Deus, salve o Brasil!

 


Wilma Rejane

Nosso voto é muito importante por ser instrumento democrático de mudança. Por isso, como cristã e cidadã brasileira, gostaria de registrar aqui minha breve e singela opinião sobre o voto para presidente. Provavelmente e a essa altura do processo eleitoral, você já saiba em quem vai votar. Acredito que tenha escolhido seu candidato conforme os princípios de sua fé, de acordo com uma consciência tranquila e firmada na ética e na moral. 

Temos visto líderes religiosos, artistas, pessoas de todos os segmentos da sociedade virem a público declarar seu voto. A manifestação política é um direito assegurado por lei e além de revelar um modo de pensar, revela também um estilo de vida e anseio social. Desde que o seu modo de posicionar-se politicamente não fira a liberdade do outro, esse diálogo além de necessário se torna decisivo no resultado eleitoral. 

Vivemos um momento eleitoral tenso no Brasil, uma situação eleitoral polarizada (direita x esquerda), em uma visão natural diria que há uma disputa turbulenta entre eleitores e candidatos, em uma visão sobrenatural, percebo uma batalha entre bem e mal a fim de influenciar e governar os destinos da nação. De fato, essa batalha é constante e não apenas em nível de política nacional, mundial, o que seja, é constante em nossas vidas, perpassa todo nosso cotidiano.

O que me incomoda, contudo, é constatar que o país ainda sofre após os governos (ou desgovernos) do PT,  um mal crônico que coloca um manto denso de trevas sobre o Brasil. É um mal que tem cegado inclusive pessoas ditas cristãs que defendem com fervor o PT e/ou outro partido tão maléfico quanto (por defender ideologias contrárias a Bíblia). Por estas causas, acredito que se posicionar a favor dos partidos de esquerda é escolher o pior lado da história.

Você acredita que Deus fala através de profetas atuais? Eis uma profecia sobre o futuro das eleições no Brasil.

Como pedras brutas nas mãos de um Grande Escultor

 




Wallace Sousa

Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é. 1 João 3:2

Eu já não sou mais o mesmo de antes…

Já faz algum tempo que reflito sobre esse versículo, e sobre o que se pode abstrair dele. Certa vez, ouvi uma rápida palavra de um pastor que me deu a deixa para discorrer sobre o que falarei a seguir. Quando ele fez suas primeiras considerações, eu disse a mim mesmo: “puxa, vai ser uma mensagem de arrebentar”. De fato, arrebentou com minhas expectativas, porque ele sequer arranhou a superfície do que poderia quando tratou da questão. Uma pena. Espero não cometer o mesmo tipo de atrocidade com meus leitores.

Esse verso encerra lições profundas. Profundas e impactantes. Impactantes e reveladoras. Verdades transformadoras, se é que me entende, e é sobre isso que pretendo falar e que, espero, tragam consolo, virtude e esperança para sua alma. Será muito ousado, talvez até arrogante de minha parte, mas vou me arriscar dizendo que, para alguns, a leitura desse post significará um marco em suas vidas, um divisor de águas, e uma transformação terá início, e jamais serão os mesmos de antes.

Mas, afinal, que lições são essas, tão importantes que merecem tanto sua atenção? Em primeiro lugar, o tempo. No verso, estão contemplados o passado, o presente e o futuro. Onde? Aqui ó:

    Presente = agora somos filhos de Deus;
    Futuro = o que havemos de ser;
    Passado = implícito no “agora somos”, logo, “antes, não éramos”.

Refletindo sobre esses versos, somos levados, inconsciente e automaticamente a uma das grandes mazelas do gênero humano: a comparação. Mulheres que o digam, que gostam (gostam?) de se compararem umas às outras desde que me entendo por gente, e olha que nasci no século XX, no longínquo Segundo Milênio. Você já viu mulher comparando-se com outra? É simples, geralmente só tem duas opções disponíveis: ou ela quer  m-o-r-r-e-r ou quer  m-a-t-a-r a rival. Tão bucólico isso…

Voltando… a comparação nos leva a sentimentos conflitantes e contraditórios porque, quando olhamos para o futuro, sentimos tristeza ao descobrirmos que “ainda não somos o que deveríamos ser”. Ou seja, precisamos evoluir, crescer, amadurecer, etc. É constrangedor você admitir que ainda não é perfeito, embora todo mundo saiba disso. Você saber que ainda vai errar muito, que ainda faz coisas erradas, algumas vezes querendo, de fato, errar (pecar), sabendo que é errado (pecado) aquilo que quer fazer. Isso é algo… vergonhoso, para tentar resumir em uma palavra algo tão complexo.

