Turquia, peça chave para desvendar o Apocalipse

Bandeira da Turquia


Por Wilma Rejane

É comum encontrarmos interpretações do Apocalipse ligando Roma e a religião católica romana com a manifestação do Anticristo e do falso profeta. Contudo, em uma observação mais apurada, percebe-se que há uma outra direção bem mais precisa que Roma e ela se chama Turquia.. Um detalhe que passa desapercebido para muitos na hora de apontar o império romano é o de que a província romana mencionada na Bíblia é atualmente chamada de Turquia. Grande parte do Novo Testamento foi escrito a partir do que hoje é Turquia e antigamente era domínio romano. Todas as sete igrejas do Apocalipse estão situadas na Turquia e ao voltarmos nossas observações para este lugar descobre-se um cenário preciso sobre o fim dos tempos.

Considerações iniciais sobre a Turquia:

- Quando Maomé morreu há aproximadamente 14 séculos, a sede do califado islâmico passou a liderar desde Istambul, na Turquia, vivendo ali seu tempo áureo.
- Durante 400 anos Istambul foi o centro político da religião muçulmana.
- O império muçulmano caiu depois da primeira guerra mundial, sendo assim, abolido o califado.
- todos os esforços do islamismo atual se voltam  para o ressurgimento, a ascensão do governo muçulmano sobre o mundo.
- A restauração do califado implica em uma guerra contra cristãos e judeus. ( o que já acontece e ultimamente com maior intensidade)

Versículo chave

“ E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração. E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres. A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, ainda que é. Apocalipse. “ 17:6-8

A besta embriagada com o sangue dos santos seria a religião islâmica decapitando, matando cristãos. Sete cabeças e dez chifres seriam o governo dos califas (lideres muçulmanos) nas respectivas regiões do território Turco. A besta que era;  o governo muçulmano extinto após a primeira guerra (1918). “Vai subir do abismo”, ou seja, o império islâmico (ou muçulmano) vai ressurgir desde a Turquia para estabelecer um governo mundial obrigando as pessoas a segui-lo. Assim, a marca da besta estaria diretamente relacionada com o islã e seu violento domínio sobre a terra.

"Aqui o sentido, que tem sabedoria entenda. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada." Apocalipse 17:9

Existem três lugares no mundo que estão edificados sobre sete montes (ou colinas), são eles: Istambul (na Turquia), Jerusalém e Roma. De acordo com o contexto defendido aqui, fica evidente que Apocalipse está se referindo a Istambul na Turquia.



Essa é a logomarca de Istambul, os sete triângulos no centro indicam o alicerce sobre sete colinas:

Logomarca de Istambul na Turquia
As sete colinas



As revelações

Julgo o livro da Revelação complexo e de difícil interpretação, por isso, recorro a autores outros, especialistas no assunto. Digo que o objetivo do artigo não é, de modo algum, promover sensacionalismo, mas preparar a igreja, o leitor que aqui chega, a identificar as profecias Bíblicas e consequentemente se preparar espiritualmente para a vinda de Cristo.



Conheço pessoas que tem verdadeiro pavor em ouvir falar sobre o fim dos tempos, pois, consideram desesperançoso pensar em um futuro ameaçado por guerras, doenças e tribulações. Contudo, a segunda vinda de Cristo é o que de mais esperançoso há. Significa a restauração de todas as coisas, a felicidade plena daqueles que servem a Deus reconhecendo-o como Senhor de tudo. O cumprimento do Apocalipse não é um fim em si mesmo para os salvos, mas é um meio glorioso que manifesta a graça de Deus em seu auge, quando se cumprem as Promessas de uma Salvação eterna, tão aguardada na terra onde, dores foram vividas, sofrimentos, injustiças e tudo o mais foi suportado pela certeza do final escrito em Apocalipse.

Por essas coisas é que falar em Apocalipse, em um fim anunciado, não é , de modo algum, alimentar a desgraça e a desesperança.

Apocalipse 21 para meditação.


Turquia e Apocalipse:

O artigo que segue foi copiado na íntegra do site o Evangelho Perdido. Após ler vários autores, considerei que este site indicado fez um bom e confiável resumo do assunto.

