Escravos de orelhas furadas

Aquele pois que o filho libertar, verdadeiramente será livre João 8:36


Wilma Rejane


No antigo Israel, os escravos hebreus, pagavam suas dívidas através do trabalho. A força, os sonhos, toda a vida era dedicada ao seu senhor. Em Êxodo, vemos uma determinação divina para que os escravos fossem libertos no sétimo ano de serviço: "Quando você adquirir um escravo hebreu, ele servirá seis anos; no sétimo ano ele sairá livre, sem pagamento." (Êxodo 21:2). O regime de escravidão no mundo hebreu, existia por dois principais motivos: pobreza extrema e dívidas.

Alguns escravos se apegavam tanto a seus senhores que poderiam optar por voluntariamente se entregarem como escravos daqueles senhores até o final de suas vidas, sem volta para a liberdade. Como um sinal da entrega, esses escravos furavam a orelha."Então, o seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta ou à ombreira, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre", Êxodo 21:6. Escravos de orelha furada simbolizavam uma união de serviço e amor.

Um detalhe, é que escravos hebreus nunca eram chamados de escravos, mas servos. Escravos, sem direito a liberdade eram os não-judeus, especialmente os cananeus. Não se sabe ao certo porque as leis de escravidão eram mais rígidas para estrangeiros, o certo é que tanto judeus, como não judeus, falharam gravemente no modo de tratar seus servos e escravos. No livro do profeta Jeremias (Capitulo 34) Deus adverte: "Vós resistis em libertar seus servos".

O mundo físico e espiritual também forma seus escravos e resiste em libertá-los e Deus nos convida através de Seu Filho Jesus a sermos servos. Esta servidão é o oposto da escravidão que exaure as forças humanas em causa alheia. Entregamos-nos a Jesus, como Senhor porque Ele pagou nossas dívidas, nos tornando livres do opressor. Este é o que oprime em carga de culpa e infelicidade, aprisionando a alma em serviço de delito a liberdade. Jesus é a nossa liberdade. Não precisamos realizar grandes obras, ajuntar exorbitantes quantias, nos esmerar em ser o melhor ou o mais  belo. O mérito dessa liberdade não é nosso, mas de Deus.


E nesse plano eterno e por vezes incompreensível, Ele estabelece um novo conceito de servidão, onde a liberdade é a moeda que nos estabelece. O céu pagou nossa dívida com o inferno. Já não pertencemos mais ao domínio do mal. Somos cheios de defeitos, e ainda assim amados com incondicional amor. Se antes o simbolismo da escravidão voluntária era a orelha furada, na nova aliança é um coração circuncidado, renovado, inteiramente entregue ao Reino.“Se, pois o Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres” Jo 8:36.


No Mar do Esquecimento


Nada em nós é suficiente para nos reconciliar com Deus. Apenas em Cristo recebemos a grande dádiva da justiça. Se Ele é justo, e habita em nós, nos tornamos justos naquilo que somos nEle: “Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” Rm 5:9. Não precisamos temer a culpa, Ele nos faz livres! Tudo que precisamos  é receber as promessas em nosso ser e prosseguir confiando naquEle que nos resgatou. “Eu, eu mesmo sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro” Is 43:25.


Olhando Para Cruz

Tem dias que  me sinto um fracasso: Fiz o que não devia, falei na hora errada, enfim... A culpa tenta me roubar à paz, como se um dedo gigante estivesse apontado para mim: Que tipo de cristã é você? Você errou, Deus está zangado com você!  Raposinhas na vinha... Mas ao olhar para a cruz, recebemos perdão e vitória para termos paz, apesar dos insucessos, porque Ele nos diz: Fostes justificados pelo meu sangue! Aleluia! Chamei-te para a liberdade! “Não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão” Gl 5:1 . Veja, na cruz sua orelha foi furada. Os pregos que transpassaram Jesus, feriram também sua alma em culpa e arrependimento, e Ele fez isso para que o fraco se tornasse forte, entende? A fortaleza não é nossa, mas de Cristo. A cruz e o sangue nos redime e por isso a graça transparece em nós, os crentes, até mesmo e especialmente pelo que nos falta.

Orelhas Furadas

Imagino os servos israelitas andando no meio do seu povo, com orelhas furadas. Sem emitir som, ou gesto, sem alarde, todos identificavam: "Eis um escravo, quem é teu senhor?" Assim se faz ao cristão, suas obras o denunciam: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne; vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim” Gl 2:20. Lembram do profeta Eliseu? A sunamita o recebia em sua casa para alimentar-lhe, seu comportamento chamou-lhe à atenção: "E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus" II Rs 4:9. O servo de Cristo, deixa sua marca por onde passa.

Libertos da Escravidão

Saiba que Deus o ama e te convida a ser um escravo de orelha furada, que mesmo sendo liberto continua servindo Seu Senhor, por amor. Ele pagou sua dívida, livrando-o do inferno, perdoando toda sua culpa. Ele te chama para algo novo e melhor, para a liberdade. Uma condição que o mundo jamais pode proporcionar. Uma paz, que a nada pode se comparar. Tudo que é necessário é um coração. Seu coração entregue a confessar: “Senhor Jesus me perdoa e me ajuda a prosseguir em novidade de vida, seja meu Senhor, eis-me aqui como servo”. Que Deus te abençoe e não temas porque nEle somos livres!


Fonte como link na postagem e ainda:
Bíblia de Estudo Plenitude - Revista a atualizada.

7 comentários:

Pr. Nilson disse...

Muito Bom!

Presbítero Maurício disse...

Caríssima, saudações fraternas em Cristo! Vejo que é a segunda vez que a irmã posta sobre os escravos com orelhas furadas... O Senhor está nos convidando para a obediência, a liberdade pela palavra. Agradeço a Deus por falar de muitas maneiras e por ser paciente conosco, falando duas ou tres vezes. Parabéns. Agradeço a visita em meu blog [link=www.fazendadejob.blogspot.com]Clique aqui[/link]

Wilma Rejane disse...


Saudações em Cristo, Presbítero Maurício!

Sim, já publiquei sobre os escravos de orelhas furadas, mas os textos são diferentes.

Graças a Deus e a compaixão de alguns legisladores, não temos mais a escravidão na forma legalizada. Porém, ainda são muitos os escravos do novo século.

Não há honra em ser escravo do pecado, mas a maior de todas, é ser servo de Cristo.

Obrigada,

Deus o abençoe.

BritoIsmael disse...

A Paz do Senhor. Olha eu aqui novamente comentando seu post, mais uma vez venho lhe dar os parabéns pela abordagem. Hoje estamos vivenciando muitos com "orelhas furadas" em si próprios, ideologias "da fama". Que Deus continue usando a irmã como esse instrumento ágil nas mãos DELE. Ah.deixei um convite de amizade na UBE para a irmã. Até o próximo comentário, permitindo Deus! Pr.Ismael

Wilma Rejane disse...


Oi BritoIsmael, a paz do Senhor!


Obrigada, fui lá na UBE.

Deus o abençoe, irmão.

Vanelli disse...

Mestra Wilma, está ficando difícil ler seu blog. É uma matéria mais linda e interessante que a outra. Que postagem esta dos "escravos". Estou aqui com o babador em operação. Parabéns. Manda mais meu Pai. Abraço.

Wilma Rejane disse...


Oi Mestre Vanelli,


Obrigada, é que falar sobre O livro dos livros, o Evangelho de Jesus, é sempre maravilhoso!

Deus o abençoe.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...