Três marcas de um homem espiritual

 

Escrito por:   
Zac Poonen

“Não vos pude falar como a homens espirituais, mas como a homens carnais” ( 1Co. 3: 1 ).

Lemos em 1Co. 1: 5 , 7 que os cristãos coríntios se destacavam em três áreas - conhecimento das Escrituras, pregação e dons do Espírito. No entanto, apesar de ter tudo isso, eles não eram espirituais. De fato, é raro encontrar crentes que têm discernimento para reconhecer que um pregador talentoso e eloqüente, cujo conhecimento da Bíblia é extenso e que, além disso, também tem dons milagrosos do Espírito, não precisa ser um homem espiritual. Ele poderia ser totalmente carnal.

Infelizmente, vivemos em uma época em que a maioria dos crentes pensa que um homem é espiritual se ele for um bom 'Mestre de Cerimônias' que pode conduzir as reuniões de uma forma animada, deixar as pessoas à vontade com suas muitas piadas e pregar com eloquência também.

Os pregadores de hoje são respeitados, infelizmente, por seus dons e não pelo fruto da semelhança de Cristo em suas vidas - apesar do fato de Jesus ter ensinado claramente que os falsos profetas seriam identificados pela falta do fruto divino em seu caráter ( Mt 7: 15-20 ).

Jesus também disse que no dia do julgamento muitos viriam diante Dele e diriam que profetizaram e fizeram milagres em Seu Nome. Mas Ele respondeu que nunca os conheceu ( Mt 7:22 , 23 ). Eles chamavam Jesus de "Senhor" e tinha poderes sobrenaturais. Mas havia pecado em suas vidas. Isso nos mostra claramente que muitas atividades "cristãs" e até dons sobrenaturais não tornam o homem espiritual. Na verdade, eles não são nem mesmo uma indicação de que um homem nasceu de novo, pois o Senhor disse a essas pessoas que Ele NUNCA os conheceu em nenhum momento !!

Para entender o que torna um homem espiritual, podemos primeiro fazer uma lista de todas as habilidades que Satanás possui. Isso nos mostraria claramente as coisas que NÃO são marcas da verdadeira espiritualidade.

Considere a atividade, por exemplo: Satanás é um trabalhador em tempo integral que está ativo dia e noite ( Re. 12: 9 , 10 ). Ele nunca tira férias. Ele está sempre procurando pessoas a quem possa acusar - e também tem muitos ajudantes !! Ele também tem bastante conhecimento bíblico, pois citou as Escrituras até mesmo para Jesus. Ele tem dons sobrenaturais, zelo, muitos colegas de trabalho, um grande número de seguidores e autoridade sobre muitas pessoas. Mas ele não é espiritual !!

O que torna um homem verdadeiramente espiritual pode ser resumido em três afirmações: Um olhar para cima, um olhar para dentro e um olhar para fora.

Um homem espiritual olha constantemente nestas três direções:

1. Para cima - em adoração e devoção a Deus e a Cristo.

2. Interiormente - em reconhecer e arrepender-se de sua não semelhança com Cristo.

3. Externo - procurando ajudar e abençoar outras pessoas.

Um homem espiritual olha para cima

Deus nos chamou antes de tudo para sermos Seus adoradores - para ter fome e sede Dele. Um homem espiritual adora a Deus. Seu único desejo é Deus. Ele não deseja nada ou ninguém além de Deus na terra ou no céu ( Salmos 73:25 ). O dinheiro não significa mais para ele do que Deus. Assim como o cervo arqueja após os riachos de água, o homem espiritual anseia por Deus. Ele anseia por Deus mais do que um homem sedento anseia por água.

Um homem espiritual anseia por comunhão com Deus mais do que por facilidade ou conforto. Ele anseia ouvir Deus falar com ele diariamente.

