O protesto do pai do Black Bloc

Tira a máscara, eu não te criei para esconder o rosto!

Wilma Rejane

Um pai invade os protestos dos Blacs Blocs em São Paulo para resgatar seu filho. Acompanhe o diálogo entre os dois:

-Ele é meu filho (diz o pai retirando o filho do agrupamento)

- Deixa eu protestar. Eu não quero isso. Esse governo é errado - dizia o rapaz.

- Você vai ter o seu direito quando trabalhar e ganhar o seu dinheiro, tá? Eu sou seu pai, escuta o seu pai.

O pai tirou a camiseta do rosto do filho, dizendo “você não foi criado para isso. Eu trabalho para te sustentar, não é para você esconder a cara”.

- Eu quero escola, eu quero saúde. Deixa eu protestar. Minha avó quase morreu num hospital público. Você acha certo isso? Pelo amor de Deus, deixa eu correr atrás. Tanta gente morrendo. Deixa eu fazer a minha parte, ajudar um pouco. Eu sei que eu tenho 16 anos. Eu não vou me machucar, relaxa.



- Eu pago a sua escola. Eu e sua mãe trabalhamos para te sustentar. Vamos para casa, por favor, Renan. Você não vai mudar o mundo. Meu filho, você tem 16 anos, não é a hora agora. Eu te amo, cara. Você é meu filho. Eu estou pedindo demais? Renan, um passo de cada vez - implorava o pai, na presença de câmeras da imprensa.





Opinião da blogueira: a atitude corajosa do pai traz à tona vários aspectos da situação politica no Brasil. Um estado que interfere na família, na educação dos filhos ao instituir a lei da palmada não imagina que também pode se tornar refém de uma geração indisciplinada e marginal. Se hoje tememos a revolta e insanidade desses Black Blocs que depredam o patrimônio público e fazem arruaças em nome da justiça e da democracia, o que virá amanhã quando as novas gerações estiverem impunes de seus delitos?

Um bravo para esse pai que acende arestas de esperança em meio a leis de enfrentamento as famílias e direitos humanos que desestabilizam o cidadão .

Quem dera ter um governo agindo como esse pai ao tratar os anarquismos que inundam essa nação. Quem dera houvesse disciplina e conscientização de que trabalho e educação transformam muito mais que  violência.Quem dera uma geração de filhos em oração e santidade para destituir o pecado e a corrupção.

Quem dera que ao invés de agrupamentos escuros (Blacks Blocs), tivéssemos os da Currents Well (corrente do bem) com ideologias e filosofias éticas, especialmente nos congressos politicos e poderes legislativos. E se tudo isso não passar de ilusão, não haverá futuro para essa e outras gerações.

Deus salve essa nação!

3 comentários:

Ismael Brito disse...

Parabéns pela matéria!
Parabéns ao Sr.Osvaldo Ruz Baldi pela atitude de "pai".
Que as famílias possam assumir uma postura desse grau e agir, proteger, seus filhos.
Em muitos casos os pais voltam com os filhos mortos, mas neste caso o Renan (filho) retornou vivo.

Pastor Ismael
blog - "Aqui eu Aprendi!"

Wilma Rejane disse...



Olá Pastor Ismael!

Até o fechamento desse artigo o nome do pai não constava nas manchetes. Nas últimas horas do dia 13, contudo, o pai do Renan já figurava como sendo o funcionário público Osvaldo Ruz.

Obrigada pela colaboração e comentário.

Deus o abençoe.

valber Rangel disse...



O filho não tem argumentos sólidos para sustentar sua causa, parece não ter consciência do que seja protesto.

Quanto ao pai, é um bom exemplo. Tantos pais não têm conhecimento do que o filho apronta, e se tem, ignoram. O Sr. Osvaldo deu uma lição.

Paz e bem a todos.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...