Por que devemos orar pelas autoridades?

 

Wallace Sousa


Por que devemos orar pelas autoridades?
Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e ações de graças por todos os homens, pelos reis, e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranqüila sossegada, em toda a piedade honestidade. Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. (ênfases acrescidas)
Hoje fiz mais uma visita ao Congresso Nacional, a casa das leis do Brasil. Uma coisa que chama a atenção é o espelho d'água em volta do sítio legislativo. Chama a atenção a sujeira. Mas, apesar de tão sujo, ainda pude ver vários peixes chafurdando nadando em suas águas turvas.

Uma irmã a quem eu acompanhava e ciceroneava comentou que aquela água representava o resultado ou produto de um banho das suas excrescências excelências. Todavia, pensando bem, eu disse que aquela água, apesar de tão suja, ainda era melhor do que o subproduto de um banho legislatório, e quer saber por quê? Simples: aquelas águas barrentas e lodosas ainda tinham VIDA, e o mesmo não pode ser dito de muitos de nossos representantes políticos. Estão mortos em seus delitos e pecados, e a fedentina de sua indefecável presença é sentida em todo o território nacional.

Quando eu estava na sala da presidência da Câmara, passando tristemente a mão na cadeira em que o ilustre presidente assenta seu  honorável e impoluto derrière, fiquei questionando qual seria a saída para tirar o Brasil deste lamaçal, desse tremedal horrível em que nos metemos. Muito abatido, fui obrigado a reconhecer que não havia saída para o Brasil, visto que a corrupção desenfreada está em todos os níveis, os que comandam os esquemas têm todas as ferramentas em suas mãos e a seus pés. Nós não temos saída, humanamente falando, essa é a triste realidade que nos choca e abate.

Mas, então me lembrei do texto bíblico da exortação de Paulo a Timóteo, e cheguei à conclusão que o Brasil está na situação que está por culpa da igreja. A igreja tem culpa porque não está fazendo a vontade revelada de Deus: orar pelas autoridades. Ao fazer uma afirmação desse porte, estou ciente de que serei questionado e criticado à vontade, mas vou apresentar as razões que balizarão minha conclusão.

Revelações sobre a Páscoa no livro de Josué e de João

 



Wilma Rejane

Alguma vez ao ler o milagre da multiplicação dos pães e peixes você relacionou-o com a entrada dos israelitas na terra prometida? Se ainda não fez essa conexão entre Antigo e Novo Testamento convido-o a ler o artigo e se aprofundar um pouco mais no estudo da Palavra. É simplesmente maravilhoso constatar a perfeição das Escrituras e a grandeza escondida nos detalhes.  

No livro de Josué, capitulo 5, encontraremos subsídios para compreendermos melhor o que foi descrito pelos evangelistas: Mateus, Marcos, Lucas e João sobre a multiplicação. Façamos, portanto, um paralelo entre Josué e João ( antigo testamento e novo testamento).

João 6: 1 a 14:


Depois disto partiu Jesus para o outro lado do mar da Galileia, que é o de Tiberíades. E grande multidão o seguia, porque via os sinais que operava sobre os enfermos. E Jesus subiu ao monte, e assentou-se ali com os seus discípulos. E a páscoa, a festa dos judeus, estava próxima. Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pão, para estes comerem? Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que havia de fazer. Filipe respondeu-lhe: Duzentos dinheiros de pão não lhes bastarão, para que cada um deles tome um pouco. E um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe: Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas que é isto para tantos? E disse Jesus: Mandai assentar os homens. E havia muita relva naquele lugar. Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil.

E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos, e os discípulos pelos que estavam assentados; e igualmente também dos peixes, quanto eles queriam. E, quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca. Recolheram-nos, pois, e encheram doze alcofas de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobejaram aos que haviam comido. Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito, diziam: Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo. ”


Josué capitulo 5: 10 a 12:

 "Na tarde do décimo quarto dia do mês, enquanto estavam acampados em Gilgal, na planície de Jericó, os israelitas celebraram a Páscoa. No dia seguinte ao da Páscoa, nesse mesmo dia, eles comeram pães sem fermento e grãos de trigo tostados, produtos daquela terra. Um dia depois de comerem do produto da terra, o maná cessou. Já não havia maná para os israelitas, e naquele mesmo ano eles comeram do fruto da terra de Canaã."