A parábola da dracma perdida



Wilma Rejane

"Ou, qual é a mulher que, possuindo dez dracmas e, perdendo uma delas, não acende uma candeia, varre a casa e procura atentamente, até encontrá-la?E quando a encontra, reúne suas amigas e vizinhas e diz: Alegrem-se comigo, pois encontrei minha moeda perdida. Eu digo que, da mesma forma, há alegria na presença dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende" Lucas 15:8

Lucas 15 é uma sucessão de parábolas sobre a graça de Deus resgatando o homem do pecado. São três parábolas:1- A ovelha perdida resgatada pelo pastor,2- a dracma perdida resgatada pela mulher e 3-o filho pródigo resgatado do mundo pelo amor do pai. Jesus é o bom pastor da parábola 1,  O Espírito Santo de Deus é a candeia iluminada da parábola 2 e Deus é o Pai amoroso da parábola 3, essa é uma forma de interpretar e compreender o trabalho da Trindade na salvação do homem.

Neste artigo falaremos especificamente sobre a Parábola 2 (dracma perdida), uma vez que outros estudos já foram publicados sobre as demais parábolas.De inicio, selecionemos alguns aspectos que merecem nossa atenção:

1-O que era dracma, que valor tinha para aquela sociedade?
2-Por que a mulher da parábola ficou incomodada com a dracma que se perdeu se ela tinha outras nove?
3- A dracma se perdeu dentro de casa e não do lado de fora, em outro ambiente
4-Era noite quando a mulher percebeu que havia perdido a dracma, senão: por que acender uma candeia para procurá-la?
5- Por que ela não esperou o dia amanhecer para procurar?
6- A candeia no contexto Bíblico
7- A dracma se perdeu em segredo, mas foi encontrada com festa e publicação na vizinhança.


As bênçãos das adversidades

 

O apóstolo Tiago recomendou uma resposta surpreendente aos problemas: “Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações ; sabendo disso, que a prova de sua fé produz paciência. Mas tenha a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma ” (Tiago 1: 2-4).

O Apóstolo Paulo expressou uma perspectiva semelhante sobre a adversidade: “ Nos gloriamos também nas tribulações : sabendo que a tribulação produz a paciência; e paciência, experiência; e experiência, esperança: e a esperança não envergonha; porque o amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos é dado. Porque, quando ainda deixa sem janela, no tempo devido Cristo morreu pelos ímpios ” (Romanos 5: 3-6).

Esses homens compreenderam que, à luz do que Cristo fez por nós ao providenciar a salvação , as dificuldades que experimentamos nesta vida assumem um novo significado . Eles são um meio pelo qual Deus trabalha para cumprir Sua vontade em nossas vidas: para nos moldar para que reflitamos o caráter de Cristo. (Ver Romanos 8: 28-30.) Com base nesse propósito, todas as adversidades “trabalhar juntas” para o nosso bem e a glória de Deus.

Quando a adversidade chega, somos forçados a enfrentar problemas e pressões que são grandes demais para resolvermos . Desta forma, Deus chama nossa atenção. Não podemos continuar a perseguir nossos objetivos, tarefas e especificações da mesma maneira. Precisamos parar e avaliar nossa situação, pedir sabedoria a Deus, obedecer à Sua Palavra e confiar que Ele trará a ajuda de que precisamos.

Os problemas apontam nossas fraquezas e nos levam a confiar em Deus de maneiras que não faríamos, a menos que tivéssemos necessidades específicas. O convite de Cristo aos que estão cansados ​​torna-se muito atraente em meio às provações: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados ​​e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tome meu jugo sobre você e aprenda de mim; porque sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve ” (Mateus 11: 28-30). A adversidade é uma sala de aula em que podemos aprender mais sobre Cristo e nos tornar mais semelhantes a ele.

À medida que vamos a Deus com nossas necessidades, nossa oração interior deve ecoar estas palavras do salmista: “A ti, Senhor, elevo a minha alma. Deus meu, em ti confio; não me envergonhe, não triunfem sobre mim os meus inimigos ” (Salmo 25: 1–2).

A adversidade nos lembra de nossas fraquezas.