A cana quebrada e o pavio que fumega

 


Wilma Rejane



"A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega" Is 42:3


Através da simbologia da cana trilhada e do pavio que fumega, Deus revela Seu amor e misericórdia para com os caídos, machucados, carentes de uma nova vida.

À beira da estrada, nas trilhas de canaviais é o lugar onde se acumulam canas desprendidas dos pés, arrastadas pelos fortes ventos, fáceis de serem pisadas e descartadas em razão do estado de estrago. Não é bem o tipo de cana que agricultores usariam para obtenção de lucro ou mesmo preparo de alimento. Mas Deus diz: "essa cana me interessa, não a lançarei no lixo, assim mesmo, como está Eu me servirei dela, Meu poder restaurador é maior que a conspiração de morte."

Pavio fumegando nos fala de forças que se esvaem, de fogo que se apaga, de vidas que outrora foram repletas de sonhos, fé e esperança, mas que se perderam em algum lugar , chegando próximas de um fim. E Deus diz: " Não permitirei que encerre sua missão de iluminar, antes farei reviver a chama".


Essa mensagem nos convida a viver um novo tempo que ressurge pelas mãos Divinas do Pai, atento às "insignificantes" coisas da vida que sob um olhar humano nada valem a não ser para serem descartadas. Mas Deus em infinita misericórdia; das cinzas, do monturo, ergue o necessitado.

Levanta o pobre do pó, e do monturo levanta o necessitado. Para o fazer assentar com os príncipes, mesmo com os príncipes do seu povo. Salmos 113:7-8

Sobre não desistir de orar

 


Wilma Rejane

Há momentos que não encontramos explicação para alguns acontecimentos de nossas vidas; a morte ou separação de alguém querido, uma doença que não cura, um fracasso financeiro e assim sucessivamente. O devir é imprevisível e se não somos capazes de prever o futuro, tão pouco de decifrá-lo. Para quem crê em um Deus Criador, que rege todas as coisas, é Nele que se encontram as respostas, ora reveladas, ora em segredos permanente. Para conforto nosso, o não de Deus, não significa Sua ausência em nossas vidas, visto que a Bíblia relata que servos amados do Senhor também experimentaram momentos de angústia e de terem o "não" como respostas a orações.

A vida é mistério e muito do que se passa conosco só será esclarecido quando não mais vivermos, essa esperança na eternidade, tanto é motivo de conforto, como de desespero, mas jamais deverá ser  causa de abandonarmos a fé: “Nada há encoberto que não venha a ser revelado; e oculto que não venha a ser conhecido.” Lucas 12:2.  Portanto, amados, se nesse momento atravessamos o vale da sombra da morte, saibamos que desse mesmo vale ressurgirá a luz e que apesar dos pesares, nossa confiança na soberania de Deus deve ser a causa de toda nossa expectativa futura. 

“...Quando andar em trevas, e não tiver luz nenhuma, confie no nome do Senhor, e firme-se sobre o seu Deus. “ Isaías 50:10

Eles ouviram o "não" de Deus

Paulo em Tessalônica: uma igreja em três semanas



 Autoria: João Cruzué

Quando Paulo estava em Trôade, ele teve uma visão. Um moço apareceu diante dele, trazendo esta mensagem: "Passa à Macedônia e ajuda-nos!". Paulo estava acompanhado de Silas. A caminho da Macedônia eles desceram no porto de Trôade. Dali, seguiram em frente até Filipos. Aqui os dois, depois de expulsar um espírito de adivinhação, levaram uma tremenda surra. Saindo do cárcere e da cidade, foram para Tessalônica, a Capital da província romana da Macedônia. E, bem no Centro da Macedônia, eles pregaram o Evangelho durante três sábados e ficaram ainda por mais uma semana. Nestas três semanas a  Igreja dos cristãos em Tessalônica foi semeada e não morreu.

Paulo seguia a mesma metodologia de pregação do Evangelho. Na cidade onde chegava, primeiro se dirigia à comunidade judaica - o plano "A". Durante três sábados ele disputa com os rabinos da Sinagoga da cidade. Tessalônica possuía 200 mil habitantes, na época. Paulo ensinava corretamente que o Cristo morto em Jerusalém era o Messias prometido, o Siló do Pentateuco. Alguns judeus se ajuntaram a Paulo e Silas. Também, veio com eles uma grande multidão de gregos religiosos e não poucas senhoras distintas da cidade.