Não se desespere

 



Wilma Rejane

“E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús. E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido. E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles. Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem. E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós, e por que estais tristes?” Lucas 24:13-17

Dois discípulos voltavam de Jerusalém: tristes, desesperançosos, decepcionados. Jesus havia ressuscitado e eles viram apenas o túmulo vazio. Não viram Jesus. Iam conversando pelo caminho, dispostos a abandonar tudo quanto criam, afinal, não fazia sentido seguir um morto. Mas Jesus também ia por aquele caminho com eles, interessado em seus sentimentos.

E ao reler essa passagem Bíblica, me ocorreu que aqueles dois discípulos já haviam transitado muitas vezes por aquele caminho de volta a Emaús: alegres, esperançosos, confiantes. Naquele dia os sentimentos eram diferentes, pois, em Jerusalém haviam deixado sua fé no Cristo ressuscitado. Cheios de dúvidas, apoiavam-se mutuamente, ambos eram testemunhas de um tempo glorioso com endereço no passado.

Aquele caminho em Emaús é o mesmo que passamos, por muitas vezes: tristezas, desesperanças, decepções. Buscando apoiar-se em pessoas, com interrogações não respondidas, sendo  Cristo considerado  uma fábula. Apesar da descrença, Jesus estava com eles. Sua morte era um marco, não  um fim. Um começo, recomeço de algo muito maior. 

Quando tudo parecer perdido

 



 "Faze-me saber os teus caminhos Senhor; ensina-me as tuas veredas.
Guia-me na tua verdade e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação;
por ti estou esperando todo dia" Salmo 25: 4-5.



João Cruzué 

Um fato é inegável. Nós cristãos não estamos livres da crise nem da depressão. Elas podem atingir a todos - crentes e descrentes - sem distinções. Já tenho escrito algumas vezes sobre isso, porque eu estive lá. Foram 11 longos anos de desemprego onde o pão de cada dia para minha casa foi diminuindo, diminuindo, até quase secar. Apesar ser graduado, falar duas línguas, ter trabalhado com estrangeiros por mais de 10 anos, quando a porta se fechou, alguém jogou a chave fora e eu fiquei sozinho. Então, o conteúdo deste texto não vai ser técnico. Não vou dissertar sobre "n" passos para vencer a depressão. Vou apenas dar meu testemunho de como passei por ela e que lição tirei dessa experiência muito difícil. Quero  para compartilhar isso com você - que agora está lendo este texto e precisa de uma palavra de Deus.

Sem rodeios. Deus permite que passemos alguns dias (ou anos) no vale da depressão porque tem um propósito especial em nossa vida. Para encontrar este caminho e conhecer este propósito nós temos um problema: nós mesmos. Somos por demais vaidosos. Nossa vontade costuma prevalecer sobre a vontade de Deus. Nossa oração é pouca. Nosso conforto, esplêndido. Nossos planos, humanos. Com tantos cuidados desta vida, perdemos o caminho da vontade de Deus - o SENHOR. 

E de repente, eu comecei a enviar currículos. Fiquei desempregado em 31.07.1992. O ano de 1992 se passou e nada de uma porta de emprego aberta. Veio 1993, continuei enviando currículos. Sem nada à vista, apesar de ser contador graduado, profissional competente para fazer balanços em português e inglês, lá fui eu para o sítio. Fui plantar tomates. Preços ruins, 800 km longe de casa. Longe da família, uma senhora luta. Não deu prejuízos, ganhei o suficiente para alguns meses. Veio 1994; refiz e enviei outros currículos. Nada!Se de um lado os ventos da luta financeira sopravam trazendo a secura do deserto, na vida espiritual as coisas não estavam no mesmo plano. Comecei a dirigir minha primeira congregação, cooperando com o saudoso pastor Luiz Vicente Branco. Foram 67 meses cuidando da congregação da Assembleia de Deus do Parque Santo Antonio. Sim, sessenta e sete, porque eu não sairia com "66". A Igreja não percebia tanto a luta que passávamos, pois os cultos eram muito bons. As festas de Círculo de Oração e de grupo de Crianças, maravilhosas.

