Salmo 146 e as chagas do luto



Autor:
Milton Rodrigues

Quando o espírito deles se vai, eles voltam ao pó;
naquele mesmo dia acabam-se os seus planos.Salmo 146:4

Era outubro de 1994. Numa manhã de segunda-feira, tão despretensiosa quanto qualquer outra daquele início de primavera, levantei-me sem muita pressa. Iria visitar meu pai num hospital próximo de minha casa. Mais uma vez ele estava internado para cuidar de sua leve hemorragia estomacal e, como em outras oportunidades, eu sabia que ele passaria uma ou duas noites sendo medicado e logo voltaria para casa. Porém, isso não aconteceu. Para a infeliz surpresa de todos, e principalmente a minha, naquele dia aconteceu o pior: eu perdi o meu pai.

Sem dúvida, aquele foi o dia mais triste de minha vida. A dor da perda, a separação irreversível, a ausência – que a partir daquele momento seria definitiva – e uma indescritível sensação de completo desamparo. Naquela lastimosa manhã de primavera uma grande chaga abriu-se dentro de mim e que, às vezes, ainda teima em sangrar.

Talvez você também tenha, assim como eu, um triste relato sobre a perda de um ente querido, alguém muito amado que se foi, há muito ou há pouco tempo, cuja falta inunda seus olhos e coração de lágrimas. Mas, para esses dias de profunda consternação, a Palavra de Deus mostra-se presente e oportuna para abrandar nossas mazelas.

E no texto bíblico do Salmo 146 essa preocupação com o amparo e o sustento dos que viveram a dura experiência da perda de alguém amado é manifesta.

O texto do Salmo 146, datado do período pós-exílico, fazia parte integrante da oração diária da manhã no judaísmo tardio. É um hino de louvor que celebra o projeto de Deus e o que Ele produz, procurando despertar nosso amor para com Ele, cuja ação benfazeja no mundo leva os fiéis a confiar na ajuda divina.

Nesse ambiente de celebração diária e de exultação, chama-nos a atenção a presença de dois elementos, a princípio, destoantes: o órfão e a viúva. Distintos em suas características próprias, mas congruentes num ponto crítico. Esse ponto é a o acontecimento do evento morte, e não uma morte distante ou irrelevante – se é que alguma morte pode ser considerada irrelevante –, mas a morte de um ascendente ou cônjuge, uma pessoa com a qual se mantinham fortes ligações emocionais e de assistência, pois naquele contexto, essa perda não significava apenas a falta de companhia, mas a total ausência de amparo e sustento.

Assim, como lembrada a cada manhã nesta oração judaica, a morte se faz presente no diário, no cotidiano. Ele é uma realidade da qual ninguém pode fugir, nem mesmo poderosos ou príncipes – como apresenta o salmo –, podendo também, infelizmente, alcançar-nos a qualquer momento. E, quando ocorre, esse triste evento abre em nós chagas profundas, as quais, como nos dias passados, necessitam de tratamento para que não causem uma aflição maior.

E quando falamos de chagas podemos, também, nos reportar aos dias do escrito sagrado onde, para se tratar dessas feridas era uso comum o derramar de óleo sobre o ferimento para que ele fosse curado. É evidente que tal aplicação não o sarava instantaneamente, mas trazia alívio ao ferido e seu emprego, paulatino e ininterrupto, era capaz de curá-lo em definitivo.

A morte de alguém amado abre em nosso peito chagas que latejam, que sangram, e que em vários casos, continuam a pulsar por muito tempo. Elas necessitam de um cuidador que deite sobre elas o óleo balsâmico e lhes proporcione refrigério. Esta ação está a cargo do nosso Deus, através de seu Santo Espírito – o Consolador –, atuando prontamente nesse cuidado.

Mara, Noemi e o Deus que transforma destinos.




Autor: Wallace Sousa

"Assim, pois, foram-se ambas, até que chegaram a Belém; e sucedeu que, entrando elas em Belém, toda a cidade se comoveu por causa delas, e diziam: Não é esta Noemi? Porém ela lhes dizia: Não me chameis Noemi; chamai-me Mara; porque grande amargura me tem dado o Todo-Poderoso. Cheia parti, porém vazia o SENHOR me fez tornar; por que pois me chamareis Noemi? O SENHOR testifica contra mim, e o Todo-Poderoso me tem feito mal." Rt 1.19 a 21

Detendo-me a meditar nisso, comecei a refletir e gostaria de compartilhar com você alguma coisa sobre isso, tudo bem?