Descontentes com o Evangelho pregado por Paulo, a maioria dos líderes da sinagoga tentaram calar a sua boca. Foram até às autoridades locais e disseram: "Aqueles que estão alvoroçando o mundo, chegaram também aqui. Também estão falando de um outro rei no lugar de César". Procuravam tirar a vida de Paulo e Silas. Acabaram assaltando a casa de Jasom. Jasom foi levado às autoridades, deu seu depoimento e foi mandado de volta para casa. Paulo e Silas tiveram que sair à noite, escondidos,  e dali seguiram para Bereia. Paulo pediu para que Silas e Timóteo retornassem à Tessalônica, para concluir o discipulado dos novos convertidos.

Quando Timóteo voltou de Tessalônica, fez um relato da situação da Igreja.  Depois de ter ouvido atentamente, Paulo escreveu a sua primeira Carta aos Tessalonicenses,  complementando o ensino que não teve tempo de terminar e respondendo as dúvidas sobre os mortos e a ressurreição, que Timóteo não soubera explicar.

Mas não é sobre dados históricos que gostaria de meditar com você.

Estou escrevendo este texto, para relatar minha visão das coisas que aconteceram durante aquelas três semanas que Paulo esteve pregando o Evangelho em Tessalônica.

Paulo disse uma frase muito importante no primeiro capitulo, v.5: "Porque o nosso Evangelho não foi pregado somente em palavras, mas também com poder e no Espírito Santo..."

Eu posso ver Paulo pregando no primeiro sábado naquela sinagoga. Certamente, ele fora apresentado aos presentes e, quando lhe foi dado a oportunidade, foi direto, dizendo que Jesus Cristo, o judeu pregado na cruz, há alguns anos lá em Jerusalém era o filho de Deus, o Messias prometido pelas escrituras. Disse sem receio que ele morreu e foi ressuscitado pelo poder do Espírito Santo e, que depois disso, subiu aos céus e está assentado à direita de Deus. Neste ponto, os líderes da sinagoga ficariam vermelhos de surpresa com aquela "heresia" inaceitável. Para um judeu ortodoxo, Deus é único e não tem filho. Foi exatamente por isto que mataram o Cristo.

No segundo sábado, eu posso ver uma sinagoga abarrotada de pessoas. Paulo, com sabedoria, não começa a pregação provocando os judeus, mas começa a falar do grande amor de Deus em se abaixar até a humanidade para contemplar suas misérias. Homens e mulheres perdidos, com os corações vazios, sem o conhecimento verdadeiro da vontade de Deus. À medida que Paulo prega, o Espírito Santo começa a compungir os corações de vários ouvintes. Alguns começam a chorar copiosamente, outros clamam por misericórdia a Deus. Certamente havia entre os presentes, pessoas enfermas, oprimidas  e até possessas de demônios. Sob a palavra de autoridade de Paulo, os demônios saem, os doentes são curados,  os que sentiam o fardo dos pecados encontram o perdão de Deus.

No terceiro e último sábado, eu também posso ver uma sinagoga com muito mais gente que das duas vezes anteriores. Paulo começa a pregar e Espírito Santo começa a mover o coração de gregos e judeus, homens e mulheres. Paulo não consegue mais pregar. Muitos novos convertidos batem palmas, saltam de alegria e  começam a falar em línguas estranhas. Não são as palavras de Paulo, mas o poder de Deus e  a ação do Espírito Santo é que dirigem a liturgia do culto. O mesmo Pentecoste dos dias dos apóstolos se repete em Tessalônica.

Os líderes dos judeus, irritados e com inveja, veem um escândalo em toda aquela manifestação. Decidem proibir a Paulo que volte na Sinagoga para continuar pregando  aquelas "heresias". Concluem que era a ação de "demônios" o comportamento descontrolado e profano das pessoas, principalmente de gregos. Com certeza, eles tinham de que todos seguissem após  Paulo, deixando a sinagoga vazia. Tinha a questão financeira no meio disso, o medo de ficar de bolsos vazios falou mais alto que  o temor de Deus.

Paulo e Silas, começam a pregar o Evangelho nas casas dos "gentios". Entra em ação, o plano "B". A casa de Jasom era um dos lugares onde Paulo passou a ensinar. A situação torna-se muito perigosa e os missionários tiveram de fugir, à noite, para Beréia para não perder suas vidas.

