O romance entre Sulamita e Salomão




Wilma Rejane

Cantares de Salomão é um livro repleto de cores, perfumes e símbolos. Pode ser interpretado como:

  • Romance entre um homem e uma mulher, no caso Salomão e a Sulamita.
  • Declaração de amor de Deus para com Israel
  • De um noivo (Cristo) para com sua Igreja.

Opiniões de leigos e estudiosos se dividem quanto a intencionalidade e teor profético de Cantares. Nesse artigo, contudo, farei uso da interpretação romântica e conjugal entre Salomão e Sulamita, uma bela mulher de cor negra. 

Sulamita: Significa “a pacífica”. Originado a partir do hebraico Sulamite, é o mesmo que Salomé, derivado do aramaico Shalam-zion “a paz de Sion”, que foi abreviado para Shalamzu posteriormente helenizado como Salomé. Está relacionado com o hebraico shalon “paz”, portanto significa “a pacífica”.

Salomão: Ou Shlomô (em hebraico:שלמה), deriva da palavra Shalom, que significa "paz" com significado de "Pacifico". Também chamado de Jedidias (em árabe سليمان Sulayman) pelo profeta Natã, nome que em hebraico significa "Amado de Jeová". (II Samuel 12:24, 25).

Percebam que este casal é marcado inicialmente pela semelhança nominal: ambos se chamam "paz e pacíficos". E já pelas origens de cada nome, podemos argumentar se Sulamita de fato existiu ou se Cantares surge como uma declaração de amor perfeito idealizada por Salomão: um homem de paz a procura de uma mulher que o completasse.

Na teoria ou na prática, o romance de Cantares figura como inabalável. Ela perseguida pelas filhas de Jerusalém, competitivas pelo coração do Rei. Ele,  a despeito de qualquer censura, segue enfatizando que Sulamita é sua preferida, escolhida, a que detém os atributos mais atraentes e encantadores, a ponto de manter a chama do amor  constantemente acesa.

"Meu amado  é para mim, um ramalhete de mirra, colocado constantemente entre meus seios. É como um cacho de Chipre entre as vinhas de En-Gedi". Cantares 1:13,14.




Ficarei com esses dois versos de Sulamita. Através deles, farei um breve relato, uma "moldura" apenas, sobre o quadro já desenhado. Os versos, são simbologias  sobre o amor de Salomão, comparado a ramalhete de mirra entre os seios e cacho de Chipre entre as vinhas de En-Gedi.

O ramalhete de mirra

Mirra é uma resina aromática, um tipo de óleo, extraído de vegetais que permeavam as planícies de Gileade em Israel. Aliviava dores e era usada para ungir enfermos. 

 
Mirra entre os seios pressupõe amor, confiança, cura,proteção, carinho, diálogo, companheirismo, compreensão e também atração física. O marido de Sulamita sabe fazê-la feliz, procura conhecer suas necessidades e é solidário quanto a isso. Sulamita é perfumada pela mirra que é colocada entre seus seios, ele traz a mirra, ela é perfumada pelo gesto de amor. Onde o amado teria adquirido a mirra? Não sabemos. Contudo, ele carrega o óleo dia após dia e deposita-o entre os seios da amada. Salomão confidencia suas dores para Sulamita e tem a vida transformada pelo relacionamento pacífico. 

Todo casal necessita viver sob essa simbologia. Muitos casamentos são desfeitos pela falta de diálogo e compreensão,de cumplicidade. Acusações sobre acusações, não há confiança e ao invés de se aliarem em busca de soluções, se dispersam em virtude dos problemas. 

Gosto do exemplo de José e Maria, nos Evangelhos. Penso que este casal desfrutou das bençãos Divinas destinadas ao casamento. Vemos José em constante esforço para proteger a família e Maria por sua vez, sendo sábia ao dedicar tempo no relacionamento com Deus. Ambos viveram conflitos, mas não usaram isso como pretexto para destruir a paz e o amor em família.

Certa vez, José e Maria, seguiram para Jerusalém, a fim de festejarem a páscoa. Jesus tinha doze anos e foi com eles, por um descuido do casal, a criança se perde dos pais: "E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe. Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos; E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele." Lucas 2: 43, 1 45.

Vejam, eles perderam Jesus de vista! Poderiam ter se acusado,brigado feio, mas não, se uniram em busca de Jesus, até encontrá-Lo. Que lição maravilhosa podemos aprender aqui: perder Jesus de vista pode transformar o relacionamento conjugal em caos, guerra, separação. O que fazer nessas horas? Se unir e buscar Jesus, até encontrá-Lo para que a paz seja restaurada. 

Oh que belo poema de Sulamita! A mirra sobre seus seios nos conduziu a Jesus! Ele profeticamente, em Seu nascimento, recebeu mirra de presente dos Reis. Porque Ele tem poder de curar todas as coisas, inclusive relacionamentos.


En-Gedi

 Meu amado é como um cacho de Chipre entre as vinhas de En-Gedi". Cantares 1:14.

O cacho de Chipre é também chamado de alfena, al-hinna ou hena uma planta cujas folhas secas são utilizadas como tintura castanho avermelhada para tingir cabelos e pele (mãos e pés). En-Gedi era uma povoação situada em um Oásis, no deserto da Judéia, margem ocidental do Mar Morto. A Bíblia também se refere ao lugar como "Fonte dos Cabritos, rochas das cabras Monteses" (I Sm 24:1-4). Até esses dias, muitos turistas procuram banhar-se nas fontes de En-gedi. as vinhas desse lugar eram as mais vistosas e saudáveis de toda região e os cachos de Chipre eram destaque porque exalavam agradável perfume.

Que simbologia magnífica! O amado é como um Oásis no deserto, é um lugar de repouso, é como fonte que não seca, cachos de uvas que alimentam e nutrem o relacionamento! Salomão plantou vinhas em En-Gedi, tornou o lugar famoso e prestigiado e Sulamita o admirava por isso.

Não é por acaso que Cantares ao tempo em que narra um romance entre homem e mulher, também é interpretado como o amor de Cristo pela Igreja. Jesus disse que é impossível uma vara de videira produzir frutos, sem que esteja ligada ao Ramo principal. Ele próprio se compara a uma videira, cujo agricultor é Deus (João 15:1).

O amado da Sulamita é como refúgio em dias difíceis, é o Oásis verdejante e perfumado que a acolhe. Ele banha Sulamita, sacia a sede, purifica sua mente e alegra seu espírito com amor puro.

O amado da Sulamita não despreza oportunidades, é como vinhas produtivas, não deixa que o relacionamento estacione, pare de crescer, por conta da rotina diária e dos problemas.Um exemplo desse relacionamento, é encontrado em Sara e Abraão, na velhice, ainda conservavam sonhos, frutificavam como as videiras de En-Gedi. Tantas tribulações passaram, até mesmo um relacionamento extra-conjugal de Abraão com Agar pelo caminho, mas tudo superaram, mantiveram a união até o fim dos dias e não apenas por aparências, mas por amor.

Cantares de Salomão é como uma canção a ser cantada por casais, para ser vivida em melodia, nos lábios de cada um, nos corações de quem não desiste de amar e fazer o outro feliz.

Deus os abençoe.

Baseado em versos de Cantares de Salomão, Bíblia de Estudo Plenitude e dicionário Strong.
 

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...