No caminho das Promessas de Deus


 
Wilma Rejane


“Ora o Senhor disse a Abrão: Sai-te da tua terra e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei” Gênesis 12:1


Alguma vez você leu Gênesis 12:1 e pensou em um outro sentido para “a terra que eu te mostrarei”? Sempre associamos essa terra a  terra prometida (oriente Médio) e em um plano espiritual: a Canaã celestial, lugar dos salvos. Contudo, quero chamar sua atenção para uma "outra terra" que seria um estado de espírito, um nível de fé alcançado, na peregrinação da vida.

Abraão, nasceu em Ur dos caldeus, seu pai, chamava-se Tera. Eram dois os irmãos de Abraão: Naor e Hara (pai de Ló). Hara morreu e possivelmente por não suportar a dor das lembranças, a família parte em busca  de um outro lugar para assentar as tendas. No percurso, encontram a cidade de Hara: coincidentemente, a cidade, tem o mesmo nome do irmão morto de Abraão. Não sei se esse fato teve algum impacto para a família, o certo é que em Hara, escolheram habitar. De modo que se lê: “E foram os dias de Tera duzentos e cinco anos, e morreu Tera em Hara” Gn 11:32.

O pai de Abraão se sentiu confortável em escolher Hara como morada, cada vez que o nome da cidade era pronunciado,  provavelmente lhe vinha à mente a memória de seu filho. Tera era um homem saudoso e também idolatra. A reunião desses fatos, leva a crer que o pai de Abraão era um homem marcado pela insuperável dor da morte do filho. Abraão convivia com seus parentes, olhava para suas limitações e descrenças e se recolhia no campo para orar, interceder por eles. Abraão, amava tanto seu irmão Hara (falecido) que adota seu filho Ló. 


Judeus e gentios nas promessas de Deus

 

Firmisrael
Tradução: Wilma Rejane

Ao lermos as Escrituras  e orarmos pelas promessas de Deus sobre Seu povo, é difícil não nos perguntarmos sobre judeus e gentios. Quando lemos e interpretamos a Bíblia literalmente, podemos ver que há muitas promessas nas Escrituras. No entanto, a maioria dessas promessas foi originalmente destinada aos judeus, e não aos gentios. Portanto, é uma questão dolorosa:  as promessas de Deus também são destinadas aos gentios?

Por muitos séculos, os gentios estiveram longe do Senhor. Deus não vos deu o mesmo acesso  que deu ao povo judeu . O Senhor ainda não havia se revelado a nós. Isso contribui para a sensação de ser deixado de lado.

“…Lembrem-se de que vocês, gentios na carne, outrora… estavam separados do Messias, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, sem esperança e sem Deus no mundo.” (Efésios 2:11-12)

Paulo, o autor de Efésios, não pretendia menosprezar nem desencorajar os gentios, lembrando-os da terrível situação de sua alienação passada. Em vez disso, ele os estava ajudando a ter uma compreensão mais profunda das incríveis bênçãos disponíveis para eles.

Judeu e Gentio no Plano de Deus

No início, os judeus tinham um meio de acessar o Senhor. Considerando que os gentios não foram nem mesmo capazes de entrar em Sua presença, eles não tinham nem a lei, nem os convênios, nem os profetas para guiá-los.

As nações foram deixadas para “buscar a Deus e talvez tatear o caminho até ele e encontrá-lo” (Atos 17:27) como fizeram Raabe, Rute e Naamã  ou escolher permanecer em seu pecado e idolatria.

Mas agora em Jesus Cristo vocês, que antes estavam longe (gentios), foram aproximados pelo sangue do Messias. Pois Ele mesmo é a nossa paz, que nos fez um e derrubou em sua carne a parede divisória da inimizade, abolindo a lei dos mandamentos... a fim de criar em si mesmo um novo homem no lugar dos dois”. (Efésios 2:13-15)

Um dia o Senhor faria de Sua casa um lugar para todas as nações! Essa realidade foi profetizada em lugares como Isaías 56 e Zacarias 8. Em outras palavras, as nações poderiam se unir a Israel de várias maneiras para se aproximarem do Senhor. Jesus abriu as portas para a presença de Deus!