O apóstolo Paulo sabia o que significava viver com adversidades que não iriam embora. Ele aprendeu a ver o bem que Deus pretendia trazer para sua vida por meio disso e se alegrar no desígnio de Deus. Ele escreveu: “Para que eu não fosse exaltado acima da medida pela fonte das revelações, foi-me dado um espinho na carne, o mensageiro de Satanás, para me esbofetear, para que eu não fosse exaltado acima da medida. Por isso roguei três vezes ao Senhor, para que me afastasse de mim. E ele me disse: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, portanto, antes de me gloriarei em minhas enfermidades, para que o poder de Cristo repouse sobre mim. Portanto, sinto prazer nas enfermidades, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo: porque quando estou fraco, então sou forte ” (II Coríntios 12: 7–10).

Ao aceitarmos as nossas características imutáveis ​​e abraçar os propósitos de Deus para as nossas dificuldades, experimentaremos o poder de Cristo em nossas vidas. Podemos confiar que Deus cuidará de nós e fornecerá tudo de que precisamos. “Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece que o temem. Pois ele conhece a nossa estrutura: lembra-se de que somos pó ” (Salmo 103: 13–14).

A adversidade nos motiva a clamar a Deus.

Deus responde ao clamor de Seus filhos . “Os justos clamam, e o Senhor os ouve e os livra de todas as suas angústias” (Salmo 34:17).

Devemos clamar a Deus com nossa voz. “Clamei ao Senhor com a minha voz, e ele me comum desde o seu monte santo” (Salmo 3: 4).

Podemos clamar a Deus por misericórdia todos os dias. “Tem misericórdia de mim, Senhor, porque a ti clamo o dia todo” (Salmos 86: 3).

Devemos clamar a Deus com humildade. “. . . Ele não se esquece do clamor dos humildes ” (Salmo 9:12).

Devemos clamar a Deus com um coração puro. “Se eu contemplar uma iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá” (Salmo 66:18).

A adversidade é uma garantia do amor e cuidado paternal de Deus.

A disciplina sábia leva a criança à maturidade. Assim como um pai amoroso ajuda seus filhos a aprender e crescer por meio da disciplina que aplica em suas vidas, Deus usa a adversidade para nos ajudar a crescer em santidade e nos tornar mais semelhantes a ele. Quando perseveramos nas adversidades, temos prova de que somos filhos de Deus.

Porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todos os que recebem por filho. Se apoia uma correção, Deus vos trata como se fossem filhos; pois, que filho é aquele a quem o pai não corrige? Mas se estais sem castigo, da qual todos são participantes, então sois bastardos, e não filhos. Além disso, temos pais de nossa carne que nos corrigiram e lhes demos reverência: não deveríamos antes estar sujeitos ao Pai dos espíritos e viver? Pois eles, na verdade, por alguns dias nos castigaram conforme sua própria vontade; mas ele para nosso proveito, para que sejamos participantes de sua santidade. Agora, nenhuma correção por enquanto parece ser alegre, mas dolorosa; no entanto, depois disso produz o fruto pacífico de justiça para aqueles que são exercidos por meio dela. Portanto levantai as mãos que pendem e os joelhos fracos; e faze veredas retas para os seus pés, para que o que é manco não se desvie; mas deixe-o ser curado (Hebreus 12: 6–13).

No Jardim das Aflições



Wilma Rejane

Naquele dia os portões da cidade de Jerusalém não se fecharam, era Páscoa e normalmente a cidade recebia muitos visitantes. Jesus e os onze apóstolos passaram pelos largos portões, atravessaram o vale de Cedrom e se acomodaram em um jardim de oliveiras chamado Getsêmani. Ele costumava se reunir ali com os discípulos, também sozinho, em oração. Era noite, fria e tenebrosa.  Jesus pressentia seu flagelo e uma necessidade inadiável de orar. Oito dos apóstolos ficaram pelo caminho, nas proximidades do jardim.Tiago, João e Pedro acompanharam o Mestre sentando-se a apenas alguns metros de distância.

