Os Desertos Necessários

 
 
 
 
“Eu os tirei do Egito e os levei para o deserto” – Ez 20.10
        
A palavra “deserto” vem do latim desertu e significa “lugar solitário” ou “de solidão”; lugar ermo. O povo de Israel enfrentou o deserto em sua caminhada à terra prometida. Curiosamente o deserto surge na vida dos israelitas após 400 anos de escravidão egípcia e tem a duração de 40 anos. O trajeto do Egito à Canaã, terra prometida por Deus aos filhos de Israel, levaria no máximo 40 dias para ser completado. Mas Israel levou 40 anos. Quem foi o responsável por tamanho equívoco? Moisés? Os seus auxiliares? A falta de um bom GPS?Primeiramente, não se tratou de um equívoco, mas de uma experiência criada propositalmente; e não teve nada a ver com falha humana, nem com ação maligna, mas com o próprio Deus. Centenas de anos após a vivência dessa experiência, Deus chama o profeta Ezequiel e revela:

“Você sabe quem estava por detrás daquele aparente equívoco que levou Israel para o deserto, depois de 400 anos de Egito? Eu mesmo. Fui eu quem levou Israel para o deserto. Eu estava vendo as abominações que eles estavam cometendo e precisava deixá-los cara-a-cara comigo, fazê-los passar debaixo do meu cajado (objeto que simboliza o cuidado e a orientação pastoral) e se sujeitarem à disciplina da aliança que foi estabelecida entre nós” (Paráfrase de Ezequiel 20).

Interessante é observar que o povo murmurou contra Moisés e o acusou de ser o responsável por toda aquela experiência desértica. Muitos se lembraram das cebolas do Egito, com forte expressão de saudade. Eles não conseguiam discernir, e não podiam discernir, porque eram carnais, que a experiência do deserto não tinha a ver com Moisés, mas com Deus. Sabemos que a geração que entrou em Canaã não foi a mesma que saiu do Egito, pois a geração que deixara o Egito morreu no deserto em virtude de terem murmurado contra o Deus Eterno.

Quando enfrentamos momentos difíceis, é comum perguntarmos por que os estamos experimentando; queremos encontrar uma razão, algo que explique o que estamos passando. Contudo, quando lemos o capítulo 20 do livro do profeta Ezequiel e vemos a experiência de Israel no deserto, provocada pelo próprio Deus, discernimos que muitos momentos de provação nos são permitidos, não para o nosso sofrimento, mas para o nosso crescimento. É que chamamos de “desertos necessários”. É um paradoxo. Mas nenhum de nós amadurece emocional ou espiritualmente se tudo vai bem. 

Precisamos passar por momentos conflitantes para nos desenvolver como pessoas. Isso acontece desde o parto, essa experiência estranhamente dolorosa que nos tira do anonimato aconchegante do útero e nos expulsa para uma realidade estranha. Choramos. Não por causa das palmadas do médico, nem por causa da dor da primeira respiração, comparada à inalação de ácido sulfúrico. Choramos por termos perdido o lugar que nos conferia segurança e comodidade. Mas, não fosse essa dolorosa experiência, não haveria nascimento, nem crescimento, nem desenvolvimento. Apenas morte.

Deus viu que o povo precisava amadurecer antes de adentrar a terra prometida; com efeito, Israel também precisava se livrar dos vícios adquiridos em 400 anos de escravidão. Se eles tivessem saído do Egito e entrado em Canaã, um mês e meio depois, eles teriam estragado Canaã. Do mesmo modo, nós. Se Deus nos abençoar no exato momento em que suplicamos, é certo que não saberemos aproveitá-las e desfrutá-las adequadamente. A imaturidade estraga as bênçãos de Deus.

Se você está passando por um momento difícil em sua vida, não murmure, nem acuse; apenas ore e agradeça a Deus pela grande oportunidade que Ele está lhe concedendo de crescer um pouco mais. Veja cada luta ou provação como um deserto necessário em sua vida. Ao invés de perguntar “por quê?”, pergunte “para quê?”. Pois há sempre um propósito divino por detrás de cada sofrimento. Certa vez, Pedro disse a Jesus: “Mestre, eu não entendo o que o Senhor está fazendo?”. Jesus lhe respondeu: “O que você não compreende hoje, compreenderá amanhã” (João 13.6,7).