Atrás de si, deixaram uma Igreja ardendo no espírito pelo fogo do Espírito Santo. Foram poucos dias, de pregação. Não houve tempo para terminar o discipulado. No pouco tempo que teve, Paulo visitava os novos convertidos em suas casas, orava pelos enfermos e o Espírito Santo era concedido pela imposição das suas mãos, do mesmo jeito e poder com que recebeu, lá no passado, aquela oração de Ananias: "... Irmão Saulo, o Senhor Jesus que te apareceu no caminho de Damasco, me enviou, para que tornes a ver e seja cheio do Espírito Santo..."

Na sua primeira Carta, Paulo lembra aos tessalonicenses que o Evangelho pregado por ele não consistia de teoria e saliva, mas do puro poder de Deus e da presença do Espírito Santo.

-Regozijai-vos sempre.

-Orai sem cessar.

-Em tudo dai graças...

-Não extingais o Espírito.

-Não desprezeis as profecias.

-Examinai tudo, mas retende só o bem.

-Abstende de toda aparência do mal.

-E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo...

O ecumenismo no jardim do Éden

 


Wilma Rejane

Não sei precisar quantas  vezes  li o relato da criação do universo sendo renovada na fé e na certeza de que vivemos sob o olhar de um Deus sábio e misericordioso. Onde quer que estejamos somos observados. Não há dia ou noite, altura ou profundidade que escape à ação Divina. No Gênesis Bíblico o homem encontra respostas para as origens, é elucidativo o fato de existir uma causa revelada para os mistérios que permeiam a mente humana. No principio você e eu fomos criados para a vida terrena e eternidade! No Gênesis,  a pureza humana se perdeu, a essência se corrompeu e passamos a ser imperfeitos,  absolutamente carentes de restauração.

No principio criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia, e havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” Gênesis 1:1-2.

Criou = bara (Strong 01254) = Formar, modelar, esculpir, recortar.

A humanidade teve inicio com o primeiro Adão e se encerrará com o segundo e último Adão que é Cristo: “ Pois, da mesma forma que em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados.” I Cor. 15: 22 e outra vez se escreve: "O primeiro homem, Adão, tornou-se um ser vivente; o último Adão, espírito vivificante.” I Coríntios 15:45. Um representou a queda da humanidade e o outro a Redenção.

E se Deus tem a conta do primeiro e do último, não teria a conta de mim e de você? Aquele vazio que existia no principio foi preenchido também por nós , cada pequeno espaço onde pisam nossos pés está sobre os cuidados de quem o criou. Detalhe: E Ele criou com a ordem de que teríamos condições de dominar, baseados inclusive na liberdade de pensamentos e escolhas.

“E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai.” Gênesis 1:26-28

Ao criar a natureza: animais, plantas, sol, lua, estrelas, vales, montanhas, oceanos, se lê: “E viu Deus que tudo era bom” Gênesis 1:25. Mas ao concluir a criação do homem e da mulher, se lê: “ Deus os abençoou”. Somos abençoados desde o principio. 

A oração de Larissa Mutti na árvore que voltou a florir


Fonte: Point Rhema

A experiência de fé de Larissa Mutti viralizou nas redes sociais e impactou sua família e vizinhos.

Uma árvore seca pode começar a florescer milagrosamente em instantes? A experiência de fé de uma família em Araçatuba, no interior de São Paulo, mostra que sim. “Aconteceu diante dos meus olhos, foi imediato”, disse ao Guiame a bancária Larissa Galvan Mutti.

Em frente à casa da família Mutti, havia uma árvore que tinha apenas folhas, mas nunca havia florescido — embora todas as outras árvores da rua estivessem repletas de flores. Na tarde de 18 de agosto, Larissa disse a seu filho mais velho, Mateus, de 14 anos, que sentiu que precisava ungir a árvore.

“O Mateus disse: ‘Mãe, mas você vai ungir uma árvore?’ Eu joguei um monte de óleo nela e declarei palavras de bênção: ‘Eu te abençoo, você é frutífera, você é florida, você é abençoada e eu declaro vida sobre você’. E entrei para dentro [de casa]. O Mateus disse: ‘Nossa mãe, imagina amanhã está cheio de flores? Eu falei: ‘Eu tenho fé para isso’”, relata Larissa no vídeo, que viralizou nas redes sociais. 