Em 1995, meus pais nos emprestaram uma quantia para o início de um comércio. A recessão pós-Collor estava só começando e não sabíamos. Prejuízo de 30 mil reais. Nossa filha mais velha, estava em colégio particular. Tiramos. Nossos móveis de quarto, sala e cozinha, todos velhos, nós deixamos. Nossa linha de telefone fixo, que valia na época R$5.200,00, nós a vendemos para pagar dívidas. Nosso carrinho velho, um Chevette Hatch ano 80, sem licenciamento desde 1992. Bebia um litro de óleo por semana. Em 1996, durante cinco meses do ano não tínhamos como fazer compras no supermercado. Foi neste ano que, certo dia, voltei para casa com meio kilo de café. Eu orei, dei graças, e aprendi o valor das pequenas coisas.

Jejum sem santidade não transforma realidade






Wilma Rejane 

O Ministério Torch Of Christ ou Tocha de Cristo tem ministrado arrependimento em diversos lugares do mundo. O evangelista Phillip Blair veste-se com pano de saco e brada pelas ruas das cidades, é um chamado seguido com paixão e simplicidade, é a mensagem do Evangelho em essência porque o arrependimento é central na obra de Jesus Cristo.

O ministério internacional conta com alguns brasileiros, entre os quais a Beatriz, esposa do Phillip Blair. Ambos fizeram recentemente uma jornada pelas ruas de algumas capitais do Brasil convocando as pessoas ao arrependimento. A série de pregações no Brasil pode ser acompanhada no canal do ministério no You Tube.

O vídeo postado no artigo é sobre o Jejum Nacional convocado por lideranças evangélicas, dia 29 de Março. Beatriz que esteve em Brasília com Phillip Blair, considerou o propósito do jejum desvirtuado. Publico o vídeo porque é o que também acredito.   Por exemplo, do profeta Isaías vemos Deus dizer a Israel que não receberia o jejum  porque havia pecado e opressão na nação  Isaías 58,  Portanto, um jejum sem arrependimento seria inválido. 

Tenho acompanhado diariamente as notícias nacionais  e internacionais e percebo que uma multidão de pessoas está distraída  e envolvida em contendas políticas, desapercebidos e distantes sobre o que Deus está falando. Em uma pandemia tão cruel, com tantas vidas ceifadas, as pessoas estão a negligenciar os propósitos da mensagem cristã.

Que a misericórdia do Senhor Jesus seja estendida sobre todos nós e que nossos corações estejam contritos e atentos à vontade de Deus. Deus salve o Brasil e o mundo,

Deus nos abençoe, em nome de Jesus.

Série de Estudos Bíblicos sobre Tempestades

 


Wilma Rejane

"Mestre, não se te dá que pereçamos? E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança. "Marcos 4:38-39

Não há como mensurar os efeitos de uma tempestade no momento em que ela ocorre. Na calmaria é que se poderá avaliar o que foi embora com o vento, o que ficou e o que chegou de novo. Jesus e os discípulos atravessaram uma tempestade quando se dirigiam a cidade de Gadara. Houve pânico e temor na tripulação, mas Jesus dormia naquele barco e fez com que todos chegassem do outro lado a salvos. Todos passamos por tempestades na vida, momentos de incertezas, muitas vezes perguntamos: porquê? Deus virá em meu socorro?  

A seguir 10 estudos Bíblicos sobre tempestades retirados de trechos diferentes da Bíblia. Tanto no Antigo Testamento quanto no Novo Testamento, há passagens sobre tempestades; o que Deus nos ensina através delas? O assunto não se esgota com esses artigos, mas os artigos têm por objetivo traduzir (em parte) as mensagens Bíblicas a fim de fortalecer nossa fé. 









Quando desistir é necessário

 


Wilma Rejane

Desistir significa: abrir mão de algo, não prosseguir, abdicar, renunciar. É um sentimento comum, pois lidamos diariamente com escolhas e a partir do momento que selecionamos uma ação em detrimento de muitas outras; prosseguimos com algo e desistimos de algo. Há momentos na vida em que desistir representa um ato heroico, isto acontece quando abandonarmos situações ou pessoas que nos fazem mal. Por exemplo: desistir do álcool em detrimento de uma vida física e espiritualmente saudável. Sob este aspecto - e outros semelhantes- desistir significa vencer.

Agora, existem momentos em nossas vidas que somos pressionados a desistir de coisas que sabemos ser preciosas no sentido de proporcionar benefícios de todas as ordens: viver uma vida cristã, estudar com afinco para conseguir a tão sonhada vaga naquele emprego formidável, concluir um projeto profissional. Persistir em caminhar sozinho em uma longa estrada por acreditar que Deus dará a recompensa pela escolha de renuncia, de caminho árduo é um oportuno exemplo sobre "não desistir". Foi o que aconteceu com José, filho de Jacó. Suas escolhas corretas produziram resultados árduos e uma vida de sonhador solitário, contudo, ao persistir no caminhar com Deus, o tempo e todas as sementes entregues ao Senhor do tempo vingaram.