***
Dez razões (pistas) que apontam a TURQUIA como o provável trono (sede) do CALIFADO ISLÂMICO e do Mahdi:

1) Todas as “7 igrejas” de Apocalipse caps.2-3 estão num único país. Turquia!
2) O “Trono de Satanás” está na Turquia, segundo a Palavra (Apocalipse 2.13).
3) A Turquia está no “norte verdadeiro” de Israel (Ezequiel 38.6,15 / 39.2).
4) A Arca de Noé repousou no Monte Ararat, que fica na Turquia (Gênesis 8.4). Ou seja, o mundo teve um NOVO começo a partir da Turquia.
5) Daniel 8 e 11 focam no Império Grego e não no Império Romano. Você visualiza o foco nos 10 dedos. Volta a Daniel 2 e continue lendo… nos caps 8 e 11, o que acontece a eles? Não está falando de Roma, mas está falando da Grécia. E depois que Alexandre o Grande morre, a antiga Grécia foi dividida em 4 territórios: [1]Grécia, que nós conhecemos hoje, era a Macedônia; [2]Turquia, era chamada de Anatólia à época, [3]Síria e [4]Egito. Estes são as 4 nações que Deus disse: “preste atenção neles.”
6) O Império Romano Oriental, que tinha a sede na cidade de Bizâncio, depois que o Império Romano Ocidental caiu, sobreviveu ainda por 243 anos.
7) O Império Otomano, que tinha sede em Constantinopla, mesmo local de Bizâncio, foi o mais duradouro império por 6 séculos, de 1299 a 1923.
8) O Rio Eufrates, que se origina na Turquia, e está profetizado, predito que irá secar no fim dos tempos. (Apocalipse 16.12) O que está acontecendo em nossos dias.
9) Todas as nações relacionadas a Magogue, na Ásia Central, são nações Turcas.
10) Os muçulmanos olham para a Turquia como o líder global do Islã.

Turquia era a sede do quarto e último CALIFADO, que foi abolido em 1924. O mundo muçulmano não fala em outra coisa. Eles querem instalar um novo CALIFADO. O ISIS quer isso a todo custo. E por quê? Eles sentem falta deste tempo, que foi glorioso, quando a Turquia comandava o mundo com o império Otomano. Não tem muito tempo que eles perderam o CALIFADO. Foi abolido há apenas 91 anos, caro leitor.

O que é um califado?

É um Estado Islâmico governado por um CALIFA sob a lei da Sharia. Uma das leis da Sharia, por exemplo, é que, se você é uma virgem, tem de servir aos soldados que passam pela sua cidade.

O CALIFA, uma abreviação de Khalifat Rasul Allah, que significa o “sucessor do Mensageiro de Alá”. A eterna briga entre os Sunitas e os Xiitas é por uma questão: Quem é o sucessor de Maomé para ocupar a liderança do CALIFADO? O sucessor tem de ser da linhagem de sangue de Maomé (Sunita) ou apenas um discípulo de Maomé (Xiita? Essa é a questão entre Sunitas e Xiitas, levando muitos a morte.

O último CALIFADO era na Turquia e o último CALIFA foi Abdulmecid II. Ele foi o último CALIFA da dinastia Otomana, que foi substituído por Mustafa Kemal Ataturk, chamado de “o pai da Turquia secular”. Ataturk foi o homem que disse que a Turquia iria tomar um caminho diferente. Não iam tomar o caminho muçulmano. Ele queria que a Turquia fosse diferente das nações muçulmanas ao redor. Queria uma Turquia mais ocidentalizada, vestir-se com ternos ocidentais, tão desconfortáveis, colocar gravatas, que eram tão quentes no verão, e fumar cigarros causadores de câncer.

Então, ele não é a figura tradicional de um CALIFA e ele nem queria ser. Ataturk secularizou a Turquia. E isto trouxe a Turquia para onde está hoje, quase que com uma “crise de identidade”. Eles serão um país secularizado como no ocidente ou voltarão às suas raízes? O qual era o “glorioso” CALIFADO Muçulmano. Que era admirado e governou o mundo.

Então, essa é a tensão que ocorre agora na Turquia, e o homem que está atualmente no PODER da Turquia, o décimo segundo presidente da Turquia, Recep Erdogan (pronúncia Erdoan), não gosta de jeito nenhum do modelo secular e está empenhado em trazer a Turquia de volta aos dias gloriosos.

