Um banquete no lugar dos figos verdes

Não andeis preocupados e ansiosos, entreguem essas coisas a Deus, em oração



Wilma Rejane

Betânia era uma pequena cidade, a duas milhas de distância de Jerusalém, o nome é uma referência a “lugar de figos verdes”. Jesus e os discípulos frequentavam Betânia, haviam se tornado amigos da família de Marta, Maria e Lázaro. Nessa residência eles geralmente se reuniam para refeições e ensino da Palavra. É curioso, mas os três irmãos pareciam ser órfãos, pois em nenhum momento se ouve falar de seus pais, nem mesmo quando da morte e ressurreição de Lázaro. Uma pequena família liderada pela irmã mais velha chamada Marta, seu nome reflete bem sua condição: “Marta = dona de casa”.

Do encontro de Jesus com esses irmãos aprendemos lições magníficas, e aqui trato especificamente do episódio que ficou conhecido como “Jesus na casa de Marta e Maria”. São cinco versos do Evangelho de Lucas 10: 38-42: 

  • Caminhando Jesus e os seus discípulos, chegaram a um povoado onde certa mulher chamada 
  • Marta o recebeu em sua casa. Maria, sua irmã, ficou sentada aos pés do Senhor, ouvindo a sua palavra.
  • Marta, porém, estava ocupada com muito serviço. E, aproximando-se dele, perguntou: "Senhor, não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Dize-lhe que me ajude!"
  • Respondeu o Senhor: "Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas;
  • Todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada".


No diálogo com Jesus, há referência explícita sobre “ ansiedade, preocupação e ocupação”. Essas coisas estão presentes em Marta que se movimenta de um lado para outro da casa, na intenção de proporcionar uma ceia de qualidade aos anfitriões. Já Maria reflete o caráter de alguém disposto a aprender, a crescer espiritualmente, a companhia de Jesus é o maior atrativo para ela.


Maria demonstra de inicio, maior discernimento e prontidão sobre as coisas do Reino de Deus e Marta é bem eficiente e hábil com as questões domésticas. Olhando para as duas irmãs e seus modos de comportarem-se diante de Jesus, aprendemos sobre relacionamentos com Deus e com os homens.

Tenho lido e relido diariamente essa passagem, com o objetivo de não me deixar “tragar” pelas muitas ocupações diárias, pela ansiedade e perturbação que tão de perto nos ronda em um mundo que exige cada vez mais rapidez e diversidade de talentos. Algumas pessoas já acordam com a mente repleta de pensamentos sobre o dia que inicia e no raiar do sol, já se faz um  diagnóstico de cansaço e  murmurações. Assim como Marta, na melhor das intenções.

Porém, é com Maria que está a chave para a paz e a confiança diária. Jesus diz: “Marta, Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas, todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu essa boa parte”. Ou seja: o melhor dos banquetes ofertado a Jesus, não se compararia ao Banquete que Ele tinha a oferecer para elas, as irmãs. O melhor vinho, a melhor carne de carneiro, as mais finas especiarias sobre à mesa, eram meros coadjuvantes, o melhor da festa era Jesus, e Maria estava desfrutando disso.

Poderíamos perguntar: "se Marta não cuida da refeição, seria desleixo. Quem iria servir?" Jesus não repreende o trabalho de Marta em detrimento da acomodação de Maria, mas elogia Maria chamando a atenção de Marta para que esta não negligencie a comunhão com Deus.

A atenção de Maria para com Jesus pode ainda simbolizar: reservar tempo para nossos relacionamentos familiares e sociais. Ouvir as pessoas, sentar com elas, dedicar tempo para família, amigos. É que às vezes, as coisas parecem ocupar o lugar das pessoas, sendo que estas últimas são infinitamente mais valiosas e carentes de afeto e atenção. Claro, coisas por mais caras que sejam não ocupam de fato, lugar de pessoas essa é uma ilusão, porém real em nossos dias.

Já fui como Marta até aprender com Jesus que precisava parar, rever valores, agir como Maria. Ela sentou aos pés de Jesus para ouvi-Lo em um tempo que apenas homens faziam isso. Os discípulos do sexo masculino podiam ser vistos frequentemente aos pés de seus mestres, enquanto que as mulheres, ficavam de pé, ao longe. Maria fez diferente e melhor, ela anelou a companhia de Jesus e debruçou todo seu ser em atenção as palavras do Mestre, aos Seus pés. Essa é “melhor parte” que nos tranquiliza diante da correria do mundo.

Você está ansioso, preocupado, submerso em muitos afazeres? Pare um pouco, reserve um tempo para ficar a sós com Jesus. Converse, escute. Leia a Palavra de Deus e entregue para Ele todo o fardo. Um verso de Mateus nos diz: “Não andeis preocupados, cuidadosos com muitas coisas...” Mt 6:25. A tradução para “andeis cuidadosos” é “merimnao” de “merizo”, que quer dizer “dividir em partes” (Dicionário Strong 3309) . Marta estava dividida, preocupada, ansiosa. Maria não.

O exemplo de servir, estava em Maria e não em Marta, irônico, não? Logo Marta que não parava de   trabalhar? O problema não era o trabalho, mas a atitude. Sua mente, seu espírito estavam atribulados porque lhe faltava a comunhão. Maria, a mais nova, também era prendada na cozinha e certamente uma boa auxiliar doméstica, mas priorizava o relacionamento com Jesus. Priorizar Jesus. Não conheço nada mais balsâmico, eficaz e tranquilizador do que aprender com Jesus e obedecer a Ele.


“Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos. Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus. ” Filipenses 4:4-7

Amados irmãos, essa reflexão também é para mim, pois necessito priorizar o relacionamento com Jesus e não murmurar, estressar  e desesperar pelas muitas ocupações diárias e relacionamentos sociais. Acumular preocupações e ansiedades não resolvem a vida, só atrapalham. Na casa de Marta, Maria e Lázaro, Jesus nos ensina. E quando houve algo grave na casa dos irmãos (a morte de Lázaro por exemplo), Jesus foi ao encontro da família e socorreu-os. Ele não foi no mesmo instante que ficou sabendo da morte do amigo, porque eles precisavam aprender ainda outras coisas sobre fé e amor. Mas Ele foi.

Marta convidou Jesus para ir até sua casa, a família amava a Jesus e Ele também os amou. E mesmo quando acharam que o Amigo estava distante, Ele estava próximo e atento. Que nosso vida seja como essa lição da “casa dos figos verdes” que alimenta aos anfitriões, mas prioriza o ser alimentado por Deus.


Amém.

3 comentários:

Vanessa disse...

lindo! maravilhoso estudo, Wilma !!! Tocou profundamente meu coração, acho que a passagem que mais retrata o que nós, mulheres tão "cheias" de ocupações temos que nos atentar todos os dias: priorizar o tempo com Jesus !!! Muito obrigada pela porção, amada, Deus te abençoe!

Karem Feitosa disse...

Lindo estudo amada! Nos últimos dias tenho me sentido assim , ansiosa , com mil pensamentos com relação ao meu dia , esquecendo muitas vezes que a melhor parte e descansar no Senhor e priorizar sempre nosso tempo com Ele. Obrigada querida por nos presentear com esse estudo!

Wilma Rejane disse...



Vanessa e

Karem.

Sejam nossas vidas assim como Jesus na aldeia de Betânia, no lugar dos figos verdes. Ele é a nossa paz.

Deus as abençoe.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...