Relação entre judeus e gentios na Bíblia

Em Romanos 11, o apóstolo Paulo explica a relação entre judeus e gentios como uma oliveira. Israel permanece como a raiz duradoura e os crentes gentios como ramos enxertados. Para que os gentios fossem enxertados na família de Deus, os judeus tiveram que ser cegados por um tempo. Sua cegueira não é para seu descrédito, ou algo para os cristãos gentios zombarem, mas uma ocorrência à qual devemos.

Paulo colocou desta forma: “Israel experimentou um endurecimento em parte até que o número total de gentios tenha entrado” (Romanos 11:25).

Ele dá um aviso a todos os ramos com espírito orgulhoso, dizendo:

Se alguns dos ramos foram quebrados e você, embora fosse um broto de oliveira brava, foi enxertado entre os outros e agora participa da seiva nutritiva da raiz da oliveira, não se gabe contra esses ramos. Se o fizer, considere o seguinte: você não sustenta a raiz, mas a raiz sustenta você” 

Está se sentindo sozinho?





Wallace Sousa

 
“Eis que estou convosco todos os dias, até a consumação do século”. Mateus 28.20.


Quantas vezes tivemos a impressão de estarmos sozinhos, mesmo em meio a uma multidão? É estranho sentir solidão em meio a várias pessoas, não acha? Achamos realmente estranho… quando acontece com os outros… mas se é conosco, logo temos milhões de justificativas, desculpas e razões na ponta da língua para nos sentirmos assim. Temos motivos de sobra para explicar o inexplicável, afinal, no mundo relativista em que vivemos, qualquer pessoa se acha no dever de ter sua própria explicação para tudo e no direito de todos terem a obrigação que concordar com ele.

Já parou para pensar onde as pessoas se acham mais solitárias? Nas grandes cidades. Como é possível alguém sentir solidão em meio a milhares, talvez milhões de pessoas? O ser humano é gregário por natureza, ou seja, prefere a companhia de outros seres humanos e faz da amizade verdadeira, quando a encontra, um bem inegociável. Apesar disso, ainda há pessoas que preferem o isolacionismo, e por isso é que encontramos eremitas modernos.

Tendo passado um período de minha infância na zona rural, período que sempre me traz belas recordações, faço a seguinte análise e quero que você acompanhe o meu raciocínio, mesmo que jamais tenha vivido na zona rural. Nunca encontrei alguém que reclamasse de solidão nos sítios, com vizinhos que distavam por vezes quilômetros, ou seja, uma visita de cortesia significava, não raro, uma caminhada de vários minutos. Mas todos se conheciam, todos se ajudavam e todos compartilhavam o que tinham de mais precioso, a amizade, as longas e aprazíveis conversas, os “causos”, histórias sérias e engraçadas, risos e lágrimas… bons tempos aqueles!


Marxismo cultural e a perseguição da igreja




Wilma Rejane

O Marxismo cultural, surgiu nos idos de 1930 e 1968 quando um grupo de filósofos se uniu na Universidade de Frankfurt,  na Alemanha, elaborando maneiras de influenciar a sociedade a partir do Marxismo. Com grande sucesso, as ideias da Escola de Frankfurt, com destaque para Antônio Gramsci, ganharam o mundo, dominando as artes, a educação escolar em todos os níveis e demais áreas.

"O marxismo cultural é uma vertente da teoria marxista que entende que a transformação da sociedade e da política é feita com base em esforços académicos e intelectuais contínuos para subverter a cultura ocidental. A revolução tomará o poder não pelas armas, mas pela destruição de valores e crenças tradicionais que serão substituídos pelos valores revolucionários. A modalidade marxista cultural surge a partir dos escritos de Antônio Gramsci." 

Me familiarizei com o assunto ao me graduar e pós graduar em Filosofia e cursar graduação em Sociologia, tudo em universidades publicas. Convivi por anos no ambiente insólito das universidades, notadamente irrigado por ideologias comunistas que norteavam os conteúdos didáticos e comportamentos tanto de discentes quanto de docentes.

Contudo, o que me fazia permanecer e prosperar era a certeza de que Deus tinha um propósito para mim em tais ambientes, era a certeza de quem eu era em Cristo Jesus. Nunca discuti ou confrontei meus professores, fui aprendendo com a Filosofia a argumentar e com o Espírito Santo sobre " o que e quando argumentar". Há um provérbio Bíblico que diz:

"Sendo os caminhos do homem agradáveis ao Senhor, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele" Provérbios 16:7.

