Profecias Sobre o Papel da Palestina Nos Últimos Dias



Mahmoud Abbas, presidente palestino entregando documento a ONU solicitando criação do Estado Palestino.



Os filisteus são mencionados com destaque nos contextos proféticos sobre O Dia do Senhor: Sofonias 2:4-7, Zacarias 9:5:7 e Salmo 83. Neste Salmo, os filisteus são contados como uma das dez nações que projetam ataque a Israel a fim de destrui-los. As dez nações são citadas em ligação ao tempo do fim e segundo advento de Cristo. Esta confederação é mencionada nos livros de Daniel e Apocalipse.  É importante para conhecermos o cumprimento das profecias, conhecer onde estao localizados os filisteus no tempo presente.

Os Filisteus na História

A primeira referência Bíblica aos filisteus está registrada em Gênesis, capitulo 10 (repetida em  I Crônica cap 1). É afirmado que eles tiveram origem a partir do ancestral dos egipcios (Mizraim Gn 10:13,14) e também foram consequência natural do povo chamado Casluhim. Amos 9:7 e Jeremias 47:4 dizem que eles vieram da área de Caftor, tudo indica que essa região foi o primeiro lugar onde se estabeleceram após o dilúvio de Noé.

Onde estava Caftor?

Está claro para os estudiosos modernos que Caftor é uma região costeira, uma área de ilha. Há escritos egipcios e assírios descrevendo o lugar como uma região central do Mediterrâneo. "Fora da Bíblia, Caftor ocorre nos textos cuneiformes do segundo milênio a.C. sendo traduzido como Kaptara, terra além do Alto Mar. Em textos egipcios Caftor é chamada de Keftiu, palavra usada para designar a Ilha de Creta." Zondervan's Pictorial Encyclopedia of the Bible, vol. Enciclopédia Ilustrada Zondervan da Bíblia, vol. I., p. I., p. 749 749


Caftor é Ilha de Creta

A ilha de Creta, foi portanto, o local onde os filisteu se estabeleceram após o dilúvio, eles, contudo se espalharam para mais longe: costas do sul da Ásia Menor , Ilha de Chipre, no Norte Africano das regiões costeiras e outras ilhas do mar Egeu que foram influenciadas por suas convicções culturais, religiosas e politicas.Há provas documentais provenientes do egito de que no final dos séculos a. C os filisteus eram parte integrante de uma combinação de terras invadidas junto ao mar Egipcio . os registros se referem aos filisteus como: povos do mar. Inscrições do faraó Mernephat mostram os egipcios derrotando esse povo do mar. 

O número dos combatentes, com suas caravanas, indicam que eles estavam vindo para colonizar a área. Alguns deles vindos da Libia e norte da África. Escavações arqueologicas na costa sudoeste da Palestina comprovam que a cerâmica e outros vestígios são muito semelhantes a vestígios encontrados em Creta. A maioria dos estudiosos não têm dúvida de que os Filisteus eram originalmente ligados a Ilha de Creta. Seja como for, do ponto de vista Bíblico eles vieram de Creta e regiões vizinhas. No tempo de Abraão eles já aparecem estabelecidos em uma ponta leste da terra de Canaã - ou sudeste da Terra Santa. Mais tarde, em épocas gregas em uma confederação de cinco cidades (Pentapólis).

É importante em sentido histórico e profético perceber que os filisteus ocuparam Canaã muito antes de os Israelitas entrarem na área, no tempo de Josué, período da conquista por Israel. Os israelitas não conseguiram expulsá-los  e Deus disse que o povo filisteu estaria autorizado a permanecer lá como herança (juízes 2:3, 21:23 e 3:1-5) Os filisteus ficaram com um pé na terra de Canaã durante os períodos de Davi, Salomão e todos os reis de Judá e mesmo durante todo o período do cativeiro Babilônico como mostra os livros de Esdras e Neemias.


Toda a área principal em torno das cidades de Asdod, Ashkelon, Ekron, Gath e Gaza desde a costa até o sopé era (e é) território legítimo dos filisteus. É significativo que em todos os períodos históricos da Bíblia, os israelitas nunca ocuparam essas áreas em torno das cinco cidades dos filisteus e isso inclui até mesmo o esplendoroso tempo de Salomão. Não há evidências de que o povo judeu (da tribo de Judá) nunca tenha ocupado essas regiões das cinco cidades, mesmo a área tendo sido dada a Judá e em parte a Dan (por sorteio), no tempo de Josué. Por não terem os israelitas conseguido expulsar os filisteus dessas áreas, Deus informou que nos últimos tempos, as regiões seriam habitadas pelos filisteus. Esse ensino constitui a base juridica para ocupação dos filisteus e seu direito a um Estado.

