Consequências da legalização união homoafetiva

Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.
2 Timóteo 3:1




Wilma Rejane


Quando Nova York aprovou o casamento entre homossexuais (Junho de 2011) a igreja não teve nada mais a fazer, a não ser emitir uma carta reprovando a decisão: "Nós estamos preocupados que tanto o casamento como a ideia de família serão prejudicadas por essa trágica ação do governo em passar esta legislação que tenta redefinir as fundações da civilização." Arcebispo de Nova York

E já era tarde demais para se protestar, a indignação deveria ter sido exposta antes, a mobilização e os protestos não aconteceram e o adversário ganhou forças. Um exemplo contrário ao de Nova York, aconteceu em Março desse ano quando aproximadamente um milhão de franceses se organizaram e foram as ruas protestar contra o casamento entre homossexuais e adoção de crianças por pessoas do mesmo sexo: "Esse fato perturba totalmente a sociedade, negando o parentesco e a filiação natural e isso traria consequências incalculáveis". Mais de um milhão de franceses reagiram de forma direta ao que consideraram ser um acinte a ordem.

No Brasil, a união homo afetiva é regulamentada de forma individual em alguns  estados brasileiros, baseadas em decisões do STF e STJ. Alagoas, Acre, Bahia, Piauí, São Paulo, Ceará, Mato grosso do Sul e Paraná, são lugares onde não se precisa mais procurar o judiciário para realizar casamentos sob essas condições. A intenção do movimento LGBTs, é que todo o país esteja preparado para acatar judicialmente tanto o casamento, quanto a adoção de crianças nos termos da homossexualidade. E estão batalhando por isso.


No último sábado, foi protocolado no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) um pedido para que o orgão regulamente os procedimentos de habilitação direta de casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Dep Jean Wyllys em parceria com  Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Rio de Janeiro (Apen-RJ) foram os responsáveis pelo documento. Orgão público trabalhando dia de sábado, para receber um deputado que tramitou livre e praticamente solitário nos corredores do CNJ, para tratar de um assunto critico e de grande importância para todos nós. Nenhum destaque na mídia.


A aprovação da união homossexual vai além de uma garantia de direitos, ela é um documento legal  sobre a  questão da homossexualidade e pode mudar regras de instituições sociais e politicas. O que a classe realmente almeja é que a sociedade aceite o anormal, como normal, o pecado como santidade. E nós não devemos nos omitir nessa causa, de outra feita, só nos restará seguir o exemplo de Nova York: lamentar tardiamente. É por isso que um pastor no cargo de Feliciano incomoda, porque representa um obstáculo para os ideais dos que se declaram minoria, mas que age como se fosse maioria. E enquanto a igreja se divide, eles se unem. Enquanto se critica a teologia dos pastores que têm coragem de combater as praticas gays, eles não se envergonham de cometerem atos impróprios publicamente.


Em Massachusetts, após a legalização do casamento homossexual foram relatadas as seguintes mudanças: 




* Nos currículos escolares, a partir do jardim da infância, as crianças recebem material ilustrado (financiado pelo governo) dizendo-lhes que casais do mesmo sexo são apenas outro tipo de família. 

*Bibliotecas tiveram que se adaptar incluindo em suas prateleiras livros sobre normas, comportamentos e estilo de vida homossexual.

*Tornou-se comum professores exibirem seus companheiros do mesmo sexo como forma de conscientização contra intolerância.

* As taxas de HIV / Aids subiram drasticamente.

* O departamento de saúde publica confeccionou e distribuiu material nas escolas ensinado aos meninos como fazer sexo oral com outros homens de forma segura.

*Casos de violência doméstica dispararam

*A indústria de casamentos e afins com o objetivo de se enquadrar na nova lei e aumentar os lucros, passou a privilegiar o público homossexual.

* Instituições cristãs de adoção, preferiram fechar as portas a ter que se submeter as novas regras de adoção para casais do mesmo sexo.

* certidões de casamento constam "parte a e parte b" ao invés de "marido e mulher".

Imaginem o que não pode acontecer no Brasil e no mundo caso a homossexualidade seja amparada por leis. 





Amados leitores, sabemos que Deus não aprova a pratica da homossexualidade, como cristãos devemos usar os meios possíveis para protestar. Na França, o igreja católica foi a grande responsável pelo fenomenal movimento que de forma organizada e civilizada mostrou ao mundo a indignação com as reivindicações e praticas dos LGBTs. Eles venceram uma batalha: O governo teve de postergar a adoção de um plano para permitir a casais de lésbicas o acesso à inseminação artificial. Façamos nosso barulho.



6 comentários:

Victor Hugo disse...

Realmente é uma situação que hoje estamos vivenciando aqui, e em um nível crítico. Onde os valores morais e familiares estão indo para o esgoto, e parece que todos estão de acordo. E pior de tudo vemos xingamentos e opiniões já feitas para as pessoas que defendem esses valores. Engraçado é que essas pessoas a favor do movimento LGBT, podem falar o que quiserem, mas quando o cristão ou quem defende os valores familiares legítimos abre a boca....