O que quero tratar com vocês neste artigo é a grande possibilidade do Anticristo vir da Turquia. A Turquia, enquanto os EUA faz um acordo nuclear com o Irã, o Presidente Erdogan está tentando fazer acordos com ambos, para expandir sua aliança, e Israel, por um acordo de paz falso. A Turquia está se voltando para Israel, atraindo-o para um acordo de paz, agora mais do que nunca.

Enquanto a Igreja, em sua maioria, mantêm-se distraída e adormecida, este é o momento para ficar BEM ACORDADA, mantendo óleo em suas lâmpadas, para que não seja pego dormindo quando o Noivo chegar.

Segundo um artigo do Jornal Zaiman (de maior circulação na Turquia), de 18 de maio de 2015, o Partido AK pode chegar mais perto de Israel após o acordo nuclear dos EUA com o Irã. Segue abaixo um trecho do artigo:

“O governante do Partido da Justiça e Desenvolvimento (também conhecido como o Partido AK) começou a enviar uma série de mensagens positivas para Israel, após a tentativa de acordo nuclear do Irã com grande potências mundiais em 02 de abril de 2015 que provavelmente vai virar do avesso o frágil equilíbrio do poder do Oriente Médio, eliminando uma das principais preocupações de segurança da região.”

Em uma recente entrevista com a televisão israelense, o vice-primeiro-ministro Bulent Aring disse que seria uma coisa positiva para Israel escolher a Turquia como um parceiro, se quiser começar do zero com a Turquia.

Ele também disse que essa parceria com a Turquia seria bom para a segurança de Israel. Seguindo os comentários de Aring, o Embaixador de negócios da Turquia em Tel Aviv, Dogan Isik, disse que a Turquia e Israel são como dois Estados fraternais e não podem ser separados, apesar do estado das relações políticas serem azedas entre os dois países. Isik lembrou que há oito vôos diários a partir de Tel Aviv para Istambul e que todos os vôos entre Israel e os EUA, bem como da China para os EUA possuem uma parada em Istambul.

Quando Maomé morreu há 14 séculos, o mundo precisava de alguém que tomasse o lugar do profeta. O CALIFADO era a liderança do Islã, depois da morte de Maomé, o profeta do Islã. O último CALIFADO se situava em Istambul, Turquia.

Durante 400 anos, Istambul foi o centro político do mundo muçulmano. De lá, os sultões turcos governavam o Império Otomano como Califas, desde 1517, até que o império caiu depois da Primeira Guerra Mundial.

Em 1924, o líder turco Ataturk aboliu o califado. Desde então, muitos muçulmanos sonham com seu retorno. E, a principal intenção do Islã ao reviver o CALIFADO é governar o mundo novamente. Os muçulmanos acreditam que esse será o último califado e precederá o Messias Islâmico.

Enquanto alguns discordam sobre as táticas, muitas raízes islâmicas modernas compartilham o objetivo de restaurar o CALIFADO. Entre eles figuram o Talibã, Al-Qaeda, Hamas, Hezbolá e o grande “padrinho” de todos eles: a Irmandade Muçulmana. O objetivo principal deles é a restauração de um CALIFADO MUNDIAL.

A primavera árabe consistia de países que uma vez fizeram parte do Califado Islâmico. A primavera árabe foi dirigida pela Irmandade Muçulmana, e o objetivo número 1 é alcançar a reativação do Califado. O Califado foi destruído com a queda do Império Otomano. E a cabeça deste Califado ou Império Otomano era a moderna TURQUIA.

Em apocalipse 17 onde diz que “cinco já caíram”, cinco impérios anteriores, “não são mais, caíram, um ainda é”, nos dias de João, esse UM era o Império Romano e o outro ainda não tinha surgido. Mas, quando viesse, duraria pouco tempo. Então, o sétimo será também o oitavo. O sétimo sofreria uma feriada mortal e se tornaria o oitavo império; irá reviver novamente.

Temos visto a ferida na cabeça que sofreu o Império Otomano, ocorrida no fim da Primeira Guerra Mundial. Agora, através da primavera árabe e através da Irmandade Muçulmana no exterior, estamos vendo o renascimento desse sétimo império. E já está despontando o oitavo império que vai à perdição.