Sob o ponto de vista Bíblico, a Palestina não deveria ser incluida nos limites de Israel, mas por não ter Israel conquistado a terra e Dan ainda  ter deixado a região, Israel permitiu que os filisteus ali ficassem de forma permanente, Deus então legaliza a área para existência politica dos filisteus (Juízes 2:21:23) Filístia não fazia parte de Israel: "Também eu não expulsarei mais diante dele nenhuma das nações que Josué deixou quando morreu; para pôr elas, pôr Israel à prova, se guardará ou não o caminho do Senhor, como seus pais guardaram. Assim o Senhor deixou ficar aquelas nações e não as expulsou logo, nem as entregou na mão de Josué." Jz 2: 21,23.

Isso significa que o estado palestino deve possuir algum tipo de soberania nas áreas a sudoeste da terra de Canaã (desde o litoral ) do Sorek Wadi e para o sul em direção a fronteira do Egito. Essa área deverá ser atribuída a Palestina num futuro próximo. Curiosamente, Jerusalém nunca pertenceu aos filisteus. Segundo as profecias Bíblicas, todas as nações um dia vão querer participação em Jerusalém. O período de Salomão - onde sua esposa era representante das famílias do mundo - servirá de exemplo do que acontecerá pouco antes da segunda vinda de Cristo e no milênio quando Cristo governará sobre toda a terra. Os palestinos poderão ter algum representante em Jerusalém, mas segundo a Bíblia Jerusalém jamais poderá ser capital somente da Palestina.


O  confronto entre palestinos e israelitas se dá em torno da soberania e do poder sobre terras que envolvem complexas e antigas questões históricas, religiosas e culturais.



Filisteus no Êxodo do Egito.

A morada original dos filisteus, após a dispersão das nações na torre de Babel, foi Caftor (Ilha de Creta) e as áreas do continente para o norte e Sul. essa localização geográfica exigiu seu interesse nas empresas marítimas, comércio vital. Eles escolheram um dos melhores lugares possíveis na costa sudoeste de Canãa. Em Gênesis Cap. 20 e 26. Lê-se "Abimeleque foi rei de Gerar e mais tarde, seu filho foi chamado "Rei dos filisteus". Quando os israelitas deixaram o Egito em seu Êxodo, decidiram prudentemente não encontrar o território filisteu, eles mudaram o rumo e partiram em direção ao mar vermelho e a península do Sinai:

" Tendo faraó deixado ir o povo, Deus não o levou pelo caminho da terra dos filisteus, apesar de ser mais perto, pois disse: Para que, porventura, o povo não se arrependa, vendo a guerra e torne para o Egito. Porém Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto perto do mar vermelho; e arregimentados, subiram os filhos de Israel do Egito" Ex 13:17,18. Filisteus e cananeus permaneceram na terra e ainda dentro de suas áreas originais de influência. Mas esse não é o fim da história. 

Filisteus na África

Há registros históricos e tradicionais de um êxodo prolongado de filisteus e m outras  áreas do Egito e também no norte da África. Somente no últimos setenta anos os historiadores foram capazes de reunir uma conta dos ensinamentos tradicionais de muitas raças do Norte Africano. Em um livro publicado pela Sociedade de Publicação Judaica (Travels Nahum Slouschz no Norte da África) muitos dos primeiros judeus e norte-Africanos de tradições tribais foram pela primeira vez tornados público.

Foi uma revelação!  Verificou-se que muitos dos povos que vieram para as áreas do norte da África (da Líbia e Marrocos) eram pessoas que viviam na Terra de Canaã. Mesmo o pai da igreja celebrou, Agostinho, relatou que muitas das pessoas ao redor de Carthage no Norte da África eram da Terra de Canaã. As evidências mostram que essas pessoas não eram apenas cananeus nativos, mas a compilação Slouschz de tradições do Norte Africano indica que houve algumas amalequitas, os moabitas, e especialmente filisteus (berberes).