Disse-lhes então: “A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem comigo. Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e orou: Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres. Então, voltou aos seus discípulos e os encontrou dormindo. Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora? perguntou ele a Pedro. Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca.” Mateus 26:38-41

Naquela noite, enquanto Jesus orava expelindo sangue por todos os poros, seus apóstolos dormiam. Eles não suportaram o cansaço físico, tão pouco consideraram a urgência do momento. Seus espíritos se acomodaram ao que a mente lhes oferecia. Queriam repouso. Apesar da dramática situação de Jesus, em nenhum momento nos é dito que Pedro, Tiago e João se assustaram com a cena incomum, se compadeceram, inquiriram Jesus sobre o fato de estar ensanguentado.

Os apóstolos dormiram. Enquanto isso; Jesus transpirou sangue, orou por três vezes e foi auxiliado por anjos (Lucas 22:39 – 46). Eles não viram, foram abatidos pelo desânimo. Não imaginavam Jesus capturado e morto. Não compreendiam o emblema vivido por Jesus naquele jardim: sua intensa aflição e tristeza.

Esse episódio que antecede a crucificação, nos ensina sobre muitas coisas e é abundante a literatura que trata do valor da oração a partir da aflição de Jesus no Getsêmani.  Aqui, contudo, destaco a reação dos apóstolos Pedro, Tiago e João, como companheiros de Jesus naquele momento tão decisivo em que a angústia da morte O cercava.

Somos pedras vivas, casa espiritual, sacerdócio santo.




Staff Forerunner 

Deus, através do apóstolo Pedro, chama-nos pedras especiais que Ele está a moldar e a polir para fazer parte de um Templo ainda mais glorioso, a santa Casa de Deus:

Vindo até Ele como uma pedra viva, rejeitada de fato pelos homens, mas escolhida por Deus e preciosa, vós também, como pedras vivas, estais a construir uma casa espiritual, um sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus através de Jesus Cristo. (I Pedro 2,4-5)

O Templo de Salomão era apenas um tipo da verdadeira Casa de Deus, de verdadeiro Templo, de igreja de Deus (I Coríntios 3:17; II Coríntios 6:16). O edifício de Salomão era o "Templo de Deus" devido à presença de Deus, e assim é hoje. Deus vive agora em nós pelo Seu Espírito Santo, tal como a Sua glória shekinah pairava cobrindo a Arca no Santo dos Santos. Se Deus está ativo e presente em nós, nós somos pedras vivas e parte do Seu Templo espiritual.

Tal como o Templo tinha muitos tipos de pedras, rochas e pedregulhos que compunham os alicerces, chão, paredes, telhado e pilares, também o Templo espiritual de Deus terá. O Templo espiritual de Deus é uma obra em progresso. Sem dúvida, Deus está entusiasmado por ver os seus diferentes elementos a tomar forma. Ele está a construir-nos, como pedras vivas num Templo vivo, "sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo o próprio Jesus Cristo a principal pedra angular" (Efésios 2,19-20).

O próprio Jesus diz que uma casa bem construída é construída sobre a rocha (Mateus 7,24-25). A fundação do Templo espiritual foi colocada e não pode ser mudada (I Coríntios 3,11); Jesus Cristo é a Rocha sobre a qual Ele constrói a sua igreja (Mateus 16,18). 

A Assembleia Pacífica

"E o templo, quando estava a ser construído, foi construído com pedra acabada na pedreira, para que nenhum martelo ou cinzel ou qualquer ferramenta de ferro fosse ouvido no templo enquanto estava a ser construído" (I Reis 6:7).

Deus precisa de pedras preciosas, pedras e rochas de diferentes formas, tamanhos, materiais e cores para terminar a Sua bela Casa. Assim, Deus chama pessoas de todos os tipos de personalidade, origens, raças e forças para que cada uma possa ser a pedra precisa de que Ele necessita num lugar específico do Seu Templo.