Embora nem todo árabe seja muçulmano, durante séculos o chamado Mundo Árabe reuniu a maior parte dos seguidores de Maomé do planeta. Deixa eu falar isso mais uma vez, para você fixar: O último grande império a levar a mensagem de submissão a Alá foi o Otomano, cuja sede ficava na atual Turquia.

Confederação do Anticristo está despontando

Foi justamente a capital Istambul que hospedou, em agosto de 2014, o que está sendo chamado por especialistas em profecias bíblicas de “Confederação do Anticristo”. O sheik Yusuf al-Qaradawi, presidente da União Internacional de Sábios Muçulmanos, que representa o maior grupo de estudiosos muçulmanos em todo o mundo, anunciou: “Diferentemente de como era no passado, o califado dos dias de hoje deve ser estabelecido através de uma série de Estados, governados pela sharia [lei islâmica], e apoiado por autoridades e o povo na forma de uma federação ou confederação”.

Liderados por Qaradawi, estão estabelecendo segundo a teologia islâmica, a formação de uma confederação futura de nações muçulmanas que serão criadas e estarão centrada na terra do califado muçulmano na Turquia, antiga Pérgamo na Bíblia. Um dos centros desse pensamento é a chegada iminente do grande Mahdi, pensamento disseminado nos últimos anos em diferentes países.

Uma pesquisa do Instituto Pew Research afirma que dois terços dos muçulmanos que vivem no planeta esperam que o Mahdi venha logo. Para a maioria deles, o Mahdi será o último imã profeta islâmico, que viria para unir todos os muçulmanos fiéis, governar o mundo e derrotar os inimigos dos que servem a Alá. A expectativa é mais difundida no Afeganistão (83%), Iraque (72%), Tunísia (67%), Turquia (68%) e Malásia (62%).

O que está sendo anunciando parece o cumprimento da profecia de uma confederação de dez nações, mencionada em quatro conhecidas passagens das Escrituras (Daniel 2: 31-35, 40-45, 7: 7-8, 19-24; Apocalipse 13: 1-2, 17: 3, 7, 12-16). Somente com o tempo será possível determinar se esse é um grande passo na preparação de uma confederação que dará o poder ao Anticristo. Para os especialistas, a confederação desses dez reinos será um aspecto importante da situação política do fim dos tempos.

O crescimento do movimento dos terroristas do Estado Islâmico estabeleceu um perigoso precedente, “ressuscitando” a ideia de um califado que estava extinta havia quase um século. Até o momento não há notícias do EI agindo na Turquia, mas para os estudiosos, o alerta de Apocalipse 2: 12-13 é que naquele país está o “trono de Satanás” (Pérgamo). Um dos próximos passos esperados será a Turquia invadir o Egito (Daniel 11:42). Afinal, o sheik é um dos líderes espirituais do movimento “Irmandade Muçulmana” que foi deposta do governo egípcio recentemente.

Qaradawi deu uma longa entrevista à agência de notícias turca “Anatólia” sobre o assunto, onde afirmou: “Há países grandes como a China, que tem uma população de cerca de 1,5 bilhão de pessoas. Segundo as estatísticas, nesse momento o número de muçulmanos no mundo chegaria perto de 1,7 bilhão. Portanto, não podemos desprezar a ideia de formar uma União”.

Disse ainda que “grupos militantes como o EI que aparecem entre os muçulmanos é resultado da corrupção pelos governantes seculares. Os jovens muçulmanos acreditam que estão lutando pela causa de Deus, mas o que esses movimentos representam ainda é um grande problema que o novo califado da Turquia vai resolver “. Acrescentou que “a sucessão anunciada pelo Estado Islâmico (ex-ISIS) no Iraque e Síria não satisfazem as condições exigidas para ser um Califado global”.

Qaradawi finalizou lembrando algumas promessas do Alcorão e disse veementemente que um “exército angelical em breve descerá sobre a terra” quando do estabelecimento do Califado na Turquia. “As hostes angelicais descerão [à terra] no mesmo espírito por ordem do seu Senhor. A paz estará feita até o romper da Estrela da Manhã” (Q 97). Em textos como Isaías 14, esse é um título dado a Satanás.