O Que Tudo Isso Significa?

No Salmo 83 temos uma descrição gráfica de dez nações separadas (povos) em torno da nação de Israel, isso ainda não se cumpriu na história.  O Salmo descreve um tempo um pouco antes o Reino de Deus é estabelecido sobre toda a terra. Uma vez que isso é verdade, podemos ter uma profecia primeira revelando que as dez nações de Daniel e Apocalipse são  da área em que a Besta do Apocalipse (o Anticristo) surgirá.  E mais importante:  Uma dessas dez nações será os filisteus. Esta referência no Salmo 83 é uma chave importante para Fim dos Tempos eventos no Oriente Médio, que todos os intérpretes proféticos devem reconhecer.

Essa profecia bíblica indica que os filisteus (ou, como dizemos hoje, os palestinos) obterá sua condição de Estado.  Mas nas descrições bíblicas, o Estado da Palestina não irá incluir o que chamamos na Cisjordânia. Há rumores de que aos palestinos deve ser dada a Cisjordânia (alguns da Judéia e Samaria), bem como a Faixa de Gaza, mas os israelenses (até agora) foram reprovaram. Por quê? Isso ocorre porque a Cisjordânia ( Judéia e Samaria) é o coração do antigo Israel e é óbvio na Bíblia e na história que NUNCA os filisteus habitaram essas terras. Nem antes nem  depois que os judeus foram dispersos.


O fato é que os filisteus  entraram na Cisjordânia por uma intrusão tarde. Eles são um povo separado por completo apesar de alguns ocidentais pode não estar ciente das diferenças.Há apenas uma área que os israelenses se considerar como um candidato claro a partir dos registros da Bíblia e da história como uma possibilidade de um Estado da Palestina (e mesmo assim seria difícil para a maioria deles de admitir isso).  Essa área é a Faixa de Gaza.

Faixa de Gaza é área de conflitos



O Estado Palestino é Sinal do Governo do Anticristo e da Volta de Cristo

O que o mundo deve estar procurando é a criação de dez pequenos estados dentro da área agora composta por Israel, Líbano, Síria, Jordânia, Arábia, e na Faixa de Gaza (o Iraque se tornará "Assíria") Isto é o que  diz o Salmo 83 . Esses pequenos estados ajudará a estabilizar a área.  Há, de fato, um grande número de versículos nas Escrituras que atestam o fato de que essas pequenas nações serão criadas no futuro próximo. Vejamos algumas dessas Escrituras.


Existem profecias  geográficas que estabelecem esse fato. Temos uma referência no Livro de Daniel que, quando o Anticristo retorna novamente para a Terra de Canaã e estabelece o seu palácio na montanha mais alta de Jerusalém (no Monte das Oliveiras), as pessoas que vivem na área  de "Amom, de Moabe e Edom" não serão sujeitas às regra do Anticristo.  Daniel disse: "Ele entra também na terra gloriosa [a Terra de Canaã], e muitos países cairão, mas estes devem escapar da sua mão, mesmo Edom, Moabe, e os chefes dos filhos de Amom. Daniel 11:41


Estes  dez estados nacionais devem ser existentes à época da conquista pelo Anticristo. Estes são três dos países que vai escapar de uma pressão especial do Anticristo em sua busca para finalmente conquistar o mundo para si mesmo. Não é interessante que até mesmo nosso Senhor Cristo Jesus disse às pessoas que viverão em Jerusalém e arredores naquele momento para "fujam para os montes" ?(Mateus 24:16).


Ele se referia a terra montanhosa de Edom ao sudeste de Jerusalém.  Terra de Edom, onde a cidade de Petra  que foi destaque  e era conhecida  na Bíblia como uma região montanhosa, onde as pessoas podiam esconder-se dos opressores diversos. David disse:"Quem me conduzirá à cidade forte? Quem me guiará até Edom?  Não nos rejeitaste, ò Deus? Tu não sais ó Deus com os nossos exércitos? Presta-nos auxilio na angústia pois vão é o socorro do homem" Sl 60:9-12 repetido no Salmo 108:10-13

No Salmo 108 Deus afirma que voltará a medir a terra de Canaã para dar ao povo de Israel, provavelmente no inicio do milênio: "Moabe é minha, sobre Edom lançarei o meu sapato, sobre a Filístia vou triunfar " Sl 108:9. Os capítulos de Isaías 15 e 16,  mostram Moabe como sendo um Estado forte e próspero, antes do Segundo Advento de Cristo.