1. A vida, às vezes, não é justa

Você poderia se colocar no lugar dessa senhora, e imaginar os sofrimentos que ela passou? Se já não fossem suficientes as agruras da estiagem prolongada, agora avalie a subsequente perda de marido, seguida pela perda dos filhos. E isso longe de sua terra, de seus parentes, amigos e auxílios conhecidos. Naquela época, a mulher era muito mais dependente do esposo do que hoje, e a perda de seus filhos foi um golpe a mais em uma vida transbordante de amargura.

Conhecedor de situações quase parecidas, onde meu pai teve que migrar do Nordeste em direção a “São Paulo” (ou Eldorado, para alguns… risos), em busca de uma vida melhor, fugindo do flagelo da seca, que abatia animais no campo e ânimos na cidade, posso ter um vislumbre da situação de Noemi. Se meu pai era obrigado a trabalhar de “sol a sol” para garantir o pão em casa, e minha mãe trabalhava “pra fora” para complementar a renda, e eu mal os via durante o dia, imagino que a vida que Noemi levava não era nada fácil.

Significado de resistir ao pecado em Tiago 4:7


Wilma Rejane

Não sei se vocês alguma vez ouviram falar sobre o que escreverei neste artigo. Para mim foi de grande valor descobrir a formidável lição contida no verso Bíblico de:


Tiago 4:7: “Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”.

Resistir segundo o dicionário de tradução grega Strong , verbete 436, significa “ anthistemi” ou “anti-histamina”. Histamina é uma substância de defesa natural existente no organismo humano e que entra em ação para combater infecções. Uma simples picada de abelha desencadeia a ação de histamina como forma de defesa. Agora, quando há liberação intensa de histamina no organismo, o efeito se torna prejudicial causando asma alérgica ou até choques anafiláticos, nestes casos, será necessário utilizar os anti-histamínicos para devolver a saúde ao corpo. Em suma, organismos saudáveis têm níveis equilibrados de histamina, elemento essencial no combate a inflamações que podem se tornar crônicas e levar a morte.

A anti-histamina também está presente em medicamentos e alimentos naturais como os ricos em fonte de vitamina C, a uva, e o sal. Interessante é que o sal contêm anti-histamínico e precisa ser usado na dose certa, caso contrário, o organismo reage ao excesso de sal, liberando mais histamina para combater possíveis inflamações relacionadas com uso indevido dessa substância. E não é que esse dado me lembra de forma muito contundente a parábola de Jesus sobre ser "sal da terra"? Ao sermos sal da terra, estaremos funcionando como anti-histamínico (regulando a saúde do corpo) . Que maravilha descobrir que cristãos são "anti-histamínicos", proporcionam a saúde do corpo (sociedade, individuo, igreja).

Como mudar seu temperamento

Efésios 4:22-24


Bayardo Antonio Guadamuz
Tradução de João Cruzué

Todo cristão deve entender que morremos para o velho homem e que já temos crucificado nossa carne com seus desejos e paixões. E que somos livres de todo pecado e de toda condenação, em (II Cor.5:17) Cristo que já nos fez novas criaturas e portanto não mais devemos viver de acordo com nossa velha maneira de viver, pois nós somos agora novas criaturas. 

O cristão verdadeiro já não deve andar com o mundo vive. E o mundo anda em ódio, amarguras, em disputas, contendas, gritarias, e em pecados. Já o cristão não vive segundo o sistema deste mundo. Ele tem de aprender a viver debaixo da vontade de Deus. 

Lembra como vivíamos antes de conhecermos o Senhor? Antes, nós vivíamos como queríamos, fazíamos o que queríamos, dizíamos o que viesse à boca e ninguém podia dizer nada. Isto porque vivíamos em nossa "livre" escravidão do pecado sem conhecer a moralidade, o respeito, a honra, o Amor, os princípios éticos morais, espirituais e sem conhecer Deus que é a base de toda moralidade e respeito.

Antes se nos diziam duas palavras nós respondíamos com quatro. Tínhamos uma forma má de dizer as coisas. Éramos às vezes grosseiros e justificávamos tudo com aquela frase "Eu não tenho papas na língua"; "digo a verdade a qualquer um." 

Vivíamos enojados, com ira, amargurados, com cara de quem chupou limão. Entretanto, como é lindo ver cristãos sorridentes, contentes, felizes, às vezes em provas, mas contentes. Por que? Porque sabem que têm uma viva esperança no Reino dos Céus, e que apesar das circunstâncias, Deus está com eles.

Onde está a felicidade?



