Sansão em lições para pais e filhos



Wilma Rejane


A história sobre vida e ministério de Sansão  comove profundamente, o desfecho trágico de um homem que nasceu sob uma grande promessa de Deus para a nação de Israel, muito nos ensina. As circunstâncias de seu nascimento são sobrenaturais, sua mãe, recebe o anúncio do nascimento de Sansão através de um anjo de Deus, pois, este ascende ao céu de modo espetacular (Juízes 13:19,20). E devido a profecia sobre Sansão, havia uma expectativa de que sua vida fosse, de fato, cheia de glamour: força inigualável, eleito para governar, amado pelos pais, belo à vista. Contudo, vemos Sansão lutar constantemente contra suas paixões, até, por fim,  ser vencido por elas. Sansão, apesar de toda força, é o protótipo de um homem, humano por demasia, e Deus, através da vida de Sansão, revela Sua graça e misericórdia infinita.

Apesar das críticas sobre seu temperamento e comportamento, Sansão é listado na galeria de fé de Hebreus 11 como um homem vitorioso, cheio de fé e bravura (Hebreus 11:32,34). O que isso quer dizer? Que devemos ceder as paixões, pois, Deus nos perdoará sempre? Não, a lição que vejo na vida de Sansão é um convite ao arrependimento constante, é um alerta sobre não brincar com o pecado sob o pretexto de ser um escolhido, ter um ministério ou  ter fé. Sansão caiu tantas vezes e insistiu em caminhar pelos mesmos lugares, chegou o momento em que o Espírito do Senhor já não o acompanhava (Juízes 16:20). Quanta angústia e pavor deve ter sentido Sansão! Mas, na sarjeta da vida ele teve um reencontro com Deus, em plena festa ao deus fenício Dagom, Sansão fez sua última oração, derrotando mais homens naquele dia do que em todo seu ministério passado!

Não, Sansão não foi vingativo, o que aconteceu foi que o chamado, a missão, a submissão a Deus estavam latentes em Sansão. O Espírito Santo do Senhor, voltou a habitá-lo, de outro modo, não teria força alguma para completar sua última missão. Este homem, então, nos ensina a não se acomodar com a queda, a encontrar o caminho de volta. Este homem, nos ensina que Deus é longânime em perdoar e aguarda o retorno de seus filhos. Nos ensina também que mesmos perdoados, sofreremos as consequências das escolhas erradas; Sansão sofreu a vergonha e a humilhação de seus inimigos, foi depurado como pelo fogo, até enfim reconhecer que era um forte homem fraco. Como diz o verso de Isaías: 

Por amor do meu nome retardo a minha ira, e por causa do meu louvor me contenho para contigo, para que eu não te extermine. Eis que te purifiquei, mas não como a prata; provei-te na fornalha da aflição. Isaías 48:9,10.



Os pais de Sansão

Não sei se você já parou pra pensar sobre o que vou escrever aqui, não encontrei nenhum artigo sobre isso e se existe alguma obra que trate desse aspecto da vida de Sansão, gostaria muito de conhecer. Sansão foi um filho que deu muito desgosto a seus pais, ele frustrou todas as expectativas. Imagine que seu pai Manoá e sua mãe, lhe deram um nome que traduzido significa “ensolarado, cheio de luz, luz do sol” (do hebraico shimshon ou shemesh), eles achavam que Sansão havia nascido para brilhar! E Sansão terminou seus dias nas densas trevas da cegueira física,  uma consequência da cegueira espiritual.

Filhos, olhai para Sansão! Vocês são promessa de Deus, são contados como herança do Senhor! (Salmo 127:3). O nome que seus pais lhes deu foi baseado na visão que sonharam para vocês, os conselhos que seus pais lhes dão são a fim de evitar a morte, vocês precisam ouvir!