Daquele dia e Hora Ninguém Saberá



"Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai." (Mateus 24:36).


Deus certamente nos dá dicas, e Ele nos diz em Daniel 12:4 e 9 que à medida que a hora se aproxima para os eventos proféticos a serem cumpridos que "o conhecimento se multiplicará." Mas Deus não ilumina nenhum de seus povos  com exata sequências cronológica.

Atentai Para os Sinais

Tudo o que precisamos saber é o fato de que os eventos  certamente serão cumpridos nos períodos de tempo preciso que Deus o Pai determinou antes da fundação do mundo (Atos 15:18). Um tal profecia é a criação de um novo Estado da Palestina que existirá na pátria original dos filisteus. É nessa região que Deus situa geograficamente algumas de suas principais profecias.

Isso significa que temos mais alguns anos antes do Fim dos Tempos começar.  Embora este seja certamente o caso, isso não é hora de sentar e relaxar nos prazeres de prosperidade e de segurança. . Há muito trabalho para nós que somos cristãos um deles é  ensinar as pessoas do mundo sobre esses eventos do  Fim dos Tempos. Deus está nos dando tempo para ensinar Seu Evangelho para o mundo antes do fim  (Mateus 24:14).

Precisamos estar na casa de nosso Pai, colocando nossas contribuições (e certamente todos os fundos extra) para ajudar a levar o conhecimento das Sagradas Escrituras a todos no mundo a quem Deus está enviando a verdade. Precisamos trabalhar nisso.


Artigo de autoria de Ernest L. Martin Ph.D em História e também Teologia. O artigo foi escrito em 2001 vindo a repercurtir recentemente por ocasião da proposta a ONU da criação do Estado Palestino.  Ernest é considerado um autor polêmico.

Empreendi em média oito horas para traduzir e adaptar esse estudo conferindo cada fato com as citações Bíblicas. Por não ter encontrado contradições, resolvi publicar. Apesar de não concordar com outros estudos desse autor, falecido em 2002, considerei esse estudo bem  prudente. Não por acaso, está sendo referência nas discussões sobre a criação do Estado Palestino.

É claro que é importante estarmos atentos para os sinais da volta de Cristo, Ele mesmo falou: " Aprendei, pois a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as folhas brotam, sabei que está próximo o verão. Assim também vós: Quando virdes todas estas coisas, sabei que está próximo, às portas" Mt 24:32,33. Porém, além de reconhecermos os sinais, o que deve estar preparado é o nosso coração, na certeza da salvação, a qualquer tempo. Maranata!

Wilma Rejane

3 comentários:

Fratermaurício disse...

Caríssima, parabéns! Que tratado geográfico rico! Que história inédita! É! Tão somente as Sagradas Escrituras para deixar a nós tão grande legado histórico e é claro, profético! Nem em alguns tratados teológicos encontramos tal! Devemos sim, preparar nosso coração para o encontro com o Senhor e nunca esquecer do conselho "Observai a figueira..."

Wilma Rejane disse...

Obrigada Fratermaurício!

Nossa fé deve ser racional, movida de entendimento e equilíbrio, mas não posso deixar de dizer que fico emocionada, chego às lágrimas com a glória de Deus revelada na história da humanidade! Ela é maior que as mazelas, que toda oposição e rebeldia. Nada consegue apagar o poderio do Senhor, Sua marca através dos séculos.


Tudo se cumpre, conforma o que está nas Escrituras Sagradas, até o dia em que Ele vier nas nuvens, para enxugar toda lágrima e nos fazer está a Seu lado eternamente.

Em Israel essa história começou, e lá ela terminará, olhemos "a figueira" que segundo as interpretações escatológicas é Israel.

Deus o abençoe,

Sandra Neri disse...

Boa noite. Querida irmã,Graça e Paz! Obrigada por tanto zelo com as informações que divides conosco, sempre em acordo com A Palavra de Deus. Quando vi a notícia dizendo que o papa Francisco apoia a criação do Estado Palestino fiquei imaginando quão próximos estamos da volta do Senhor Jesus. Continue trabalhando pelo Reino de Deus.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...