Wilma Rejane

Qual o seu maior sonho? "viver para sempre na companhia das pessoas que amo". Esta seria uma resposta possível para aqueles que encontram sentido e felicidade nos relacionamentos familiares e sociais de modo geral. Nessa ânsia de eternizar relacionamentos, alguns passam a buscar desesperadamente maneiras de reencontrar quem já partiu do mundo dos vivos. O reencontro seria uma forma sublime de consolo. Constatar que o outro está bem, que não esqueceu de você, que não demonstrou mágoa ou falta de perdão e sobretudo que ainda é possível vê-lo; quando quiser e que estará em sua  vida, como um anjo bom a te guardar e até guiar. 

Acontece que o milagre da vida, já em seu começo prediz a morte.O choro do parto, por exemplo, é uma forma de celebrar o desapego,  de reclamar a passagem do confortável para o imprevisível. A cada dia o planeta se renova ( e se desgasta) entre certidões de nascimentos e óbitos. Mas Deus não nos fez para o caos, Ele planejou tudo de modo perfeito. No livro do profeta Isaías está escrito: " Deus formou a terra, não para ser um caos, mas para ser habitada" Isaías 45:18.  O homem não está desamparado, sozinho. As respostas para a complexidade da vida (e da morte) nos foram dadas, como um tesouro que precisa ser buscado. 

Cada pessoa é um ser único com atributos peculiares, criado como um milagre para cumprir uma missão e também um propósito de Deus. Tanto a vida quanto a morte fazem parte desse propósito e a forma como lidamos com essas situações tem o poder de tornar mais ou menos felizes . Muitas vezes, a inerente busca por respostas nos faz deparar com caminhos estranhos, alheios ao plano de salvação. Aprendi que é preciso amar o outro com suas diferenças de credo ou do que for, respeitá-lo sem exigir que pense ou viva seguindo convicções que podem ser estranhas para mim, mas não são para os que as vivenciam. Contudo, e apesar de não existir receita pronta para felicidade, Deus revelou desde o princípio que existe um caminho para a salvação do corpo e da alma, uma salvação que é fonte de alegria nessa vida e além dela.

O propósito

Um exemplo Bíblico de pessoa cumpridora do propósito de Deus na terra é João Batista. Imaginemos; João não tinha poderes extraordinários, não ostentava títulos, não se permitia ser rotulado de profeta ( mesmo sendo um). João Batista levou uma vida simples, morava no deserto, comia gafanhoto e mel, provava do amargo e do doce. O amargo dos homens que o perseguiam e menosprezavam e do doce gozo em ser filho de Deus. Um homem tão parecido conosco, enfrentador de desertos, moldado em angústias e também alegrias. Aos olhos de muitos, João era um infeliz, mas dentro dele, existia uma indescritível paz que o mundo não compreendia. João tinha a certeza da salvação e quando se vive com essa certeza, a morte não assombra.


 " Houve um homem, enviado de Deus, cujo nome era João" (Jo 1:6)

Um novo tempo na vida profissional



Wilma Rejane


Queridos leitores,

Tudo bem ?

Meses atrás dividi com vocês o término do mestrado e a perspectiva de voltar a escrever com mais frequência no blog. Em doze anos de blog ( iniciamos em 07 de Dezembro de 2007), tenho compartilhado com os leitores não apenas questões sobre fé e Evangelho, mas também sobre assuntos outros que fazem parte da minha vida. Talvez não seja de interesse de alguns o que se passa nos bastidores da vida da(o) blogueira(o). Contudo, vez por outra, um pequeno número de leitores me escreve querendo saber mais sobre a vida pessoal dos editores do Tenda (Eu, João Cruzué e Wallace).

Todos nós que fazemos o Tenda na Rocha vivenciamos muitas mudanças pessoais no decorrer dos anos de trabalho na blogosfera. Todos permanecemos escrevendo, embora com menor frequência. Quanto a eles sei que permanecem seguindo a Cristo Jesus, perseverando na fé e no testemunho. Quanto a mim,  tenho me esforçado para obedecer ao Senhor Jesus, resistindo ao pecado e desviando de tudo que possa prejudicar minha comunhão e salvação. O bom Deus tem me proporcionado crescimento em meio às batalhas da vida. 

Perguntas sobre Deus



Seminário Teológico de Pittsburgh
Tradução: Wilma Rejane

Há alguns meses, o New York Times publicou um artigo fascinante chamado"Pesquisando por Deus ".
Nesta matéria, o autor Seth Stephens-Davidowitz expõe tendências recentes nos dados de pesquisa do Google, especificamente relacionadas às perguntas que as pessoas fazem sobre Deus. Stephens-Davidowitz observa que a pergunta número um relacionada a Deus que as pessoas fazem no Google é: "Quem criou Deus?" Não surpreende que a número dois seja "Por que Deus permite o sofrimento?" No entanto, fiquei chocada e consternada ao ver a pergunta de número três: "Por que Deus me odeia?"