A história mostra que Sansão não ouviu seus pais, e não é por acaso que Manoá e sua esposa são citados na trajetória do filho juiz, Deus, através de Sansão, também deixa uma mensagem sobre família. O ministério de Sansão durou 20 anos, não sabemos a idade exata com que ele morreu, não é dito com que idade iniciou o ministério, contudo, compreende-se que ele morreu jovem ainda, vejamos:


Então seus irmãos desceram, e toda a casa de seu pai, e tomaram-no, e subiram com ele, e sepultaram-no entre Zorá e Estaol, no sepulcro de Manoá, seu pai. Ele julgou a Israel vinte anos. Juízes 16:31.

Ele julgou Israel até o dia de sua morte e seu pai Manoá não chegou a ver seu filho derrotando os filisteus pela última vez. Manoá morreu em meio ao declínio do filho, quantas dúvidas e angústias não deve ter passado esse pai. Muitos pais cristãos atravessam as mesmas angústias de Manoá e sua esposa, são pais tementes a Deus, que sonham com filhos consagrados ao Senhor, ao ministério, e estes filhos frustram todas as expectativas. A história de Sansão é tão real, traz à luz a importância de se ouvir os pais e traz aos pais cristãos o consolo de que não estão sozinhos na batalha espiritual pela salvação dos filhos. Mesmo com todos os erros cometidos por Sansão, Deus trabalhava em sua vida para salvá-lo da morte eterna. Não tenho dúvidas de que Manoá e sua esposa oraram por Sansão por todos os dias de suas vidas. Pais cristãos, de filhos não cristãos, devem fazer o mesmo.

Ainda sobre pais e filhos, observa-se, através da vida de Sansão que sua mãe foi extremamente dedicada, guardou os votos de Nazireu do filho desde o ventre: evitou vinho e toda bebida que procedia da uva,  bebidas fortes, não se aproximou de mortos, fez tudo conforme a lei indicava em Números 6:1-7. Sansão, contudo, gradualmente, infringiu todas as normas de nazireu vindo a quebrar os votos feitos ao Senhor. Chega um momento na vida dos filhos que eles terão que fazer suas escolhas e nesse ponto, devem considerar primeiramente o temor a Deus e também os conselhos de seus pais. Sansão abandonou a educação recebida dos pais, dormiu muitas noites fora de casa e penso que estava altamente embriagado quando os filisteus lhe rasparam a cabeça, de outra forma teria acordado. Ora, em Juízes 15: 9 a 13 diz que foi necessário três mil homens para amarrar Sansão e Dalila sozinha conseguiu dominá-lo? Ela chamou alguns filisteus para esconderem-se em seu quarto, mas o número não chegava a 50, um quarto não cabe tanta gente, ainda mais se considerarmos que essa gente estava escondida. 


Há quem diga que Sansão não desobedeceu seus pais ao se relacionar com mulher filisteia, pois, a Escritura diz que aquilo vinha do Senhor, Juízes 14:4. “Mas seu pai e sua mãe não sabiam que isto vinha do Senhor”. Ora, o que vinha do Senhor era utilizar aquela situação para derrotar os filisteus e não o fato de Sansão casar com alguém de costumes diferentes do seu, de nação inimiga, pois o casamento de hebreu com hebreu era uma tradição, mais que isso, era uma orientação do próprio Deus ( Deuteronômio 7:1-3).Sansão, não deu importância ao conselho dos pais que falavam conforme o Espírito Santo de Deus. Esse e  outros acontecimentos da  vida de Sansão são alertas valiosos para todos os tempos. Observo que o chamado de Sansão, o que Deus havia lhe dado de mais valioso, foi o motivo de sua queda. Sua força era uma arma poderosa, uma condição ligada diretamente a sua consagração, e Satanás tentou de todas as formas acabar com ela.