Estudiosos retomam textos de Isaías 14 e Ezequiel 28, 30 e 32, que mencionam nações que hoje são islâmicas como Filístia (Palestina) o Sudão (Cuxe) e estados norte-africanos (Pute), Lídia (Turquia) e toda a Arábia e Egito, além da Assíria (Iraque – Síria), Elão (Irã) e Meseque e Tubal (Ásia menor, que inclui os estados muçulmanos do sul da Rússia). Com informações Your Middleeast, CII Broadcasting e Prophecy News Watch.

Segundo Walid Shoebat, a maioria não entende a “concha” de como os potenciais planos da Turquia para reconstruir o seu “perdido Império Otomano” é feita usando dispositivos inteligentes e astutos para assumir o controle da região. Há uma razão por quais motivos o Estado Islâmico não está focado em Israel e está cometendo caos e genocídio. Isso ocorre pelas seguintes razões:

1- A Turquia, por concepção, pretende inaugurar-se como uma “salvadora”, criando e dando cumplicidade ao EI para fazer estragos do que intervir para acabar com a crise, a fim de reforçar sua imagem e o Estado islâmico ideal pelos muçulmanos e o Ocidente.

Observe como tudo funciona:
Sunitas matando xiitas tem criado grande ódio pelas massas muçulmanas a nível mundial que irá escalar o ódio contra a (baseada na Arábia) ideologia do Estado Islâmico.

O foco da Turquia é libertar Jerusalém, que vai inaugurar Erdogan como o vingador e um novo CALIFADO.

Os EUA, claro, querem estabilizar a região, e a Turquia é o seu candidato para domar o EI, pois sabe que a Turquia está dando as cartas. A Turquia está esperando os EUA para lhe pedirem sua ajuda, enquanto o Irã também se ofereceu, mas desde que o Irã é um “estado de terror”, os EUA se recusam a lidar com ele.

2- A Turquia, por predefinição, está montando o palco, que o próximo homem vai colocar seus esforços em persuadir Israel a implementar os interesses palestinos e parar o derramamento de sangue. Esta será a grande oportunidade para o “homem do pecado” entrar no cenário mundial como o “homem de paz”.

3- A única maneira de introduzir o grande Califado que seja aceitável e palatável pelo mundo muçulmano secular e religioso é INTRODUZIR A MARCA NÃO WAHHABI DO ISLÃ SUFISTA, que é considerado “pacífico” pelo Ocidente. Mas isso vai unir os dois Irã xiita e Turquia sunita, já que os sufis respeitam a fé xiita e seus ícones religiosos, Hassan e Hussein. Isto irá criar uma coalizão muçulmana de grande escala (Ezequiel 38) e irá desmantelar o que o acordo ‘Syches Picot’ fez em fraturar o Império Otomano.

O palco está montado para a Turquia recriar o seu sonho Otomano há muito esperado. Mas esse será diferente de sua glória passada, e vai acabar como 10 regiões / estados DIVIDIDOS, que já foram definidos pelo Estado Islâmico em sua empreitada de terror.

O mapa inclui:

1-Anatólia (Turquia)
2-Curdistão
3-Gogaz, (CIS (?), que inclui Azerbaijão, Cazaquistão, Quirguistão, Turcomenistão, Tadjiquistão e Uzbequistão)
4-Khorasan (Irã, Afeganistão, Paquistão e, possivelmente, Indonésia)
5-Iraque
6-Sham (Síria, Líbano)
7-Qinana (Egito, Sudão e Somália)
8-Maghreb (que inclui a Líbia, Tunísia, Argélia, Marrocos e Mauritânia)
9-Yemen
10-Hijaz (que inclui os Estados do Golfo)

Atualmente, o EI já dividiu o mundo muçulmano em seu mapa para incluir 13 estados muçulmanos. Mas existe um mapa incluindo os Balcãs, na Europa, Espanha e Etiópia, para torná-los 13. Enquanto estes três países cristãos devem ser incluídos de volta ao Império Otomano após a invasão, torná-los “fora do baralho” nos deixa com uma confederação de 10 Estados muçulmanos, pelo qual esse plano já foi anunciado, em Istambul.

Agora este plano vai se tornar o foco principal da Turquia, não do EI, que está simplesmente PREPARANDO O TERRENO, removendo os governos seculares na região para estabelecer esses dez Estados durante a próxima década, e é por isso que não estão correndo para anunciar o fim. Ainda há mais por vir.