Temos que despertar, parar de julgar os líderes religiosos que estão a frente, e voltar para o problema mór que é a liberalidade alarmante onde tudo está ok, se te agrada faça, e sabemos que uma sociedade desse jeito não vai para frente....

O que eu acho é que Jesus está voltando, e mais cedo do que eu pensava....

Wilma Rejane disse...


Oi Victor!

Fico pasma em ver tanta mobilização da mídia, de artistas e etc em prol dessa causa e enquanto isso: crianças nas Febens, cracolândia consumindo vidas, professores recebendo salários miseráveis,
crime organizado e essas coisas todas que existem no Brasil.

Sei que esse assunto está esgotando a paciência de muitos, mas é necessário combater, protestar, orar. Deixar para lá é perigoso e poderemos sofrer consequências iguais ou piores as relatadas no artigo.

Quando cristão fala é "homofobia".


Obrigada por contribuir com o artigo,

Deus o abençoe.

Aluísio Nogueira disse...

A reação é necessária! Postei uma frase em meu blog sobre esse tema que expressa uma triste conclusão:

"Não admiro os métodos utilizados pelos Ativistas Gays, muito menos os seus objetivos, mas admito que deles, nós Cristãos deveríamos aprender a união, o foco, a persistência e a coragem"

Tenho com muito trabalho e dispêndio lutado para conseguir apoio de blogueiros Cristãos para divulgação do Manifesto Cristão sobre Homofobia. Minha luta, as vezes, parece inglória, porém, sei que o Senhor faz surgir uma enorme árvore de uma minúscula semente.

É isso, temos que aprender com nossos antagonistas, persistir e lutar por nossa causa.

De fato, Feliciano tem expressado opiniões inadequadas deveria ter guardado para ele suas opiniões, ditas em momento em que sua posição era "relaxada", evangélicos eram minoria das minorias, fato que mudou, agora suas declarações feitas no passado, pesam nas suas costas, e a imprudência de usar u púlpito para emitir opinião pessoal é uma lição a ser aprendida por muitos, ainda hoje!

Eu discordo de quem amo e corrijo quem me importa!

Feliciano hoje, é certamente alguém muito mais preparado que a 10 anos atrás, quando disso um "bocado de bobagens". Ainda assim, considero que ele tem condições de ser um ótimo deputado federal e reverter esse quadro negativo atual.

Peço, por favor, que tenha atitude, como diz a matéria, conheça, participe e divulgue o Manifesto Cristão sobre Homofobia dos Sites e Blogs Cristãos do Brasil: Manda aos seus amigos, peça ao seu pastor para divulgar, faça sua parte, não desista, mesmo que pareça estar tudo perdido, Deus vê e sabe quem você é, lembre-se a omissão também, é pecado de traição, o feio não é perder, o feio é não lutar.

http://osrabiscosdedeus.blogspot.com.br/2013/04/manifesto-do-povo-evangelico-sobre.html

Deus os abençoe!

Aluisio Nogueira
escritor e romancista
http://aluisionogueiraescritor.blogspot.com.br

Wilma Rejane disse...


Olá Aluisio!

Essa luta contra leis e práticas homossexuais no Brasil, conta com a evidência de dois líderes religiosos (evangélicos): Silas Malafaia e Marcos Feliciano, inegável fato.

O país é de maioria cristã e a igreja parece não ter tanta força para barrar ou calar o avanço dos LGBTs, por que?

Precisaríamos seguir o exemplo dos franceses, deixar de lado as contendas e
nos organizar, inclusive convocando os católicos para também protestarem na mídia e onde mais for possível.

Obrigada por sua contribuição,

Deus o abençoe.

Anônimo disse...

Mas que absurdo é esse?
Somos todos seres humanos, quem quiser ser gay, que seja!
Entrei neste blog, porque infelizmente tenho que fazer uma redaçao sobre o assunto e preciso de contras.
Mas saiba que TODO casamento é um ato de cidadania.
Gays nao sao leprosos nos primordios, sao pessoas, com toda a estrutura fisica, quimica e biologica nossa.
Mto me admira vcsficarem indignados com uma pratica tao comum nos dias atuais.
Tenho vergonha de saber q pessoas do meu pais pensam assim.
Agora vai la e apaga o meu comentario, acaba com a "democracia" do pais de uma vez.
Ass: Michelle

Larissa Santos disse...

Nos dias de hoje, realmente é difícil de tocar nesse assunto, principalmente quando ao expor nossa opinião, somos totalmente repudiados. Existem realmente várias formas de amor,amizade ,companheirismo etc
E para convencer as pessoas que não vivenciam o amor de cristo, de que essa forma de amor é enganosa, é cansativo e doloroso.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...