A Parábola do Beija-flor

"Ninguém pode voltar atrás e começar um novo começo, mas qualquer um pode começar hoje e fazer um novo final" 




Wilma Rejane



Foi assistindo a um documentário sobre a migração dos beija flores que o fascínio me sobreveio: “Como pode um pássaro tão pequenino carregar em si tamanha força? Como pode sobrevoar o mar por tanto tempo, sem se cansar? Que natureza é essa que sai de um lugar a outro do planeta em busca de alimento, sem se perder pelo caminho, conhecendo tão bem sobre tempo e estações? Só pode ser Deus quem guia o beija flor e faz dele um prodígio.” O coração dessa ave bate 480 vezes por minuto quando está em repouso e 1.260 vezes por minuto quando voa, isso é fantástico! É vida pulsando a mil nessa ave, de beleza rara e comportamento monogâmico. E assim, contemplando Deus na natureza, nasceu a parábola do beija flor para guardar como lição na caminhada da vida.

“ Porque eis que passou o inverno, cessou a chuva e se foi; aparecem as flores na terra, chegou o tempo de cantarem as aves.” Ct 2: 11-12

Quando passa o inverno, o beija flor migra por cerca de dois mil e quatrocentos quilômetros em busca de alimento nas flores de primavera. Seu voo alcança uma velocidade média de quarenta quilômetros por hora e ele vai sempre, sempre sobre o mar. São aproximadamente sessenta horas de voo, sem se permitir desanimar. Ele sabe o que o aguarda: flores coloridas e perfumadas, doces e amigáveis, elas são a maior fonte de energia para essas aves, certo? Nada disso, é da água que vem o ânimo do beija flor. A água é seu combustível, por isso que ele sobrevoa o mar em migração, por isso essa proximidade com a água no momento decisivo para sua sobrevivência. E quando observei esse aspecto da migração do beija-flor, logo nasceu um sermão sobre: pássaros, água e cristãos.



Jesus falou que as aves, apesar de tão pequenas e indefesas, eram preciosas aos olhos de Deus: “não se vendem dois passarinhos por um ceitil? E nenhum deles cairá em terra sem a vontade de vosso Pai. Mateus 10:29

Jesus também andou sobre as águas como a nos dizer que era possível andar acima de toda e qualquer circunstância adversa, por meio da fé: “Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, andando por cima do mar. E os discípulos, vendo-o andando sobre o mar, assustaram-se, dizendo: É um fantasma. E gritaram com medo. Jesus, porém, lhes falou logo, dizendo: Tende bom ânimo, sou eu, não temais. E respondeu-lhe Pedro, e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas. E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus. Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me!” Mateus 14:25-30


A água em diversas passagens Bíblicas é chamada de mayim = vida, sustento, revigoramento, benção, fertilidade. E sendo a vida um mar, é provável que ora esteja em mansidão, ora em tempestades e açoites. O mar sobre o qual Jesus andou estava “balançando” em altas ondas e vento forte. Pedro temeu e por esse motivo afundou. Podemos pensar que é mesmo necessário uma grande fé para “andar sobre as águas”, que homens comuns jamais conseguiria tal feito, mas Jesus disse: “ Vem Pedro, ao meu encontro, sem vacilar”. E Ele pediria tal coisa a um discípulo se não tivesse certeza de que seria possível cumprir? Pois bem, nessa parábola do beija flor, peço a Deus que nos dê ânimo para “sobrevoar os mares, andar sobre as águas”, sem desanimar. Antes, nos fortalecendo pela certeza de que não há crescimento sem luta, não existe aprendizado e prosperidade na vida espiritual se não deixarmos a comodidade do barco, o continente onde as flores murcharam, e seguir em direção a um novo caminho, às flores de primavera.






Lembre-se: o beija flor é mui pequenino, mas demonstra uma força tremenda quando se alimenta da água (mar, vida) para seguir adiante. Não deixemos que as dificuldades nos abatam, mas façamos delas, combustível para seguirmos mais firmes na caminhada com Deus. E se estamos com Deus, Ele mesmo firmará nossos passos, para vivermos coisas novas e melhores.

"Por isso, restabelecei as mãos descaídas e os joelhos trôpegos; e fazei caminhos retos para os pés, para que não se perca o que é manco; antes seja curado" Hb 12: 12-13.


A vida pode ser previsível, mas sua natureza é de mistério: não conhecemos nosso futuro. Por essa causa, Deus é soberano, com Ele está a vida, o poder e a graça que nos favorece. Assim mesmo de mãos fracas, joelhos trôpegos, mares calmos ou revoltos, Ele estará conosco, e isso é tudo! Quando o homem se une a Deus, não perde o ânimo e a paz, mesmo nos dias maus.


"Ninguém pode voltar atrás e começar um novo começo, mas qualquer um pode começar hoje e fazer um novo final" 

Que entre beija-flores e mares, se faça em nós novos caminhos, vivos e férteis pela nascente da Água da Vida que é Jesus. Precisamos estar sempre próximos dessa fonte que jorra, em movimento de graça, porque daí vem o combustível para cada novo ano que se inicia. Beija flor sem água, não existiria. Que essa água, em todos os seus significados seja motivo de fé e força para cada um de nós e assim, em um novo tempo, as amigáveis flores de primavera estarão a nossa espera como a festejar a vida, as batalhas vencidas, as fronteiras construídas ligando o ontem e o hoje em esperança de um amanhã próspero em paz, amor e comunhão com o Deus que renova nossas forças.  

Deus o abençoe

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...