descrever o quanto aprendi e aprendo todos os dias com o autismo. Contudo, em poucas linhas, procurarei compartilhar sobre o aprendizado com o autismo. Inicialmente, vejo o autismo como um grande mistério, em termos de ciência e de fé. Não há descobertas antigas ou recentes que apontem para um diagnóstico preciso, uma motivação, causa, o que seja. O que existem são hipóteses que não se confirmam. E tratar algo que se desconhece a causa é desafiador. O símbolo do autismo como um "quebra-cabeça" é justo, pois, quem convive de perto com autistas sabe da complexidade que é lidar com eles. 

O autismo chega para aumentar minhas convicções sobre a perfeição de Deus: ninguém consegue desvelar aquilo que Deus colocou entre nós como "diferente" e nessa diferença, Deus mostra Sua perfeição. A "perfeição" de não ser autista, de falar, andar, compreender, enxergar o mundo com normalidade. Contudo, a "imperfeição" do autista revela Deus, Ser Supremo que está no outro, como diferente, sendo igual. É igual porque é criação Divina, dotado de espírito humano, uma pureza sem par, que não se encontra nos "normais". O autista percebe os detalhes, abraça porque quer abraçar, ama sem interesse, apenas porque quer amar. E embora não entendendo nitidamente o significado dos sentimentos, ensina como ninguém o que é sentir. Somente a intensidade do amor resgata o autista para o outro lado do mundo, do humano, dos olhares que olham e percebem o que o autista não vê. 

Uma Bíblia que jorra óleo, você acredita?



Wilma Rejane

Dezenas de pessoas visitam diariamente o local na Geórgia (EUA). Tudo começou em Janeiro de 2017, quando um cristão carismático chamado Jerry notou que sua bíblia estava pingando óleo na página do Salmo 39. Por todos os dias, durante meses, ele leu os Salmos e se reuniu com irmãos no fundo de sua pequena loja de presentes. Certo dia, após ser visitado pela bisneta, Jerry pegou a Bíblia para ler quando notou uma mancha úmida que ensopava as páginas dos Salmos. Ele estranhou e perguntou a bisneta Joyce se ela havia derramado algum produto em sua Bíblia, a mãe da Joyce respondeu que não havia dado nada para sua filha beber ou segurar. Após examinarem minuciosamente a Bíblia, concluíram que era óleo.

Um químico foi convidado para examinar o óleo. Ele disse que era semelhante ao óleo mineral: "Não é fabricado e tem outros elementos não contidos no óleo mineral. O resultado é que é inexplicável".

Algumas questões são suscitadas diante de acontecimentos como esse:

  • O que acontece vem de Deus ou é fruto de produção dos homens a fim de fazerem discípulos para si?
  • Seria idolatria depositar a fé no óleo que sai da Bíblia?
  • Se Deus multiplicou o azeite da viúva pobre, não poderia multiplicar azeite nos dias de hoje a fim de revelar seu poder?

O lamento de Jeremias e o lamento do pecador




Autor: Wallace Sousa

Texto Bíblico: Olha, Senhor, porque estou angustiada; turbadas estão as minhas entranhas; o meu coração está transtornado dentro de mim, porque gravemente me rebelei; fora me desfilhou a espada, em casa está a morte. Lamentações 1:20

Há muitos pontos que podem ser abordados nesse versículo em nossa reflexão de hoje, todavia todos a lamentar e nenhum a comemorar.

Quem deu o nome de Lamentações a este livro de Jeremias sabia o que estava fazendo, sem sombra de dúvidas. E a parte que me sinto inclinado a refletir é a do meio, ou seja, a que menciona o coração transtornado.

O versículo, em si, está tratando a si mesmo na forma feminina, embora escrito por um homem, porque é como se fosse um lamento da cidade de Jerusalém sobre suas atitudes, ações e as consequências delas advindas. E, nesse trecho em particular, o lamento é o grito angustiado de arrependimento por ter sido rebelde e agora sofrer as duras consequências dessa rebeldia.

O que você faria se encontrasse a mais linda e verdadeira carta de amor, escrita para você?





 Wilma Rejane

São três histórias sobre cartas de amor. Uma foi escrita em 1934 e encontrada recentemente, a destinatária nunca chegou a ler o conteúdo. A outra carta foi encontrada em Abril de 2013, na Espanha e data de aproximadamente 300 anos, acredita-se que foi lida e escondida por ser um caso de amor proibido. A terceira carta é a mais antiga, ela foi escrita para você, espero que leia todo o artigo e conheça a história das três cartas, especialmente da que é destinada a você.


A história da primeira carta:

Uma misteriosa carta de amor enviada em 1934 foi encontrada em Durham, na Carolina do Norte (EUA), 76 anos depois de ser postada no correio de Salem, na Virgínia (EUA). Intacta, a mensagem destinada a Margaret Davey foi achada pelo diretor de operações da Universidade de Duke. Mike Trogdon ficou intrigado e foi à caça do destinatário.

Dentro do envelope havia um cartão desenhado com corações, uma girafa e a mensagem: "na corrida pelo meu amor, você ganhou por um pescoço longo. Então seja meu querido". Ao final, a remetente se identificava como Joyce.



Ao pesquisar nos arquivos da universidade, Trogdon descobriu que Margaret Davey se formou em enfermaria no ano de 1935 e se casou com um soldado da Segunda Guerra Mundial.

Quando o diretor foi até a casa de Margaret, foi informado de que ela morreu em janeiro deste ano, aos 96 anos.Dois meses antes da descoberta da mensagem.

Ao mostrar a mensagem para os filhos da enfermeira, outra revelação: a remetente estava viva e era uma sobrinha distante de Margaret.

Joyce está com 82 anos e se emocionou ao rever sua declaração de amor para a tia. "Ela era a minha preferida", disse a senhora.

A história da segunda carta em vídeo:




Terceira carta, a mais antiga:" Morri por amor a ti e revivi pelo mesmo motivo"

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...