Concluindo;


Desceu, pois, Sansão com seu pai e com sua mãe a Timnate; e, chegando às vinhas de Timnate eis que um filho de leão, rugindo, lhe saiu ao encontro.Então o Espírito do Senhor se apossou dele tão poderosamente que despedaçou o leão, como quem despedaça um cabrito, sem ter nada na sua mão; porém nem a seu pai nem a sua mãe deu a saber o que tinha feito.E desceu, e falou àquela mulher, e ela agradou aos olhos de Sansão.E depois de alguns dias voltou ele para tomá-la; e, apartando-se do caminho para ver o corpo do leão morto, eis que nele havia um enxame de abelhas com mel.E tomou-o nas suas mãos, e foi andando e comendo dele; e foi a seu pai e a sua mãe, e deu-lhes do mel, e comeram; porém não lhes deu a saber que tomara o mel do corpo do leão.Juízes 14:5-9

Encerro o estudo com esse verso sobre a ida de Sansão e seus pais a Timnate, uma cidade Filistéia que ficava uns seis quilômetros e meio a oeste de Zorá (onde moravam). Dois dias de viagem, a pé. O objetivo da viagem era providenciar o casamento de Sansão. Pois bem, no percurso, Sansão se afasta de seus pais para caminhar nas vinhas, um leão o ataca ele mata-o. Um episódio tão impactante como este foi omitido de seus pais. O que pretendo, contudo, é, a partir do versículo, resumir as causas da ruína de Sansão
  • Sansão afastou-se dos pais, em suma: não deu atenção a eles, não os ouviu na hora de tomar decisões, não considerou seus conselhos.
  • Um leão saiu ao seu encontro: o  adversário de nossas almas é como um leão que ruge, procurando a quem possa tragar I Pedro 5:8. O leão ruge quando suas presas estão fracas e ele já não caça mais como antes, então ruge como estratégia para assustar e vencer a caça. O leão que atacou Sansão era velho, não tinha a mesma força e vigor de sua juventude. Sansão era jovem com toda sua força e vigor. Ele venceu o leão, porém, voltou outra vez pelo mesmo caminho e cedeu à tentação de comer do mel que estava em sua carcaça. Aqui Sansão quebra um voto de Nazireu, pois, estes, não podiam tocar em animal morto. Sansão ainda dá do mel a seus pais, certamente, omitindo sua origem.
Sansão não era o Nazireu exemplar, pois havia se acostumado a quebrar seus votos e continuar com sua força e desse modo ele prosseguia achando que nada lhe aconteceria. Há um verso que diz: não vos comuniqueis com as obras das trevas, Efésios 5:11. Sansão se comunicou com essas obras, brincou com o pecado da mesma forma que desprezou aquele leão morto.

  • Havia um enxame de abelhas e mel no morto sobre isso já escrevi (Aqui). O mal se disfarça de bem e de bom. As mulheres serviram de isca para derrotar Sansão, elas eram "adoráveis", agradáveis ao "paladar". Sansão era um fraco homem forte no quesito mulheres. Ele satisfazia seu apetite com prostitutas, dormia dias seguidos fora de casa, se embebedava e o resultado foi o pior, o Espírito de Deus deixou Sansão. Como diz Amós 3:3- Andarão dois juntos se não tiverem de acordo?
  • Seus pais comeram do mel do leão morto: os pais de Sansão sentiram a alegria do nascimento do primeiro filho, rejubilaram com o milagre e com as promessas de Deus para ele (O mel). E seus pais sofreram, se angustiaram, decepcionaram com os rumos da vida de Sansão. Manoá morre sem ver seu filho restaurado, arrependido. Quem sabe a dor de Manoá fosse maior, terrível ao ver o filho cego e sem força. Mas ambos se reencontraram na glória celestial, quanta felicidade para um pai e uma mão que oram será reencontrar seus filhos na glória. não terá sido vão, o sofrimento, a fé.

Que Deus nos abençoe, em nome de Jesus!

*******

Também sobre Sansão escrevi: Luz do sol e Senhora da Noite


Bibliografia:

ALLEN,C. Comentário Bíblico Broadman. Tradução de Artur Boorne. 2.ed. Rio de Janeiro: JUERP, 1994. v. 2. 552p.

BÍBLIA. Português. Bíblia de Estudo Plenitude, Tradução João Ferreira de Almeida, São Paulo, Sociedade Bíblica do Brasil, 1995.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...