Na noite do mesmo dia, a família saiu para jantar. Na volta, Larissa reparou que uma pequena flor estava nascendo na árvore. “O Senhor me disse: ‘Não nasceu uma, vão nascer várias. Vá para trás da árvore’. E quando a gente foi para trás da árvore, começou a nascer [flores] diante dos nossos olhos. A árvore está florindo agora, nesse exato momento, para a gente ver que a palavra tem poder”, contou Larissa.

Impressionado com o que estava vendo, Mateus começou a chorar. “Meu Deus, estou tremendo”, disse o garoto. Larissa então completou: “Meu filho está chorando, porque se Deus faz isso com uma árvore, o que Ele não pode fazer na sua vida?”


 


 Larissa é casada com Tiago, com quem tem três filhos: Moisés, de 1 ano, Miguel, de 9 anos e Mateus, de 14. Em entrevista ao Guiame, ela disse que essa experiência foi muito importante para seu filho mais velho, que costuma ser o mais racional de sua casa.

Um pedido de socorro da igreja cristã na China


Asia Harvest
Edição especial
Julho 2022

Caros amigos,

Por décadas, nos esforçamos para compartilhar abertamente notícias e pedidos de oração da Ásia, enquanto procuramos ajudar o povo de Deus a estender o reino de Jesus Cristo. Neste boletim, temos um profundo encargo para compartilhar com você, e pedimos suas fervorosas orações e intercessão por nossos irmãos e irmãs nas igrejas domésticas chinesas. Eles estão agora passando por um julgamento de fogo que é mais feroz do que qualquer coisa experimentada na China desde a Revolução Cultural dos anos 1960 e 1970.

Nos últimos 18 meses,  a situação dos cristãos na China piorou dramaticamente.  No início, hesitamos em compartilhar publicamente novas informações da China por alguns motivos. Algumas das notícias que recebemos dos líderes da igreja são tão terríveis que a maioria dos crentes ao redor do mundo simplesmente não acreditaria se contássemos a eles. Também queríamos garantir que essas coisas não fizessem parte de uma repressão de curto prazo, pois ao longo dos anos vimos várias temporadas de perseguição indo e vindo na China. No entanto, acreditamos que agora é hora de apresentar os fatos conhecidos, para ajudar as pessoas a entender o que nossos irmãos estão vivenciando.

Também compartilhamos vários links para páginas da web nesta mensagem, para ajudar as pessoas a saber mais sobre a situação a partir de outras fontes. Por favor, reserve um tempo para ler estes artigos.

* O presidente Xi Jinping - que está prestes a ter a constituição alterada para permanecer no poder pelo tempo que desejar - levantou preocupações entre os cristãos há cerca de três anos, quando falou sobre a necessidade de controlar a "religião ilegal". A perseguição piorou marcadamente desde então, e centenas de pastores de igrejas domésticas desapareceram nos últimos anos. Muitos foram considerados mortos. Outros estão mantidos em "prisões negras" - instalações secretas onde são torturados sem piedade. Quando alguém entra em uma prisão negra, geralmente nunca mais se ouve falar dele.  Suas famílias não têm idéia de seu paradeiro, e todas as comunicações cessam.

* É improvável que você ouça muitas informações novas da Igreja na China, porque a maioria das organizações missionárias que trabalham na China foram alvos nos últimos anos. Milhares de cristãos estrangeiros foram expulsos do país, enquanto os grandes ministérios de 'perseguição' viram seus contatos chineses presos. O resultado é que as notícias sobre a Igreja na China estão se tornando difíceis de acessar. O governo parece estar  tentando jogar um cobertor sobre a Igreja , para que o resto do mundo não possa ver ou ouvir o que está acontecendo dentro do país.

* A atividade cristã na China tem sido rigorosamente monitorada, devido à presença de dezenas de milhões de câmeras de reconhecimento facial que surgiram em todas as cidades e vilas, e agora até em vilarejos. Os dados dessas câmeras são alimentados em uma enorme rede de computadores 24 horas por dia. Usando 'inteligência artificial', alertas são enviados à polícia se os computadores detectarem qualquer atividade suspeita, como um grupo de cristãos reunidos em um local para culto ou estudo bíblico. Nós encorajamos você a assistir ao seguinte vídeo curto  da BBC. É preocupante, mas ajudará você a entender os desafios enfrentados por nossos irmãos e irmãs na China:

http://www.bbc.com/news/av/world-asia-china-42248056/in-your-face-china-s -estado que tudo vê

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...