Stephens-Davidowitz fornece uma informação ainda mais preocupante, as outras perguntas tristes  são: "Por que Deus me fez negro? e Por que me fez gay? ”Embora o autor deste artigo não vincule explicitamente as perguntas, não é demais acreditar que se Deus o fez "feio ou gay" é porque Deus o odeia também, pois em nossa cultura "feio" é um termo muito negativo usado para denegrir as pessoas com base principalmente em sua aparência., assim como o termo gay.

A leitura deste artigo me deixou profundamente triste, porque me fez perceber quantas idéias incorretas sobre Deus ainda existem e como essas idéias estão prejudicando as pessoas. Embora a igreja certamente ensine que somos todos pecadores, também afirma fundamentalmente que cada um de nós é criado à imagem de Deus e que, pela graça de Deus, somos amados incondicionalmente. De alguma forma, parece que essa mensagem crucial se perdeu na cultura mais ampla, porque, como mostram os dados do Google, as pessoas que pesquisam na Internet respostas para suas perguntas de fé parecem assumir que Deus é primariamente um tirano caprichoso e crítico que aplica seletivamente opressão e sofrimento à certos grupos, ou que torna algumas pessoas "feias" e outras não.

Aquietai o vosso coração...




Wallace Sousa

"Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus." Filipenses 4:6,7

A ansiedade é uma das grandes vilãs deste século. Aliás, para ser mais preciso, já no séc. XX a ansiedade, juntamente com a depressão, era considerada um mal bem presente na vida das pessoas. Eu já fui muito ansioso, então posso dizer que sei como esse sentimento é desagradável e difícil de se lidar.

A despeito de muitas tentativas que fiz de lidar com isso e, pra variar, quebrei a cara, a melhor e mais eficaz forma que eu encontrei de lidar com a ansiedade foi através da meditação e da confiança na Palavra de Deus.

Esse versículo que abre o post foi o melhor remédio que encontrei quando passei por situações onde a ansiedade ultrapassava os limites e vencia todas as minhas resistências, a despeito de meus melhores esforços. Outro versículo que também foi muito importante nessa luta contra a ansiedade foi este aqui:

Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra. Salmos 46:10

Entretanto, deixe-me dizer-lhe algo: tal como um remédio que, para fazer efeito, ele deve ser tomado conforme a prescrição médica, ou seja: nas doses recomendadas, nos horários prescritos e durante o período determinado, a Palavra de Deus também precisa ser observada segundo os mesmos critérios.

Por isso, não basta apenas você ler e não crer, ler e não praticar, ler e não observar, assimilar e viver de acordo. Imagine comigo: e se o médico lhe prescrever algo, você ler e não comprar o remédio, ou comprar e não tomar, não fazer uso dele, o que vai acontecer? De quem será a culpa se você não ficar curado daquela enfermidade? Do médico ou sua?

Jesus e anjos aparecem na Nigéria para salvar prisioneiros cristãos



Por Jordan Hilger,
Da Worthy News.
Tradução: Wilma Rejane



72 cristãos nigerianos, de origem muçulmana, convertidos ao cristianismo, foram recentemente salvos, depois de terem sido sequestrados pelo Boko Haram em uma série de circunstâncias milagrosas envolvendo anjos, cobras e uma aparição de Jesus.

Inicialmente, o grupo consistia de 76 homens, mulheres e crianças. Os quatro homens que lideraram o grupo tornaram-se os primeiros e únicos mártires do grupo quando os militantes exigiram que renunciassem à sua fé e se convertessem ao islamismo sob pena de morte.

De acordo com um relatório do fundo Barnabé, enquanto esperavam com medo e tremendo para encontrar o mesmo destino que seus maridos, várias mães no grupo foram informadas por seus filhos que Jesus havia aparecido a elas à noite e lhes assegurou que "todos ficariam bem"

A libertação prometida chegou no dia seguinte, quando homens armados enfileiraram vários dos prisioneiros contra a parede e submeteram os mesmos termos a eles.

Misteriosamente, antes que um único tiro disparasse, os captores começaram a gritar sobre cobras e largaram suas armas. Alguns fugiram da cena, enquanto outros morreram instantaneamente como se fossem dominados por uma força invisível.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...