Sim, Deus tinha um propósito para mim nos cursos de Filosofia e Sociologia, pude realizá-lo quando fui chamada a ministrar tais disciplinas nas escolas de Educação Básica, até então só ministrava Ensino Religioso. Pude, então, dialogar com os alunos sobre os perigos e armadilhas do Marxismo cultural, sobre sua influência na sociedade e a necessidade de transformar a mente para conhecer a vontade de Deus. Permanecer naqueles ambientes insólitos me preparou para identificar e combater o Marxismo cultural junto aos jovens.

Núcleo criador da Escola de Frankfurt na Alemanha

A sociedade tanto do Brasil como em outros países,  está completamente dividida e o marxismo cultural é um dos grandes responsáveis por tamanha destruição. O diabólico poder do comunismo se arraigou nas sociedades dando ocasião para prática do pecado e vice versa. A mulher, a família, a igreja, o trabalho, tudo foi sendo destruído e sem qualquer poder bélico, vidas foram captadas, alienadas, se tornando contrárias a Deus, vitimizadas para serem acolhidas pelo Estado,  o mesmo que as dividiu.

A triste verdade é que o Marxismo cultural que possuí aparência de inclusão, já domina muitas denominações e lideres religiosos. Quando um cantor que outrora era conhecido por compor louvores espirituais chega ao ponto de afirmar que a melodia do hino da harpa cristã "alvo mais que a neve" é racista, está mais que comprovado que a arte, inclusive musical, se certifica na vida de muitos pelo conteúdo Marxista.

Eis o "X" da questão: muitos foram se tornando comunistas de modo consciente, outros, sem se darem conta, uma vez que o comunismo é ofertado de forma cultural, nos outdoors espalhados pelas cidades, nas capas de revistas físicas e digitais, nas vitrines de perfumes, na indústria da moda, de entretenimento, até mesmo nos desenhos infantis.

Ao se desejar e consumar o desejo, com a prática de toda ideologia marxista que permeia o cotidiano que torna "natural" o que é pecado, forma-se o discípulo. Falo da prática do pecado, motivado culturalmente, pela divulgação em massa de ideologias contrárias à santidade, por exemplo: uma certa empresa que utiliza em campanha publicitária casais homoafetivos gerando entusiasmo pela causa, adesão à ela; uma denominação que cultiva discurso de inclusão levando para seu púlpito pessoas não convertidas para ministrar.

No Brasil, com a implementação do comunismo em curso, é possível que a população seja pressionada a aceitar e acatar o marxismo cultural, um exemplo disso é a imposição da linguagem neutra já adotada nos eventos oficiais do atual governo "todes". 

É preciso compreendermos que tudo está engendrado, programado para destruir a obra de Deus nessa terra, é isso que o comunismo faz, promove as obras das trevas e tenta destituir Deus do coração humano. "Naturalizar o escândalo" é a norma, oprimir os filhos de Deus. Percebamos que toda destruição e morte estão sendo realizadas sem a necessidade de armas e bombas, tudo acontece no campo da mente e do espírito.

Pois os filhos deste mundo são mais astutos no trato uns com os outros do que os filhos da luz. Lucas 16:8

Apesar de todos os males que existem

 


Wilma Rejane


“Por que dura a minha dor continuamente, e a minha ferida me dói e não admite cura? Serias Tu para mim como um ilusório ribeiro, com águas que enganam?” Jeremias 15:18

A angústia do profeta Jeremias é marcada por interrogações, ele vive um momento de crise na fé. Um homem de Deus, escolhido desde o ventre materno, com um relacionamento intimo e real com Deus, como poucos em sua geração, como poucos nesta vida. A angustia tinha agravante na corrupção e sofrimento de uma nação sendo levada em cativeiro, e nesse momento, Jeremias questiona sobre perdão, bondade e misericórdia. Ele não quer admitir que um Deus bom e justo possa retribuir mal com mal. Estaria ele enganado, iludido sobre Deus?

Jeremias em seus questionamentos revive um antigo enigma teológico: “Por que um Deus bom permite que coisas más aconteçam?”. O mal no contexto aqui exposto é consequência do pecado de uma nação. O declínio e morte de Israel era uma correção, o cumprimento de uma sentença contra a ausência de moral, de temor. Era difícil compreender, mas mesmo naquela catástrofe Deus agia com amor, o mal do cativeiro era necessário para prevalecer o bem, um bem maior.

