Touros de Basã me Cercaram


"Fortes touros de Basã me cercaram" Sl  22:12


O Salmo 22 foi escrito mil anos antes de Cristo  e em ambiente de louvor. Davi o entoou acompanhado por instrumentos musicais e o que precedeu a essa atmosfera de adoração foram profecias minuciosas sobre a crucificação de Jesus. A primeira lição extraída do Salmo é: O louvor atrai a presença de Deus: “Porém, tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel” Sl 22: 3. A palavra habitar do hebraico “yawshab” significa “sentar-se, permanecer, estabelecer-se ou casar-se”, ou seja, Deus não só nos visita quando louvamos como permanece conosco, e nós compartilhamos com Ele de um relacionamento crescente.

Nunca deixe de louvar. Essa iniciativa fortalecerá o seu coração através da presença grandiosa do Espírito Santo. Louve com a canção que está em sua memória, mas também cante um cântico novo, criado especialmente por você para alegrar o Senhor.

Este Salmo nos conduz aos atributos de Deus –Onipresença, Onisciência e Onipotência- quando nos remete fielmente ao sacrifício expiatório de Jesus, a todo o sofrimento e humilhação enfrentados pelo Mestre naquele dia nas ruas de Jerusalém ao som diabólico da zombaria dos soldados romanos. Deus conhece todas as coisas. Davi profetiza até mesmo o clamor de Jesus aos céus: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxilio e das palavras do meu bramido?” Esse trecho da profecia tem o cumprimento descrito no Evangelho de Mateus 27:16: “Eli, Eli, lamá sabactâni: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”.


 


Crucificação ou crucifixão era um método de execução tipicamente romano, primeiramente reservado a escravos. Crê-se que foi criado na Pérsia, sendo trazido no tempo de Alexandre para o Ocidente, sendo então copiado dos cartagineses pelos itálicos. Neste ato combinavam-se os elementos de vergonha e tortura, e por isso o processo de era olhado com profundo horror. O castigo da crucificação começava com flagelação, depois do criminoso ter sido despojado de suas vestes. No azorrague os soldados fixavam os pregos, pedaços de ossos, e coisas semelhantes, podendo a tortura do açoitamento ser tão forte que às vezes o flagelado morria em conseqüência do açoite. O flagelo era cometido ao réu estando este preso a uma coluna.

Touros de Basã:

Ao ler este Salmo fiz uma demorada pausa neste versículo: “Muitos touros me cercaram; fortes touros de Basã me cercaram” Sl 22:12. Quem seriam os “touros de Basã”? O que significaria essa expressão?


Basã  é uma região citada muitas vezes na Bíblia ( Js 12:4, Dt 32:4, Ez 39:18, Mq  6:14 e 7:14) Era terra de gigantes e de pastos de alta qualidade. Aliás, em Basã a agricultura e pecuária eram admiráveis por causa da qualidade da terra.  Touros de Basã, portanto equivalem a touros fortes, robustos, bem alimentados. O profeta Ezequiel faz uma metáfora sobre os poderosos opressores de sua época utilizando os touros de Basã: “Comereis a carne dos poderosos e bebereis o sangue dos principais da terra, dos carneiros, dos cordeiros, dos bodes e dos bezerros, todos engordados em Basã” Ez 39:18.

O pastor americano Gordon Robertson diz que foi incomodado por muitos anos com essa expressão: “touros de Basã” e que finalmente após anos de busca encontrara o significado do verso.


" Tenho lutado com isso há muito tempo, e eu finalmente consegui em uma tradução do hebraico, uma tradução rabínica ortodoxa a partir de um grupo chamado Art Vá fora de Nova York. Basã é um lugar em Israel, onde têm pastagens muito boas. E assim, os touros ficam grandes e musculosos, aqui é uma descrição visual dos soldados romanos. Mais o mais importante do verso é a palavra "cercaram", a tradução do hebraico diz que significa "coroaram-me". Esta é uma forte descrição da coroa de espinhos: "E os soldados o levaram dentro à sala, que é a da audiência, e convocaram toda a corte e vestiram-no de Púrpura, e tecendo uma coroa de espinhos, lha puseram na cabeça. E começaram a saudá-lo, dizendo: "Salve, Rei dos judeus!".