Medicina na Bíblia

 

Wilma Rejane

Existiria na Bíblia o ensinamento de que é pecado recorrer a medicina para curar doenças? O uso da ciência médica seria indicação de falta de fé? Esses são dilemas constantes no meio cristão (evangélico ou não), visto que há religiões que proíbem sua comunidade de recorrer a procedimentos médicos como por exemplo: transfusão de sangue, transplantes e outros.

Sei que o assunto exige extenso debate, mas quero tão somente que esse artigo sirva de suporte para ajudar pessoas que procuram referencias Bíblicas para o uso da medicina: Deus condena essa prática? 

Há inúmeras passagens Bíblicas sobre a ciência médica, a primeira referência está no livro de Gênesis quando Deus realiza um corte na costela de Adão com o objetivo de originar Eva. Por que Deus escolhe fazer Eva de Adão? Ele não poderia fazê-la de modo independente como fez com Adão? Nessa operação cirúrgica de Deus está presente o papel social de homens e mulheres, mas também e de forma esplêndida, o papel da medicina na origem de todos os seres humanos;  química, biologia, genética e outros. Observemos:

Gênesis nos diz que Deus criou Eva usando material retirado do lado de Adão. (Gênesis 2:21-22) A palavra hebraica para o que foi tirado de Adão é tsela = costela (H6763 de Strong). 


Os componentes necessários para fazer Eva já estavam nas células de Adão, ou seja, os cromossomos humanos que carregam o material genético para fazer o corpo humano. Todos os seres humanos têm 46 cromossomos, mas o sexo é determinado por apenas dois deles - chamados X e Y. Os machos têm um X e um Y. As fêmeas têm dois Xs.

Portanto, para tornar células femininas a partir de células masculinas Deus teve todos os diferentes tipos de cromossomos que precisava. Ele tirou o Y e duplicou o X, mas Ele não teve que inventar qualquer novo  cromossomo. Adão e Eva foram, criações únicas e separadas, produtos de um Deus que sabia manipular coerentemente os dados científicos que tinha em mãos.

No livro de Levítico, Deus orienta a congregação de Israel a fazer uso de práticas sanitárias e de higiene pessoal em prol da saúde.

Após oração, médico cristão obtém tratamento 100% eficaz contra Covid19


Um médico Texano com 28 anos de profissão e que serviu na força-tarefa de saúde do ex-governador Perry e é médico especialista de uma afiliada da CBS no oeste do Texas, tem aplicado um tratamento contra covid19 com 100% de eficácia. Dr Richard Bartlett contou a uma emissora de Tv como descobriu o Protocolo medicamentoso que tem salvado centenas de pessoas. 

“Em Março, eu estava trabalhando em um turno de 48 horas na sala de emergência e fiquei perturbado”, disse o Dr. Richard P. Bartlett, MD, a Debbie Georgatos em seu programa, “America Can We Talk. As tensões emocionais geradas pela explosão da pandemia já estavam me afetando. Sou cristão e fiquei orando durante todo aquele turno de 48 horas, conversei com Deus sobre o que fazer para salvar as pessoas da morte por Covid. As pessoas vão ao hospital confiantes de que o médico tenha a solução certa para sua doença.

Permaneci em oração até tirar uma soneca entre os atendimentos quando algo notável aconteceu. Deus me inspirou sobrenaturalmente e acordei com um protocolo de tratamento que provou ser 100% eficaz com todos os meus pacientes com Covid-19.Acordei convencido de que Deus havia me dado uma estratégia vitoriosa. Uma semana depois, tive que experimentá-lo em meus dois primeiros pacientes e funcionou!"

Seu plano de tratamento inspirado por Deus emprega um esteróide inalado, freqüentemente usado por pacientes asmáticos chamado Budesonida, administrado por meio de um nebulizador, um dispositivo que fornece uma névoa medicamentosa inalada para os pulmões. Ele também usa o antibiótico claritromicina para combater a pneumonia bacteriana secundária. Para garantir, ele dá zinco aos seus pacientes, porque interfere na multiplicação do vírus.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...