A Turquia, com o auxílio “do muçulmano” Obama, está conspirando as massas americanas ingênuas, montando o palco para lançar a Turquia para que ela se torne o novo salvador.

Veja o que circula na mídia muçulmana:

“O Estado Islâmico publicou o mapa identificando seus planos de expansão nos próximos 5 anos na sua transição para o Califado. Alastrando três continentes, da Ásia, que inclui os Estados do Iraque, da Síria e do Hijaz, Iêmen, Khorasan e Anatólia e no Curdistão, em seguida, Andaluzia na Europa, dos Balcãs e da Europa Oriental. E depois para o continente Africano, os Estados da Abissínia e a terra do Egito. Portanto, este é o Estado Califado, treze estados englobando metade do hemisfério mundial.”

O jornal turco Zaiman de 15 de agosto de 2014 disse:

“Não é por acaso observar que alguns dos seguidores de Erdoğan acreditam que ele é um CALIFA que pretende ressuscitar o Califado Islâmico e o Império Otomano. Não é por acaso que a meta de Erdogan de “A Grande Turquia” se destina a ser concluída em 2023 … ”

Mas o apoio de Erdogan ao Estado Islâmico é fácil de explicar, apesar de o EI ter declarado um califado no sul da Turquia, o que soa como uma ameaça a Erdogan. Ele está em silêncio porque ele vê uma oportunidade, que a Turquia precisa do EI para desmantelar os governos nacionalistas e então depois consumi-los para criarem seu eixo sunita e seu sonho Otomano.

O plano diretor da Turquia é, eventualmente, sacrificar alguém em seu pequeno peão EI, a fim de declarar-se como o supremo Califado levando tudo sob a sua égide neo-otomana, que também incluirá uma aliança com o Irã.

O plano brilhante da Turquia é que ela precisa do EI para desmantelar o Levante, enquanto estiver usando os árabes ricos que apoiam o EI para ajudarem na causa do Califado, enquanto estiver usando o próprio EI até mesmo envolvendo os próprios árabes. A Turquia então irá executar um plano de duplo golpe usando sua versão não-wahhabista Sufi do Islã, que é neutra relativamente ao Irã xiita, para unir as forças sunitas e xiitas a finalmente trazerem a paz entre muçulmanos na região, e por esta auto-proclamada realização, uma visão islâmica de que um Mahdi virá e trará 7 anos de paz após 7 anos de turbulência.

Apenas a Turquia tem um modelo deste tipo e uma grande presença regional, com posição global significativa e respeito. O modelo iraquiano do Califado montou o palco para uma competição de um Califado decorrente da Turquia. Erdogan quer todo o Oriente Médio.

A Turquia e o Irã estão mergulhados em seu ódio, não só em direção a Israel, mas também à Arábia Saudita, que trouxe tanta divisão entre sunitas e xiitas.

A Arábia Saudita vai estar chegando ao fim e será punida pela besta revivida, quando Deus ordenar esse fato (Apocalipse 17:17).

Foi a Arábia Saudita que acendeu o anti-semitismo a partir do advento do Islã até agora. A Arábia (Sebá e Dedã), apesar de que ela já não vê Israel como uma ameaça, enquanto ela está de pé quando a Turquia invadir Israel (Ezequiel 38), ela acabará por ser demolida pelo Irã (ver Elão em Isaías 21), e Meca e Medina ficarão em chamas (Isaías 34).

Zacarias 9 confirma a batalha final entre Israel e Yavan (muitas vezes traduzido como Grécia), que é a Ásia Menor (ver comentário Jamieson-Fausset Brown, comentário Bíblico). O Messias irá para aquela direção da Turquia (v14) e a derrotará e a vitória será do Senhor.

A Turquia, na Ásia Menor, não pode ser ignorada; era o centro do reino grego, berço do cristianismo com as suas sete igrejas, assim como era a perna oriental do Império Romano.

Situa-se centradamente entre o Oriente e o Ocidente, e se reproduz como o candidato número 1 nas negociações de paz na região.

Quando se trata de animosidade contra Israel e a Igreja, a Turquia é o epicentro do sangue dos crentes em suas mãos, depois de qualquer outra nação na Terra.

