O poço de Siquém



João Cruzué

Dizem alguns comentaristas da Bíblia que Jacó perdeu tempo, armando suas cabanas em frente a Siquém, na terra de Canaã, quando deveria ter seguido direto para Betel. Eles podem estar certos de muitas coisas, ou não.

Siquém foi  o primeiro lugar onde Abraão pousou quando vinha de Harã, a caminho da Terra Prometida. Se Jacó tivesse seguido direto para Betel e não parado em Siquém, dizem os estudiosos, teria evitado  o problema acontecido com Diná e posteriormente a  fúria sanguinária dos filhos Simeão e Levi.

Mas, mesmo tendo aparentemente errado ao assentar acampamento diante de Siquém, Jacó cumpriu os planos de Deus, ao cavar ali  um poço profundo para suprir a família e o rebanho com água potável,  cerca de 1750 anos antes de Cristo.

Cerca de quase dois mil anos depois, Jesus assenta-se  à beira do poço ao meio-dia, cansado, e espera. Então, descendo em busca de água uma mulher samaritana tem um encontro com Jesus. 

Ela estranha que ele, sendo um judeu, quebre os costumes locais e comece a conversar com ela. Ele pede para que ela lhe dê de beber; ela estranha a ausência de preconceito.

Esta conversa, este diálogo simples, entre Jesus e a samaritana mostra  o propósito de Deus em fazer um novo concerto com a humanidade perdida em males e pecados. Que testemunho, que mérito, possuía aquela mulher para que, entre toda Samaria, recebesse a visita do Salvador? Nenhum. Pela revelação de Jesus, ela era uma mulher carregada de adultérios. Seu costume era tomar o marido de outras mulheres.

Mesmo assim, o amor de Deus se mostra pleno nesta conversa: "Mulher, se tu soubesses quem lhe pede água para beber, você é que lhe pediria água, a água da vida, uma água que mata a sede de uma pessoa pelo resto da vida, de forma a que nunca mais tenha sede."

Jesus não disse àquela mulher que ela era uma pecadora, digna do fogo do inferno. Apenas estava interessado em lhe oferecer água da vida, e depois lhe dizer que  tempos viriam em que os verdadeiros adoradores adorariam a Deus em espírito e em verdade.

A água de que Jesus estava falando era o Espírito Santo. Quem recebe o Espírito verdadeiro de Deus, nunca mais terá um vazio dentro de si, mas uma fonte de água viva que salta para a vida eterna. E para receber este Espírito que traz uma alegria e satisfação plena, basta arrepender-se sinceramente dos maus caminhos e buscar a presença de Deus.

Quem fuma maconha, sempre vai precisar de  outro baseado. Quem usa cocaína, sempre vai ser escravo do pó. Quem cai no vício do crack, sempre vai precisar de mais uma pedra. O vazio nunca diminui. Mas quem aceita Jesus e se arrepende de coração, tem a promessa de Deus de receber o Batismo no Espírito Santo. E quando isso acontece, não  há mais vazio  nem sede.

Jacó cavou um poço em Siquem para dar de beber à família e o rebanho há 3.750 anos. Jesus, à beira do Poço de Jacó, revelou que existe uma outra água; que Ele é o dono do poço desta água viva, e que ao beber dela, a pessoa nunca mais terá sede, e além disso, seria ela mesma uma fonte de água viva para matar a sede de outros. E nestes "outros" estão incluídos todos os tipos de pecadores - de Paulo a João Cruzué, incluindo a própria mulher samaritana. 

TEXTOS BÍBLICOS 

Apocalipse 21:6: Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida.  

Apocalipse 22:1: E mostrou-me o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.

Apocalipse 22:17: E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida. 

João Cruzué edita o Olhar Cristão e é colaborador do Tenda na Rocha

Um comentário:

Jussara de Melo disse...

Muito lindo vou usar hoje na minha oportunidade na igreja, pois dirijo o culto e essa palavra é linda.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...