Haverá muitas necessidades, tarefas, empregos, e projetos no Reino de Deus. Ele sabe exatamente que "pedra" Ele quer e onde Ele precisa dela. Nós somos essas pedras, planejadas para um lugar específico para o qual Deus nos está a preparar. Devido à Sua graça, bênçãos e dons, estaremos a cumprir um papel preciso no Seu santo Templo.

Onde quer que estejamos agora,  Deus nos está a cortar, a moldar, e a polir para caber na obra-prima que Ele está a construir. Por vezes perdemos isto de vista porque não vemos o Templo inteiro a juntar-se. Ainda estamos na pedreira onde tudo o que podemos ver são algumas outras pedras talvez semelhantes a nós próprios. Não podemos ver as pedras das outras pedreiras: cristãos do primeiro século, patriarcas, profetas, reis, verdadeiros cristãos ao longo da história, ou mesmo todos os crentes vivos hoje. Ainda não vemos o quadro completo - e não o veremos - até que todas as pedras cheguem ao Monte do Templo.

I Reis 5:17-18 registos: "E o rei ordenou-lhes que extraíssem grandes pedras, pedras caras, e pedras lavradas, para assentarem os alicerces do templo. Assim, os construtores de Salomão, os construtores do Hiram e os Gebalitas extraíram-nas; e prepararam madeira e pedras para construir o templo". Grande parte da pedra escolhida foi provavelmente o calcário branco duro encontrado perto de Jerusalém, mas os construtores de Salomão encontraram muitas outras belas pedras, rochas e pilares de todo o mundo conhecido.

Blocos de pedra, ou granito, ou mármore, não são escavados facilmente de uma massa rochosa. Se as pedras pudessem falar, provavelmente queixar-se-iam amargamente da dureza do cinzel e da serra. Também nós somos obrigados a suportar dificuldades e contratempos. O sofrimento faz parte do processo de extração, dimensionamento, polimento e preparação de nós, as pedras vivas, para os nossos papéis no Reino de Deus.

 I Pedro 5,10: "Mas que o Deus de toda a graça, que nos chamou à Sua glória eterna por Cristo Jesus, depois de terdes sofrido algum tempo, vos aperfeiçoe, estabeleça, fortaleça, e vos estabeleça". O corte, a lasca, o dimensionamento, e o polimento são partes vitais para que cada pedra se ajuste aos planos de Deus o Pai. A igreja é a Sua Casa, a "Casa de Deus" (I Timóteo 3:15).

Descanso para o cansado; Jesus e a fonte de Giom.

 

Wilma Rejane


 " A porta da fonte, junto ao muro do viveiro de Siloé, ao pé do jardim do rei, mesmo até os degraus que descem a cidade de Davi" Neemias 3:15.


Um detalhe escondido em um relatório sobre a restauração das portas de Jerusalém, foi capaz de restaurar também meu ânimo. A fonte citada no livro de Neemias, chama-se "Fonte de Giom ou Fonte das virgens" e fornecia água para uma outra chamada Siloé, por onde a água ainda corre constantemente, pura e por vários lugares de Jerusalém: vale de Cedrom, leste da cidade, aldeia de Siloé e redondezas.

Giom é também o nome de um dos rios que passava no Jardim do Éden, conforme Gênesis 2:13 "E o nome do segundo rio é Giom". Perdeu-se a referência original desse Giom. Os judeus, porém, deram o mesmo nome as águas puras e constantes que brotam da fonte considerada vital para toda a região. Em Giom, bebia o exército do rei Davi, ás águas da fonte banhavam o jardim do palácio do rei,  repleto de flores e pomares.