Quem tem ouvidos para ouvir, OUÇA!

***
Som e imagem são ótimas maneiras de compreendermos o assunto, por isso, complemento as informações acima com vídeos diversos:

Vídeo 1 - Gogue e Magogue, porque a Turquia é a chave e não Roma


Video 2- O califado restaurado


Vídeo 3-O objetivo de um califado global



Vídeo 4- Califado em Istambul, cenário do Anticristo



Bem, espero que o tempo empreendido na leitura  do artigo e visualização dos vídeos tenha servido para sua edificação pessoal, quanto cristão comprometido com as profecias Bíblicas e a segunda vinda de Cristo. Também espero que a partir dos dados aqui expostos, estejamos esclarecidos sobre o papel do Islamismo nos últimos dias. 

Quanto mais estudo, mas aprendo e quanto mais descubro, tenho certeza que preciso estudar mais. A Bíblia é uma fonte inesgotável de poder e glória e também de mistérios. 

Ora vem, Senhor Jesus! Prepara nossos corações, pois assim como és grande em misericórdia, também és em justiça e a glória de uns no Apocalipse está em paradoxo com a perdição de outros. 

Deus nos abençoe.

12 comentários:

Maurício de Souza Lino disse...

Bom dia, Wilma!

Sabemos que o tempo da vinda do Senhor está perto: “Observem a figueira e todas as árvores. Quando elas brotam, vocês mesmos percebem e sabem que o verão está próximo. Assim também, quando virem estas coisas acontecendo, saibam que o Reino de Deus está próximo” (Lc 21:29-31, NVI).
Precisamos estar prontos para o que vem por ai, que Deus tenha misericórdia de todos nós. O Reino de Deus está bem próximo e sua vinda é iminente. Abraços fraternos.

Wilma Rejane disse...


Bom dia, irmão Maurício!

Olha, o cenário está se formando e é necessário estarmos atentos e preparados espiritualmente. Muitos que estavam em Jerusalém, convivendo com Jesus, o Messias, não reconheceram os sinais porque olhavam em direção oposta, conheciam as Escrituras, mas erravam na interpretação. Ora, que não seja assim conosco, não é mesmo? O livro de Apocalipse está repleto de imagens e símbolos a serem interpretados no contexto geral das Escrituras.

Que Deus nos dê entendimento para conhecermos Seus mistérios, nos dê fé para estarmos de pé e amor para alcançarmos os perdidos, por Sua graça e Seu amor, somente.

Saudações fraternas,

Muito obrigada pela presença,

Deus o abençoe.

Marcio Humberto Possaitti disse...

apesar deste artigo ser uma copia do blog de outro amigo esta valendo o conteudo nele escrito. parabens . vou tamber fazer uma copia deste artigo

António Jesus Batalha disse...

Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, e verifiquei que eu estava a seguir sem foto, por motivo de uma acção do google, tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
António Jesus Batalha.

Wallace Sousa disse...

Wilma, paz!

de fato, muito bom o artigo e o site faz uma análise criteriosa e bem fundamentada.

todavia, vendo outras coisas lá, percebi q há alguns espinhos q devem ser evitados ou se ter cautela: ela rejeita a Trindade, por ex.

sobre o assunto em pauta, gostei bastante, mas teria cautela em indicar outros textos sem antes analisar bem.

abs,

Wilma Rejane disse...



Paz do Senhor, Wally!

Concordo. O blog Evangelho Perdido, editado por Cris Molulo, agrega uma série de artigos excelentes sobre escatologia, ponto positivo. Mas Cris se diz cristã unicista (assim como o grupo Voz da Verdade). Este fato, contudo, não prejudica suas exposições escatológicas, no que optei por divulgar e aproveitar o lado bom da história.

Mas não se preocupe, não será um hábito frequente copiar de lá.

Obrigada, Wally.

Deus o abençoe.

Wilma Rejane disse...



Graça e paz, Márcio!

Pois é, irmão, embora 90% dos artigos desse blog sejam de autoria dos próprios editores, considero que há muita coisa boa na blogosfera cristã que merece ser copiado, esse é um exemplo. Acrescentei a introdução, conclusão e os vídeos, mas o corpo do trabalho, é do blog Evangelho Perdido. O crédito está no artigo, isso é importante, não é mesmo? Dar os créditos.