Desvendado, portanto o significado de “touros de Basã” no Salmo 22.

Grande lição nos transmite esse Salmo. Através de Davi, o Espírito Santo revela que mesmo em meio à angústia e grande sofrimento Jesus foi de encontro ao Pai e nem por um segundo lamentou a sentença. da crucificação. Ele  suportou tudo por amor e com espírito de adorador: “O meu louvor será de ti na grande congregação, pagarei os meus votos perante os que o temem” Sl 22:25. Davi profetizou a aflição e glória do Messias: nem a cruz, nem os touros de Basã e nem mesmo a morte foram capazes de vencer o amor com que Deus nos ama.

Wilma Rejane.

Duas fontes citadas como link no artigo
e Biblia de Estudo Plenitude, Salmo 22.

11 comentários:

Reflexões Bíblicas - Duarte Rego disse...

Graça&Paz!!
Muito interessante. Já tinha pensado sobre esta expressão, mas até agora não havia tirado tempo para compreend~e-la e estudá-la.
Esta força dos touros de Basã é contrastada com a ovelha muda que vai perante seus tosquiadores.

Muito obrigada por trazer mais esta luz sobre este texto.
Abraços

Wilma Rejane disse...

Graça e paz Duarte!

A força dos touros não venceu a mansidão da ovelha. É por isso que o profeta Zacarias diz: "Nem por força, nem por violência, mas pelo meu Espirito diz o Senhor" 4:6

Deus o abençoe irmão. Obrigada.

Moacyr Rosas disse...

Deus habita no meio dos louvores.
O louvor que Deus habita é aquele que vem do coração do homem. Por isso, hoje, nós somos o templo vivo em que o Eterno ama habitar.

Lidia vicente dos anjos disse...

Muito linda e ao mesmo tempo intrigante a expressão "touros de Basã" quantas vezes nós que fomos chamados para o ministério da oração nos sentimos cercados por inimigos cruéis que nos querem destruir,porém temos o leão de Judá ao nosso lado para nos proteger com seu cajado.
Esse texto me fez viajar e lembrar exatamente isso, muito bom gostei nota 1000!

Anônimo disse...

Amados é interessante ressaltar também a expressão "abrem a boca contra mim, como leão que despedaça e ruge.". o leão não caça, quem caça é a leoa. Ele ataca quando se sente ameaçado. E assim estava o inimigo representado naquele momento atacando vorazmente nosso Senhor pois ele sabia que o Messias era seu juíz, aquele que cumpriria o projeto. Mas glória a Deus pois nosso Redentor foi ferido no calcanhar, mas a serpente teve sua cabeça esmagada e foi vencida e hoje vive e reina nosso Salvador!

Isaac barbosa da silva disse...

A mansidão venceu a força.
Glória a Deus!

Isaac barbosa da silva disse...

A mansidão venceu a força Zc 4:6

ELYNE SÁ disse...

Linda essa revelação.

Gisele Franca disse...

O Semhor usou esta passagem do livro de Salmos para se revelar a mim nesta manhã - o cordeiro de Deus que venceu o mundo e a morte! Os fortes touros de Basã foram vencidos por um cordeiro!! Oh, Glória!

Pelicula 3M disse...

O apóstolo Paulo diz que nossa luta Não é contra carne nem sangue.E sim Contra os principados e potestade.Esses também são os fortes touros de bazã que tem impedido do povo de Deus ter acesso aos pastos verdejantes!

Gratis Gomes disse...

Eu goataria que mim espaurica se o capitulo-6:5 de josue. Que fala sobre o coracao do povo se derreteu em agua.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...