Eis aqui um curioso detalhe sobre Giom: Giom é alimentado por um túnel cortado de uma rocha, a fonte que oxigena Giom é uma rocha ( Josefo, Wars of The Jews ). Giom significa corrente de águas e essa corrente de águas, dava origem a muitas fontes, dentre as quais Siloé (descanso). Assim, em analogia,  vejo A Rocha que oxigena Giom como sendo Jesus (Salmo 144:2, Salmo 95:1) que purifica e abastece a alma humana. Com Cristo, somos como um jardim regado: "Naquele dia haverá uma vinha de vinho tinto; cantai-lhe. Eu, o Senhor, a guardo, e cada momento a regarei; para que ninguém lhe faça dano, de noite e de dia a guardarei. Isaías 27:2-3

Reconstruíndo com pedras queimadas - Neemias




Não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força."  Neemias 8:10


Wilma Rejane

Neemias foi contemporâneo de Esdras. Ambos viveram em uma fase difícil da história de Israel, quando o povo havia sido levado cativo para Babilônia e os que ficaram na cidade de Jerusalém, conviviam com um cenário desastroso. A cidade estava destruída. Casas e muros derrubados,  construções em pedras despedaçadas pelo contato com o fogo e fúria dos inimigos.

Os sobreviventes, lá na província que escaparam do cativeiro estão em grande dificuldade e vergonha, o muro de Jerusalém é dividido, e as suas portas foram destruídas pelo fogo.” Ne 1:3

Copeiro do rei Artaxexes, considerado funcionário de confiança da corte, Neemias servia na capital de Susã, a 150 milhas do Rio Tigre, que atualmente é o Irã. Ele adquiriu permissão e favores do rei para voltar a Jerusalém e reconstruir a cidade e suas fortificações. O ano é aproximadamente 432 a. C. O que aprendemos com Neemias? Essa é mais uma narrativa Bíblica fortalecedora, restauradora!  Neemias era um homem de fé e temor a Deus, morando em um luxuoso palácio, nada lhe faltava, mas seu coração desfalecia pelos compatriotas  judeus. Ele deixa o palácio e segue em missão para Jerusalém. Um homem que revela a grandeza da intercessão, da oração humilde, sincera e cheia de amor ao próximo. Além disso, a capacidade de discernimento de Neemias é algo que devemos buscar a fim de não cedermos às ciladas do inimigo.

À noite me levantei, e uns poucos homens, comigo; não declarei a ninguém o que o meu Deus me pusera no coração para eu fazer em Jerusalém . Então, lhes disse: Estais vendo a miséria em que estamos, Jerusalém assolada, e as suas portas, queimadas; vinde, pois, reedifiquemos os muros de Jerusalém e deixemos de ser vergonha.” Neemias 2:12 e 17.

Reedificar a cidade de Jerusalém representava também  recobrar os ânimos dos moradores, a alegria de espírito, a comunhão espiritual com Deus. Jerusalém estava nua, desprotegida. Sem fronteiras, os inimigos adentravam livremente na cidade, saqueando o que restava, inclusive as vidas. Disse Jesus: “Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua nudez.” Apocalipse 16:15.  Essa situação é tão idêntica ao homem caído, entregue ao pecado. Sua alma fica refém do diabo que tem acesso livre às portas de seu coração, mas  Neemias vem nos dizer que as fortalezas de pedra, destruídas e queimadas a fogo pelos inimigos, podem ser erguidas novamente, aleluia!

E sucedeu que, ouvindo Sambalate que edificávamos o muro, ardeu em ira, e se indignou muito; e escarneceu dos judeus .E falou na presença de seus irmãos, e do exército de Samaria, e disse: Que fazem estes fracos judeus? Permitir-lhes-á isto? Sacrificarão? Acabá-lo-ão num só dia? Vivificarão dos montões do pó as pedras que foram queimadas? Ne 4:1-2


 Olá queridos leitores, tudo bem?

Chegou Novembro! Faltam poucos dias para o romper do ano e primeiramente agradeço a Deus por ter nos guardado até esses dias. Acredito que todos temos lutas, diferentes desafios e em comum a fé em um Deus bondoso que se importa conosco e cuida de cada detalhe para nos tornar vitoriosos nessa passagem chamada vida. 

Os dias são difíceis, sabemos. Contudo, a cada má notícia e nível de injustiça crescente em todo o mundo, a Palavra do Senhor permanece como bússola e nos guiar e fortalecer. E com temor e gratidão percebo que à medida que as batalhas espirituais se intensificam, Deus distribuí novos dons para seus filhos. 