Talvez você não consiga compreender as coisas que estão lhe acontecendo hoje; mas, descanse em Deus. O deserto vai passar e, se você o encarou com a humildade de quem conhece e confia em Deus, vai perceber o quanto o deserto foi necessário à sua vida.“Senhor, ajuda-nos a ver cada problema como uma oportunidade de crescimento e amadurecimento. Livra-nos da murmuração que nos torna amargos e mata a nossa esperança, e nos faz acreditar mais no poder do teu amor, do que no poder destrutivo das circunstâncias. Por Jesus, nosso Senhor e Salvador. Amém”.

Autor: Rev. Irailton Melo de Souza

11 comentários:

Trets Welt disse...

Bom dia meus queridos,
que bom ler isso ja de manha,estou passando por um desrto em meu lar e nao sei realmente o que fazer.Mas Deus e bom.Bom fim de semana.Bjos.Luciene

José María Souza Costa disse...

Vim aqui ler. Mas, também lhe convidar a seguirmos pelos blogs.
E sigamos Aqui
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

Anônimo disse...

irmã, que DEUS continue te abençoando com essas palavras que tem sido uma benção na minha vida, e tem abençoado outras pessoas, que vc continue nesse caminho... paz do SENHOR JESUS..

J. Lanes disse...

Oi wilma, paz.
Artigos edificantes. Parabéns e que Deus te abençoe grandemente.

SAZON (pseudónimo) disse...

Olá. Deixo meu testemunho de que o cristão tem que enfrentar desertos em sua vida, pois estes momentos são experiências que, se atravessados com fé e certeza que Deus está no controle, vamos vencer e certamente cresceremos e nos fortalecemos espiritualmente. Já atravessei vários desertos e neste momento estou no meio de outro, mais minha segurança está no Senhor. São desertos que vêem como terremotos e parecem que vão destruir tudo. Mais fico na Rocha e o Espírito Santo me diz " Aquietai-vos, Eu sou Deus" e assim vai consolando meu coração e fico firme olhando para Deus na certeza que tudo vai passar e este deserto igualmente será superado em minha vida. Tive um deserto em que nasceu-me uma linda flor que hoje se chama Sofia e está com quase dois anos, e alegra a minha alma e o meu espírito, pois com 49 anos de idade sou pai desta pérola que nasceu em pleno deserto, aliás o mais difícil de toda a minha vida. Que Deus abençõe a todos e nunca duvidem que Deus está ano nosso lado na hora que estamos atravessando um deserto e dai vem aquele sentimento de solidão e abandono total. Porque Ele, o nosso Deus está conosco, ao nosso lado, e observa-nos e precisamos ter esta certeza em nosso coração e seguir sem duvidar, pois venceremos certamente qualquer deserto, pois não estamos só, Deus está conosco.

Cirla disse...

Mensagem linda dimais. Obrigada Deus por teu amor e cuidado. Em todas as horas Tú estás conosco. Louvado seja DEUS!

regis disse...

muitas das vezes passamos por esse momento ,mas bem sei q td serve de amadurecimento,e q la na frente teremos a resposta,porq DEUS promete sim cumpre nas nossas vida,continui com essa certeza q td vai passar na minha vida e na sua,e q DEUS abençoe cada um em q confia nesse grande DEUS td poderoso .

janaina lira costa disse...

SEI QUE OS DESENTOS SAO NECESSARIOS EM NOSSA VIDA E PÇO FORÇA AO SENHOR PARA QUE QUANDO ELE CHEGAR EU POSSA ESTAR CADA VEZ MAIS EDIFICADA EM SUA PALAVRA.JANAINA LIRA COSTA

deus não abre mão de você ministério de missões disse...

o deserto é o ensino superior do crente. no deserto o crente aprende a liberar perdão, a amar sem figimento e levantar as mãos cansadas e o joelhos desconjuntados para fazer veredas certas para os que manquejam. no deserto aprendemos aborrecer a arrogânbcia e a prepotência. aprendemos crescer com o cedro no líbano.

Anônimo disse...

tremendo esse comentario bastante edificante.

um vaso na mao do oleiro disse...

a paz agradeço a deus por ter encontrado a esta pagina pois sempre estou me alimentando dessas palavras abençoadas deus abençoe a sua vida irma.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...