Acontecimentos na Turquia apontam para cumprimento de profecias Apocalípticas



Wilma Rejane

Um evento ocorrido na Turquia e noticiado massivamente em 15 de Julho último merece a atenção de quem analisa os sinais do Apocalipse. Reproduzo a seguir a manchete do portal da Revista Oeste:

"Após Hagia Sophia, Turquia quer controlar mesquita em Jerusalém. A mesquita de Al-Aqsa é um dos principais locais da fé islâmica; presidente da Turquia mantém péssima relação com Israel."

Qual a dimensão e significado desse evento? O impacto mais significativo diz respeito  à retomada da Mesquita de Al-Aqsa em Jerusalém (como afirmam algumas manchetes). Enquanto todos  mantêm o olhar na construção do Terceiro Templo em Jerusalém, empreendimento dos judeus ortodoxos que anseiam pelo renascimento do sacrifício de animais e ordenanças Levíticas, esse pode não ser o indício seguro da proximidade da segunda vinda de Jesus. 

A construção do Terceiro Templo está em andamento através de planejamentos arquitetônicos e preparação de sacerdotes, só que há um impedimento para a construção: a mesquita de Al-aqsa. Enquanto houver mesquita no cume do monte considerado sagrado, o Terceiro Templo não poderá ser erguido.Para os judeus ortodoxos as escrituras relacionam a vinda do Messias (que na verdade será o Anticristo) ao restabelecimento do culto judaico original que se concretizaria com o renascimento do Terceiro Templo, no local que hoje é a Hagia Sophia e onde funcionou o Templo de Jerusalém, destruído pelos romanos no ano 70.

Se os Islâmicos conseguirem retomar a mesquita em Jerusalém, será a instituição de um grave conflito político e religioso, além de um cumprimento profético para a chegada do Anticristo a quem os judeus ortodoxos chamam de Messias e os Islâmicos chamam de Madjim (Gênio). A retomada da mesquita de Jerusalém pelos turcos, indicaria um domínio islâmicos de fé xiita, um retorno aos tempos áureos do Islamismo e um avanço para a chegada do Madjim, o Messias esperado pelos Islâmicos que na verdade será o Anticristo.

A retomada da mesquita de Jerusalém só será feita sob guerra ou sob um tratado de paz, pois as relações diplomáticas entre Israel e Turquia não existem. Estamos, portanto, diante de uma "bifurcação"  de cenário apocalíptico: ou os judeus ortodoxos conquistam o monte do Templo em Jerusalém para saudar o seu Messias (Anticristo) ou os turcos retomam o monte do Templo para saudar o seu Madjim ( Anticristo). De onde emergirá esse poder que governará o mundo? 


"E fala-lhe, dizendo: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eis aqui o homem cujo nome é RENOVO; ele brotará do seu lugar, e edificará o templo do Senhor.Ele mesmo edificará o templo do Senhor, e ele levará a glória; assentar-se-á no seu trono e dominará, e será sacerdote no seu trono, e conselho de paz haverá entre ambos os ofícios."Zacarias 6:12,13

Turquia e Não Roma

É comum encontrarmos interpretações do Apocalipse ligando Roma e a religião católica romana com a manifestação do Anticristo e do falso profeta. Contudo, em uma observação mais apurada, percebe-se que há uma outra direção bem mais precisa que Roma e ela se chama Turquia.. Um detalhe que passa desapercebido para muitos na hora de apontar o império romano é o de que a província romana mencionada na Bíblia é atualmente chamada de Turquia. Grande parte do Novo Testamento foi escrito a partir do que hoje é Turquia e antigamente era domínio romano. Todas as sete igrejas do Apocalipse estão situadas na Turquia e ao voltarmos nossas observações para este lugar descobre-se um cenário preciso sobre o fim dos tempos.

Considerações sobre a Turquia:

- Quando Maomé morreu a aproximadamente 14 séculos, a sede do califado islâmico passou a liderar desde Istambul, na Turquia, vivendo ali seu tempo áureo.
- Durante 400 anos Istambul foi o centro político da religião muçulmana.
- O império muçulmano caiu depois da primeira guerra mundial, sendo assim, abolido o califado.
- todos os esforços do islamismo atual se voltam  para o ressurgimento, a ascensão do governo muçulmano sobre o mundo.
- A restauração do califado implica em uma guerra contra cristãos e judeus. ( o que já acontece e ultimamente com maior intensidade)

Escrituras

“ E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração. E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres. A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, ainda que é. Apocalipse. “ 17:6-8

A besta embriagada com o sangue dos santos seria a religião islâmica decapitando, matando cristãos. Sete cabeças e dez chifres seriam o governo dos califas (lideres muçulmanos) nas respectivas regiões do território Turco. A besta que era;  o governo muçulmano extinto após a primeira guerra (1918). “Vai subir do abismo”, ou seja, o império islâmico (ou muçulmano) vai ressurgir desde a Turquia para estabelecer um governo mundial obrigando as pessoas a segui-lo. Assim, a marca da besta estaria diretamente relacionada com o islã e seu violento domínio sobre a terra.

"Aqui o sentido, que tem sabedoria entenda. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada." Apocalipse 17:9

Existem três lugares no mundo que estão edificados sobre sete montes (ou colinas), são eles: Istambul (na Turquia), Jerusalém e Roma. De acordo com o contexto discutido aqui fica evidente que Apocalipse está se referindo a Istambul na Turquia.

Espero que as breves considerações do artigo tenha esclarecido sobre o papel do Islamismo nos últimos dias. 

Deus nos abençoe.

2 comentários:

VICTOR H S ARAUJO disse...

Realmente! O foco de teorias seriam roma, porém muito bem alertado pela sua postagem! Quando vemos com um olhar mais detalhista para a Turquia, e com os devidos acontecimentos o povo tem que ficar alerta! Ainda mais que Ele virá como um ladrão! Porém sabemos quando a arvore dará seu fruto.....

Epoca de covid os olhos estao voltado para o caos que a midia e a politica criaram, para que o que está acontecendo seja encoberto....

Wilma Rejane disse...


Graça e paz, Victor!

Alguns escatológistas já admitem e defendem que o anticristo seja, de fato, da Turquia. Não significa que ele governará desde a Turquia, mas que tenha nacionalidade turca e judia (digamos que um dos pais é judeu do ramo de Davi e o outro turco).

O verdadeiro Messias, Jesus Cristo, pertencia a genealogia de Davi (Mateus 1:1) e os judeus aguardam um messias dessa genealogia, pois, não creem em Jesus Cristo como Messias. O falso messias assim virá (da genealogia de Davi).

O falso messias, o anticristo, será, portanto, um grande líder a estabelecer um governo global, por ser judeu, conquistará os judeus e por ser turco e ter fortes ligações com o Islamismo, reascenderá o poder dessa religião. Assim sendo, a "bifurcação" entre judeus e turcos em seus clamores e profecias por um messias estaria unificada e cumprida.

Quanto à Roma, acredito sim que exista a possibilidade de ser o lugar que irá se alinhar às profecias Bíblicas para abrigar o falso profeta. E o falso profeta trabalharia em conjunto com o Anticristo para estabelecer o governo global "pavimentando' todo o caminho para a Tribulação.

Muito obrigada por comentar,

Deus o abençoe.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...