"Naquela ocasião, em resposta, Jesus proclamou: Graças te dou, ó Pai, Senhor dos céus e da terra, pois escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos pequeninos." Mateus 11:25

Sim, amados leitores, Deus está revelando nesses últimos dias muitas coisas que estavam ocultas. Através dessas revelações a luta espiritual se torna mais evidente, mas não é objetivo desse breve artigo se aprofundar nesse tema, estou pontuando essas breves linhas apenas para dar um olá para os leitores e comentar sobre alguns emails que tenho recebido.

Tenho recebido muitos emails de pessoas querendo participar do blog como editores. Em um dos emails chegaram a cogitar um pagamento mensal em troca de artigos. Nós não negociamos qualquer serviço, o blog não tem objetivo comercial, também não temos pretensão de nos tornarmos populares ou coisas do tipo.

Demoramos a atualizar as postagens por conta dos muitos compromissos com , família, ministérios, trabalhos e etc. Contudo, é nossa meta prosseguirmos, apesar das dificuldades. 

Agradecemos aos inúmeros leitores que acessam nosso blog diariamente ou esporadicamente. Nas últimas semanas o blog alcançou a incrível marca de  Nove mil (9.000,00) visualizações por dia! Isto é incrível! 

Muito obrigada à todos, Deus abençoe a cada um, em nome de Jesus.

Não se desespere

 



“A minha alma descansa somente em Deus; dele vem a minha salvação” (Salmo 62.1). 


Nossa vida não está pendurada em um fio de seda. Nossas circunstâncias não são o resultado de coincidências sem sentido. Mesmo que as dificuldades cresçam à sua frente como se fossem uma Cordilheira dos Andes, apesar disso você não foi abandonado pelo Senhor Jesus. Descanse diante Dele e confie, e sua alma ficará em paz. Você poderá perceber que o Senhor é o seu auxílio. Não, suas orações não afundaram em algum lugar na areia. Elas estão guardadas diante da face Daquele que o ama! A sua espera não é em vão. Seus anseios não são sem esperança. Suas lágrimas não estão esquecidas por Deus. O seu Deus nunca se atrasa. Suas orações estão sendo processadas nas oficinas do Mestre, pois certamente o atendimento virá acompanhado do selo da misericórdia do Senhor. Por isso: não jogue fora sua confiança! É possível que o seu marido ainda não seja salvo. Oh, há quanto tempo você tem orado por ele. Não, o seu clamor não é inútil! Descanse e continue confiando no tempo de Deus!


É possível que o movimento de sua empresa neste ano regrediu assustadoramente. Você está preocupado em conseguir atender aos compromissos. Descanse e continue confiando no seu “administrador celestial”. Seus medos não se confirmarão. Conte com a intervenção misericordiosa de Deus! É possível que você, em sua posição de liderança, esteja continuamente sobrecarregado e que a correria diária fez com que você chegasse ao limite de sua saúde. Sua alma agora necessita de uma pausa para respirar na paz de Deus! Sua situação deve resultar em bem-estar e não em catástrofe.

É possível que você tenha passado por experiências difíceis em seu local de trabalho nestes últimos meses. Você foi intimidado pelos seus colegas e eles, traiçoeiramente, falaram mal de você ao seu chefe. Agora você está aí, amargurado e abatido. Seus nervos estão muito afetados. Descanse e continue confiando em seu Deus.

Talvez você exerça alguma responsabilidade em uma igreja – como ancião ou diácono, como colaborador no ministério infantil ou de jovens. Você observa que há poucos frutos para o Senhor, apesar dos grandes esforços investidos. Você sofre porque é considerado muito limitado, porque proclama a Palavra de Deus da maneira como está escrita. Estamos numa época em que se prefere ouvir aquilo que agrada e que faz cócegas nos ouvidos. Descanse diante do Senhor! A sua fidelidade será recompensada. A sua obra está nas mãos de Deus.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...