Mas nem  todo o mal é consequência do pecado, um exemplo? Jó. Sofreu horríveis males: luto, enfermidades, solidão, injustiças sociais, calúnias e também viveu suas crises: “Quantas culpas e pecados tenho eu? Notifica-me a minha transgressão e o meu pecado” Jó 11:23. Jó não compreendia o porque de tanta desgraça; seria ele mesmo a origem do mal? 

Não se desespere

 


Por Victor Cárdenas
Tradução de João Cruzué

Alguma vez já esteve pensando porque todo desejo, sonho ou para tudo o que mais se deseja na vida é preciso tempo para conquistar? Por que um Deus onipotente e onisciente não usa seu poder sobrenatural para dar já a seus filhos tudo o que querem?

Estou convencido de que "Tudo tem seu tempo e tudo o que se quer debaixo do céu tem sua hora"(Ecle.3:1). Vivemos na geração do "microwave", do micro-ondas. Queremos tudo instantaneamente e para já! Pensamos que a vida é como macarrão instantâneo que em cinco minutos já está pronto.

Tenho muitos sonhos e metas pessoais que gostaria que já se cumprissem e a cada dia que passa, trabalho para que isto se leve a cabo. Há dias que me pergunto se Deus se esqueceu do que me prometeu. Porém me anima saber que tudo tem seu tempo. Não posso desesperar-me ainda que tarde a promessa, ainda que venham dias que digam tudo ao contrário. Deus é fiel e não é homem para arrepender-se daquilo que Ele prometeu que fará.

Por alguma razão existe o tempo e Deus é o Deus do tempo. Vejamos algumas das coisas que podemos aprender na Bíblia que envolva tempo, paciência e espera. Depois do tempo vem o resultado e a promessa.

Deus abençoe as famílias brasileiras

 

Wilma Rejane

Olá queridos leitores,

Eis a minha família, à direita meu filho Filipi com esposa e filho, à esquerda minha filha Joyce com suas filhas, ao centro eu e meu amado esposo. A foto é de 29 de Dezembro de 2022, em nosso passeio ao litoral do Piauí. A internet por aqui não é boa, por isso escrevo brevemente,  finalizando o ano com essa postagem em família.

Feliz ano novo à todos! Deus abençoe nosso país e as famílias brasileiras, em nome de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!🙏

O Natal da água e do espírito



Wilma Rejane


Amados leitores,


Estamos chegando ao final de mais um ano, "Até aqui nos ajudou o Senhor" (I Samuel 7:12) e o que seria de nós sem o Senhor?  Já são quinze anos de blog, quinze meses de Dezembro relembrando, revivendo e comemorando o Natal em seu verdadeiro sentido que é o nascimento de Jesus Cristo no coração dos homens para uma nova vida de santidade a fim de retornar ao lar celestial, ao convívio eterno com o Criador. 

O Natal em seu verdadeiro sentido que ganha vida com a ressureição de Jesus Cristo e não apenas com o seu nascimento tão repercutido em encenações nesse período do ano. É na ressurreição de Jesus Cristo, Yeshua Hamashia, que está a esperança de todos os homens porque está escrito " Ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da água e do Espírito" (João 3:5) . Nascer de novo é arrepender-se dos pecados, transformar-se pela ação do Espírito Santo, pela confissão de que Jesus Cristo é Senhor e Salvador de fato e de direito.

Natal é Jesus Cristo habitando em nós, nosso coração é a "manjedoura" que abriga o filho de Deus, nascido uma vez em carne, Verbo da vida, Verbo que ganhou vida! E renascido, ressuscitado em Espírito, para ascender aos céus de onde há de voltar, breve virá!

Natal é esperança eterna no coração dos homens, uma esperança que ninguém pode roubar ou apagar. Natal é paz em meio a guerra, é alegria silenciosa em meio ao luto, é abundante graça em meio às provações, é consolo em meio as desilusões.

E sem esquecer que o Brasil ainda atravessa tempos difíceis no campo político social, faço votos de que permaneçamos em oração por nosso país, pelas pessoas que se encontram nos quartéis, a mercê de chuva, sol, expostos a doenças e violências, sem conforto algum, muitos sofrendo críticas, perdendo emprego, rompendo laços afetivos. Pode parecer loucura, idolatria, mas creio que toda essa movimentação é cumprimento de profecia para o Brasil.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...