Quando Chega a Solidão



"Sou semelhante ao pelicano no deserto; sou como um mocho nas solidões, vigio, sou como o pardal solitário no telhado" Sl 102:6,7

Esse Salmo, traduz duas situações de declínio: A de Davi (doente) e a de Jerusalém (abatida por estrangeiros, com muros derrubados e Israelitas levados cativos). Dentro desse cenário, o Salmista traça, no decorrer dos versos, um paralelo entre ele e Jerusalém. Apesar de triste, ele sente esperança : Jerusalém seria reedificada e exaltada, ele, teria sua descendência firme perante o Senhor (Sl 102: 13 e 28).Ainda no Salmo, Davi se compara a três pássaros: Pelicano, mocho e pardal. Qual seria o significado das comparações?

Pelicanos vivem em grupos, muitas vezes numerosos, nas margens dos rios, lagos, águas estagnadas e ao longo de praias marinhas. Alimentam-se principalmente de peixes; encontram-se da Europa sul oriental à Índia, e, na África, até o lago Niassa.


Essa ave, jamais, por livre vontade, escolheria o deserto. A não ser que um fenômeno da natureza a leva-se para lá. No museu Goeldi, Itaituba, Pará, existe um exemplar de pelicano. Por algum motivo extraordinário ele veio parar no Brasil, no Rio Tapajós. Um desequilíbrio ambiental o trouxe a um País que não é habitat natural da espécie. Apenas em situação semelhante, um pelicano, seria encontrado no deserto. Não por livre escolha, mas forçadamente. Para chegar ao deserto, o pelicano teria que se distanciar de seu grupo, sozinho e faminto com certeza adoeceria e morreria.

Toda essa situação, descreve o momento pelo qual Davi passava: Deixaram-no os amigos, os inimigos (visíveis e invisíveis) o afrontavam (v 8). Sofria: febre, dores, fome, solidão e tristeza (verso 3 a 11). Aos poucos, as "zonas marítimas" foram "secando" e o alegre pelicano se viu no "deserto", um lugar que não era seu "habitat natural". Na juventude, fora saudável, guerreiro, cheio de amigos e vencedor perante inimigos. Na velhice, solitário, cheio de dores.

"Sou como um mocho nas solidões"

Um mocho, ou coruja, é uma ave noturna e solitária. Davi mocho, se conforma com as situações advidas da velhice, reconhecendo-as como inevitáveis. Não se queixa com Deus, admite sua fragilidade. Ser "mocho nas solidões" não lhe era espantoso, mas natural.

"Vigio, sou como o pardal solitário no telhado"

Pardais são aves comuns por toda América, fazem seus ninhos em árvores e telhados. No telhado, saltitam de um lado para outro, observando tudo com graciosidade. É como se Davi quisesse expressar liberdade, como se o leito não o impedisse de está informado sobre tudo que ocorria em Jerusalém. O telhado seria uma espécie de  torre de vigia  e é de lá que ele descreve o declínio e a glória de Sião (v 13-22)

Concluindo: Servos de Deus se assemelham a pelicanos no deserto quando enfrentam situações adversas sem compreenderem os motivos que os conduziu até elas. Tal qual Jó: pássaro robusto  surpreendido por um vento contrário, lhe impelindo ao deserto.  A Bíblia, contudo nos assegura: "Fiel É Deus que vos não deixará tentar acima do que podeis suportar" I Cor 10:13

Poderemos encontrar silêncio nesse deserto, porém, saibamos que Deus ali está a nos falar. A nós, cabe a missão de em todo o tempo confiar.

Por:Wilma Rejane

2 comentários:

Fratermaurício disse...

Caríssima irmã Wilma, graça e paz da parte de Deus!
Aqui em campos do Jordão, estou em silêncio.Férias. Contudo, não deixo de ler seus posts. Como sempre, nostálgicos. Parabéns! (com razão, muitos salmos têm esse gênero). Hoje, sou como um pardal. Saudações!

Wilma Rejane disse...

Olá Fratermauricio!

Que maravilha saber que estás desfrutando os dias como um alegre pardal!

Sabe, me fizeste um pouco de inveja (risos). Estou de "férias", porém, cursando Filosofia em período intensivo na UFPI. O tempo tá assim meio "apertado", e estou com saudades de escrever mais artigos para o blog, mas sou grata a Deus por mais esta oportunidade.

Falei demais, nê?

Deus o abençoe, irmão. Curta os dias que te deu o Senhor para descanso.

Em Cristo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...