Obrigada,

Deus o abençoe.

Wilma Rejane disse...



Obrigada, irmão Jesus Batalha!

Deus o abençoe.

Anônimo disse...

Após fazer uma pesquisa sobre estudos bíblicos que falavam sobre o arrebatamento, pois, há muitos anos, após ler Mateus 24, entendi que o arrebatamento se daria na segunda vinda de Cristo e depois da Tribulação, aí ficando confuso sobre o que seria mais plausível: um arrebatamento secreto com o retorno da Igreja arrebatada com Cristo em Sua volta ou um que se desse na volta de Cristo e na ressurreição dos mortos que tanto vejo escrito na Bíblia, acabei encontrando este blog e o Evangelho Perdido.
Depois que li muito e vi várias visões e opiniões sobre o assunto (não apenas as da Cris Molulo), fiquei com o arrebatamento se dando apenas na volta de Cristo, por achar que condiz mais com o que está escrito na Bíblia. Mas é óbvio que eu posso estar enganado. A minha maior vontade é saber a verdade e conhecer a Palavra, nunca tentar provar que eu estou totalmente certo e os outros, errados. Gosto de troca de opiniões, não de discussões, que, muitas vezes, não servem para nada, só para haver contendas.
Ultimamente tenho me empenhado em reler a Bíblia e tentar entender melhor essa questão e várias outras. Até o momento, ainda não me convenci sobre um arrebatamento que se dará antes da Grande Tribulação, mas vi várias menções ao grande Dia em que se dará a Ressurreição dos mortos, possivelmente na segunda vinda de Cristo. Quando Jesus diz para Marta que Lázaro haveria de ressuscitar (João 11:23), Ela diz: "Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último Dia". João 11:24. Eu nunca vi claramente na Bíblia a descrição de um arrebatamento que se dará antes da Tribulação.
Outras questões são sobre o que acontece após a morte, morada no céu e Reino de Deus, Trindade, Santa Ceia, Dízimo e ofertas,... É tanta coisa que pode confundir. São várias visões e cada um recorre àquela que lhe parece mais plausível baseando-se na Palavra.
Humildemente, quero que Deus me ajude a entender tudo isso... Existem pessoas que acreditam em tudo que lhes é dito, na primeira versão que ouvem dos fatos, mas nunca querem ler a Bíblia ou estudá-la para entender melhor questões tão fundamentais e pedirem que o Espírito da Verdade lhe concedam entendimento acerca da Palavra de Deus. A verdade é uma só, mas qual das várias versões e explicações em relação à essas questões fundamentais são as verdadeiras? Também já vi várias versões e interpretações sobre o Apocalipse.
Quem me dera entender tudo isso...

Pr. Nilson disse...

Muito Bom... Existe uma incognita no meio cristao a despeito da escatologia, muita coisa sem base e fundamento, artigos como esse traz esclarecimento. Deus abençoe. Quando vai sair a segunda edição do Livro?? ansioso!

Wilma Rejane disse...


Graça e paz, Pr. Nilson!

Os livros (Às Margens do Quebar e Primavera de Sara) estão esgotados, vendeu tudo! Porém, não serão reeditados, pois pretendo e preciso investir em novos trabalhos. E olha que A Novo Século fez uma tiragem grande do Quebar, para glória de Deus!

Escrevi um novo livro que inicialmente se chamaria "Sinais em Maaloula", depois mudei o nome para "A Recompensa", é uma ficção com cenário geográfico real e depois de pensar e repensar considerei que a obra estava boa, mas era entretenimento e não edificação espiritual. Voltei atrás e resolvi não publicar.

Bem, o importante não será publicar um livro todo ano, mas publicar bem, então, iniciei um outro livro que certamente ajudará muitas pessoas.

Obrigada, pastor.

Que Deus me dê inspiração e aos leitores paciência para aguardar o próximo lançamento.

Deus o abençoe.

Claudia disse...

Poxa irmã, fiquei muito triste agora. Nunca tive condições de adquirir seus livros, mas guardava a esperança de poder tê-los em mãos algum dia. Para estudar, ler e reler. Que Deus possa te usar muito no próximo.
A paz!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...